Veja Também

Veja Também

sexta-feira, 29 de abril de 2011

SEXTA-FEIRA 29/04/2011

(1) RESUMO: Principais índices asiáticos fecharam em queda nesta sexta-feira, último pregão do mês de abril. S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia do Sul Kospi, Hang Seng de Hong Kong, Taiex de Taiwan e Sensex da Índia fecharam em queda. O Composto de Xangai fechou em alta, depois de cair por cinco sessões. Os mercados japoneses ficaram fechados por conta de feriado. No resto da região, NZX 50 Nova Zelândia e bolsas das Filipinas fecharam em alta. Straits Times de Singapura, as ações da Indonésia e SET da Tailândia recuram. A queda generalizada regional foi devido ao nervosismo dos investidores diante o fim de semana do Dia do Trabalho, onde muitos mercados regionais permanecerão fechados nesta segunda-feira e as preocupações da China que pode elevar os juros novamente. A decisão do Fomc dos EUA de terminar o seu programa de compras de ativos - também conhecido como a segunda rodada de flexibilização quantitativa, ou simplesmente QE2 - continuou em foco, com os investidores refletindo o impacto da decisão do Fed sobre Ásia, pois significará que a oferta de dinheiro dos EUA poderá ficar paralisada, no entanto, a decisão do Federal Reserve de manter o tamanho de seu balanço, mesmo após o fim do QE2 - através do reinvestimento dos rendimentos de títulos de vencimento - reduziria os temores sobre a liquidez na região. As ações australianas foram arrastados pela força do dólar australiano, depois que bateu um novo recorde de alta de 29 anos contra o dólar, o que é negativo para as reservas de commodities. Nos mercados cambiais, o dólar dos EUA continuou a cair face às principais moedas, apesar de negociação estarem paralisadas enquanto os mercados de Tóquio e Londres permanecerem fechadas devido ao feriado e também com muitos mercados asiáticos estão fechados segunda-feira.

CHINA: O avanço em Xangai, foi liderada por ações que caíram no início da semana, com Anhui Conch Cement, Poly Real Estate Group e Jiangxi Copper, mas alguns bancos não tinham o mesmo desempenho, com os investidores realizando ganhos antes do fim de semana prolongado. Três dos quatro maiores credores relataram melhor resultados do que o esperado no quarto trimestre. Industrial & Commercial Bank of China, o maior credor do país por ativos, caíram 0,7% e Bank of China recuou 0,3%, enquanto China Construction Bank subiu 0,4%. Em Hong Kong, ICBC caiu 0,2%, Bank of China de Hong Kong caiu 1,2% e a CCB HK perdeu 0,3%.

EUROPA: Os mercados acionários europeus segue com negociação indefinida. O índice Stoxx 600 opera estável. As ações da Research in Motion (RIM) cai11% no after-hours após a companhia cortar sua previsão trimestral com vendas mais fracas de seu d BlackBerry. Mercados em Londres fechadas por feriado nacional do Casamento Real e permanecerá fechada na segunda-feira. As ações da montadora Daimler cai 1.85%, pesando sobre o índice DAX 30 que opera ligeira alta. Volkswagen relataram números fortes na quarta-feira e suas ações sobem. As ações da BMW sobem 0.57%, enquanto a Renault sobe 0,14% e a fabricante de pneus Michelin tem alta de 0,21% em Paris. As ações da petrolífera francesa Total cai, depois que informou que o lucro líquido ajustado subiu 35% no mesmo período do ano passado. Na quinta-feira, a Total disse que irá comprar 60% da participação ​​na empresa de tecnologia de energia solar americana SunPower e pressiona o índice CAC 40 que opera em queda, com perdas da Alcatel-Lucent descendo 2,1% e uma queda de 0,5% para o Société Générale.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 - Employment Cost Index do primeiro trimestre (mensura o custo da mão-de-obra e é um indicador muito utilizado como medida de inflação);
9h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores), ambos de março e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed);
10h45 - Chicago PMI de abril (nível de atividade industrial na região);
10h55 - eVrsão final do Michigan Sentiment de abril (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUA: 11h00 - Construction Spending de março (mede os gastos decorrentes da construção de imóveis); 11h00 - ISM Index de abril (mede o nível de atividade industrial no país).


(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h15):

ÁSIA
Austrália: -1,02%
Nikkei: ---%
Hong Kong: -0,36%
Xangai Composite: +0,85%

EUROPA
London - FTSE: ---%
Paris Cac 40: -0,25%
Frankfurt - Dax: +0,31%
Madrid IBEX: +0,07%

COMMODITIES
BRENT: +0,08%
WTI: -0,01%
COBRE: --%
NIQUEL: ---%
SOJA FUTURO: +1,09%
ALGODÃO FUTURO: -2,64%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,02%
S&P: +0,02
NASDAQ: +0,08%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão:
*Depois do pregão: BR Malls

_EUA:
*Antes do pregão: Caterpillar, Simon Property, NextERa Energy, Aon Corporation, Weyerhaeuser, ITT Corporation, Newell Rubbermaid, FLIR Systems, Goodyear Tire & Rubber,
*Depois do pregão: Marshall & Ilsley Corporation, Pinnacle West Capital.

ATENÇÃO: Europa com baixo volume devido ao feriado no Reino Unido. e com dados mais importantes da semana já tendo sido divulgado, desloca-se as atenções para os resultados corporativos.
Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 28 de abril de 2011

QUINTA-FEIRA 28/04/2011

(1) RESUMO: A maioria das bolsas asiáticas fecharam em queda, com preocupações de que os preços das commodities e apreciação moedas regionais possam retardar o crescimento econômico e corporativo local. Os comentários de Bernanke ficaram em linha com as expectativas e foram recebidas com alívio. Nikkei do Japão, Kospi da Coreia do Sul e NZX 50 da Nova Zelândia subiram. Xangai Composite, Hang Seng de Hong Kong, Taiex de Taiwan, Sensex da Índia, Set da Tailândia e bolsa das Filipinas fecharam em queda. Straits Times de Singapura e S & P / ASX 100 da Austrália terminou praticamente estável. No mercado de câmbio, o dólar dos EUA continuou a cair frent as principais moedas. O iene subiu frente ao dolar e ao euro e a moeda única subiu frente ao dólar. Várias moedas asiáticas subiram, além do dólar australiano, a moeda de Cingapura atingiu o recorde contra o dólar, enquanto o won coreano também subiu frente a moeda americana, tudo reflexo do discurso do presidente do Fed Ben Bernanke.

JAPÃO: O Banco do Japão manteve a sua taxa de juros de zero a 0,1% por unanimidade de votos, ampliou a gama de ativos que aceita como garantia e também detalhou programa de empréstimos de emergência de1 trilhão de ienes ($ 12 bilhões) para ajudar as regiões atingidas pelo terremoto e tsunami de 11 de março. As ações japonês subiram com ganhos em Wall Street e após a decisão do Federal Reserve de manter as taxas e também os relatórios de ganhos das empresas locais auxiliando o avanço. Destaque para as techs. Kyocera subiu 5,3% depois de reportar fortes ganhos no quarto trimestre e Advantest subiu 5,55%. Panasonic subiu 2,4%, relatando que planeja cortar 40 mil empregos em todo o mundo, para cortar custos e manter-se competitivo. Sony caiu 4,5%, estendendo as perdas com as notícias de que seu site de jogos online tinha sido invadido. Outros exportadores e setor financeiro também avançaram após o chairman do Fed, Ben Bernanke, anunciar que o banco central vai manter as taxas de juros e continuar a comprar títulos, mas não vai introduzir uma terceira rodada de flexibilização quantitativa. Uma grande variedade de dados econômicos japoneses divulgados hoje confirmaram que o país atingiu o ponto mais profundo a partir do terremoto e tsunami de 11 de março , embora alguns números foram surpreendentemente positivos. Entre os resultados mais pessimistas, o índice de produção industrial caiu 15,3% em março, a pior queda já registrada. Os mercados japoneses permanecerão fechados de 29 de abril até 05 de maio.

