Veja Também

Veja Também

terça-feira, 15 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 15/06/2021



ÁSIA: As bolsas na Ásia tiveram um fechamento misto na terça-feira, com os mercados chineses perdendo terreno, enquanto várias "big techs", incluindo a Apple, ajudaram a empurrar o S&P 500 para outro recorde de alta.

Na China continental, o composto de Xangai caiu 0,92%, para 3.556,56 pontos, enquanto o Shenzhen Component caiu 0,86%, para 14.673,34 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu cerca de 0,71%. Os investidores em Hong Kong e Xangai acompanhavam de perto relatos de um possível vazamento na Usina Nuclear de Taishan, na província de Guangdong, perto de Hong Kong. A líder de Hong Kong, Carrie Lam, disse que dados do Observatório de Hong Kong e de outros departamentos mostraram que até a noite de segunda-feira, os níveis de radiação na cidade estavam normais depois que o operador da usina disse que estava lidando com um "problema de desempenho", mas que a usina estava operando dentro dos parâmetros de segurança.

O Nikkei do Japão ganhou 0,96%, encerrando o dia em 29.441,30 pontos, enquanto o índice Topix avançou 0,8% para fechar em 1.975,48 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul teve alta de 0,20% no dia, para 3.258,63 pontos.

O S & P / ASX 200 saltou 0,92% para fechar em 7.379,50 pontos. A ata da reunião de política monetária do banco central de junho, mostrou que os membros do conselho do Reserve Bank of Australia concordaram que seria “prematuro” considerar a interrupção do programa de compra de títulos. Das 20 maiores empresas do mercado, apenas 2 fecharam em queda; a Telstra e a mineradora de ouro Newcrest. Rio Tinto foi o melhor das mineradores de minério de ferro, com um aumento de 1,2%, para US$ 126,48. BHP subiu 0,6% e Fortescue Metals adicionou 0,3%. Entre as produtoras de petróleo, Oil Search subiu 0,5%, Santos avançou 0,4%, enquanto Woodside Petroleum adicionou 0,6%.

As ações subiram na Índia e Taiwan, mas caíram em Jacarta e Bangkok.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão subiu cerca de 0,1%.

EUROPA: As bolsas europeias negociam entre altas e baixas nesta terça-feira, enquanto os investidores aguardam o início da reunião de política monetária do Federal Reserve dos EUA. O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,37% nas negociações matinais, com ações ligadas ao setor químicos subindo, enquanto ações de petróleo e gás caem.

O alemão DAX 30 sobe 0,47%, enquanto o francês CAC 40 avança 0,40%. O IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália recuam 0,46% e 0,14%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 avança 0,32%, apesar do recuo das ações ligadas às commodities. Anglo American cai 2,8%, Antofagasta recua 2%, enquanto BHP perde 0,6% e Rio Tinto tomba 0,5%. Entre as gigantes petrolíferas, BP cai 1,1% e Royal Dutch Shell cai 0,1%.

Dados mostraram que a inflação final alemã em maio ficou 2,4% ao ano, enquanto a inflação francesa ficou em 1,8%.

A disputa de 17 anos entre os EUA e a Europa sobre os subsídios de aviões ainda não acabou, mas uma trégua foi alcançada. A agência France-Presse relatou que os dois lados concordaram com uma trégua de 5 anos sobre os subsídios dados aos fabricantes Boeing e Airbus. O anúncio está previsto para ser divulgado durante a reunião do presidente Joe Biden com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen e é um sinal de seu desejo de melhorar as relações transatlânticas após vários contratempos durante o governo Trump e também é um desejo conjunto dos EUA e da Europa de voltar suas atenções para um inimigo comum, a China. As ações da Airbus sobem 1% em Paris e subiram 27% neste ano, na esperança de que a implantação de vacinas COVID-19 impulsione as viagens. As ações da Boeing sobem próximas a 1% no pré-mercado e subiram 15% este ano.

Os dois lados também tem outras disputas pendentes. O governo Trump impôs tarifas sobre o aço e o alumínio da UE que ainda não foram revertidas. Os dois lados também estão em desacordo sobre uma série de questões relativas ao setor de tecnologia, desde impostos, concorrência e até privacidade. Um alto funcionário da administração na Casa Branca disse que os dois lados mantiveram conversações construtivas sobre alumínio, mas que um acordo levará tempo.

EUA: Os mercados futuros dos índices de ações dos EUA operam com cautela nas negociações matinais de terça-feira, depois que o Nasdaq Composite e o S&P 500 registraram novos recordes de alta antes do início da reunião de política monetária do Federal Reserve.

Na segunda-feira, o S&P 500 subiu 0,18% para fechar em um novo recorde de alta, em 4.255,15 pontos, enquanto o Dow Jones caiu 0,25%.

O Nasdaq Composite ganhou 0,74% para fechar em uma alta recorde nunca registrada, em 14.174,14 pontos. Os investidores estão voltando para as ações de crescimento, à medida que os rendimentos dos títulos continuavam caindo. A taxa do Tesouro de 10 anos atingiu uma baixa de três meses na última sexta-feira, em 1,46% e estacionou em torno de 1,5% na segunda-feira. Os rendimentos caíram novamente na terça-feira, para 1,485%.

O bitcoin subiu para US $ 40.000 na segunda-feira depois que o CEO da Tesla, Elon Musk, disse no domingo que a empresa retomará as transações com bitcoin assim que confirmar que há um uso razoável de energia limpa pelos mineradores da moeda digital.

A reunião de política de dois dias do Federal Reserve começa hoje e finaliza amanhã. É o evento mais importante da semana. Não se espera que o banco central faça qualquer alteração em sua política, no entanto, os investidores estarão atentos aos comentários sobre taxas de juros, inflação e os planos de redução gradual do Fed.

