Veja Também

Veja Também

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 29/09/2017

ÁSIA: As bolsas asiáticas finalizaram o trimestre com um desempenho amplamente positivo na sexta-feira. Os mercados também digeriram uma grande quantidade de dados do Japão. O índice MSCI Asia Pacific ex-Japan subiu 0,47% no pregão nesta sexta-feira, registrando um aumento de 4,76% no trimestre. 

O Nikkei fechou em baixa de 0,03%, fechando em 20.356,28 pontos, com perdas moderadas nas montadoras de automóveis e em várias blue-chips. O índice de preços ao consumidor de agosto subiu 0,7% em relação ao ano anterior, marcando um oitavo mês consecutivo de aumentos anuais. As vendas no varejo aumentaram 1,7% no mês passado em relação ao ano anterior, mas abaixo de uma estimativa de um aumento de 2,6% dos analistas, no entanto, os dados da produção industrial superam as previsões. Os números de agosto mostraram um aumento de 2,1% em relação ao mês anterior, acima da previsão de 1,9% de analistas de mercados.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul subiu 0,90% para fechar em 2.394,47 pontos, com a maioria das empresas de manufatura, varejo e petróleo apresentando ganhos. Os fabricantes de automóveis também tiveram ganhos significativos: Hyundai Motor fechou 2,38% maior e Kia Motors subiu 2,59%. Os reguladores sul coreanos disseram na sexta-feira que proibiriam ofertas de novas moedas, acrescentando que o comércio de moedas virtuais no país deve ser supervisionado mais de perto.

Abaixo, o S & P / ASX 200 da Austrália fechou em alta de 0,2%, em 5.681,6 pontos. O setor de mineração foi um dos destaques de alta na sessão desta sexta-feira. A mineradora BHP subiu 1,1%, Rio Tinto subiu 1,3% e Fortescue Metals recuperou parte do terreno perdido ontem e fechou em alta de 2,3%.

Os setores de mineração e energia australiano apresentaram sólidos desempenhos no terceiro trimestre, com o BHP subindo 10,7%, Rio Tinto aumentou 5,2% e empresa de energia Santos disparou 33%. No entanto, nem tudo foram flores; Fortescue Metals caiu 1,5% e a Woodside Petroleum caiu 2,6% no trimestre.

Os futuros de minério de ferro da China estão no ritmo de seu maior declínio mensal desde maio de 2016, em meio à preocupações crescentes com a demanda, já que as inspeções governamentais reduziram a produção de aço. O contrato de minério de ferro mais negociado na Dalian Commodity Exchange, para entrega em janeiro, caiu 2,2% na quinta-feira, trazendo as perdas do mês para mais de 20%. Ao longo do trimestre caiu 3,2%. O mercado está preocupado com o aumento de suprimento e a menor demanda da China, com restrições às usinas locais de ferro e aço.

O índice Hang Seng de Hong Kong apagou perdas anteriores para fechar em alta de 0,48% e no continente, o Shanghai Composite subiu 0,29%, enquanto o Shenzhen Composite avançou 0,69%.

Vários mercados, incluindo a Coréia do Sul e a China, estarão fechados na próxima semana para feriados públicos.

EUROPA:  As bolsas europeias avançam nesta sexta-feira, mantendo-se no caminho para o melhor mês do ano após uma série de dados positivo. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,13%. Para setembro, o índice pan-europeu estava em curso para uma alta de 3,4%, o maior desempenho mensal desde dezembro do ano passado. Para o terceiro trimestre, que também se encerra após a sessão desta sexta-feira, o índice sobe 1,9%, recuperando de uma perda de 0,5% no segundo trimestre.

Segundo analistas, a recuperação geral na área do euro está indo de vento em popa, num momento em que as pessoas estão cada vez mais otimistas sobre a economia global. As empresas também tiveram um bom segundo trimestre e as pessoas parecem otimistas quanto ao terceiro e para o quarto trimestre, no entanto, ainda há uma série de coisas que podem dar errado, incluindo as negociações do Reino Unido com a UE, o Brexit e a frágil recuperação do sul da Europa, além da possibilidade do BCE retirar o apoio de seu programa de compras de ativos.

Na quinta-feira, o membro do Conselho de Administração do BCE, Francois Villeroy de Galhau, disse que o banco deve diminuir o ritmo das compras de ativos, mas ainda manter a política monetária. O membro do conselho executivo, Peter Praet, também disse que o banco central não vai discutir o fim do estímulo monetário, mas, em vez disso, como recalibrar sua política.

As vendas no varejo na Alemanha caíram em menos do que o esperado em agosto em 0,4% no mês, enquanto a confiança do consumidor no Reino Unido cresceu em um ponto em setembro, segundo a pesquisa da GfK, depois de ter caído dois pontos no mês anterior.

Os preços das casas em Londres caíram pela primeira vez desde 2009, revelaram números nacionais. Ao mesmo tempo, os preços em todo o Reino Unido aumentaram ao ritmo mais lento nos últimos quatro anos.

O FTSE 100 do Reino Unido ganha terreno, após índice fechar em alta de 0,1% na quinta-feira. O índice de Londres está em curso para um aumento semanal de 0,7%, provavelmente o mesmo percentual de ganho para o terceiro trimestre que encerra nesta sexta-feira. No mês, no entanto, o índice está no caminho para uma retração de 0,9%.

Os ganhos do índice de referência na sexta-feira, ocorre enquanto a libra cai abaixo de US $ 1,34 após o PIB do segundo trimestre, em uma base anual, ter sido revisado para baixo. O Escritório de Estatísticas Nacionais disse que sua leitura final sobre o crescimento anual cresceu 1,5%, abaixo de uma estimativa anterior de 1,7%. Uma libra mais forte pode prejudicar as ações das empresas multinacionais no FTSE 100, pois os ganhos dessas empresas feitas no exterior podem ser reduzidos quando convertidos de volta para a libra esterlina.

Entre as empresas de mineração listadas na LSE, Anglo American sobe 2,1%, Antofagasta avança 1,9%, BHP Biliton sobe 1,4% e Rio Tinto avança 1,7%.

Na contramão dos índices regionais, o índice IBEX 35 da Espanha opera em baixa nesta sexta-feira, antes da votação pela independência da  Catalunha no domingo.

EUA: Os futuros de ações dos Estados Unidos lutam para subir nesta manhã de sexta-feira. Wall Street segue a caminho para registrar ganhos mensais e trimestrais à medida que os investidores aguardam os dados da inflação e uma leitura sobre o sentimento do consumidor.

Para o mês, que se encerra após o fechamento da sessão desta sexta-feira, o DJIA registra um ganho mensal de 2%, o S & P 500 avança 1,6% e o Nasdaq Composite Index sobe de 0,4%, em relação ao fechamento de quinta-feira.

Segundo analistas, o mês de setembro trouxe boas notícias para os mercados de ações dos EUA, enquanto o presidente Trump anunciou seu plano inicial sobre reformas tributárias e o dólar parece firme. As perspectivas de uma nova alta de taxas para este ano não estão tão fortes ainda, visto que as chances de outra alta da taxa de juros para este ano são ainda de 50%.

Os investidores estão tentando encontrar apoio depois de uma semana marcada por comentários "hawkish" da presidente da Reserva Federal, Janet Yellen e o esperado anúncio sobre a reforma tributária da administração Trump. Os republicanos dizem que os cortes de impostos propostos podem gerar um crescimento econômico mais forte e isso poderia ajudar os mercados de ações a alcançar novos níveis recordes, no entanto, os analistas advertem que o plano ainda precisa ser aprovado pelo Congresso e a administração já se esforça para obter a aprovação dos legisladores, incluindo o projeto de saúde, já muito discutido.

Uma série de dados econômicos será divulgado hoje, começando com a renda pessoal, gasto do consumidor e inflação subjacente às 9h30. Todos os relatórios são para agosto. Às 10h45, o índice PMI de Chicago para setembro será divulgado, seguido do sentimento do consumidor do mesmo mês será lançado às 11 horas.

No quadro da Fed, o presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, dará uma palestra às 12 horas sobre a perspectiva econômica, em uma conferência no banco regional.

ÍNDICES FUTUROS - 8h20:
Dow: -0,05%
SP500: -0,05%
NASDAQ: +0,15%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 28/09/2017

ÁSIA: Os índices asiáticos não conseguiram definir uma direção de fechamento nesta quinta-feira, depois que as bolsas dos EUA e o dólar avançarem após o lançamento de um tão aguardado plano de reforma tributário.

O plano proposto reduz a taxa de imposto corporativo de 35% para 20% e diminui a taxa de imposto de renda individual de 39,6% para 35%, mas o ceticismo aumentou porque permanecem questões como de que maneira os cortes de impostos seriam financiados. Ainda assim, o dólar subiu depois dos desenvolvimentos de Washington, bem como dados econômicos dos EUA mais fortes.

O índice do dólar, que rastreia o dólar em relação a uma cesta de rivais foi negociado em 93,64. Contra a moeda japonesa, o dólar subiu para 112,86 ienes depois de tocar em 113,19 no início da sessão.

O Nikkei adicionou 0,47%, para fechar em 20.363,11 pontos com a maioria das ações do setor financeiro e indústrias registrando ganhos.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi subiu 0,02% para fechar em 2.373,14 pontos. O setor de tecnologia virou pro negativo, com ações do peso pesado Samsung Electronics apagar os ganhos iniciais e fechar em baixa de 0,81%. SK Hynix superou seus pares e subiu 0,97%.