CHINA: Na China, as preocupações persistentes com a alta do petróleo bruto e os preços das commodities podem forçar Pequim para continuar a apertar suas políticas pesaram sobre o mercado. Propriedade, companhias aéreas escorregaram. Na China continental, as ações foram pressionados por fortes perdas de moedas de paíes estrangeiros denominadas ações B, devido um dólar americano mais fracos e com as preocupações com o lançamento de um conselho internacional pela país. O Xangai B Share Index caiu 2,8%. A quota do mercado de B foi concebido para atrair investidores estrangeiros e o conselho internacional vai certamente atrair muitos investidores, principalmente da parte B.O Banco Mundial elevou sua estimativa para o crescimento da China e da inflação neste e no próximo ano, e que ainda é cedo para a segunda maior economia do mundo parar com os aperto macroeconômico, pois após elevar as taxas de juro de referência quatro vezes e aumentar o nível do compulsório dos bancos sete vezes desde outubro do ano passado para conter as pressões inflacionárias, os dados mais recentes mostram ainda o índice de preços ao consumidor sobe num rítmo mais rápido que o desejado.

EUROPA: Principais bolsas na Europa abriram em alta, seguindo Wall Street, depois que o Federal Reserve prometeu continuar estimulando o crescimento econômico com baixas taxas de juros. O índice Stoxx 600 avança, apoiado pelos setores de mineração e seguros. Uma série de empresas européias contribuem para os ganhos e um dos melhores desempenhos é o Deutsche Bank, que sobe 3,5% depois de reportar um aumento de 17% no lucro líquido e com aquisições efetuadas no ano passado ajudando a impulsionar o crescimento. Ainda na Alemanha, as ações da Bayer sobem 1,8% após a farmacêutica aumentar sua previsão de vendas e lucro para o ano e relatar um aumento de 8% no lucro. Os ganhos ajudaram o índice DAX 30 a contrapor a fraqueza do setor de tecnologia depois do resultado da empresa de software SAP caindo 6.38%, onde relatou aumento de 4% no lucro líquido, porém abaixo das expectativas dos analistas. Na França, as ações em foco inclue a Suez Environnement com alta de 4.32%. Os resultados da concessionária superou as expectativas, com aumento de 29% no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. No lado negativo, as ações da Technip caem 2.63%, após a empresa de serviços de petróleo registrar um aumento de 8,8% no lucro do primeiro trimestre, mas as vendas e lucro operacional ficando abaio da expectativas dos analistas. O índice CAC 40 opera em alta. A fornecedora da indústria aeroespacial Safran sobe quase 6% após relatar aumento de 11% na receita do primeiro trimestre, melhor do que o esperado. No Reino Unido, o índice de FTSE 100 também em alta, com destaque para Standard Life, com alta de até 2,8%, após relatar aumento de 25% na poupança de longo prazo, com novas vendas e um aumento de 29% nas entradas líquidas nos três primeiros meses do ano. No setor de mídia e publicidade, a WPP PLC sobe 2,5%, após elevar sua projeção para o ano, pois a receita tende a crescer mais de 6% este ano, com o mercados de anúncios na maioria das regiões continuará a melhorar rapidamente. As ações da Shell sobem 1% após a gigante petrolífera reportar um salto de 60% no lucro líquido do primeiro trimestre.
O setor de mineração também dá apoio para o índice, com a alta dos preços dos metais preciosos. No lado negativo, a operadora de hotel, restaurante e café Whitbread cai 4,4% após troca em sua atualização. A gigante Unilever cai 2,7%, depois de um aumento de 7% nas vendas, mas advertiu que as economias continuam lentas e finalmente, as ações da farmacêutica AstraZeneca cai 2,2% após a companhia registrar um aumento de 4,7% no primeiro trimestre lucro líquido, mas as vendas caíram 3,4%, abaixo das expectativas dos analistas.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
9h30 - Prévia final do PIB e de seu deflator, ambos baseados no primeiro trimestre;
11h00 - Pending Home Sales de março (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva).

AGENDA DE TERÇA-FEIRA:

EUROPA: Consumer Price Index (CPI) de Abril (indicador mensal da inflação ao consumidor europeu); Consumer Confidence de Abril (nível de confiança do consumidor na Zona do Euro); Economic Confidence de Abril (confiança na atividade econômica da Zona do Euro); Industrial Confidence de Abril (confiança dos executivos na indústria da Zona do Euro); Unemployment Rate de Março (situação da mão-de-obra na União Europeia).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Employment Cost Index do primeiro trimestre (mensura o custo da mão-de-obra e é um indicador muito utilizado como medida de inflação); 9h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores), ambos de março e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed); 10h45 - Chicago PMI de abril (nível de atividade industrial na região), 10h55 - eVrsão final do Michigan Sentiment de abril (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).


(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h25):

ÁSIA
Austrália: 0,00%
Nikkei: +1,63%
Hong Kong: -0,37%
Xangai Composite: -1,29%

EUROPA
London - FTSE: +0,06%
Paris Cac 40: +0,63%
Frankfurt - Dax: +0,46%
Madrid IBEX: +1,09%

COMMODITIES
BRENT: -0,48%
WTI: -0,62%
COBRE: +0,17%
NIQUEL: +0,06%
SOJA FUTURO: +1,46%
ALGODÃO FUTURO: -3,06%

INDICES FUTUROS
Dow: -0,01%
S&P: -0,06
NASDAQ: -0,10%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Usiminas, Santander
*Depois do pregão: Telemar (Oi), Cia Hering, Klabin, Lojas Renner, Minerva.

_EUA:
*Antes do pregão: Bunge, Coca-Cola, Pepsico, Apache Corp, Dow Chemical, Franklin Resources, Celgene Corp, Time Warner Cable, Tyco International, CME Group, Raytheon, Aetna, Motorola, Sprint Nextel, International Paper, Host Hotel & Resorts e Discovery Comunication.
*Depois do pregão: Microsoft Corporation, Southwestern Energy, Eastman Chemical, Motorola Mobility, Expedia, VeriSign, Monster Worldwide.
*Não especificado: Exxon Mobil, Procter & Gamble e Colgate Palmolive.

ATENÇÃO: Apesar da lista de resultados corporativos extensa, o destaque de hoje fica por conta da agenda americana que ditarão os rumos do dia.
Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Highlights:
_ Lucro da Aetna sobe 4%.
_ Lucro do primeiro trimestre da Time Warner Cable salta 52%.
_ Host Hotels tem prejuízo no primeiro trimestre.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 27 de abril de 2011

QUARTA-FEIRA 27/04/2011

(1) RESUMO: Os principais índices da Ásia fecharam em queda nesta quarta-feira, com o rebaixamento da perspectiva da dívida soberada no Japão pela Standard & Poor's e da expectativa de inflação mais altos na Austrália. Nikkei do Japão fecharam em alta. S & P / ASX 200 da Austrália fechou em baixa depois de subir na abertura, após a divulgação da inflação ao consumidor que cresceu mais que o esperado no primeiro trimestre, devido em parte ao aumento dos preços mundiais do petróleo e à alta do preço dos alimentos devido as inundações. O índice de preços ao consumidor subiram 1,6% no primeiro trimestre de 2011 e subiu 3,3% ante o ano anterior. Foi o maior movimento trimestral em cinco anos. Os grandes aumentos do CPI no trimestre vieram dos preços dos alimentos, de saúde e educação.