Os investidores também estarão atentos a outro indicador de inflação que será divulgado nesta terça-feira. O Índice de Preços ao Produtor, que mede os preços pagos aos produtores em oposição aos preços ao consumidor e será divulgado às 9h30. As projeções é de que deva subir 0,5% em maio, de acordo com estimativas da Dow Jones. O núcleo do PPI, que exclui itens voláteis como alimentos, energia e serviços comerciais, deve aumentar 0,4%.

Em uma agenda cheia nesta terça-feira, dados de vendas no varejo de maio devem ser divulgados no mesmo horário. Economistas esperam queda de 0,7% para o mês passado. Excluindo os automóveis, os economistas esperam que as vendas no varejo de maio aumentem 0,5%. As vendas no varejo em abril permaneceram inalteradas à medida que o impulso dos pagamentos de estímulo aos americanos diminuiu. Ainda às 9h30 sairá o Empire State Manufaturing Index (mede a atividade manufatureira no estado de Nova York).

Às 10h15 será divulgado a produção industrial e a taxa da capacidade utilizada pelas fábricas, enquanto às 11h00 será divulgado o Business Inventories (mede a variação no valor de bens em estoques mantidos por fabricantes, atacadistas e varejistas). Uma leitura maior pode indicar uma falta de demanda do consumidor, No mesmo horário sairá o NAHB Housing Market Index ou índice do Mercado Imobiliário (HMI) da Associação Nacional de Construtoras (NAHB) composto por cerca de 900 construtoras. Valores acima de 50 indicam que os construtores têm uma visão positiva sobre mercado imobiliário dos EUA.

ÍNDICES FUTUROS - 7h50:
Dow: -0,02%
SP500: +0,07%
NASDAQ: +0,13%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +0,91%
Brent: +0,89%
WTI: +0,82%
Soja: +0,85%
Ouro: +0,05%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

segunda-feira, 14 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 14/06/2021



ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam sem direção nas negociações de segunda-feira, com vários dos principais mercados da região fechados por conta de feriados.

O Nikkei no Japão subiu 0,74% para fechar em 29.161,80 pontos, enquanto o índice Topix ganhou 0,29%, em 1.959,75 pontos. Dados oficiais divulgados na segunda-feira mostraram que o índice ajustado sazonalmente da produção do Japão subiu 2,9% em abril em relação ao mês anterior.

O Kospi da Coreia do Sul fechou em alta de 0,09%, em 3.252,13 pontos.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,15%.

Os mercados da Austrália, China continental e Hong Kong fecharam na segunda-feira devido feriados.

EUROPA: As bolsas europeias avançam nesta segunda-feira com os investidores antecipando à reunião de junho do Federal Reserve dos EUA e esperando que o banco central mantenha a política monetária inalterada.

O pan-europeu Stoxx 600 ganha 0,28% no meio da manhã, depois de fechar a semana que passou em uma alta recorde. Ações de petróleo e gás lideram os ganhos, enquanto as ações de automóveis caem.

O alemão DAX 30 sobe 0,20%, o francês CAC 40 avança 0,25%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália registram alta de 0,60% e 0,16%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 opera em alta de 051%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 0,3%, mas Antofagasta, BHP e Rio Tinto sobem 0,8%, 0,3% e 0,2%, respectivamente. Entre as gigantes petrolíferas, BP sobe 1,4% e Royal Dutch Shell avançam 2,1%.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve anunciar uma extensão das restrições para o Covid-19 ainda nesta segunda-feira, enquanto o país luta contra um aumento nos casos da variante delta descoberta pela primeira vez na Índia.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em ligeira alta nas negociações matinais de segunda-feira, com os investidores também aguardando a reunião do Federal Reserve que acontece amanhã e quarta-feira e que provavelmente dominará as atenções dos investidores nesta semana. Embora não se espere nenhuma ação do banco central, suas projeções para as taxas de juros, inflação e economia podem movimentar os mercados.

O Fed pode elevar sua previsão de aumento das taxas depois de dizer em sua última atualização trimestral que manteria sua taxa de juros de referência perto de zero até 2023, informou o Wall Street Journal na segunda-feira.

O presidente do Fed, Jerome Powell, falará à imprensa depois que o banco central divulgar seu comunicado na quarta-feira e os investidores estarão analisando seus comentários em busca de pistas de quando o Fed pode começar a encerrar seu agressivo programa de compras mensais de ativos, especialmente devido ao recente aumento da inflação. Qualquer evidência sugerindo que o aperto monetário está sendo removido ou alterado provavelmente trará volatilidade ao mercado de ações.

Na sexta-feira, o Dow avançou 13,36 pontos, ou alta de 0,04%, fechando em 34,479,60 pontos. O S&P 500 subiu 0,19%, mantendo-se em território recorde, em 4,247,44 pontos, enquanto o Nasdaq Composite avançou 0,35%, em 14,069,42 pontos.

Os investidores voltaram a dar atenção para ações de crescimento, à medida que os rendimentos dos títulos caem. O rendimento dos títulos do tesouro de 10 anos caiu abaixo de 1,43% na sexta-feira, uma baixa de três meses.

O Bitcoin se recupera na segunda-feira, depois que o CEO da Tesla, Elon Musk, sugeriu que a fabricante de veículos elétricos pode aceitar novamente a criptomoeda no futuro, assim que confirmar que há um uso razoável de energia limpa por parte dos mineradores. O Bitcoin estava sendo negociado a US $ 39.147,50 na manhã de segunda-feira. A Tesla, grande detentora de bitcoins, sobe cerca de 1% no pré-mercado. Outras ações importantes de tecnologia, como a Nvidia e Zoom, também avançam no pré-mercado.

A empresa de biotecnologia Novavax disse na segunda-feira que sua vacina Covid-19 se mostrou segura e 90,4% eficaz em um ensaio clínico de fase três com quase 30.000 participantes nos Estados Unidos e no México e que a vacina de duas doses foi considerada 100% eficaz na prevenção de doenças moderadas e graves e 93% eficaz contra algumas variantes. A empresa disse que planeja entrar com pedido de autorização junto à Food and Drug Administration no terceiro trimestre deste ano. A vacina também pareceu ser bem tolerada e os efeitos colaterais mais comuns foram fadiga, dor de cabeça, dores musculares e no local da injeção, que geralmente não duram mais do que dois ou três dias, de acordo com a empresa.