Abaixo, o S & P / ASX 200 da Austrália subiu 0,11% para terminar a sessão em 5.670,38 pontos, com subíndices de cuidados de saúde e utilitários liderando os ganhos no índice. A maioria dos bancos avançaram. Entre as mineradoras, Fortescue caiu 3,4% e Rio Tinto recuou 1,9%. As autoridades sul coreanas disseram na quinta-feira que preveem novas ações provocativas da vizinha Coreia do Norte em meados de outubro.

O Índice Hang Seng de Hong Kong ficou sob pressão, caindo 0,80% e nos mercados continentais, o Shanghai Composite caiu 0,15%. Os mercados chineses experimentaram uma pressão de venda antes do feriado de uma semana. A bolsa de valores da cidade ficará aberta por três dias na próxima semana e na China continental as bolsas fecham a semana inteira para o feriado do Dia Nacional, o que traduzirá em uma redução significativa dos volumes de negócios na região.

O Banco Central da Nova Zelândia manteve a taxa em 1,75% e disse em um comunicado que a moeda local mais suave ajudaria a alimentar a inflação. Essa foi uma ligeira alteração na linguagem em relação à declaração do RBNZ de agosto, que dizia que um dólar Kiwi mais fraco era "necessário".

O Banco da Tailândia manteve sua taxa de política inalterada na quarta-feira, como amplamente esperado. Ainda assim, a mudança foi contrária às chamadas do governo para reduzir taxas devido a um baht tailandês mais firme.

Enquanto isso, a rupia da Indonésia tocou em uma mínima de 10 meses no início da sessão, negociado a 13,550 rupias por dólar e fechou em 13,530 por dólar.

EUROPA: Os mercados europeus experimentam nesta quinta-feira, uma ligeira pressão de venda que potencialmente pode direcionar para a sua primeira perda em seis sessões. O Stoxx Europe Index cai 0,05%. A queda é liderado por ações do setor de consumo e utilidade, mas ações de petróleo e gás e financeiro estão entre os setores que avançam. O índice fechou em alta de 0,4% na quarta-feira, marcando um recorde de alta de 10 semanas e sua quinta vitória consecutiva, auxiliada por ganhos de ações do banco.

Hoje, o Stoxx Europe 600 Banks Index avança à medida que os investidores avaliam a perspectiva de taxas de juros mais altas. As taxas mais elevadas favorecem o setor bancário, pois podem cobrar mais por seus empréstimos. Deutsche Bank da Alemanha sobe 2,37%, o Banco Santander da Espanha aumenta 0,34%, França Société Générale ganha 0,72% e o Lloyds Banking Group do Reino Unido sobe 0,6%.

A confiança do consumidor da Alemanha está pronta para mergulhar em outubro após uma série de alta em cinco meses, mas a alta será sustentado pela continuidade do consumo doméstico que deve ser um dos pilares chave do crescimento da maior economia da Europa. O índice de sentimento futuro do grupo de pesquisa de mercado deverá cair para 10,8 pontos em outubro, ante 10,9 pontos em setembro. Os economistas esperavam uma leitura de 11,0. O DAX 30 da Alemanha opera em alta.

No Reino Unido, o FTSE 100 também opera em alta, com bancos se destacando com expectativas de que as taxas de juros em breve irão aumentar tanto na Grã-Bretanha quanto nos EUA. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 0,7%, Antofagasta cai 0,4%, BHP Biliton perde 1,1% e Rio Tinto recua 0,6%.

Os investidores europeus acompanharão os comentários dos negociadores do Brexit nesta quinta-feira, quando a quarta rodada de negociações chega ao fim. Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel parece estar mais próxima de formar um governo de coalizão depois que Wolfgang Schaeuble decidiu se tornar presidente do parlamento e, assim, permitir que outro assuma o Ministério das Finanças.

EUA: Os futuros de ações dos Estados Unidos recuam nesta quinta-feira, já que os investidores mantem-se reticentes em relação ao reforma tributário e esperam uma atualização do produto interno bruto e os discursos de mais autoridades do Federal Reserve.

Na quarta-feira , o Dow Jones Industrial Average fechou em alta de 0,25% para terminar em 22.340,71 pontos, e o S & P 500 ganhou 0,41% para fechar em 2.507,04 pontos. O Nasdaq Composite Index aumentou 1,15% para fechar em 6.453,26 pontos, entretanto, o RUT Russell 2000 terminou 1,92% maior, em 1.484,81 pontos, um recorde de fechamento e o maior ganho percentual diário desde 1º de março.

Os dados finais do PIB do segundo trimestre será divulgado às 9h30, juntamente com reivindicações semanais de seguro desemprego e números sobre o comércio de mercadorias para agosto.

Alguns palestrantes do Federal Reserve podem chamar alguma atenção. A presidente da Fed de Kansas City, Esther George, falará sobre a economia e a política monetária às 10h45. O vice-presidente do Fed, Stanley Fischer, falará sobre os desenvolvimentos do banco central em uma conferência do Banco da Inglaterra em Londres às 11h00. Fischer no início deste mês disse que está planejando se desligar do Fed no próximo mês.

Na quarta-feira, o presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, disse que apoia os aumentos "regulares e graduais" das taxas de juros, dizendo que eles seriam uma forma segura contra a possibilidade de uma economia superaquecida.

ÍNDICES FUTUROS - 9h00:
Dow: -0,20%
SP500: -0,20%
NASDAQ: -0,39%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 27/09/2017

ÁSIA: Os principais mercados da Ásia fecharam sem direção nesta quarta-feira, com investidores digerindo o discurso considerado "hawkish" da presidente do Federal Reserve Janet Yellen, de que o Fed "deveria se preocupar com a elevação das taxas de forma gradual", enquanto as tensões com a Coreia do Norte diminuíram. 

O Nikkei do Japão deslizou 0,31%, fechando em 20.267,05 pontos, frente aos pagamentos de dividendos de muitas empresas japonesas. A primeira metade do ano fiscal termina no sábado. O impacto do "ex-dividendo" ofuscou o iene mais fraco, o que normalmente reflete sobre o índice. O dólar foi buscar 112,73 ienes, ante 111 negociados durante o comércio asiático na terça-feira, quando a Coréia do Norte acusou o presidente Donald Trump de declarar a guerra. A maioria das montadoras, setor bancário e varejistas fecharam em baixa. 

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul negociou a maior parte da sessão próximo da linha plana e terminou a 0,07% menor em 2.372,57 pontos, com a maioria das ações de tecnologia registrando ganhos depois da queda no dia anterior: Samsung Electronics fechou 0,04% maior e SK Hynix adicionou 0,37%. O Kosdaq, índice de alta tecnologia, subiu 1,06% no final da sessão.

Abaixo, o S & P / ASX 200 caiu 0,12% para fechar em 5.664,3 pontos com subíndices de tecnologia da informação e serviços de telecomunicações, registrando perdas. As mineradoras ajudaram a apoiar o benchmark, depois que o minério de ferro saltou 3%. Rio Tinto subiu 1,4%, South32 avançou 2,2%, Fortescue adicionou 3,4% e BHP terminou 0,2% maior.

A BHP diz que há uma "nova realidade" no mercado mundial de minério de ferro, com destaque para "usuários premium" que pagarão mais por material de alta qualidade. O diretor comercial da BHP prevê que a tendência provavelmente concretizará à medida que a China intensificar o combate às empresas que poluem mais, favorecendo aquelas que possuem fornos maiores. O preço de referência do minério de 62% em Qingdao foi de US $ 64,95 a tonelada, enquanto o de 65% estava em US $89,50 e o de 58%, em US $ 39,30, de acordo com o Metal Bulletin, comparado com $ US44,37, US $ 47 e US $ 38.52, respectivamente, no início de 2016.

Os mercados da China registraram ganhos moderados. O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,47% e no continente, o Shanghai Composite aumentou em 0,06%, enquanto o Shenzhen Composite avançou 0,77%.  Os lucros realizadas por empresas industriais chinesas em agosto cresceram 24% em relação ao ano anterior, acima do aumento de 16,5% observado em julho.

Em Taiwan, o Taiex subiu 0,68% depois de atingir uma baixa de seis semanas na terça-feira em meio a uma recuperação em algumas ações de tecnologia. Largan saltou 5,57% e Hon Hai subiu 1,45%.

EUROPA: Os mercados europeus registram ganhos moderados na manhã desta quarta-feira, em meio à algumas notícias corporativas importantes e  expectativas crescentes de uma nova alta das taxas nos Estados Unidos antes do final do ano após discurso de Yellen, de que seria "imprudente" manter a política monetária em espera, aguardando que a inflação atinja o alvo de 2% do banco central e que mover "gradualmente" poderia ser arriscado.  

O dólar e os rendimentos das obrigações avançam na quarta-feira devido tais observações. Os bancos tradicionalmente se beneficiam em um ambiente com maiores rendimentos. O euro mais fraco ajuda a impulsionar os índices de ações da região. O euro já recuou quase 2% desde sexta-feira, mas alguns analistas acreditam que a queda cessará em breve. 

O Stoxx Europe Index sobe 0,29%, ajustando-o para o seu quinto avanço consecutivo. Se fechar assim, marcará o maior fechamento desde 19 de julho. As ações da Alstom disparam 6,12% e Siemens sobe 2% após ambas as empresas concordaram em fundir suas operações ferroviárias, com o objetivo de criar um gigante europeu com a escala para enfrentar as crescentes ameaças competitivas dos rivais chineses que tem apoio estatal.

O ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, disse na manhã de quarta-feira que também espera por um acordo similar na indústria naval. A França e as autoridades políticas italianas estão se reunindo em Lyon para chegar a um acordo sobre os estaleiros STX.

Ainda na França, o presidente francês, Emmanuel Macron, apresentou propostas para avançar com a integração europeia, mostrando uma visão clara e ambiciosa, pedindo que a zona do euro que seja o "coração do poder econômico global da Europa". O CAC 40 avança em Paris.

No Reino Unido, o FTSE 100 sobe pela primeira vez nesta semana, recebendo impulso de uma libra mais fraca e apoio das mineradoras que se beneficiam da alta dos preços dos metais. Anglo American sobe 2,33%, Rio Tinto adiciona 1,90%, Antofagasta avança 1,92% e BHP Biliton sobe 0,9%. O ouro, considerado um ativo seguro, cai 0,68%, arrastando produtores de metais preciosos. Randgold Resources cai 1,27% e Fresnillo cai 0,56%.

A libra cai para US $ 1,3383, ante US $ 1,3460 na terça-feira e está abaixo do nível de US $ 1,36 do início de setembro, quando atingiu o nível mais alto em relação ao dólar desde o Brexit em junho do ano passado, após sugestões de que o Banco da Inglaterra estava preparando-se para aumentar suas taxas de juros nos próximos meses.

O Banco da Inglaterra disse que espera que 130 empresas financeiras da Europa solicitem licença para operar no Reino Unido, assim que sair oficialmente da União Europeia.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontaram para um pequeno aumento na abertura desta quarta-feira, já que os analistas disseram que o mercado está se estabilizando após quatro sessões de baixa do Dow.

Na terça-feira, o Dow DJIA terminou 0,1% menor, marcando o quarto dia de baixa, ficando 0,6% abaixo do recorde fechado atingido há uma semana. O S & P 500 e Nasdaq Composite fecharam ligeiramente mais alto na terça-feira, enquanto os medos relacionados à Coreia do Norte pareciam diminuir e com investidores apreciando as palavras da chefe do Federal Reserve, Janet Yellen.

Ações da Nike caem 3,37% no pré-market depois que a gigante apresentou resultados fiscais que surpreenderam positivamente as previsões, mas sua receita ficou ligeiramente abaixo das expectativas. A empresa também advertiu que as vendas fracas na América do Norte continuarão apesar dos resultados no segundo trimestre.

Na agenda econômica, às 9h30 será divulgado os pedidos de bens duráveis ​​de agosto, com economistas prevendo um crescimento de 1%. Uma leitura sobre as vendas de casas pendentes de agosto é devido às 11h00.

O presidente do Fed do Minneapolis, Neel Kashkari, deve fazer observações na abertura de uma conferência às 10h15 e o presidente do Fed de St. Louis, Fed James Bullard, falará na Universidade Estadual Truman de Missouri em 14h30. Mais tarde, o governador do Fed, Lael Brainard, participará de um fórum do Fed de Kansas City, às 15h00 e o presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, está programado para conversar na Universidade de Nova York às 19h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,04%
SP500: +0,12%
NASDAQ: +0,18%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 26/09/2017

ÁSIA: O índice MSCI Asia Pacific ex-Japan recuou 0,37%, pressionado pelos declínios em Wall Street à medida que a guerra de palavras entre a Coreia do Norte e os EUA aumentava. Os analistas disseram que a acusação da Coréia do Norte de que Trump havia declarado a guerra tornaram os mercados nervosos.

O Nikkei do Japão caiu 0,33%, para fechar em 20.330,19 pontos, após o iene fortalecer durante a noite com investidores focados na Coreia do Norte. A moeda japonesa ampliou os ganhos ao negociar em 111,59 ienes por dólar depois tocar 112 durante o comércio asiático na segunda-feira.

O Bank of Japan revelou a minuta da reunião de julho, indicando que as autoridades de política monetária estavam otimistas em relação à inflação, com alguns afirmando que um alvo de inflação de 2% era um padrão global e que continuará com sua atual estratégia de política monetária.

Através do Estreito da Coreia, o Kospi caiu 0,26% para terminar a sessão em 2.374,32 pontos, pesado pelo aumento das tensões geopolíticas, embora o índice tenha ficado a maior parte da sessão em alta. Ações de tecnologia pesaram. Samsung Electronics fechou em baixa de 3,66%, SK Hynix caiu 4,87% e LG Electronics recuou 2,97%.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 deslizou 0,22% para terminar em 5.671 pontos, com os ganhos do subíndice de energia sendo compensados por perdas das varejistas. Os subíndices de tecnologia da informação e cuidados de saúde caíram 0,8 e 0,75%, respectivamente. As mineradoras também tiveram um dia de perdas. BHP Biliton caiu 0,8%, Rio Tinto recuou 0,2%, enquanto Fortescue Metals perdeu 1,9%.

Os mercados da China fecharam ligeiramente positivos. O índice Hang Seng de Hong Kong fechou em alta de 0,06%.  No continente, o Shanghai Composite aumentou em 0,07% e o Shenzhen Composite fechou quase inalterado, somando 0,007%.

Os fornecedores da Apple recuaram em toda Ásia depois que a gigante da tecnologia viu suas ações caírem em torno de 0,9% na segunda-feira. A Apple informou aos fornecedores que reduzirá as compras de componentes para seu último modelo iPhone X. Os fornecedores listados em Taiwan fecharam a sessão em baixa: Hon Hai Precision Industry fechou 1,43% menor e Taiwan Semiconductor Manufacturing Company deslizou 1,38%, enquanto a AAC Technologies Holding da Hong Kong caiu 1,1%, assim como as empresas sul coreanas do setor citadas anteriormente.

No cenário político, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse na segunda-feira que dissolverá a câmara baixa do parlamento em 28 de setembro para promover novas eleições, provavelmente em 22 de outubro.

Os investidores também digeriram comentários do presidente do Fed de Nova York, William Dudley e do presidente do Fed de Chicago, Charles Evans. Dudley disse na segunda-feira que o banco central deve aumentar as taxas de juros lentamente, já que os fatores "temporários" que afetam a inflação estão desaparecendo. Evans adotou um tom mais cauteloso, afirmando que o Fed deve esperar sinais de que os preços estão aumentando antes de aumentar as taxas.

EUROPA: As bolsas europeias tentam se firmar em território positivo, apesar do aumento das tensões entre os EUA e a Coreia do Norte. 

No final da sessão de segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores da Coréia do Norte afirmou que os EUA declararam guerra ao estado isolado, deixando Pyongyang com "todo direito de contramedidas". Segundo analistas, a reivindicação "pode ​​parecer ridícula, no entanto, a afirmação de que eles reservam o direito de derrubar armamento americanas em espaço aéreo internacional deve ser levada a sério, já que os norte coreanos são mestre em provocação.

O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,14% depois de balançar entre pequenos ganhos e perdas. O euro continua a deslizar após resultados das eleições gerais da Alemanha durante o fim de semana. A chanceler alemã, Angela Merkel, iniciou conversas com três outros três partidos para construir um novo governo de coalizão, depois que o partido AfD quebrou as previsões e se tornou a terceira maior bancada no parlamento. 

O FTSE 100 do Reino Unido cai pela segunda sessão consecutiva, com a escalada da guerra de palavras entre os EUA e a Coreia do Norte alimentando receios de uma guerra nuclear e expulsou investidores de ativos arriscados. As ações do Reino Unido na terça-feira também são espremidas por um aumento da libra. Como a maioria das receitas das empresas FTSE 100 é feita no exterior, uma libra mais forte pode espremer os ganhos quando convertidos para a moeda do Reino Unido.

As mineradoras listadas na LSE tentam recuperar das pesadas perdas recentes. Antofagasta e Glencore avança 1,1% cada, Rio Tinto sobe 0,4% e BHP Biliton e Anglo American operam estáveis.  

Os investidores do euro também estavam preocupados com um referendo de independência na região espanhola da Catalunha no domingo, embora o governo central em Madrid tenha declarado ilegal a votação.

Em Bruxelas, as negociações com o Brexit parecem ter endurecidas depois que Michel Barnier, o principal negociador da UE, disse que não se pode discutir um acordo de transição, como a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, antes de resolver as questões sobre direitos dos cidadãos. 

EUA: Os futuros de ações dos Estados Unidos lutam para definir uma direção na abertura de Wall Street. Uma queda hoje coloca o Dow no caminho da quarta sessão seguida de perdas. Na segunda-feira, o Dow DJIA caiu 0,24%, sua terceira sessão consecutiva de perdas. O S & P 500 caiu 0,22% e o Nasdaq Composite recuou 0,88%.

Os investidores aguardam novas leituras sobre o mercado imobiliário e a confiança dos consumidores, bem como os discursos da chefe do Federal Reserve, Janet Yellen e outras três autoridades do banco central dos EUA.

As 10h00 será divulgado o índice de preços de casa dos EUA de julho e os dados de agosto sobre as vendas de casas novas são esperados para às 11h00. Os economistas preveem que foram vendidas 585 mil novas casas. Também às 11h00 será divulgado o índice de confiança do consumidor de setembro, com economistas antecipando uma leitura de 119,5.