JAPÃO: As bolsas japonesas terminaram em alta, seguindo os ganhos em Wall Street e algumas pechinchas locais, apesar do downgrade da Standard & Poor's para a perspectiva da dívida soberana-Japão de estável para negativa, pois a situação fiscal do país se deteriora mais que o esperado, na sequência dos desastres no mês passado. O Nikkei e o Topix subiram. Canon subiu 6,2%, apesar da queda no lucro e redução em suas previsões. Entre os ganhos notáveis, destaque para a alta de 2,8% para a Elpida Memory, com a notícia que vai começar a produção em massa de um chip DRAM ultra-fina para computadores pessoais e um salto de 2,1% para a Mitsubishi Motors. No entanto, Daiwa Securities perderam 6,4% após perdas pesadas no quarto trimestre.

CHINA: Os principais índices de ações da China fecharam em queda, com ações de propriedade perdendo fôlego em meio a relatos que o governo central pode em breve anunciar uma nova rodada de aperto para esfriar o setor. O índice Shenzhen Composto e o Xangai Composite caíram, onde o último atingiu seu nível mais baixo desde 21 de março. Em Hong Kong, o índice Hang Seng e o Hang Seng China Enterprises também fecharam em queda. Principais ações imobiliárias fecharam em queda, apesar de fortes ganhos iniciais, com o leilão de terras do governo no final do dia. As ações da China Telecom, assim como as ações de rival China Unicom de Hong Kong caíram, após resultados decepcionantes.

EUROPA: A bolsas europeias abriram com certa volatilidade, mas a maioria das principais praças operam em alta, em um dia repleto de resultados corporativos. O índice Stoxx 600 sobe 0.31%. No lado positivo, as ações da montadora francesa Renault sobe 4.01%, após resultados que mostraram um aumento de 15% na receita no primeiro trimestre e espera volumes de vendas e receitas superiores neste ano. Outras ações de auto também ganham, como a Peugeot, com alta de 0.96%, enquanto em Frankfurt, a Volkswagen sobe 2.60% e a Daimler adiciona 2.25%. O índice alemão DAX 30 opera em alta. Na França, o índice CAC 40 também sobe, mas ações da STMicroelectronics caem 3.31%, após informar que as vendas ficaram aquém das expectativas, mas o lucro líquido triplicou no primeiro trimestre. O índice de FTSE 100 opera em queda, arrastada pela Associated British Foods que perde 6.65%, e pela Barclays perdendo 4.77%. Em seu relatório, a Associated British Foods advertiu que os resultados do ano será quase a mesma do ano passado, citando pressão dos custos de produção de açúcar no Reino Unido e as margens mais estreitas do que o previsto para a sua marca de varejo Primark, no segundo semestre. As ações do Barclays caíram depois que o banco de investimento anunciou uma queda de 5.2% no lucro líquido no primeiro trimestre, devido a diminuição na receita da renda fixa. As ações da Ericsson sobem cerca 9.10% após a fabricante de equipamentos de rede, registrar lucro líquido três vezes maior do que um ano atrás, enquanto as vendas subiram 17%, batendo as previsões dos analistas. A economia britânica recuperou no primeiro trimestre, mas a falta de dinamismo matou qualquer perspectiva para uma subida das taxas de curto prazo pelo Banco da Inglaterra. O produto interno bruto cresceu 0,5% em comparação aos três meses finais de 2010. PIB cresceu 1,8% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Os economistas tinham previsto um aumento de 0,5% e trimestral de 1,8% crescimento anual. O PIB contraiu 0,5% na base trimestral, no último trimestre de 2010.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 - Durable Good Orders de março (volume de pedidos e entregas de bens duráveis no período);
11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano;
15h15 - 2º dia de reunião do Fed onde decidirá o novo patamar do juro básico norte-americano, que está na faixa entre 0% ao ano e 0,25% ao ano.

AGENDA DE TERÇA-FEIRA:
JAPÃO: Reunião do BoJ (Banco do Japão) para definição da taxa básica de juro do país.
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Unemployment Rate de Abril (a taxa de desemprego fornece amostras da situação da mão de obra na Alemanha)
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego); 9h30 - Prévia final do PIB e de seu deflator, ambos baseados no primeiro trimestre; 11h00 - Pending Home Sales de março (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva).


(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h25):

ÁSIA
Austrália: -0,83%
Nikkei: +1,39%
Hong Kong: -0,54%
Xangai Composite: -0,87%

EUROPA
London - FTSE: +0,06%
Paris Cac 40: +0,48%
Frankfurt - Dax: +0,62%
Madrid IBEX: +0,22%

COMMODITIES
BRENT: +0,48%
WTI: +0,48%
COBRE: -1,56%
NIQUEL: -0,68%
SOJA FUTURO: -0,84%
ALGODÃO FUTURO: -3,90%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,23%
S&P: +0,28%
NASDAQ: +0,55%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Bradesco e Weg.
*Depois do pregão: Totvs, Natura, Redecard, Santos Brasil eTractebel.


_EUA:
*Antes do pregão: Conoco Phillips, Boeing Co, Citi Group, eBay, Praxair, Southern Company, Corning, Wellpoint, Rockwell, Dr Pepper, DTE Energy, Moody's, Whirlpool
*Depois do pregão: Starbucks, Norfolk Southern, The Allstate Corporation, Citrix Systems, Lincoln National, Equifax,

ATENÇÃO: Atenção para decisão do Federal Open Market Committee e a conferência de imprensa do presidente do Fed, Ben Bernanke.

HIGHLIGHTS:
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 26 de abril de 2011

TERÇA-FEIRA 26/04/2011

(1) RESUMO: As bolsas asiáticas tropeçaram nesta terça-feira, em linha com uma retração acentuada das commodities e a queda de muitas moedas regionais em relação ao dólar dos EUA, com os investidores cautelosos antes da reunião do Federal Reserve dos EUA na quarta-feira. Nikkei do Japão, Composto de Xangai, Hang Seng de Hong Kong, Kospi da Coréia do Sul, Sensex da Índia recuaram. Mercados australianos permaneceram fechados por conta de feriado. No resto da região, stocks das Filipinas, Nova Zelândia, Indonésia, Taiex de Taiwan, StraitsTimes de Singapura e SET da Tailândia caíram. Nos mercados de câmbio foram marcados pela volatilidade, antes da reunião do Fed na quarta-feira e da primeira coletiva à imprensa do Presidente Ben Bernanke, sempre pós-reunião. Os investidores querem saber sobre a flexibilização quantitativa do banco central, ou QE2. O programa de compra de US $ 600 milhões de ativos, lançado no ano passado para estimular a economia dos EUA, tem impulsionado a liquidez e apoiado o apetite pelo risco dos investidores nos mercados globais, mas o QE2 está programado para terminar em junho. A maior ameaça do fim do QE2 é um dólar dos EUA mais forte e o dólar dos EUA mais forte, significa bolsas asiáticas mais fracas. Várias ações do setor de commodities caíram porque os preços do ouro e da prata recuaram, assim como o petróleo bruto, antes da decisão do FOMC.

JAPÃO: - As ações japonesas ampliarm as perdas, com um iene mais forte pesando sobre ações de companhias exportadoras e montadoras, que cederam após Standard & Poors rebaixar a perspectiva do setor. As ações da Nintendo caíram 3,89%, após a fabricante de jogos registrar a segunda queda no lucro anual .O resultado dá um tom sombrio para a temporada de resultados, que será ponto de referência para outros fabricantes e os investidores estão ajustando para baixo suas expectativas. Nidec caiu 2,1% depois que a fabricante de motores de precisão para discos rígidos e sistemas automotivos, anunciou que prevê queda em seu lucro operacional para o ano fiscal atual.