A notícia foi divulgada no momento em que as autoridades federais afirmam que os EUA têm doses mais do que suficientes para terminar de vacinar toda a população americana para o Covid-19. Até domingo, mais de 173 milhões de americanos receberam pelo menos uma dose da vacina Covid-19, de acordo com dados compilados pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças. É possível que os EUA acabem doando doses da vacina Novavax, visto que a administração Biden já se comprometeu a doar pelo menos 20 milhões de doses das vacinas produzidas pela Pfizer-BioNTech, Moderna e J&J, bem como 60 milhões de doses de vacinas da AstraZeneca, que ainda não foram autorizadas para uso nos EUA.

Não está prevista a divulgação de dados econômicos relevantes nos EUA.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,05%
SP500: +0,09%
NASDAQ: +0,28%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +5,90%
Brent: +0,74%
WTI: +0,68%
Soja: -1,73%
Ouro: -1,24%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

quinta-feira, 10 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 10/06/2021



ÁSIA: A maioria das principais bolsas asiáticas subiu nesta quinta-feira, enquanto os investidores aguardavam a divulgação dos dados de inflação dos EUA para maio.

Na China continental, o composto de Xangai subiu 0,54% para encerrar o dia em 3.610,86 pontos, enquanto o Shenzhen Component saltou 1,19% para fechar em 14.893,59 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,13%.

No Japão, o Nikkei fechou em alta de 0,34% em 28.958,56 pontos, enquanto o índice Topix, mais amplo, encerrou o dia com pouca variação em 1.956,73 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul avançou 0,26%, fechando em 3.224,64 pontos.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 subiu 0,44%, fechando em 7.302,50 pontos, com ações de tecnologia e imobiliárias sustentando o mercado acionário australiano para sua melhor sessão da semana, com o índice ASX 200 fechando a sessão de quinta-feira acima de 7300 pela primeira vez na história. Apenas os setores de energia e materiais terminaram em baixa, com a BHP caindo 0,8%, enquanto Oil Search despencando 3,3%.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão subiu 0,38%.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em baixa na quinta-feira, à medida que os investidores se posicionavam para dois eventos importantes, a divulgação dos dados de inflação dos EUA e a decisão do Banco Central Europeu.

O Banco Central Europeu anuncia sua decisão de política monetária hoje, ás 8h45 (horário de Brasilia). As expectativas são de que o banco central mantenha o ritmo mensal de compras de títulos em torno dos € 80,7 bilhões em títulos adquiridos em maio. Às 9h30, a presidente do BCE, Christine Lagarde, começará uma coletiva à imprensa.

As ações na Europa têm ampliado discretamente novos recordes, com o Stoxx Europe 600 fechando em alta por quatro sessões consecutivas. No início da sessão, o Stoxx Europe 600 caiu 0,1%, mas o pan-índice avança 0,09% próximo da transição para a sessão da tarde.

O alemão DAX 30 sobe 0,23%, o francês CAC 40 recua 0,10%, o IBEX 35 da Espanha avança 0,01%, enquanto o FTSE MIB da Itália cai 0,32%.

Em Londres, o FTSE 100 avança 0,38%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 1%, BHP avança 0,7%, Rio Tinto adiciona 0,5%, enquanto Antofagasta recua 1,3%. As produtoras de petróleo e gás BP e Royal Dutch Shell sobem 0,3% e 0,6%, respectivamente.

Entre outras notícias, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, se encontrará com presidente dos EUA, Joe Biden, nesta quinta-feira, antes do início da cúpula do Grupo dos Sete em Cornualha, sudoeste de Inglaterra, que começa na sexta-feira.

EUA: Os contratos futuros vinculados aos principais índices de ações dos EUA operam com sinais mistos durante as negociações matinais de quinta-feira, com os investidores aguardando o importante relatório de inflação que será lançado no final do dia.

Os três principais índices dos EUA negociaram em baixa na quarta-feira. O Dow, o S&P 500 e o Nasdaq Composite caíram 0,44%, 0,18% e 0,09%, respectivamente durante as negociações regulares, deixando os benchmarks mais longe de seus respectivos máximos históricos. O S&P 500 está a apenas 0,44% do recorde histórico. O Dow e o Nasdaq estão cerca de 2% aquém das máximas históricas.

Na quarta-feira, um deslize nas ações de bancos e empresas industriais pesaram sobre Wall Street na última meia hora de negociação. As ações de varejo online, as ações "meme", como ficaram conhecidas, ficaram voláteis mais uma vez.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro caíram. O rendimento do Tesouro de 10 anos recuaram para 1,48%, ante 1,52% na última terça-feira. Os rendimentos em queda têm pesado sobre os bancos, que dependem de rendimentos mais altos para cobrar definir os seus juros sobre empréstimos.

Os investidores aguardam a próxima leitura sobre a inflação de maio, que será divulgada hoje às 9h30. As expectativas para o relatório de CPI de maio, de acordo com uma pesquisa do Dow Jones Newswires/Wall Street Journal, deve apontar uma alta de 4,7% nos preços em relação ao ano anterior, após o aumento de 4,2% em abril. Durante semanas, os investidores se preocuparam se o aumento da inflação poderia levar o Federal Reserve a reduzir o ritmo de suas compras de ativos ou começar a sinalizar um aumento nas taxas de juros. Ainda assim, alguns dizem que esses temores são prematuros e que o banco central dará aos mercados bastante tempo antes de fazer qualquer movimento.

No mesmo horário, o Departamento de Trabalho também deve publicar seus dados de pedidos de seguro-desemprego. Espera-se que 370 mil pessoas tenham solicitados o benefício, abaixo dos 385 mil das solicitações da semana passada.