Na frente do Fed, a presidente do Cleveland Fed, Loretta Mester, deve moderar uma mesa redonda sobre a perspectiva econômica global às 10h30 em Cleveland e o governador do Fed, Lael Brainard, deve falar sobre disparidades no mercado de trabalho às 11h30, em Washington, DC. O presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, deverá pronunciar um discurso sobre perspectivas econômicas e política monetária em Atlanta às 13h30 e Yellen estará falando em Cleveland sobre inflação, incerteza e política monetária às 13h45.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,04%
SP500: -0,01%
NASDAQ: +0,18%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 25/09/2017

ÁSIA: O índice MSCI Asia Pacific ex-Japan caiu 0,84% nesta segunda-feira, com investidores digerindo as eleições na Alemanha e na Nova Zelândia durante o fim de semana.

O Nikkei do Japão subiu 0,5%, para fechar em 20.397,58 pontos, à medida que as montadoras registravam ganhos com um iene mais suave contra o dólar, já que pesava sobre os mercados, as notícias de uma eventual eleição no Japão, depois que o primeiro-ministro Shinzo Abe anunciou na segunda-feira planos para montar um pacote de estímulo de US $ 2 trilhões de ienes (US $ 17,8 bilhões). O primeiro-ministro japonês convocou uma eleição geral em uma tentativa de consolidar o poder em meio a uma crise diplomática com a Coreia do Norte. Abe disse que vai dissolver o parlamento na quinta-feira, 28 de setembro, mas não deu uma data para a eleição. Há especulações de que será realizada em 22 de outubro, um ano antes do planejado. O Partido Liberal Democrata do primeiro ministro provavelmente mostrará sua força na eleição, com 44% de apoio contra 8% para o principal partido da oposição, de acordo com uma pesquisa realizada no domingo. Abe disse que a decisão de convocar a eleição agora foi influenciada pelas tensões com a Coréia do Norte, que recentemente disparou vários mísseis sobre o território japonês, alegando que não devem ceder à ameaça da Coréia do Norte.  

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul inverteu ganhos iniciais para fechar em baixa de 0,35%, a quinta sessão seguida. O índice de referência terminou a sessão em 2.380,4 pontos.

Abaixo, o S & P / ASX 200 reduziu os ganhos para terminar a sessão 0,03% mais alto em 5.683,7 pontos, com os ganhos no subíndice de cuidados de saúde. O subíndice financeiro altamente ponderado fechou estável, assim como as mineradoras. BHP Biliton e Fortescue subiram 0,1% cada, enquanto Rio Tinto recuou 0,1%.

Os mercados da China negociaram em baixa, arrastado por uma queda nas ações do setor imobiliário, após novas medidas terem sido introduzidas para arrefecer o mercado imobiliário continental. O preço médio das casas novas na China aumentou 0,2% em agosto em relação ao mês anterior, em comparação com um aumento de 0,4% em julho. O Índice Hang Seng de Hong Kong caiu 1,36%, Shanghai Composite caiu 0,35% e o Shenzhen Composite afundou 1,24%.

EUROPA: As bolsas europeias abriram marginalmente mais altas nesta segunda-feira, mas perdem terreno à medida que o pregão avança. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,11%, devolvendo a alta de 0,1% da sexta-feira, apów marcar uma alta semanal de 0,7%.

As ações alemãs registram pequenos ganhos. Em Frankfurt, o DAX 30 sobe 0,06%, com investidores digerindo os resultados das eleições da Alemanha, onde o partido anti-imigrante Alternativa nacionalista para a Alemanha (AfD) ganhou cerca de 13% dos votos, tornando-se o primeiro partido de extrema direita a ganhar assentos no Parlamento em mais do que 50 anos. 

Como previsto, Angela Merkel ganhou o quarto mandato, mas o partido social democrata e a chanceler serão forçados a formar uma coalizão para governar. Os analistas disseram que pode levar meses para formar uma nova coalizão governamental na Alemanha, principalmente devido questões como a integração da UE e a imigração.  Um período prolongado de incertezas será um problema, aumentando a aversão do AfD à Macron, ameaçando o relacionamento da Alemanha com a França. Os mercados não gostariam disso.

O euro recua para US $ 1,1910, abaixo de US $ 1,1948 do final da sexta-feira em Nova York. A moeda compartilhada também cai contra a libra. O rendimento dos títulos de 10 anos da Alemanha,  caiu 2 pontos base para 0,431%, de acordo com a Tradeweb. Os rendimentos caem quando os preços aumentam. Commerzbank e o Deutsche Bank recuam em torno de 1,3% cada, enquanto a Lufthansa está preparada para pagar 200 milhões (US $ 238,67 milhões) para comprar ativos da insolvente AirBerlin. A companhia aérea segue no topo do benchmark alemão com aumento de 2%.

No Reino Unido, o FTSE 100 cai, enquanto a libra esterlina sobe contra o euro na sequência das eleições gerais da Alemanha. Uma valorização da libra pode comer em ganhos no exterior das empresas multinacionais e por sua vez, prejudicar as ações dessas empresas no FTSE 100. O benchmark londrino recua, pesada por ações financeiras, de telecomunicações e mineração, mas ações de petróleo e gás, industriais e de consumo avançam. Entre as mineradoras, Anglo American cai 1,5%, Antofagasta recua 1,1%, BHP Biliton perde 0,5% e Rio Tinto opera em baixa de 0,9%. Na sexta-feira, o benchmark de Londres subiu 0,6% e registou um aumento semanal de 1,3%, a melhor semana desde o início de agosto.

Enquanto isso, os negociadores do Brexit estão programados para retomar as negociações nesta segunda-feira em Bruxelas, depois que a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, pediu um período de transição para depois de 29 de março de 2019, quando o Reino Unido sairá oficialmente da União Europeia, no entanto, durante um discurso em Florença na última sexta-feira, May não conseguiu esboçar o que o "novo relacionamento" entre a UE e o Reino Unido poderia parecer. Michel Barnier, o principal negociador da UE disse que sem sugestões concretas, a UE não pode negociar um acordo comercial, muito menos um acordo de transição.

Na frente dos dados, o alemão Ifo Business Climate para setembro caiu para 115,2 pontos contra 115,9 no mês anterior. As empresas ficaram menos satisfeitas com a situação atual de seus negócios quanto as perspectivas em relação à agosto. 

O Banco da Inglaterra disse na manhã de segunda-feira que os bancos terão de deter mais 10 bilhões de libras (US $ 13,5 bilhões), já que o crédito ao consumidor coloca riscos adicionais, enquanto o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, deve falar no Parlamento Europeu ainda hoje.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para uma boa briga em Wall Street na abertura do pregão desta segunda-feira, com o aumento do dólar e com investidores buscando orientações em uma semana de agenda pesada de discursos das autoridades do Federal Reserve, que na semana passada anunciou que começará a desenrolar seu enorme balanço em outubro. A presidente do banco central, Janet Yellen falará na terça-feira e o vice-presidente do Fed, Stanley Fischer, na quinta-feira. Ao mesmo tempo, há muitos lançamentos econômicos na agenda desta semana, incluindo bens duráveis ​​e gastos com os consumidores. 

Na segunda-feira, o índice de atividade nacional do Fed de Chicago para agosto é devido às 9h00. Ainda na programação de segunda-feira, inclui o presidente do Fed de Nova York, William Dudley, que falará e participará de uma sessão de perguntas e respostas em Siracusa, Nova York, a partir das 9h30, antes da abertura de Wall Street. Depois disso, o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, fará um discurso sobre a economia em Grand Rapids, Michigan, às 13h40. Mais tarde, o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, terá uma sessão de perguntas e respostas em um evento em Grand Forks, Dakota do Norte, às 19h30.

O dólar se fortaleceu depois de uma forte queda de apoio ao partido de Angela Merkel nas eleições gerais da Alemanha no domingo.

Os principais índices terminaram com desempenho misto na semana passada, já que os investidores tentaram evitar as contínuas tensões geopolíticas ligadas à Coréia do Norte. Dow industrial ganhou 0,4%, o segundo ganho semanal. Enquanto isso, o S & P 500 adicionou apenas 0,1% e o Nasdaq Composite Index terminou a semana 0,3% menor.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,06%
SP500: -0,08%
NASDAQ: -0,09%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 22/09/2017

ÁSIA: A maioria dos mercados asiáticos fechou em queda nesta sexta-feira, com a possibilidade da Coreia do Norte testar uma arma nuclear no Pacífico. Os investidores também digeriram a perspectiva de uma alta das taxas pelo Fed neste ano.

O dólar caiu contra a moeda japonesa, considerada um ativo de refúgio, depois que a agência de notícias Yonhap da Coreia do Sul informou que o ministro das Relações Exteriores da Coréia do Norte, Ri Yong Ho disse que seu país considera testar uma bomba de hidrogênio em uma "escala sem precedentes" no Pacífico. As preocupações geopolíticas sobre a península coreana também permaneceram em destaque também após o presidente Donald Trump assinar na quinta-feira uma nova medida de sansão contra pessoas ou instituições que façam negócios com a Coreia do Norte. Por sua vez, o líder norte-coreano Kim Jong Un disse na sexta-feira que Trump "pagaria caro" por seu discurso nas Nações Unidas no início desta semana.

O iene se fortaleceu em 111,96 por dólar, ante 112,4 antes da notícia. O ouro, outro ativo seguro em períodos de incertezas geopolíticas, tocou em US $ 1.296,96 a onça, mas manteve-se abaixo de US $ 1.300 observado após o mais recente lançamento do míssil do norte coreano em 15 de setembro. O Nikkei do Japão apagou os ganhos iniciais para fechar 0,25% menor, em 20.296,45 pontos. Na quinta-feira, o Banco do Japão anunciou que manteria sua política monetária estável.