CHINA: As ações chinesas fecharam em queda, com o sentimento prejudicada por um relatório do jornal estatal China Securities Journal, sobre o conselho internacional que faz parte dos esforços de Pequim para internacionalizar sua moeda, permitindo que empresas estrangeiras possam emitir ações em yuans e ajudar Xangai a tornar um centro financeiro global até 2022, pode alterar as regras iniciais. Em Hong Kong, o comércio retornou após um feriado prolongado quatro dias e vários papéis de bancos e propriedade chinesa perderam terreno com preocupações de que Pequim possa lançar mais medidas para esfriar o mercado da habitação, afetando também papéis listadas no continente.

EUROPA: Mercado europeu opera em alta nesta terça-feira, após retorno de feriado prolongado. O índice Stoxx 600 sobe 0,27%. As ações do banco de investimento suíço UBS salta 6% após a empresa relatar o resultado do primeiro trimestre, onde informou que o lucro líquido caiu 18% no período, mas os analistas gostaram do forte crescimento na arrecadação líquida. As ações da Aegon sobem 3,6% após o grupo financeiro anunciar que vai vender sua unidade de resseguros Transamerica à seguradora francesa Scor, num negócio de 900 milhões de dolares e que irá recomprar títulos de capital emitido pelo estado holandês. As mineradoras também estavam em foco, depois que os preços de metais preciosos caíram depois das altas recentes. As ações da Randgold Resources do Reino Unido caem 1,6%, enquanto a Fresnillo perde 1,1% e Antofagasta tem baixa de 1,6%. O índice de FTSE 100, o alemão DAX 30 e a francesa CAC 40 operam em alta. Ainda no Reino Unido, destaque para as ações de tecnologia, como a fabricante de chips ARM que sobem 2.07%. Na semana passada, a Apple disse que seu lucro do segundo trimestre aumentou com as vendas do iPhone. A Apple usa processadores ARM em seus produtos como o Iphone.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA: 1º dia da reunião do Fed para discutir as principais diretrizes econômicas do país.
10h00 - S&P/Case-Shiller Home Price de fevereiro (mostra a trajetória dos preços das casas nos EUA por meio de uma média móvel trimestral);
11h00 - Consumer Confidence de Abril (mede a confiança dos consumidores americanos);
11h00 - Richmond Fed Manufacturing de Abril (atividade de manufatura na região);

AGENDA DE TERÇA-FEIRA:
EUROPA: Industrial New Orders de Fevereiro (números de novos pedidos à indústria na Zona do Euro).
ALEMANHA: Consumer Price Index de Abril (Indicador mensal da inflação ao consumidor da Alemanha) e GFK Consumer Confidence Survey de Maio (nível de confiança do consumidor alemão sobre o futuro da economia local).
REINO UNIDO: Gross Domestic Product (Preliminar) do 1º Trimestre (estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido).
EUA: 9h30 - Durable Good Orders de março (volume de pedidos e entregas de bens duráveis no período); 11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano; 15h15 - 2º dia de reunião do Fed onde decidirá o novo patamar do juro básico norte-americano, que está na faixa entre 0% ao ano e 0,25% ao ano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h15):

ÁSIA
Austrália: ---%
Nikkei: -1,17%
Hong Kong: -0,54%
Xangai Composite: -0,87%

EUROPA
London - FTSE: +0,31%
Paris Cac 40: +0,30%
Frankfurt - Dax: +0,36%
Madrid IBEX: +0,82%

COMMODITIES
BRENT: +0,02%
WTI: -0,10%
COBRE: -1,82%
NIQUEL: -2,38%
SOJA FUTURO: -0,94%
ALGODÃO FUTURO: -1,29%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,26%
S&P: +0,32%
NASDAQ: +0,29%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Indústrias Romi.

_EUA:
*Antes do pregão: Coca-Cola, UPS, Ford, ITW, Lockheed Martin Corp, Cummins, Coach Inc, Hersheys, Ecolab, McGraw Hill, AK Steel, Lennox,
*Depois do pregão: Broadcom, BD Co, Altera Co, Western Union, Stanley Black & Decker, Life Technologies, CB Richards Ellis, Nabors Ind, Total Systems, Dreamworks Animation

ATENÇÃO: A agenda americana deverá ser ofuscada pelos resultados corporativos, mais uma vez. Os investidores não tomarão posições mais arriscadas e aguardarão em stand by pela reunião de amanhã do Fed, que poderá dar mais detalhes sobre o possível fim do QE2.

HIGHLIGHTS:
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 25 de abril de 2011

SEGUNDA-FEIRA 25/05/2011

(1) RESUMO: Maioria das bolsas asiáticas fecharam em queda nesta segunda-feira. Xangai Composite, Nikkei de Japão e Taiex de Taiwan, Straits Times de Singapura, SET da Tailândia, Sensex da Índia e a bolsa da Indonésia caíram, enquanto Kospi da Coreia do Sul e bolsa das Filipinas subiram. Os mercados em Hong Kong, Austrália e Nova Zelândia permaneceram fechados. Em Seul, as ações de automóveis ajudaram a impulsionar o mercado com expectativas de fortes ganhos no primeiro trimestre. Em Mubai, os bancos subiram com novas medidas que facilitaram o setor, compensando as perdas de 2,6% da peso pesado Reliance Industries, após a refinaria e petroquímica relatar que o resultado no quarto trimestre será mais fraco que o esperado na semana passada. Nos mercados de câmbio, o iene perdeu terreno face ao dólar e ao euro. O Banco do Japão espera que a economia do Japão encolherá no primeiro e segundo trimestres. Muitos investidores aguardam a reunião do Federal Reserve e a conferência de Ben Bernanke nesta semana.

JAPÃO: O mercado acionário japonês não conseguiu manter seu impulso, apesar de alguns ganhos com notícias positivas. Komatsu subiu 0,4%, após divulgar um aumento de 30% no lucro operacional, com destaque para o aumento nas vendas na América do Norte, no período anual que encerrará em março de 2012. As ações da Fanuc caiu 1,3%, estendendo as perdas de sexta-feira após o Barclays Capital cortar sua avaliação de "overweight" para "equal-weight", citando problemas relacionados com fornecimento. Yahoo Japan ganharam 3,4% depois que a companhia forneceu uma previsão de alta para o primeiro trimestre fiscal a encerrar em junho. Tokyo Electric Power, proprietária das usinas nucleares de Fukushima Daiichi, subiu 8,4% depois que a imprensa local noticiou que o governo está organizando ajuda à empresa para pagar os danos do acidente nuclear. Mazda divulgou uma queda de 9,4% na produção global de automóveis no primeiro trimestre deste ano, na comparação anual. Outras empresas de auto o pregão em baixa, com destaque Nissan, com baixa de 1,81%, Honda perdendo 1,27% e queda de 0,61% para a Toyota.

CHINA: A queda em Xangai veio com os preços do petróleo bruto mantendo-se acima de US $ 110 o barril, o que representa um desafio para arrefecer a inflação no continente, o que pode indicar a continuidade do aperto em sua política monetária. A maioria dos setores diminuíram, entre elas, promotores imobiliários, os produtores de metais e os stocks de automóveis entre os mais atingidos. Companhias aéreas valorizaram em meio a expectativa de redução do custo de importação no combustível de aviação.

EUROPA: Feriado bancário em diversas praças como Suiça, Reino Únido, França, Alemanha e Itália.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
11h00 - New Home Sales de Março (vendas de imóveis novos nos Estados Unidos).
11h30 - Dallas Fed Manufacturing de Abril (atividade de manufatura na região).