ÍNDICES FUTUROS - 7h10:
Dow: +0,22%
SP500: +0,06%
NASDAQ: -0,25%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +0,68%
Brent: +0,17%
WTI: +0,11%
Soja: +0,52%
Ouro: -0,69%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

quarta-feira, 9 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 09/06/2021

 


ÁSIA: As principais bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa na quarta-feira, com os investidores reagindo à divulgação de dados da inflação chineses.

O índice de preços ao produtor da China para maio aumentou 9% em relação ao ano anterior, ante expectativas de aumento de 8,5% em uma pesquisa da Reuters e alta de 1,3% em relação ao ano anterior, abaixo do aumento de 1,6% esperado em uma pesquisa da Reuters.

Na China Continental, o composto de Xangai subiu 0,32%, para 3.591,40 pontos, enquanto o Shenzhen Component subiu ligeiramente para 14.718,40 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,05%.

No Japão, o Nikkei caiu 0,35%, fechando em 28.860,80 pontos, enquanto o índice Topix caiu 0,28%, encerrando o dia em 1.957,14 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul recuou 0,97%, fechando em 3.216,18.

O S & P / ASX 200 na Austrália caiu 0,31% no dia para 7.270,20. As principais mineradoras subiram, seguindo um aumento nos preços do minério de ferro. BHP subiu 0,6%, a Rio Tinto subiu 0,5% e a Fortescue Metals fechou em alta de 1%. Os bancos australianos também tiveram um desempenho abaixo do esperado, assim como as produtoras de petróleo. Santos caiu 0,7% e Woodside Petroleum recuou 0,4%.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,29%.

Enquanto isso, o Banco Mundial atualizou na terça-feira sua previsão de crescimento, com a economia global agora devendo crescer 5,6% em 2021, ante previsão anterior de janeiro de uma expansão econômica global de 4% em 2021. Ainda assim, a organização alertou em um comunicado que a produção global ficará cerca de 2% abaixo das projeções pré-pandemia até o final deste ano, apesar da recuperação.

EUROPA: As bolsas europeias operam com sinais contrários na manhã de quarta-feira, refletindo o sentimento cauteloso antes dos dados de inflação mais recentes dos EUA, o que poderá levar o Federal Reserve a reduzir as compras de ativos mais cedo ou mais tarde.

O aumento mais acentuado do que o esperado nos preços de abril no mês passado abalou temporariamente os mercados, assim sendo os investidores estão esperando para ver como virá a inflação dos EUA amanhã, que pode levar o Federal Reserve a recuar em sua posição monetária acomodatícia e que pode pesar sobre as ações.

Enquanto isso, a inflação está subindo a um ritmo mais moderado na zona do euro e os investidores também estarão de olho na decisão de política monetária do Banco Central Europeu na quinta-feira, particularmente para ver se o banco central manterá intacto seu ritmo atual de compras de títulos.

O índice Stoxx Europe 600 cai 0,21%, em uma semana em que o índice subiu cerca de 0,3%, com as companhias aéreas liderando os ganhos, depois da flexibilização das regras de viagem nos EUA. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA aliviou as restrições de viagem para vários países europeus, incluindo França, Espanha e Itália, que agora são nível 3, o que significa que os americanos podem viajar para esses países, mas devem estar totalmente vacinados. Os EUA não recomendam viagens para países com classificações de Nível 4.

O alemão DAX 30 cai 0,38%, o CAC 40 da França cai 0,05%, enquanto IBEX 35 da Espanha recua 0,01% e o FTSE MIB da Itália perde 0,28%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,49%, com o forte aumento nos preços das fábricas chinesas pressionando as ações das mineradoras. Anglo American cai 2,3%, Antofagasta recua 1,9%, enquanto BHP perde 1,8% e Rio Tinto opera em baixa de 1,7%. As empresas de petróleo listadas na LSE também recuam. BP cai 0,5% e Royal Dutch Shell perde 0,3%. Em contrapartida, as ações da International Consolidated Airlines sobe 3,37% e a easyJet avança 2,75%.

EUA: Os futuros dos índices de ações operam próximo da estabilidade ​​nas negociações matinais de quarta-feira, com os investidores aguardando a próxima leitura sobre a inflação para avaliar, já que a economia continua a se recuperar da recessão induzida pela pandemia.

O Dow fechou em queda de 0,09% na terça-feira. O S & P 500 avançou 0,02% em 4.227,26 pontos, apenas 0,3% abaixo de seu recorde de 4.238,04 pontos atingido em 7 de maio. O Nasdaq Composite liderou os ganhos em Wall Street, avançando 0,31%, em 13.924,91 pontos.

As vagas de emprego em abril divulgados na terça-feira, atingiram um novo recorde, com 9,3 milhões de vagas sendo criadas em meio à recuperação econômica.

O índice de preços ao consumidor para maio será divulgado na quinta-feira. Economistas esperam que o IPC suba 4,7% em relação ao ano anterior, de acordo com a Dow Jones. Em abril, o IPC aumentou 4,2% em uma base anual, alta mais rápida desde 2008.

O Fed afirmou anteriormente que o aumento nas pressões dos preços são apenas temporárias, já que a economia continua a se recuperar da recessão induzida pela pandemia.

Na agenda de hoje, está prevista a divulgação do inventário do atacado final às 11h00. Os estoque semanais de petróleo sairá às 11h30.

ÍNDICES FUTUROS - 7h10:
Dow: -0,08%
SP500: +0,08%
NASDAQ: +0,09%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +3,98%
Brent: +0,35%
WTI: +0,31%
Soja: -0,72%
Ouro: -0,16%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

terça-feira, 8 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 08/06/2021

 


ÁSIA: As bolsas fecharam majoritariamente em baixa na Ásia nesta terça-feira após um fechamento misto em Wall Street, à medida que os investidores ponderavam os riscos de inflação e sinais de que a recuperação da pandemia está ganhando força.