Enquanto isso, o won coreano caiu para seus níveis mais baixos em um mês em reação às notícias, negociado a 1.139,50 por dólar, em comparação com 1.131 vistos na última sessão. O Kospi caiu 0,74% para fechar em 2.388,71 pontos. A Samsung Electronics fechou 0,38% maior e a SK Hynix fechou estável, enquanto a Posco caiu 3,16%.

Os mercados da China recuaram depois que a S & P reduziu a classificação de crédito soberana da China de AA- para A+, citando o crescimento do crédito do continente como um risco. O downgrade da S & P coloca sua classificação no mesmo patamar da Moody's e a Fitch.

O índice Hang Seng caiu 0,82%, enquanto os mercados do continente viram perdas mais moderadas. O Shanghai Composite caiu 0,15% e o Shenzhen Composite recuou 0,34%. Os bancos chineses também estavam no radar depois que o Banco Popular da China pediu que os bancos chineses aderissem às sanções das Nações Unidas contra a Coreia do Norte. Os bancos listados no Continente terminaram a sessão em alta: o ICBC subiu 0,68%, o Banco Agrícola da China ganhou 0,8% e o Banco da China subiu 0,72%, mas as ações dos bancos cotadas em Hong Kong negociaram em baixa.

O S & P / ASX 200 contrariou a tendência regional para fechar em alta de 0,47%, com o subíndice financeiro altamente ponderado subindo 0,92% no final do dia de negociação. Entre as mineradoras australianas, BHP Biliton cai 0,2%, Fortescue recuou 3,9% e Rio Tinto fechou em alta de 0,7%.

Os mercados manterão um olho nas manchetes relacionadas às eleições, enquanto a Nova Zelândia e a Alemanha se dirigem para as eleições durante o fim de semana.

EUROPA: Os mercados europeus abriram em queda, com investidores assustados com a última ameaça da Coreia do Norte de testar uma bomba nuclear no Oceano Pacífico. As perdas, no entanto, foram moderadas por uma rodada de dados otimistas de PMI para a zona do euro, confirmando a recuperação econômica da região.

O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,18%. O índice pan-europeu fechou em alta na quinta-feira, impulsionado pelo setor bancário depois que o Federal Reserve dos EUA deve elevar suas taxas de juros ainda neste ano.


O produto interno bruto francês no segundo trimestre aumentou 0,5% em relação ao trimestre anterior, com aumento nos gastos dos consumidores. As margens de lucro corporativas também aumentaram ligeiramente durante o período de três meses. 

Enquanto isso, os números da IHS Markit para a zona do euro mostraram que as empresas privadas ficaram mais fortes no terceiro trimestre deste ano, principalmente devido ao setor de manufatura. Os dados positivos impulsionaram a confiança de que o Banco Central Europeu anunciará aperto monetário no próximo mês.

Os dados da atividade comercial da zona do euro de uma maneira geral foram otimistas, superando as previsões dos analistas. O índice PMI composto para o bloco de moeda subiu para 56,7 em setembro, marcando a máxima de quatro meses. O PMI composto da França saltou para uma alta de 76 meses, enquanto o PMI da Alemanha subiu para uma alta de 77 meses.

O índice FTSE 100 abriu em queda mas se recupera e opera em alt. Setor de materiais básicos e grupo financeiro pesa sobre o índice, mas as ações relacionadas com o consumidor estavam entre os setores que avançam. O índice terminou 0,1% mais baixo na quinta-feira. Uma perda na sexta-feira seria a terceira consecutiva. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 1,4%, Antofagasta recua 0,7%, BHP Biliton perde 0,9% e Rio Tinto avança 0,08%, após a empresa dizer que está começando um programa de recompra de ações de US $ 2,5 bilhões.

Todos os olhos estão na primeira-ministra Theresa May, que está preparada para pronunciar em um discurso sobre as negociações do país com a União Europeia. Os relatórios de mídias desta semana sugeriram que May dirá que o Reino Unido está pronto para pagar 20 bilhões de euros (US $ 23,92 bilhões) por um período de transição de dois anos após o Brexit. O negociador chefe da UE, Michel Barnier, disse na quinta-feira que "o tempo é essencial" e seis meses se passaram desde que o Reino Unido desencadeou o processo de saída.

Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel instou os alemães a se dirigirem às urnas no domingo, quando as preocupações com um baixo comparecimento emergem. A chanceler alemã é amplamente esperada para garantir o quarto termo no poder, mas a grande questão é com quem ela se juntará em uma coalizão.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam que Wall Street deve abrir com perdas nesta sexta-feira, com o retorno das tensões geopolíticas voltando à tona depois que a Coreia do Norte ameaçou testar uma bomba de hidrogênio sobre o Oceano Pacífico.

Os investidores também aguardam um trio de discursos de autoridades do Federal Reserve, em busca de mais detalhes sobre a política monetária após a reunião do banco central no início desta semana.  A probabilidade de pelo menos um aumento de taxa de juros no final do ano é de 78,4%, de acordo com a ferramenta FedWatch do Grupo CME na sexta-feira.

Com as tensões geopolíticas crescendo de novo, os ativos de refúgio seguro como o iene e o ouro seguem recuperando, enquanto os rendimentos do Tesouro começaram a cair novamente. As ações também devem sofrer alguma pressão corretiva.

Às 7h00, o presidente do Fed de São Francisco, John Williams, estava programado para falar na Conferência de Pesquisa do Banco Nacional Suíço em Zurique.

Às 10h30, a presidente da Kansas City, Esther George, fará um discurso na conferência de petróleo em Oklahoma City. O chefe do Fed de Dallas, Robert Kaplan, participará de perguntas e respostas na mesma conferência às 14h30.

Em outras notícias econômicas, o índice PMI de manufatura e serviços da Markit para setembro é devido às 10h45.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,09%
SP500: -0,17%
NASDAQ: -0,30%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 21/09/2017

ÁSIA: A maioria dos principais índices na Ásia fechou com queda nesta quinta-feira, depois que o dólar e os rendimentos do Tesouro dos EUA subiram após as novidades do Federal Reserve. 

O rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA a 10 anos aumentaram para 2,27%, nível mais alto desde o dia 8 de agosto, enquanto o rendimento dos títulos de dois anos do Tesouro do EUA situava-se em 1,43%, seu nível mais alto desde 2008. O anúncio também impactou o índice do dólar, que rastreia o dólar em relação a uma cesta de moedas, subindo para 92,584. Contra a moeda japonesa, o dólar subiu e foi buscar 112,57 ienes, depois de subir para seus níveis mais altos desde meados de julho. 

O Nikkei 225 do Japão subiu 0,18%, para fechar em 20.347,48 pontos, com destaque para os fabricantes de automóveis que se beneficiaram da queda do iene e o setor financeiro, auxiliado pela possibilidade de alta dos juros melhorando suas margens de lucro. O Banco do Japão anunciou nesta quinta-feira que manterá a política monetária inalterada, enquanto as metas de taxa de juros foram mantidas estáveis. Um membro da BOJ se opôs à decisão, alegando que os requisitos de mercados não eram suficientes para atingir o objetivo da inflação.

Atrás do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul recuou 0,24% para fechar em 2.406,5 pontos.

Abaixo, o S & P / ASX 200 perdeu 0,94%, para terminar a sessão em 5.655,4 pontos, com perdas para a maioria dos subíndices compensando ganhos das ações de energia. O Commonwealth Bank of Australia anunciou na quinta-feira que venderia todos os seus negócios de seguros de vida da Austrália e da Nova Zelândia para o AIA Group por US $ 3,8 bilhões (US $ 3,04 bilhões). As ações do banco devolveram os ganhos anteriores para fechar 0,29% menor. O AIA listado na Hong Kong subiu 0,17%.

Os mercados chineses também foram pressionados. O índice Hang Seng caiu 0,06% e no continente, o Shanghai Composite subiu 0,23%, enquanto o Shenzhen Composite caiu 0,83%.

Entre as notícias econômicas, o PIB do segundo trimestre da Nova Zelândia cresceu 0,8% e o PIB no primeiro trimestre foi revisado para 0,6%, ante 0,5%.

Os bancos centrais filipinos e taiwaneses também anunciam suas decisões de tarifas na quinta-feira.

Os mercados da Malásia e da Indonésia ficaram fechados por conta de feriados.

EUROPA: Os mercados europeus operam com ligeira alta na manhã desta quinta-feira, depois que o Federal Reserve anunciou um plano para começar a reduzir seu balanço patrimonial gigante e sinalizou mais um aumento de taxa de juros para este ano. O índice Stoxx Europe 600 avança 0,21% em 382,77 pontos, liderado por ações financeiras. Na quarta-feira, o índice de referência fechou-se ligeiramente menor, com investidores aguardando o anúncio de política monetária do Fed.

A perspectiva de taxas de juros mais elevadas fortaleceu ações bancárias em Wall Street e ao redor do mundo. O Stoxx Europe 600 Bank Index sobe 1,53%, a caminho da máxima de duas semanas. Deutsche Bank sobe 3,50%, Societe Generale avança 1,56%, HSBC Holdings adiciona 0,79% e Banco Santander sobe 1,9%.

No Reino Unido, o FTSE 100 registra leve alta, após abertura ligeiramente menor. Os grupos financeiro, petróleo, gás e industrial aumentam, enquanto utilidade, materiais básicos e ações relacionadas ao consumidor estavam entre os destaques de baixa. Na quarta-feira, o benchmark de blue-chip de Londres fechou 0,1% menor.