AGENDA DE TERÇA-FEIRA:
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 10h00 - S&P/Case-Shiller Home Price de fevereiro (mostra a trajetória dos preços das casas nos EUA por meio de uma média móvel trimestral); 11h00 - Consumer Confidence de Abril (mede a confiança dos consumidores americanos); 11h00 - Richmond Fed Manufacturing de Abril (atividade de manufatura na região);

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h50):

ÁSIA
Austrália: ---%
Nikkei: -0,11%
Hong Kong: --%
Xangai Composite: -1,53%

EUROPA
London - FTSE: ---%
Paris Cac 40: ---%
Frankfurt - Dax: --%
Madrid IBEX: ---%

COMMODITIES
BRENT: +0,02%
WTI: +1,60%
COBRE: +1,16%
NIQUEL: +201%
SOJA FUTURO: -,22%
ALGODÃO FUTURO: +1,36%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,2%
S&P: +0,29%
NASDAQ: +0,31%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:

_EUA:
*Antes do pregão: Ameriprise Financial, Johnson Controls, a Kimberly-Clark e RadioShack Corp.

ATENÇÃO: Destaque para o setor corporativo, onde aguarda-se o comportamento de algumas empresas americanas que divulgaram seus resultados após o fechamento do mercado americano, entre elas a Advanced Micro Devices (lucro do primeiro trimestre quase que duplico, apesar das vendas subirem modestamente) e a SanDisk (relataram lucro do primeiro trimestre de 224,1 milhões dólares, ou 92 centavos de dólar por ação). Atenção também para a PG & E Corp que anunciou a demissão repentina do presidente e chefe-executivo Peter Darbee.

HIGHLIGHTS:
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 20 de abril de 2011

QUARTA-FEIRA 20/04/2011

(1) RESUMO: Principais bolsas na Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira, animadas com os resultados das americanas Intel e Yahoo. Nikkei do Japão, Kospi da Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong, Xangai Composite, Strait Times de Cingapura, S & P australiano, NZX 50 da Nova Zelândia e as bolsas da Filipinas, Indonésia e SET da Tailândia subiram. As ações da Samsung Electronics saltou 4,7% e foram acompanhadas de perto pela Hynix Semiconductor, que subiu 4,6% em Seul. Taiwan Semiconductor Manufacturing adicionou 2,5% em Taipé. A Acer caiu 6,9% após uma grande quantidade de corretoras cortarem sua visão sobre o papél, como o JPMorgan que rebaixou de neutro para para underweight. As ações na Coreia também foram apoiadas pelas siderúrgicas. Commodities metálicas garantiram a alta em Hong Kong e na Austrália. A BHP Billiton subiu 1,2% após a apresentar recorde na produção de minério de ferro e alumínio. Rio Tinto subiu 1,2%. No mercado de moedas, o euro ampliou os ganhos ao dólar dos EUA e ao iene com a melhora no apetite de risco. A moeda única foi buscar os 1,4334 dólares em Nova York, e ¥ 119,53 respectivamente. O dólar estava em ¥ 82,84, em comparação com a ¥ 82,58.

JAPÃO: As ações japonesas fecharam em alta, após três sessões consecutivos de perdas. No setor de tecnologia, Renesas Electronics subiram 1.92%, enquanto a Toshiba ganhou 3.24%. A fornecedora Intel Ibiden subiu 6%. Inotera Memories subiram 3,8%. As consequências dos desastres natural e nuclear voltam a aparecer nos indicadores econômicos japoneses. O superávit comercial do Japão caiu 78,9% (¥ 196,500 bilhões de ienes) em março em comparação ao mesmo mês do ano anterior, refletindo o impacto do terremoto e do tsunami de 11 de março. A cifra ficou abaixo do superávit de 645,40 bilhões de ienes previstos pelos economistas consultados pela Dow Jones Newswires e 493.600 bilhões ¥ previsto pela Reuters. As exportações caíram pela primeira vez em 16 meses, com retração de 2,2% em março, ao passo que as importações saltaram 11,9%.

CHINA: Os bancos chineses foram instruído pelo o órgão regulador para que conduzam uma nova rodada de testes de estresse em crédito imobiliário e para que diminuam os riscos relacionados aos empréstimos em geral. Os bancos terão que melhorar a fiscalização dos empréstimos ao setor imobiliário e reduzir os riscos de empréstimos ao governo. Bancos fecharam em alta. Hong Kong recuperou após a queda em seis dos últimos sete pregões, com os promotores imobiliários e os produtores de commodities seguindo o avanço em Wall Street. o órgão regulador para o setor bancário chinês instruiu às instituições financeiras do país para que conduzam uma nova rodada de testes de estresse em crédito imobiliário e para que diminuam os riscos relacionados aos empréstimos em geral,

EUROPA: As ações européias sobem, com destaque para empresas de tecnologia entre os melhores desempenhos após fortes resultados da Intel e da Yahoo. O índice Stoxx 600 subiu 1,1% no pregão matinal, com os principais setores em território positivo. Fabricantes de chips ASML Holding sobe 6.32% em Amsterdã, a Infineon Technologies sobe 3,9% em Frankfurt e STMicroelectronics sobe 5.57% em Paris. As ações da montadora Peugeot sobem 4.56%, após o grupo reportar aumento de 10% em receita no primeiro trimestre e reafirmou sua perspectiva para o ano, mesmo depois que a indústria enfrentou dificuldades na terceirização de componentes na sequência do sismo e tsunami de Japão. O movimento ajuda a elevar o índice francês CAC 40. Outras montadoras também em alta. Daimler sobe 2,5% e a Volkswagen tem alta de 3.14%. O índice alemão DAX 30 e o índice FTSE 100 sobem, esta última liderada por um aumento de 4% para a fabricante de chips ARM. Ações de mineradoras estão em alta: BHP Billiton sobe 2.39% após reportar aumento na produção de minério de ferro. Entre as poucas quedas na Europa, as ações da Heineken cai 1,3% depois da cervejaria informar uma queda no lucro do primeiro trimestre. A empresa farmacêutica Elan cai 1,7% em Dublin depois de reportar resultados que desanimaram os investidores. ISEQ da Irlanda sobe mas com desempenho inferior em relação à maioria dos outros mercados europeus.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
11h00 - Existing Home Sales de março (mede as vendas de casas usadas no país);
11h30 - Estoques de petróleo norte-americano.

AGENDA DE TERÇA-FEIRA:
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: IFO - Business Climate de Abril (pesquisa de “clima do mercado” mostra um agrupamento de estudos com indústrias, construtores, atacadistas e varejistas da Alemanha); IFO – Expectations de Abril (condições correntes e as expectativas de negócios para os próximos seis meses na Alemanha)
REINO UNIDO: Retail Sales de Março (números de vendas no varejo britânico).
EUA: 9h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego); 11h00 - Leading Indicators de março (ou Índice de Indicadores Antecedentes, que nada mais é do que um relatório que compreende 10 índices já divulgados no país tais como pedidos de auxílio-desemprego, custo de mão-de-obra e permissões para construção e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia); 11h00 - Philadelphia Fed Index de abril (mede a atividade industrial no estado).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h20):

ÁSIA
Austrália: +1,37%
Nikkei: +1,76%
Hong Kong: +1,60%
Xangai Composite:+0,26%

EUROPA
London - FTSE: +2,00%
Paris Cac 40: +2,04%
Frankfurt - Dax: +2,46%
Madrid IBEX: +1,46%

COMMODITIES
BRENT: +1,36%
WTI: +1,77%
COBRE: +0,99%
NIQUEL: +1,66%
SOJA FUTURO: +1,01%
ALGODÃO FUTURO: +0,80%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,86%
S&P: +1,15%
NASDAQ: +1,14%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:

_EUA:
*Antes do pregão: AT&T, Wells Fargo, Abbott Laboratories, United Technologies, EMC Corporation, Easton, Nasdaq OMX Group.
*Depois do pregão: American Express, Amgen Inc, Marriott International, Noble Corp, Western Digital, SLM Corp, F5 Networks,
*Indefinido: Apple e Fiat.