No Japão, o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão contraiu 3,9% no primeiro trimestre deste ano em uma comparação anual, de acordo com a leitura final publicada na segunda-feira. O dado mostrou uma queda menor do que a registrada na divulgação preliminar, que indicava retração de 5,1% no período. Na comparação com o trimestre anterior, a atividade econômica japonesa recuou 1%, ante queda de 1,3% no resultado preliminar. Analistas acreditam que o surto de coronavírus que levou o governo a declarar estado parcial de emergência e endurecer com medidas de restrição à pandemia provavelmente manterá a economia em contração no trimestre atual, porém o ritmo de recuperação aumentará no segundo semestre à medida que a demanda doméstica se recuperar, apoiada pelo aumento das vacinas, enquanto a demanda externa deve continuar a apoiar o setor manufatureiro. O Nikkei do Japão caiu 0,19%, fechando em 28.963,56, enquanto o índice Topix subiu cerca de 0,1% no dia, para 1.962,65 pontos.

Na China Continental, o composto de Xangai caiu 0,54%, para 3.580,11 pontos, enquanto o Shenzhen Component caiu 0,98%, para 14.716,98 pontos. Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu cerca de 0,02%.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,13%, encerrando o dia de negociação em 3.247,83 pontos.

O S & P / ASX 200 na Austrália oscilou entre altas e baixas para finalmente fechar com um acréscimo de 0,15%, em 7.292,60 pontos. O setor de commodities foi arrastado para baixo na terça-feira por uma queda de 1% na BHP e Fortescue Metals e uma baixa de 0,9% na Rio Tinto. Entre as produtoras de petróleo, Santos avançou 0,4%, mas Woodside Petroleum caiu 0,8%.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico caiu 0,23%.

EUROPA: As bolsas europeias tentam negociar em alta na manhã de terça-feira, com os investidores de olho no crescimento da zona do euro e nos dados de emprego para o primeiro trimestre e continuam focados no aumento da inflação.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,27%, mantendo-se em níveis recordes, com a maioria dos setores em território positivo, exceto petróleo e gás, química, industria e automóveis. O francês CAC 40 sobe 0,33%, o FTSE MIB da Itália avança 0,08%, enquanto o IBEX 35 da Espanha cai 0,03%.

Na Alemanha, o DAX 30 avança 0,17%. A produção industrial alemã, que mede a produção industrial total de manufatura, energia e construção, diminuiu 1% em abril em relação a março, aquém das expectativas de aumento de 0,4%. Embora a produção industrial na maior economia da Europa tenha sido aquém das projeções dos economistas, ela representou um aumento de 26,4% em relação ao ano anterior. O escritório de estatísticas também revisou para baixo os mesmos números industriais de março ante um aumento mensal de 2,2%, abaixo da alta de 2,5% relatado anteriormente.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 0,35%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 0,9%, Antofagasta sobe 1,6%, BHP adiciona 1,1% e Rio Tinto avança 0,7%. Entre as gigantes do setor de petróleo e gás, BP cai 0,3% e Royal Dutch Shell recua 1,1%, com preços do petróleo caindo ligeiramente.

O Bitcoin cai 7,64%, em US $ 32.838,00, ante marca acima de US $ 35.000,00 na segunda-feira.

EUA: Os futuros dos índices de ações operam entre leves altas e baixas nas negociações da matinais de terça-feira, depois que o Dow e o S&P 500 começaram a semana em baixa.

O Dow caiu 126 pontos, ou 0,36%, na sessão regular de segunda-feira para seu pior desempenho diário desde 19 de maio. O S&P 500 caiu 0,08%, com setor de commodities com queda de 1,2%, pesando sobre o mercado.

O Nasdaq Composite subiu 0,49% na segunda-feira, impulsionado por ações da biofarmacêutica Biogen subiu 38% depois que o FDA aprovou seu remédio inovador para Alzheimer. As ações da AMC Entertainment saltaram 14,8% e as ações do BlackBerry e GameStop também saltaram dois dígitos. A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA disse na segunda-feira que está observando a volatilidade contínua do mercado e prometeu proteger os investidores de varejo.

Os investidores estão aguardando novos sinais de inflação na quarta-feira, após o relatório de empregos de sexta-feira, que mostrou a criação de menos empregos do que o esperado em maio e a taxa de desemprego caiu de 6,1% para 5,8%. Os mercados reagiram positivamente à leitura. Os economistas esperam que o IPC suba 4,7% em relação ao ano anterior, de acordo com a Dow Jones. Em abril, o IPC aumentou 4,2% em uma base anual, a alta mais rápida desde 2008.

Os holofotes também estão voltados para a próxima reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto, agendada para 15 a 16 de junho, com os investidores procurando que as autoridades do Fed dirão sobre a inflação e a política monetária. Comentários recentes das autoridades sugerem que o Fed está começando a preparar os mercados para reduzir suas compras de ativos.

Na agenda desta terça-feira, a balança comercial sairá às 9h30, enquanto as vagas de trabalho  (JOLTS) sairá às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,33%
SP500: -0,17%
NASDAQ: +0,02%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: -0,73%
Brent: -0,50%
WTI: -0,45%
Soja: +0,90%
Ouro: -0,23%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

segunda-feira, 7 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 07/06/2021



ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam mistas na segunda-feira, à medida que a euforia inicialmente visto no começo da semana passada em Wall Street diminuíram, enquanto os investidores reagiam aos dados do comércio chinês para maio.

As preocupações com a pandemia coronavírus permanecem fortes na região, em contraste com os EUA e partes da Europa, onde a vida está voltando a algo parecido com a normalidade, mas a distribuição da vacina está gradualmente ganhando força na Ásia.

Grande parte da economia regional depende das exportações para o Ocidente e isso não é diferente na China. As exportações chinesas em dólares aumentaram 27,9% em maio em comparação com o ano anterior, de acordo com dados alfandegários divulgados segunda-feira, apesar de ser menor do que as previsões de analistas em uma pesquisa da Reuters para um salto anual de 32,1% nas exportações.