A perspectiva de taxas de juros mais alta impulsionou as ações dos bancos em Wall Street e consequentemente no Reino Unido e Europa. Enquanto isso, as ações e mineradoras caem, seguindo os preços das commodities que  sofreram pressão com o aumento do dólar após o anúncio do Fed. O ouro, assim como outros metais nominados em dólares, cai mais de 1%. Ações de produtores de ouro Fresnillo e Randgold Resources perdem 2,29 e 2,48%, respectivamente. A produtora de cobre Antofagasta cai 2,01 %, Rio Tinto recua 0,97% e BHP Billiton cai 0,56%.

Anglo American dispara 3,36%, após a confiança familiar de Anil Agarwal, fundador da maior empresa de mineração da Índia, a Vedanta Resources PLC, revelar planos para aumentar o investimento no peso pesado de mineração em até US $ 2 bilhões. Isso faria da Volcan Investments Ltd., o maior stakeholder da Anglo American.

EUA: Futuros de ações dos EUA seguem para uma abertura negativa nesta quinta-feira, após máximas de fechamento de todos os tempos do S & P e Dow, enquanto o Nasdaq Composite terminou em baixa, após o Fed sinalizar que iniciará o processo de redução de sua carteira de ativos de US $ 4,5 trilhões em outubro, a primeira vez em nove anos e sinalizar que as taxas de juros aumentarão em dezembro.

Os investidores também aguardam um trio de lançamentos de dados econômicos, incluindo reivindicações de seguro desemprego e o índice do Fed de Filadélfia para setembro, às 9h30.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,05%
SP500: -0,07%
NASDAQ: -0,10%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 20/09/2017

ÁSIA: A sessão de quarta-feira foi marcada por poucos movimentos na maioria dos índices asiáticos, enquanto investidores aguardavam notícias da reunião de política monetária de dois dias do Federal Reserve dos EUA. O índice MSCI Asia Pacific ex-Japan fechou 0,16% maior.

O Nikkei do Japão subiu 0,05% e fechou em 20.310,46 pontos, depois de subir cerca de 2% na terça-feira. Os dados do comércio do Japão sugeriu uma perspectiva econômica saudável. As exportações de agosto aumentaram 18,1% em comparação com um ano atrás, melhor do que a previsão de um aumento de 14,7% dos analistas. O superávit comercial do Japão foi de 113,6 bilhões de ienes (US $ 1,92 bilhão), acima da previsão de 93,9 bilhões de ienes.

O Banco do Japão estará no radar, já que o banco central começa sua reunião de dois dias e deve anunciar a sua decisão sobre a taxa de juros na quinta-feira. Os investidores também esperam que o primeiro-ministro Shinzo Abe reinvindique nova eleição quando retornar de sua viagem aos EUA na sexta-feira.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul caiu 0,16%, para terminar em 2.412,2 pontos, mostrando pouca reação ao discurso do presidente Donald Trump nas Nações Unidas, que chamou regime norte-coreano de "depravado" e ameaçou "destruir totalmente" o regime de Pyongyang, se necessário e pediu à comunidade internacional que se esforce para isolar o país até que "comportamento hostil" acabe. Houve ganhos para as montadoras, mas as ações de tecnologia fecharam mescladas, enquanto os varejistas caíram: Hyundai Motor fechou 1,43% maior, Samsung Electronics adicionou 0,19% e Lotte Shopping caiu 4,55% no final da sessão.

Abaixo, o S & P / ASX 200 recuou 0,08%, para fechar em 5.709,1 pontos, com o subíndice de serviços de telecomunicações caindo 1,45%, enquanto o setor financeiro fortemente ponderado diminuiu 0,29%. As mineradoras australianas também tiveram um dia difícil. BHP Biliton caiu 0,7%, Fortescue caiu 1,8% e Rio Tinto fechou em baixa de 1,3%.

Os mercados da China também tiveram ganhos moderados. O índice Hang Seng de Hong Kong subindo 0,27%, puxadas por ações ligadas à jogos. Melco International Development disparou 10,64%. No continente, o Shanghai Composite avançou 0,28% e o Shenzhen Composite subiu 0,83%.

EUROPA: Os mercados europeus operam sem direção nesta quarta-feira de manhã, com investidores aguardando a decisão de política monetária do Federal Reserve e da conferência de imprensa da presidente do Fed, Janet Yellen, mais tarde. O índice Stoxx Europe 600 cai  0,02% na sequência da alta de 0,1% do benchmark pan-europeu na terça-feira.

O euro sobe 0,2168% frente ao dólar, comprando a US $ 1.2004, ligeiramente acima de US $ 1.1994 do final de terça-feira em Nova York. O euro já subiu cerca de 14% contra o dólar neste ano.

O índice DAX 30 da Alemanha e índice CAC 40 da França sobem 0,1% cada, enquanto o IBEX 35 da Espanha cai 0,5%. O índice FTSE 100 do Reino Unido opera entre pequenas altas e baixas na manhã desta quarta-feira, com ações ligadas à serviços ao consumidor, petróleo e gás e grupos financeiros avançando, enquanto bens de consumo, materiais básicos e cuidados à saúde mergulham no vermelho. Na terça-feira, o benchmark de Londres subiu 0,3%.

As ações da Kingfisher disparam 5,67%, após a varejista dizer que está no caminho para atingir os objetivos no segundo ano de seu plano de reestruturação de cinco anos, ao aumentar seu dividendo, apesar do lucro do Kingfisher cair 6% no primeiro semestre, mostrando-se cautelosa em suas perspectivas para os mercados do Reino Unido e França. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 1,2%, Antofagasta cai 0,2%, enquanto BHP Biliton e Rio Tinto recuam 0,3 e 1,1%, respectivamente.

O setor de siderurgia também é destaque no velho continente. Thyssenkrupp sobe 3,84% depois que a empresa disse que fez um acordo com a Tata Steel para formar a segunda maior produtora de aço da Europa após a ArcelorMittal. As ações da ArcelorMittal sobem 1,2%.

Deutsche Telekom sobe 0,80%, ampliando os ganhos registrados na terça-feira. Esses movimentos seguem o boato de que a Sprint está em negociações para fundir com a TMUS da T-Mobile, unidade da Deutsche Telekom.

EUA: Investidores adotam uma postura cautelosa e preferem abster-se de fazer grandes apostas enquanto esperam para ouvir qual será o próximo movimento do Federal Reserve. O silêncio ocorre depois que os três principais benchmark apresentaram pequenos ganhos e renovaram as novas máximas de todos os tempos na terça-feira.

Segundo analistas, este pode ser um evento histórico, mesmo que não haja expectativa de um aumento da taxa de juros, pois a reunião pode incluir o anúncio oficial de que o Fed começará a reduzir o tamanho de seu balanço gigantesco. Várias autoridades do banco central já queriam começar a liquidar a carteira de títulos do governo de US $ 4,5 trilhões em julho, mas a maioria preferiram manter até um momento futuro oportuno.

Investidores apostam que o Fed inicie a redução do balanço em outubro. O anúncio será divulgado às 15h00, seguido de uma conferência à imprensa com a presidente Janet Yellen às 15h30.

O Rabobank disse em nota que qualquer anúncio de que a normalização do balanço começará em breve e deve ter um impacto relativamente baixo nos mercados, atendendo a expectativa de grande parte do mercado. Assim sendo, o anúncio deve ter um impacto limitado sobre o dólar, que negocia em baixa antes do anúncio. O Índice Dólar ICE cai 0,2% em 91,654, o segundo dia consecutivo de queda.

Entre outros dados econômicos, uma leitura sobre as vendas de casas existentes para agosto será lançado às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h15:
Dow: -0,01%
SP500: +0,01%
NASDAQ: -0,02%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 19/09/2017

ÁSIA: A maioria dos índices asiáticos fechou mais baixo nesta terça-feira antes da reunião de setembro do Federal Reserve dos EUA e do Banco do Japão, mesmo que não seja esperado mudanças nas taxas em nenhum dos casos, embora o Fed deva detalhar os planos sobre como irá cortar seu balanço mamute de US $ 4,5 trilhões de títulos públicos.

Os mercados do Japão contrariou a tendência regional, subindo após um feriado público. O Nikkei fechou em alta de 1,96%, em 20.299,38 pontos, atingindo seu melhor nível em dois meses e colocando o índice de volta acima de 20.000 pela primeira vez desde 8 de agosto. O iene enfraqueceu na segunda-feira, o que deve ter impulsionado a força de hoje nas ações. Os exportadores e varejistas obtiveram ganhos à medida que o dólar aumentava contra o iene. As seguradoras sustentaram os ganhos em Tóquio, beneficiados por uma semana crescentes nos preços dos títulos globais. Dai-ichi Life Holdings subiu 3,66% e T & D Holdings adicionou 3,02%.

Abaixo, o S & P / ASX 200 reverteu ganhos feitos anteriormente na sessão para fechar 0,12% menor, em 5.713,6. O subíndice financeiro pesadamente ponderado caiu 0,02% apesar de negociar em alta no início do dia, enquanto entre as mineradoras australianas, BHP Biliton subiu 0,2% e Rio Tinto fechou em alta de 0,2%.

O índice de referência Kospi da Coreia do Sul recuou 0,09% para fechar em 2.416,05 pontos, com as ações tecnológicas devolvendo parte dos ganhos feitos na sessão anterior. Samsung Electronics caiu 0,69% no final da sessão, depois de subir para um recorde na segunda-feira.