ATENÇÃO: Atenção com os dados americanos que podem dar continuidade do otimismo das bolsas na Europa. Último pregão antes do feriado da semana santa por aqui. Retorno apenas na segunda-feira.

HIGHLIGHTS:
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 19 de abril de 2011

TERÇA-FEIRA 19/04/2011

(1) RESUMO: Maioria das praças asiáticas fecharam em queda, com a reavaliação do rating dos EUA pegando todo o mundo de surpresa. Na Australia, o índice S & P / ASX 200 caiu, com queda nas principais mineradoras: BHP Billiton teve queda de 1,82%, enquanto a rival Rio Tinto caiu 2,57%. A mineradora de ouro Newcrest Mining perdeu 0,9% depois que relatou uma diminuição de 16% na produção trimestral de ouro. Woodside Petroleum recuou 1,00%, após a empresa reportar uma queda de 19% na produção trimestral e disse que pode ser difícil recuperar devido atrasos no cronograma de construção do seu projeto de gás liquefeito devidor condições meteorológicas adversas. A ata da reunião de abril do Reserve Bank of Australia, mostrou que os membros consideraram que a taxa de 4,75% é adequada para assegurar as perspectivas de inflação a médio prazo e mantiveram em linha com a meta. O dólar australiano caiu ligeiramente contra o dólar.

JAPÃO: As ações japonês tropeçaram com a revisão do rating dos EUA pela Standard & Poor's e as permanentes preocupações sobre a estabilidade da dívida soberana europeia. Ações de tecnologia estiveram entre os piores desempenhos. Canon fechou em queda de 1.93%, enquanto Panasonic declinou 1.59%. As montadoras também estavam sob pressão, com a Honda Motor com queda de 1,3% e a Toyota Motor fechando abaixo de 1,9%. A temporada de resultados japonês começa na próxima semana, mas paira duvidas devido aos desastres do mês passado. Nikkei e Topix fecharam em queda.

CHINA: Em Hong Kong as ações caíram com o rebaixamento das perspectivas do rating dos EUA, com ações do setor de energia caindo, após queda nos preços de petróleo bruto. O peso pesado HSBC Holdings caiu 1,41%. Hang Seng fechou em queda. No continente chinês ações também perderam terreno. O Xangai Composite também perdeu. O ministério do Comércio anunciou que os investimentos estrangeiros diretos em março aumentaram em 32,9% na comparação com o ano anterior, para US$ 12,52 bilhões. O Banco Central da China revelou que o país possui grande volume de reservas estrangeiras e que estas devem ser utilizadas em investimentos em diversos segmentos.


EUROPA: Mercados na Europa abriram em alta. O índice Stoxx 600 sobe 0.70%, depois de uma queda 1,7% na sessão anterior preocupados com as dívidas da zona do euro e com a decisão da Standard & Poor's EUA de rever sua perspectiva do ratings dos EUA, de estável para negativa. As ações da LVMH (grupo de artigo de luxo) salta 3.96% em Paris depois que registrou crescimento na receita no primeiro trimestre, acima das expectativas dos analistas. Em Londres, a Burberry sobe 5.24%, após relatar um aumento de 30% na receita do segundo semestre e que o lucro ante impostos virá superior "as expectativas dos analistas. O índice de FTSE 100 de Londres sobe, também apoiada ns ações de mineradoras que também contribuem para os ganhos, com o aumento dos preços dos metais. As ações da Fresnillo sobe 2,1%, Lonmin adiciona 1,6% e a Anglo American ganha 2,10%. O índice alemão DAX 30 e o índice CAC 40 sobem, ajudado em parte por ganhos das ações de automóveis. As ações da Electricité de France sobe 5.37% em Paris. Algumas montadoras e autopeças sobem, após registrar altas nas vendas de veículos novos em março na Alemanha e na França, contrariando uma tendência geral negativa na União Europeia. BMW sobe 2.56%, MAN com alta de 1,15% e a Daimler sobe 1.56%. Na França, a Peugeot salta 2,6% e Renault adiciona 1,2%. A atividade econômica em toda a zona do euro, continuou a acelerar em abril, de acordo com o índice PMI preliminar para a região. O PMI composto compilados pela Markit Economics subiu de 57,6, para 57,8 em março. Uma leitura acima de 50 indica expansão de atividade. Economistas previam que o índice cairia para 57,0. O aumento foi impulsionado pelo setor industrial, onde o PMI subiu de 57,5 para 57,7 ​​em março. O PMI de serviços caiu de 57,2 para 56,9 em março. Os dados indicaram que o crescimento continuou a ser liderada pela França e pela Alemanha. O forte crescimento global juntamente com sinais de pressões inflacionárias que indica uma subida nas taxas por parte do Banco Central Europeu para o final deste ano, permanecem mantidas.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 - Housing Starts (número de casas que começaram a ser construídas) e Building Permits (autorizações para a construção de imóveis foram concedidas), ambos de março;

AGENDA DE TERÇA-FEIRA:
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Producer Price Index (PPI) de Março ( importante indicador de inflação da Alemanha).
REINO UNIDO: Minuta da Reunião de Política Monetária do BoE de Abril (divulgação da ata da sua última reunião de política monetária, em que manteve a taxa básica de juros em 0,50%).
EUA: 11h00 - Existing Home Sales de março (mede as vendas de casas usadas no país); 11h30 - Estoques de petróleo norte-americano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Austrália: -1,41%
Nikkei: -1,21%
Hong Kong: -1,30%
Xangai Composite: -1,86%

EUROPA
London - FTSE: +0,51%
Paris Cac 40: +0,61%
Frankfurt - Dax: +0,38%
Madrid IBEX: +0,39%

COMMODITIES
BRENT: -1,61%
WTI: -1,42%
COBRE: +0,54%
NIQUEL: -0,10%
SOJA FUTURO: -0,10%
ALGODÃO FUTURO: -2,62%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,01%
S&P: -0,05%
NASDAQ: -0,09%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:

_EUA:
*Antes do pregão: Goldman Sachs, US Bancorp, Bank of New York Melon, Northern Trust, Harley Davidson, Intel Corp, Johnson & Johnson e LG.

ATENÇÃO: As atenções por aqui ficam por conta do início da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), onde poderá ser definido um novo patamar da taxa básica de juros, com o quadro da inflação piorando, a expectativa é de alta, mas não há consenso. O mercado castigou duramente as empresas X e a Petrobras. De olho nelas.

HIGHLIGHTS:
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 18 de abril de 2011

SEGUNDA-FEIRA 18/04/2011

(1) RESUMO: Fechamento misto no mercado de ações na Ásia nesta segunda-feira. Xangai Composite e S & P/ASX 200 da Austrália subiram. Hang Seng de Hong Kong, Nikkei de Japão, Kospi da Coreia do Sule Sensex da Índia caíram, enquanto Taiex de Taiwan fechou inalterado. No resto da região, NZX 50 da Nova Zelândia, bolsas das Filipinas e SET da Tailândia subiram. Straits Times de Singapura e a bolsa Indonésia caíram. Em Mumbai, as ações da Infosys Technologies caiu mais 2,2%, depois de perder 9,6% na sexta-feira, com resultados decepcionantes. Outras empresas de software também perderam terreno. Há preocupações de que o Reserve Bank da Índia possa aumentar as taxas de juro novamente no próximo mês. Em Sidney, a bolsa local subiu apoiada no setor financeiro. No mercado de câmbio, o euro manteve-se sob pressão contra o dólar dos EUA após a vitória do partido do ministro das Finanças, Jyrki Katainen, na Finlândia. O euro caiu com a preocupação de que o novo governo finlandês poderia se opor à novos resgates para os países da zona do euro.