Na China Continental, o composto de Xangai subiu 0,21%, para 3.599,54 pontos, enquanto o Shenzhen Component caiu fracionariamente para 14.862,60 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,33%.

Enquanto isso, o Nikkei do Japão ganhou 0,27% para fechar em 29.019,24 pontos e o índice Topix subiu quase 0,1% para encerrar o dia de negociação em 1.960,85 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul fechou em alta de 0,37%, em 3.252,12 pontos.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 caiu 0,19% para fechar em 7.281,90 pontos. Ações ligada à abertura dos mercados e entretenimento caíram depois que nove novos casos de coronavírus foram relatados em Melbourne, levantando questões sobre possível bloqueio da cidade e se os moradores estarão livres para se locomover durante o próximo fim de semana prolongado. A companhia aérea nacional Qantas caiu 1,9%, Flight Centre caiu 4,8%, Webjet caiu 4,9% e o Corporate Travel caiu 5,1%, compensando os ganhos obtidos pelas principais mineradoras de minério de ferro. BHP subiu 0,1%, Rio Tinto avançou 0,7%, enquanto Fortescue Metals recuou 1,3%. As empresas produtoras de petróleo também sucumbiram. Santos caiu 0,1% e Woodside Petroleum recuou 0,3%.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão foi negociado em torno de uma baixa de 0,1%.

Os mercados da Malásia e da Nova Zelândia ficaram fechadas na segunda-feira por conta de feriados.

EUROPA: As bolsas europeias sobem nesta segunda-feira, embora as preocupações com a inflação mantém uma tampa sobre o otimismo.

Em alta de 13% este ano, o Stoxx Europe 600 caiu 0,1% no período da manhã mas opera em alta de 0,25%.

O alemão DAX 30 sobe 0,20%, o francês CAC 40 avança 0,30%, enquanto o IBEX 35 da Espanha sobe 0,25% e o FTSE MIB da Itália lidera os ganhos regionais ao avançar 0,86%.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 0,25%, apesar da queda para empresas de commodities. Anglo American cai 2,4%, Antofagasta recua 2%, BHP e Rio Tinto perdem 0,1% cada. Entre as empresas de petróleo e gás, BP cai 0,2% e Royal Dutch Shell perde 0,3%.

No fim de semana, os países do G-7 chegaram a um acordo sobre a reforma tributária global, pedindo que as maiores corporações do mundo paguem pelo menos 15% de imposto sobre seus rendimentos. Isso é mais baixo do que a sugestão inicial do governo Biden de uma alíquota mínima de 21%, o que não gerou muito entusiasmo em outros países. Grandes empresas, incluindo Facebook e Google, responderam favoravelmente ao acordo.

EUA: Os futuros das ações dos EUA operam entre ligeiras altas e baixas na manhã de segunda-feira, em meio ao otimismo sobre a reabertura da economia em curso neste verão.

O S&P 500 está a apenas 0,2% de seu recorde intradiário no início de maio. O benchmark avançou 0,6% na semana passada para trazer seus ganhos para mais de 12% em 2021. O Dow e o Nasdaq também registraram ganhos na semana passada.

O relatório de empregos de sexta-feira mostrou que a taxa de desemprego caiu de 6,1% para 5,8% e que 559.000 empregos foram criados em maio. O relatório foi considerado forte o suficiente para manter a confiança dos investidores na economia, mas leve o suficiente para impedir que o Federal Reserve se apresse em mudar suas políticas de dinheiro fácil. O Fed se comprometeu a apenas começar a reduzir o ritmo mensal de US$ 120 bilhões de compras de ativos depois que houver “progresso adicional substancial” na inflação e no emprego.

O presidente do Fed, Jerome Powell, que substituiu Yellen no comando do banco central em 2018, busca convencer os investidores de que não tem planos de retirar o apoio à economia tão cedo. Powell e outras autoridades monetárias continuam a projetar a taxa básica de juros próxima de zero até 2023.

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse o que o presidente Joe Biden deve levar adiante seus planos de gastos de US$ 4 trilhões, mesmo que isso estimule uma inflação que persista no próximo ano e em um ambiente de taxas de juros mais alta. “Se estivermos com um ambiente de taxa de juros ligeiramente mais alta, seria na verdade um "plus" do ponto de vista da sociedade e do Fed”, disse no domingo em entrevista à Bloomberg News, após reunião de ministros das Finanças do G7 em Londres. Segundo ela, os EUA lutaram contra uma inflação e taxas de juros muito baixas há uma década”, acrescentando que a volta normal de taxas de juros, pode “ajudar um pouco a aliviar as coisas, então não é uma coisa ruim, é uma coisa boa", e completou: “não vou desistir dos próximos pacotes”, “não são estímulos, mas sim investimentos para atender às antigas necessidades de nossa economia".

Os investidores estão focados nos dados de inflação durante semana, com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de maio programado para ser divulgado na quinta-feira. Em abril, o IPC subiu 4,2% em relação ao ano anterior, o aumento mais rápido desde 2008. Se os preços continuarem a subir, isso pode fazer com que o Federal Reserve recue em suas políticas de facilitação.

Não está programado a divulgação de dados relevantes nos EUA.

ÍNDICES FUTUROS - 7h50:
Dow: +0,06%
SP500: -0,12%
NASDAQ: -0,37%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: -4,40%
Brent: -0,58%
WTI: -0,47%
Soja: +1,38%
Ouro: -0,51%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

quarta-feira, 2 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 02/06/2021



ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam sem direção nesta quarta-feira, depois de um início de mês sem brilho em Wall Street.

Na China Continental, o composto de Xangai caiu 0,76%, para 3.597,14 pontos e o Shenzhen Component caiu 1,18%, para 14.857,91 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu cerca de 0,72%.

Na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,07%.