Mercados da China recuaram. O índice Hang Seng caiu 0,38%, enquanto os mercados continentais diminuíram os ganhos iniciais. O Shanghai Composite caiu 0,18% e o Shenzhen Composite recuou 0,35%.

Segundo analistas, a exaustão nas ações da Ásia pode ter sido devido à falta de fortes vetores nos mercados após os mercados regionais subirem na segunda-feira, principalmente devido à confiança dos mercados dos EUA, mas os eventos de risco nos próximos dias fizeram o "apelo à cautela".

EUROPA: Os mercados de ações europeus abriram ligeiramente mais baixos nesta terça-feira, com investidores cautelosos antes da reunião do Federal Reserve nesta semana, aguardando por pistas sobre a futura política monetária dos EUA. O índice Stoxx Europe 600 recua 0,06%, apagando parcialmente os ganhos de 0,3% da segunda-feira.

Entre as maiores baixas do índice pan-europeu, ações da Heineken caem 3,49% após a Femsa do México dizer no final da segunda-feira que está vendendo uma participação de 5,25% na cervejaria holandesa. A Eurofins Scientific sobe ao topo do benchmark logo após o sino de abertura depois de anunciar um acordo para adquirir a EAG Laboratories, da Odyssey Investment Partners. As ações da empresa farmacêutica francesa sobem mais de 4,5%. A Metso, fabricante de equipamentos de mineração da Finlândia, também sobe na terça-feira depois que Morgan Stanley elevou sua recomendação de "underweight" para "equalweight". Suas sobem cerca de 3,7%.

A França reduziu suas previsões de déficit orçamentário para este ano e depois de tomar medidas de austeridade durante o verão e com o crescimento econômico mais forte do que o esperado inicialmente. O CAC 40 da França opera em alta.

Na segunda-feira, o governador do Bank of England, Mark Carney, disse que qualquer alteração na taxa de juros nos próximos meses seria limitada e gradual, levando a esterlina a se afastar do seu nível mais alto desde o Brexit. A moeda do Reino Unido caiu quase 1% na segunda-feira.  

O índice FTSE 100 do Reino Unido opera em alta, liderado por ações de petróleo e gás e do setor industrial, mas os bens de consumo e materiais básicos declinam. O índice subiu 0,5% na segunda-feira, quebrando uma série de quatro quedas consecutivas. A libra cai abaixo de US $ 1,35 em relação ao dólar após atingir o seu nível mais alto desde o Brexit em sessões recentes. A força da libra pode prejudicar os ganhos feitos no exterior por empresas multinacionais. British American Tobacco recua 0,65%, a fabricante de bebidas Diageo perde 0,10% e a empresa de aluguel de equipamentos Ashtead recua 0,68%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 0,7%, Antofagasta cai 1,7%, enquanto BHP Biliton avança 1% e Rio Tindo adiciona 0,5%.

O excedente de conta corrente da zona do euro aumentou ligeiramente em julho após o afunilamento em junho. O superávit foi de 25,1 bilhões de euros (US $ 30 bilhões) em julho em termos ajustados, após 22,8 bilhões de euros em junho, mas inferior aos 29,9 bilhões de euros em maio. Em julho, a zona do euro teve um superávit em bens, serviços e renda primária, ao mesmo tempo em que registrou déficit na renda secundária. Nos 12 meses até julho, a zona do euro teve um superávit em conta corrente igual a 3% do produto interno bruto, inferior aos 3,5% de um ano antes.

EUA: Os futuros de ações dos EUA devem aumentar a pressão em direção ao território recorde na terça-feira, com os futuros avançando cautelosamente, enquanto os investidores esperam ansiosamente o início da reunião do Federal Reserve.

O movimento sutil acontece após o DJIA registrar o seu 40º recorde de alta do ano na segunda-feira, enquanto o índice S & P 500 terminou na máxima histórica pela 35ª vez em 2017. O Nasdaq Composite Index também subiu, terminando segunda-feira em seu segundo maior fechamento de todos os tempos.

Segundo analistas, o sentimento do mercado cada vez mais positivo continuará à medida que o Federal Reserve iniciar a sua reunião de dois dias hoje. Essa perspectiva pode começar mudar durante o próximo pregão, já que se espera que o FOMC comece a reduzir sua carteira de US $ 4,5 trilhões de títulos públicos quando divulgar a sua decisão de política monetária na quarta-feira. As taxas estão previstas para permanecerem inalteradas, mas os investidores buscarão por indícios sobre potenciais altas em dezembro. 

A probabilidade de uma alta da taxa de dezembro subiu para 50%, muito baixa para desencadear um pânico nos mercados de ações, mas ainda muito alta para ser descartada pelos mercados.

Entre os dados econômicos, licença para início de habitação de agosto e licenças de construção são devidas às 9h30 da manhã. O índice de preços de importação para agosto e os dados da conta corrente para o segundo trimestre também estão programados para serem divulgadas às 9h30.

ÍNDICES FUTUROS - 7h15:
Dow: +0,09%
SP500: +0,07%
NASDAQ: +0,07%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 18/09/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia-Pacífico começaram a semana com ganhos, com o esfriamento das tensões geopolíticas na Península da Coreia e  após o Dow Jones Industrial Average registrar o maior ganho semanal do ano na semana passada. O índice MSCI Ásia-Pacífico ex-Japão subiu 1,08% depois de tocar seus níveis mais altos em uma década.

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, disse que os EUA estão buscando "uma solução pacífica" para o conflito com a Coréia do Norte, pois uma ação militar é a única opção se os esforços diplomáticos falharem. Tillerson fez as observações no "Face the Nation" da CBS no domingo.

O índice Kospi de referência da Coréia do Sul subiu 1,35% para fechar em 2.418,21 pontos, registrando o maior ganho desde maio, com ações de tecnologia gerando os maiores ganhos no índice: Samsung Electronics disparou 4,13% e a SK Hynix aumentou 3,24%. Os fabricantes de automóveis terminaram a sessão misturada.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 subiu 0,45% para fechar em 5.720,6 pontos. O subíndice financeiro altamente ponderado aumentou 0,78%, enquanto os subíndices de energia e consumo regitraram ganhos moderados. As mineradoras Rio Tinto e Fortescue Metals caíram 0,4 e 2,4%, respectivamente. 

Os mercados chineses também tiveram desempenhos positivos. O índice Hang Seng subiu 1,27% e no continente, o Shanghai Composite avançou 0,29%, enquanto o Shenzhen Composite adicionou 0,74%. Na sexta-feira, um regulador chinês disse que iria relaxar as exigências de margem e taxas de transação nos índices futuros de ações, indicando a confiança de Pequim de que o mercado se estabilizou desde a derrocada em 2015. Mas o movimento teve pouco impacto até agora.

Os mercados do Japão estavam fechados por conta de um feriado público.

Entre as notícias econômicas, as exportações domésticas não petrolíferas de Cingapura aumentaram 17% em agosto em comparação com o ano passado, bem acima da previsão de 11,8% em uma pesquisa da Reuters. Os preços médios chineses em agosto aumentaram 0,2% em comparação com um mês atrás, abaixo do aumento de 0,4% observado em julho.

Entre os ativos seguros, os preços do ouro ficaram 0,2% menores, em US $ 1.317,61 por onça troy, enquanto o dólar dos EUA subiu 0,49% contra o iene japonês.

EUROPA: Os mercados europeus avançam na segunda-feira de manhã, com investidores globais retornando aos ativos mais arriscados em meio ao esfriamento das tensões geopolíticas. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,47%. Na sexta-feira, o benchmark pan-europeu caiu 0,3% , mas terminou a semana passada com 1,4% de ganhos.

No Reino Unido, o FTSE 100 sobe, com grupos industriais e de petróleo e gás aumentando, mas com algumas ações do grupo de materiais básicos entrando no vermelho. Fresnillo recua 0,76%  e Randgold Resources cau 1,13%, seguindo a queda do preço do ouro. Anglo American cai 0,1%, Glencore sobe 0,2% e Rio Tinto adiciona 0,5%. A sessão de segunda-feira segue com o potencial de marcar o primeiro aumento para o FTSE 100 em cinco sessões.

Em Portugal, o PSI 20 sobe mais de 1% depois que o S & P elevou a classificação de crédito de Portugal para o BBB- no final da sexta-feira, devolvendo o status de "investment grade".

A taxa de inflação anual da zona euro subiu 0,2 pontos percentuais para os 1,5% em agosto, face a julho (1,3%), e a da União Europeia (UE) para os 1,7%. Em agosto de 2016, as taxas de inflação homólogas eram, respetivamente, de 0,2% e 0,3%. De acordo com os dados do gabinete de estatísticas da UE, as taxas de inflação anuais mais altas em agosto foram registadas na Lituânia (4,6%), na Estónia (4,2%) e na Letónia (3,2%), enquanto as mais baixas foram observadas na Irlanda (0,4%), Chipre (0,5%), Grécia e Roménia (0,6% cada). Face a julho, os preços subiram em 20 Estados membros, ficaram estáveis em cinco e baixaram noutros três. Em Portugal, a inflação homóloga aumentou para os 1,3%, face aos 1,0% de julho e 0,8% de agosto de 2016. As altas dos combustíveis (0,16 pontos percentuais), dos serviços de alojamento (0,10 pontos) e transportes aéreos (0,06 pontos) foram os que mais impactaram no aumento da inflação anual.