JAPÃO: Ações em Tóquio encerraram em queda, depois de várias tentativas de recuperação durante um pregão instável, com a perspectiva de que a demanda chinesa poderá se expandir em rítmo inferior, com a diminuição de crédito disponível e os investidores não estão dispostos a assumir uma posição firme, frente aos próximos resultados corporativos e com a valorização do iene pesando sobre os exportadores. Canon perdeu 1,4% e Nissan Motor caiu 1,1%. Tokyo Electric Power perdeu 0,4% depois de anunciar que pode levar de seis a nove meses para conter as fugas de radiação e estabilizar os reatores nucleares de Fukushima.

CHINA: O Xangai Composite subiu, apesar do Banco Popular da China, aumentar a taxa do compulsório dos bancos em 0,5 pontos percentuais para drenar o excesso de dinheiro no sistema bancário. A maioria dos bancos encerraram em baixa, tanto no continente, quanto em Hong Kong. Ações de vários promotores imobiliários chineses subiram na bolsa do continente com avaliações baratas atraindo investidores. Enquanto isso, os dados oficiais mostraram que a construção de imóveis recentemente continuam a subir em março, na maioria das cidades chinesas, embora o número de cidades diminuiu de fevereiro. Em Hong Kong, o setor imobiliário ampliou sua maré de perdas com preocupações sobre suas perspectivas futuras, depois de alguns bancos elevarem suas taxas de hipoteca, na semana passada. Ganhos em empresas petroquímicas também ajudou o mercado, que espera uma forte demanda nos preços.

EUROPA: As bolsas na Europa amanheceram no vermelho, pressionadas por ações do setor bancário em meio a preocupações com a dívida soberana. O índice Stoxx 600 cai 0,7%. Alpha Grécia Bank cai 3%, enquanto o Societe Generale perde 3%. Um jornal grego informou que o governo pediu ao Fundo Monetário Internacional e da União Europeia, um pedido de negociações para reestruturação de sua dívida, o que foi negado por um funcionário do ministério das finanças do país. Outra notícia que nocauteou o setor foi a vitória do partido finlandês que é contra os resgastes dos países europeus, o que poderá dificultar o resgate pendente Português. PSI 20 de Portugal registra queda, liderado por uma baixa de 3,1% para o Banco Espírito Santo, queda 3,3% no Banco BPI e uma queda de quase 3% para o Banif. Ligeiramente pior, é o índice IBEX 35 da Espanha, liderada pela queda de 3,7% para o BBVA e uma queda de 3,4% para o Banco Santander. O italiano FTSE MIB também em baixa, liderado por um queda de 3,5% para a Banca Popolare di Milano. O ASE Composite da Grécia também em baixa. Os efeitos do nervosismo da dívida afeta toda a Europa. O CAC 40 cai, com o Credit Agricole perdendo até 2,8% e o BNP Paribas em baixa de 2%. Ainda em em Paris, as ações da Total cai 1,4% depois de um downgrade pelo Credit Suisse. O índice alemão DAX 30 em baixa, liderado por um queda de 3,8% nas ações do Commerzbank e 1,5% para o Deutsche Bank que suspendeu as discussões com o Liechtenstein LGT Bank sobre a venda de sua unidade BHF-Bank, depois de ambas as partes decidiram não prosseguir com o negócio. Goldman Sachs fez diversas mudanças em suas avaliações para o setor siderúrgico. As ações da ThyssenKrupp apresenta queda de 3% após o banco cortar a empresa alemã de comprar, para o neutro. As ações da Salzgitter cai 3.60% depois de um downgrade de neutro, para vender. As ações da ArcelorMittal cai 1,31%, apesar de uma atualização de neutro para compra pelo banco de investimento. Na Suíça, as ações da Synthes saltam 6,4% depois que o grupo confirmou que está em conversações com a Johnson & Johnson sobre uma possível fusão. Em Londres, as ações da Smith & Nephew cai 3,4%. Johnson & Johnson foi visto como um potencial concorrente para a empresa do Reino Unido.
As ações da Nestlé caem 3,94%, após anunciar que vai comprar uma participação de 60% ​​ empresa de comida chinesa Yinlu Foods Group. O índice de FTSE 100 cai, com bancos como o Barclays em baixa de 2,1% e Lloyds Banking Group caindo até 1,9%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
BRASIL: Haverá o vencimento de opções sobre ações negociadas na BM&F Bovespa.
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.


AGENDA DE TERÇA-FEIRA:
EUROPA: Purchasing Managers Index Manufacturing (atividade de manufatura); Purchasing Managers Index Services (nível de atividade de serviços); Current Account de Fevereiro (saldo da conta corrent); Construction Output de Fevereiro (atividade da indústria de construção tanto no setor público como privado).
ALEMANHA: Purchasing Managers Index Manufacturing de Abril (nível de atividade de manufatura); Purchasing Managers Index Services de Abril (nível de atividade econômica no setor de serviços da Alemanha).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Housing Starts (número de casas que começaram a ser construídas) e Building Permits (autorizações para a construção de imóveis foram concedidas), ambos de março;

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Austrália: +0,20%
Nikkei: -0,36%
Hong Kong: -0,74%
Xangai Composite: +0,20%

EUROPA
London - FTSE: -1,05%
Paris Cac 40: -1,45%
Frankfurt - Dax: -1,27%
Madrid IBEX: -1,41%

COMMODITIES
BRENT: -0,85%
WTI: -1,00%
COBRE: -0,01%
NIQUEL: +0,07%
SOJA FUTURO: -0,20%
ALGODÃO FUTURO: +0,50%

INDICES FUTUROS
Dow: -0,54%
S&P: -0,74%
NASDAQ: -0,67%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:

_EUA:
*Antes do pregão: Citigroup, M&T Bank, Pinnacle e Samsung Securities.

ATENÇÃO: Agenda externa vazia. A sessão de hoje promete uma certa volatilidade até o meio do pregão por conta do vencimento das opções sobre ações. A mexida na taxa na China poderá pesar sobre exportadores como a Vale.

HIGHLIGHTS:
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 15 de abril de 2011

SEXTA-FEIRA 15/04/2011

(1) RESUMO: Maioria das bolsas asiáticas fecharam em queda, após dados chineses que mostraram uma aceleração da inflação, levando temor de um possível aperto monetário. Hang Seng Hong Kong, Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coréia do Sul, Straits Times de Singapura e Nova Zelândia caíram. Xangai Composite bolsa da Indonésia, Filipinas fecharm positivo. Mercado na Tailândia permaneceu fechado por conta de um feriado. Ações em Mumbai estavam entre as mais atingidas, com os resultados decepcionantes da Infosys Technologies, uma espécie de termômetro local e associado com dados da inflação da Índia, gerando temores de mais aumentos de juros. Em Sydney, as gigantes de mineração BHP Billiton e Rio Tinto caíram 1% e 1,1%, respectivamente, seguindo a fraqueza nos preços do cobre, mas mineradoras de ouro dentro e fora da Austrália, subiram após o ouro spot atingiu um novo recorde de alta de US $ 1,478.05 por onça troy no comércio asiático. Nos mercados cambiais, o euro cai frente ao dólar, refletindo a cautela dos investidores em direção a moedas de risco, em meio a temores de uma política de aperto na China e preocupações com a emissões da dívida soberana europeia.