O Nikkei do Japão subiu 0,46% para fechar em 28.946,14 pontos, enquanto o índice Topix subiu 0,84% e encerrar o dia em 1.942,33 pontos. As ações da montadora Toyota subiram 2,18%, enquanto as da Honda subiram 4,55%. Os ganhos vieram apesar de relatos de que as montadoras suspenderam temporariamente a produção na Malásia devido "lockdown" no país, que começou terça-feira. Outras montadoras japonesas também viram ganhos, com a Mazda subindo 4,46%, enquanto a Mitsubishi Motors subiu 3,23%.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 fechou em alta de 1,05%, em 7.217,80 pontos, com ganhos das gigantes de mineração e empresas de energia. BHP ganhou 2,9%, Fortescue Metals subiu 1,8% e Rio Tinto adicionou 1,7%, enquanto Woodside Petroleum subiu 4,6% e Santos ganhou 6,5% em uma corrida do setor de commodities. Em sentido contrário, as produtoras de ouro também recuaram, com Northern Star caindo 1,1% e Regis Resources recuando 3,5%.

O PIB da Austrália do primeiro trimestre subiu 1,8% em relação ao último trimestre, de acordo com dados oficiais divulgados na quarta-feira, ante expectativas de um aumento de 1,5% em uma pesquisa da Reuters, com a atividade econômica australiana se recuperando e ficando acima dos níveis pré-pandêmicos.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,35%.

EUROPA: As principais bolsas europeias operam em alta nesta quarta-feira, apesar do fraco sentimento visto em outros mercados ao redor do mundo.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,14%, depois de subir inicialmente 0,4% no início da sessão, com ações de petróleo e gás liderando os ganhos, enquanto os de recursos básicos caem.

O alemão DAX 30 sobe 0,19%, o francês CAC 40 avança 0,17%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália adicionam 0,12% e 0,28%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 opera em queda de 0,01%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 0,2%, enquanto Antofagasta cai 2,1%, BHP perde 0,2%, enquanto Rio Tinto recua 0,5%. Entre as gigantes do petróleo, BP sobe 0,9% e Royal Dutch Shell avança 1,1%.


EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam entre leves altas e baixas nas negociações matinais de quarta-feira, após uma sessão sem brilho no primeiro dia de junho.

Durante as negociações regulares de terça-feira, o Dow Jones ganhou 47 pontos, ou 0,13% de alta, depois de subir mais de 300 pontos em um determinado momento. O S&P quebrou uma sequência de 3 dias de alta e fechou em baixa de 0,02%. O Nasdaq Composite caiu 0,09%, a sua segunda sessão negativa em três.

Destaque positivo para as companhias aéreas e operadoras de cruzeiros que viram suas ações subirem à medida que os casos da Covid nos Estados Unidos continuaram caindo.

O S&P 500 e o Dow estão 0,8% e 1,5%, respectivamente, abaixo dos recordes de maio. O Nasdaq tem um pouco mais de terreno para recuperar. O índice de alta tecnologia está atualmente 3,3% abaixo do recorde histórico de abril.

As expectativas de que o próximo relatório do Departamento do Trabalho em maio mostrará um forte aumento nas contratações, aumentaram as preocupações com a inflação e como o Federal Reserve deverá agir. Isso ajudou a aumentar os rendimentos dos títulos na terça-feira. Os bancos estavam entre os maiores ganhadores à medida que os rendimentos dos títulos aumentavam, visto que lhes permitem cobrar taxas de juros mais altas nos empréstimos. O rendimento do Tesouro de 10 anos subiu para 1,61% ante 1,58% na sexta-feira.

As ações de energia também foram destaques de altas e foram uma das maiores ganhadoras no S&P 500 na terça-feira. Os preços do petróleo bruto saltaram mais de 2%.

O Institute for Supply Management informou que a produção industrial voltou a crescer em maio. O índice de manufatura do ISM chegou a 61,2 no mês passado, muito melhor do que os 60,6 esperados pelos economistas pesquisados pela FactSet. A melhora ocorreu apesar da escassez de oferta de matéria prima que assola muitas indústrias há semanas, particularmente aqueles que necessitam de semicondutores.

Na agenda econômica, o destaque do dia é a divulgação do Livro Bege às 15h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,10%
SP500: -0,2%
NASDAQ: -0,11%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +2,77%
Brent: +1,27%
WTI: +1,11%
Soja: +0,88%
Ouro: -0,32%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

terça-feira, 1 de junho de 2021

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 01/06/2021



ÁSIA: As principais bolsas asiáticas fecharam sem direção nesta terça-feira, à medida que os investidores aguardam os dados de emprego dos EUA, em busca de sinais de que a maior economia do mundo está melhorando após decepção no mês anterior e reagindo à divulgação de uma pesquisa privada sobre a atividade manufatureira chinesa em maio.

O PMI de manufatura da Caixin / Markit para maio ficou em 52, acima das expectativas de uma leitura de 51,9 dos analistas em uma pesquisa da Reuters e melhor que a leitura de 51,9 em abril. O PMI oficial da manufatura para maio, divulgado na segunda-feira, ficou em 51,0, ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas para uma leitura de 51,1 em uma pesquisa da Reuters. Leituras de PMI acima de 50 representam expansão, enquanto aquelas abaixo desse nível significam contração.

As ações na China Continental fecharam em alta, com o composto de Xangai subindo 0,26% para 3.624,71 pontos e o Shenzhen Component subindo 0,26% para 15.034,78 pontos. O Partido Comunista da China anunciou na segunda-feira que permitirá que os casais tenham três filhos em vez de dois. O governo quer retardar o rápido envelhecimento da população e garantir um número adequado de futuros trabalhadores, mas os casais estão resistentes por conta dos altos custos e pressões trabalhistas.

Também na segunda-feira, os bancos comerciais chineses foram ordenados a aumentarem suas reservas de moeda estrangeira para limitar as vendas e conter o aumento da taxa de câmbio da moeda chinesa, o yuan. O Banco Popular da China está tentando deter os especuladores depois que o yuan subiu cerca de 12% em relação ao dólar desde maio. Segundo analistas, a mudança mais recente é um "forte sinal" de que os formuladores de políticas econômicas estão "cada vez mais desconfortáveis" com a velocidade da ascensão do yuan.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 1,20%. O Kospi da Coreia do Sul fechou 0,56% maior, em 3.221,87 pontos.