Cidadãos alemães se preparam para as eleições nacionais neste domingo e Angela Merkel parece que exercerá o seu quarto mandato como líder do maior país da Europa. As pesquisas estão colocando a CDU de Merkel, 15 a 20 pontos na liderança, enquanto as pesquisas apontam para mais de 90% de chances da líder de 63 anos emergir como vencedora no dia 24 de setembro, dia geral das eleições. 

Mas enquanto o partido CDU parece seguro com a vitória, é improvável que forme um governo por conta própria, algo que aconteceu na Alemanha apenas uma vez desde a Segunda Guerra Mundial. Com cerca de 40% de apoio, provavelmente terá que se aliar com outros partidos para formar uma coalizão governante. Isso significa que quem se juntar a Merkel, poderá determinar a direção política da Alemanha nos próximos quatro anos, inclusive em questões como a UE, os refugiados e a desigualdade social.

EUA: Futuros de ações americanas apontam para uma abertura positiva nesta segunda-feira, à medida que o apetite dos investidores por ativos mais arriscados continua a melhorar e as preocupações com a Coreia do Norte diminuem. As ações de Wall Street registraram fortes ganhos na semana passada. Na sexta-feira, o Dow registrou o outro recorde, assim como o índice S & P 500, o trigésimo quarto de 2017. Os ganhos semanais para esses índices, de 2,16% e 1,58%, respectivamente, foram os melhores para DJIA e S & P 500 desde o final de 2016 e início de 2017.

Em uma entrevista ao "Face the Nation" da CBS, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, disse que os EUA buscam uma "solução pacífica" e querem "colocar a Coreia do Norte na mesa para um diálogo construtivo e produtivo", mas em uma entrevista separada, o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, HR McMaster, disse no domingo que "todas as opções permanecem na mesa", no que diz respeito a empurrar Pyongyang para desnuclearizar.

O destaque da semana será a reunião de dois dias do Comitê Federal de Mercado Aberto, que encerra na quarta-feira. Os investidores não esperam mudanças nas taxas de juros, mas espera-se que o banco central estabeleça as bases para começar a resgatar seu balanço de US $ 4,5 trilhões. Yellen deve falar em uma conferência à imprensa após a reunião.

O único dado econômico na segunda-feira é o índice da National Association of Home Builders para setembro, devido às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h15:
Dow: +0,26%
SP500: +0,21%
NASDAQ: +0,18%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 14/09/2017

ÁSIA: A maioria dos principais índices na Ásia caiu nesta quinta-feira, com investidores asiáticos decepcionados com os dados chineses mais suaves do que o esperado, apesar de novos recordes de fechamento das bolsas americanas.

Os mercados também digeriram o aumento nos rendimentos do Tesouro dos EUA, seguindo as manchetes da reforma tributária depois que o presidente da Câmara, Paul Ryan, disse na quarta-feira que um plano dos republicanos seria divulgado na semana de 25 de setembro. O dólar manteve os ganhos durante o horário asiático depois de subir no pregão americano. O índice do dólar, que rastreia o dólar em relação a uma cesta de moedas, ficou em 92,419, ligeiramente acima do fechamento de quarta-feira, em 92,407. O índice do dólar havia tocado em 91 no início desta semana.

O dólar operou estável contra o iene, em 110,48 ienes, comparado com os 110,46 observados na sessão anterior. O Nikkei do Japão caiu 0,29%, após três dias consecutivos de ganhos. O índice de referência terminou a sessão em 19.807,44 pontos.

Uma onda de dados chineses divulgados na quinta-feira vieram mais fraco do que o esperado. A produção industrial de agosto aumentou 6% em relação ao ano anterior, abaixo da previsão de 6,6%. Os investimentos em ativos fixos, entretanto, aumentou 7,8% de janeiro a agosto, ficando abaixo da previsão de 8,2%. As vendas no varejo em agosto também decepcionaram, aumentando 10,1% em relação ao ano anterior. Uma pesquisa da Reuters estimava um aumento de 10,5%. 

Segundo analistas, a produção industrial foi muito afetada pela fraqueza da produção de carvão, devido políticas vindas de Pequim, que tem reduzido o excesso de oferta em indústrias que tenham impacto negativo no meio ambiente. O índice Hang Seng caiu 0,42%, enquanto nos mercados continentais, o Shanghai Composite recuou 0,38%, enquanto o Shenzhen Composite fechou em baixa de 0,07%.

Abaixo, o S & P / ASX 200 da Austrália caiu 0,1% para fechar em 5.738,7 pontos, com o subíndice de energia compensando parte da queda do subíndice de materiais que caiu 0,88%. O produtor de petróleo Santos subiu 1,03%, enquanto Woodside Petroleum avançou 0,81% e Oil Search subiu 0,74%. As mineradoras australianas rastrearam a fraqueza dos preços dos metais após dados fracos da China. BHP Billiton caiu 1,79% e Rio Tinto recuou 1,65%. 

O dólar australiano buscou US $ 0,7996 após os números inferiores aos esperados da China. A moeda negociava em $ 0,8016 antes do lançamento de dados. Os movimentos no dólar australiano são influenciados diretamente pelos dados da China devido à dependência das exportações australianas.

Oo Kospi da Coreia do Sul reagiu no final da sessão e fechou em alta de 0,74%, em 2,377,66 pontos, com ganhos das blue chips ajudando a impulsionar o mercado: a Samsung Electronics terminou 1,4% maior, enquanto Hyundai Motor fechou em alta de 2,24%. 

Apesar da queda das ações da Apple na quarta-feira, os fornecedores sul coreanos da empresa continuaram sua escalada após lançamento do mais novo iPhone na terça-feira. Samsung Electronics subiu 1,01%, SK Hynix avançou 0,92% e LG Display avançou 2,74%. 

Os fornecedores de Apple listados em Taiwan tiveram um desempenho misto depois de cair na última sessão: Largan Precision fechou 0,27% menor, enquanto Hon Hai Precision Industry caiu 0,87% no final da sessão.

EUROPA: Os mercados europeus operam em baixa na manhã de quinta-feira, enquanto os investidores avaliam os desenvolvimentos geopolíticos e analisam a decisão política do Banco da Inglaterra. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,08% após o benchmark pan-europeu fechar marginalmente mais baixo quarta-feira, quebrando um rali vencedor de cinco sessões.

Preocupações com o próximo movimento de Kim Jong Un voltaram à tona nesta quinta-feira depois que Pyongyang ameaçou afundar o Japão e "reduzir o continente americano em cinzas e escuridão". A nação isolada testou sua maior bomba de hidrogênio em 3 de setembro, suscitando preocupações sobre um impasse militar entre a Coreia do Norte e os EUA. O teste seguiu uma série de lançamentos de mísseis durante o verão. Um deles cruzou o território japonês e caiu no oceano índico.

O índice FTSE 100 do Reino Unido opera entre altas e baixas, após dois dias consecutivos de queda, com investidores cautelosos a espera da decisão do Banco da Inglaterra. O índice caiu 0,3% na quarta-feira. Ao meio dia, horário de Londres, ou 8 horas no horário de Brasilia, o banco central do Reino Unido divulgará sua atualização de política monetária. Espera-se que o BoE mantenha sua taxa de juros, embora a pressão sobre o banco para elevar as taxas esteja crescendo depois que a inflação no Reino Unido subiu para 2,9% em agosto, no entanto, o crescimento dos salários do Reino Unido ainda está atrasado e essa fraqueza é vista com preocupação entre as autoridades políticas. O governador do BOE, Mark Carney, advertiu em agosto que as taxas poderiam subir mais rapidamente do que os investidores esperam. A alta da inflação do Reino Unido em agosto estimulou a especulação de que o BOE terá que aumentar as taxas de juros em breve para controlar o rápido aumento dos preços ao consumidor. A meta de inflação do banco central é de 2%, mas a queda da libra provocada pelo Brexit torna difícil para a Carney & Cia. manter a inflação abaixo desse limiar.

Entre os destaques de baixa no benchmark londrino, o setor de mineração sofre após dados chineses. Anglo American cai 1,3%, BHP Biliton perde 1,5%, Glencore recua 1,2% e Rio Tinto cai 1,7%.

Entre outras notícias, o banco nacional suíço manteve as taxas de juros, no entanto, o SNB disse que está pronto para intervir no mercado de câmbio, se necessário, para suportar o franco suíço, que está sobrevalorizado.

EUA: Os futuros de ações dos EUA mostram poucas mudanças no início desta quinta-feira, sinalizando que os mercados podem sofrer, embora uma leitura de inflação antes da abertura possa ser um catalisador.

A leitura para o índice de preços ao consumidor e reivindicações semanais de desemprego serão divulgadas às 9h30, com economistas prevendo um aumento de 0,3% em agosto para o indicador de inflação e 300 mil pedidos de seguro desemprego.

O S & P 500 continua a desafiar os investidores céticos, marcando 33 novos registros de alta neste ano, mais do dobro da média anual desde 1945. Na quarta-feira, o S & P SPX, DJIA  e Nasdaq Composite terminaram nas máximas de fechamento de todos os tempos pela segunda sessão seguida.

O Federal Reserve "adoraria ver a inflação crescer, já que o crescimento estagnado tem sido um problema para o banco central dos EUA. Os analistas esperam uma leitura de alta hoje e isso ajudaria o dólar a expandir a atual tendência de alta.

ÍNDICES FUTUROS - 7h15:
Dow: -0,01%
SP500: -0,05%
NASDAQ: -0,09%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.