O Nikkei do Japão caiu 0,16% para fechar em 28.814,34 pontos, enquanto o índice Topix subiu 0,17%, em 1.926,18 pontos.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 caiu 0,27% no dia, para 7.142,60 pontos. O Reserve Bank of Australia anunciou na terça-feira sua decisão de manter estáveis as suas configurações de política atuais, incluindo a manutenção da taxa de juros em 0,1% e programas de facilitação quantitativa. As mineradoras avançaram. BHP subiu 0,4%, Rio Tinto avançou 0,8% e Fortescue Metals saltou 2%. As empresas de energia subiram depois que a aliança OPEP+ previu um aperto no mercado global de petróleo antes da reunião de política de produção. Santos subiu 2,1% e Woodside Petroleum avançou 1,3%.

O índice MSCi para a Ásia-Pacífico exceto Japão subiu 0,55%.

EUROPA: As bolsas europeias abriram o primeiro dia de junho em novos patamares. Os ganhos vieram com os futuros de petróleo bruto atingindo o maior nível em mais de dois anos, antes da reunião de produção da OPEP+.

O Stoxx Europe 600 sobe 1,21%, com ações de a mineração, petróleo e bancos liderando as altas e colocando o índice no caminho para registrar um novo recorde de alta. O índice pan-europeu subiu 2% em maio, sua quarta alta mensal consecutiva.

Nesta terça-feira, o alemão DAX 30 sobe 1,44%, o francês CAC 40 sobe 0,86%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália sobem 0,55% e 1,22%, respectivamente.

O FTSE 100 sobe 1,21% em Londres, após uma pausa de três dias. As mineradoras listadas na LSE registram sólidos ganhos no dia. Antofagasta dispara 4,2%, Antofagasta adiciona 3,4%, BHP sobe 3,7% e Rio Tinto salta 4,1%. Entre as produtoras de petróleo, Bp sobe 2,2% e Royal Dutch Shell sobe 1,9%.

A Eurostat informou que os preços ao consumidor em maio subiram 2% em relação ao ano anterior, devido ao aumento dos preços da energia.

As leituras finais do PMI de manufatura do IHS Markit para maio mostraram que a atividade na zona do euro atingiu um recorde de 63,1, acima dos 62,9 em abril e acima da estimativa inicial de 62,8. No Reino Unido, a atividade fabril subiu para 65,6 em maio, ante 60,9 em abril, seu crescimento mais acentuado desde o início dos recordes.

A Comissão Europeia propôs na segunda-feira que os turistas vacinados devem ser isentos de testes obrigatórios ou medidas de quarentena quando viajam entre as nações da UE.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA sobem na manhã de terça-feira, com o entusiasmo sobre a reabertura econômica devendo fazer com que Wall Street inicie o mês de junho com alta, após pausa na segunda-feira por conta do feriado do Memorial Day.

Os futuros do S&P 500 sobem, colocando o benchmark mais perto de seu recorde. Na sexta-feira, o S&P 500 fechou a apenas 0,8% de seu recorde intradiário.

Os ganhos ocorrem na medida em que os casos da Covid continuam diminuindo nos EUA, a medida que aumenta as taxas de vacinação. Em um marco importante, mais da metade da população dos EUA (50,5%) recebeu pelo menos uma dose da vacinação para Covid, de acordo com dados do CDC publicados no domingo. Mais de 62% dos adultos receberam uma dose e houve apenas 12.663 novos casos no sábado, de acordo com o CDC, o menor desde março de 2020.

Ações vinculadas à reabertura da economia lideram os ganhos no pre-market. A Carnival e Norwegian Cruise Line Holdings sobem mais de 2% cada. A American Airlines e a United Airlines sobem mais de 1,5% cada. Deere e Boeing estavam em alta no início do pregão.

As ações do setor de energia sobem com os futuros do petróleo dos EUA saltando quase 3%. A Exxon, a Chevron e a Marathon Petroleum registram ganhos no pre-market com o início da temporada de viagens de verão.

Os movimentos nas negociações da madrugada vieram depois que o Dow e o S&P 500 ganharam 1,93% e 0,55% em maio, respectivamente, marcando seu quarto mês positivo consecutivo. O Russell 2000 subiu 0,11% em maio, para postar seu oitavo mês positivo consecutivo, a mais longa sequência de altas mensais desde 1995.

O Nasdaq subiu 2,06% na semana passada, postando seu melhor desempenho semanal desde abril, porém, o índice de alta tecnologia perdeu 1,53% em maio, quebrando uma sequência de 6 meses de alta.

Um indicador chave da inflação, o índice básico de gastos com consumo pessoal, subiu 3,1% em abril em relação ao ano anterior, mais rápido do que a previsão de um aumento de 2,9%. Apesar dos dados de inflação mais fortes do que o esperado, os rendimentos do tesouro caíram na sexta-feira.

O foco dos investidores agora é a reunião do Federal Reserve agendada para 15 a 16 de junho. A questão é se o Fed começa a acreditar que a inflação está acima do esperado e se a economia está fortalecendo o suficiente para progredir sem tanto apoio monetário.

O relatório de emprego de maio, previsto para ser lançado nesta sexta-feira, fornecerá uma leitura importante da economia. De acordo com economistas, espera-se cerca de 674.000 empregos criados em maio, depois dos 266.000 empregos criados em abril, que ficou muito menos do que o esperado.

Na agenda econômica de hoje, espera-se o PMI final de manufatura às 10h45. O PMI de manufatura do ISM sairá às 11h00, juntamente com os dados de gasto de construção.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,55%
SP500: +0,42%
NASDAQ: +0,38%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +7,29%
Brent: 2,09%
WTI: +2,72%
Soja: +0,80%
Ouro: +0,19%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.