JAPÃO: As ações japonesas caíram, à frente aos principais dados econômicos da China, um importante parceiro comercial para o Japão. Tanto o Nikkei, quanto o Topix caíram. Papéis de metais estão entre os perdedores, como a JFE Holdings em baixa de 1,3%, enquanto a Sumitomo Metal Industries caiu 1,1%. Entre os ganhadores, varejista Aeon subiram 1,8% depois de dizer que espera um ligeiro ganho em seu ano fiscal, apesar do lucro operacional devem diminuir, de acordo com relatórios.

CHINA: A inflação ao consumidor da China acelerou em março. O índice de preços ao consumidor subiram 5,4% em março, frente ao ano anterior e um aumento de 4,9% de fevereiro, ante expectativas de 5,3% e 5,2% dos dos relatórios do Dow Jones Newswires e Reuters, respectivamente. Os números divulgados pela imprensa local indicou CPI aumento de entre 5,3% e 5,4%. O aumento do IPC foi o maior desde julho de 2008. Os preços no atacado subiram 7,4% em relação ao mesmo mês do ano passado, em linha com as previsões dos analistas ouvidos pela Dow Jones e a frente com a projeção de 7,2% da pesquisa da Reuters. Mas a maior preocupação foram a alta de 11,7% em março, dos preços dos alimentos em relação ao ano anterior, enquanto os preços não-alimentícios tiveram uma alta modesta de 2,7%. O PIB da China no primeiro trimestre expandiu 9,7%, ligeiramente abaixo de 9,8% do trimestre anterior, mas à frente das expectativas de crescimento de 9,5%, tanto no Dow Jones e Reuters.

EUROPA: O índice Stoxx 600 abriu no azul, mas rapidamente se tornou negativo em uma queda de 0,2% no pregão matinal. Stocks de tecnologia apresentaram dificuldades, incluindo a empresa de semicondutores Micro Focus International com queda de 15% em Londres depois de anunciar a saida do CEO. Logitech International, fabricante de acessórios de computador, caiu 3% na Suíça e serviços de TI do grupo Cap Gemini perde 2,2 % em França. Destaque para as preocupações com a dívida dos países na Europa aumenta, após a Moody's Investors Service cortar a avaliação dos títulos do governo irlandês, em dois pontos de Baa1, para Baa3, citando o enfraquecimento da capacidade financeira do governo e da incerteza gerada pelo teste de solvência exigida pelo mecanismo de estabilização Europeia. O índice ISEQ irlandês cai. Dentre os principais índices, o CAC 40 da França opera em queda, liderada pela queda de 2,4% do banco Natixis e uma queda 2,2% do Carrefour, segunda maior varejista do mundo, que publicou vendas do primeiro trimestre em linha com a expectativa e anunciou que está vendendo sua participação de 49% do BSF Holding para o Itaú Unibanco. Os analistas de Credit Suisse disse em uma nota que as tendências de vendas permanecem fracas na Europa Ocidental. Na Alemanha, o DAX 30 mantém-se estável, liderado por ganhos da empresa química K + S que está considerando novas altas do preço de fertilizantes potássicos. Algumas mudanças de rating também moveu ações em Frankfurt. As ações da Hochtief perdem 2.54% depois que UBS rebaixou o grupo alemão de construção de compra para neutro. No Reino Unido, o índice FTSE sobe ligeiramente, ajudado pelos ganhos no setor de varejo. As ações da Next sobe 1,3% e Marks & Spencer tem alta de 0,7%. A inflação ao consumidor na zona do euro aumentaram a um ritmo anual de 2,7% em março. A estimativa anterior foi de 2,6%. A taxa de inflação anual foi de 2,4% em fevereiro. Os preços ao consumidor subiram 1,4% na base mensal. O Banco Central Europeu no início deste mês aumentou a taxa de juros pela vez primeira em quase três anos, para evitar pressões inflacionárias. A meta de inflação anual do BCE está próximo, mas abaixo de 2%. Combustível e outros itens relacionados com os custos de energia foram os principais drivers do aumento da inflação. O núcleo de inflação, que exclui energia, alimentos, álcool e tabaco, registou uma alta mensal de 1,4% em março e um aumento anual de 1,3%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 - CPI - Consumer Price Index (Indicador mensal da inflação ao consumidor dos Estados Unidos) e de seu núcleo Core CPI (mensura os preços ao consumidor, com exceção dos custos relativos à alimentação e energia), ambos de março;
9h30 - NY Empire State Index de abril (atividade manufatureira no estado);
10h00 - Treasury International Capital (demanda estrangeira por títulos e ativos norte-americanos) em fevereiro;
10h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization (capacidade utilizada), ambos de março;
10h55 - Preliminar do Michigan Sentiment de abril (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:
BRASIL: Haverá o vencimento de opções sobre ações negociadas na BM&F Bovespa.
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h05):

ÁSIA
Austrália: -0,66%
Nikkei: -0,65%
Hong Kong: -0,02%
Xangai Composite: +0,25%

EUROPA
London - FTSE: +0,10%
Paris Cac 40: -0,05%
Frankfurt - Dax:+0,40%
Madrid IBEX: -0,59%

COMMODITIES
BRENT: -0,50%
WTI: -0,65%
COBRE: -0,72%
NIQUEL: +0,35%
SOJA FUTURO: -0,29%
ALGODÃO FUTURO: -0,38%

INDICES FUTUROS
Dow: -0,24%
S&P: -0,18%
NASDAQ: -0,15%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:

_EUA:
*Antes do pregao: Bank of America Merrill Lynch e e Webster Financial

ATENÇÃO: Na agenda, Wall Street ganha destaque, onde serão revelados os núcleos de preços CPI, a sondagem industrial na cidade de Nova York, a produção industrial em março e o índice de confiança do consumidor pela Universidade de Michigan.

HIGHLIGHTS:
_ OGX deverá divulgar relatório de avaliação de recursos nesta sexta-feira.
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 14 de abril de 2011

QUINTA-FEIRA 14/04/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados na Ásia fecharam em queda, com alerta que os dados oficiais a serem divulgados amanhã podem mostrar que preços ao consumidor aceleraram em março, reforçando um possível aperto monetário por parte de Pequim. Xangai Composite, Kong Hang Hong Seng, S & P / ASX 200 da Austrália, NZ 50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, ações da Indonésia caíram. Nikkei do Japão, Kospi da Coreia do Sul, Taie de Taiwan subiram. Os mercados da Índia e da Tailândia ficaram fechados por conta de feriado. Em Sydney, Leighton Holdings caiu 13,9%, Rio Tinto caiu 0,7% após a gigante da mineração relatar que a produção no primeiro trimestre será fraca. Nos mercados cambiais, o dólar de Singapura subiu em um novo recorde de alta contra o dólar dos EUA após a Autoridade Monetária de Singapura elevar sua banda de negociação do dólar. O dólar dos EUA enfraqueceu contra as principais moedas depois que o presidente Barack Obama disse que os EUA está empenhado em cortes de gastos e aumento de impostos para reduzir o déficit orçamental dos EUA.

JAPÃO: Os estoques japoneses reverteram o curso de queda, fechando com ganhos no final da negociação, com os investidores estrangeiros continuando a comprar as ações japonesas. Nikkei e o Topix subiram. Investidores aguardam os números trimestrais das empresas japonesas para avaliar os impactos do terremoto de março. O iene teve uma leve desvalorização frente a outras moedas, o que impulsionou ganhos de empresas exportadoras. Ações da Toshiba subiram 2,02% depois que o CEO revelou que os ganhos trimestrais podem bater as estimativas da companhia. Outras techs como a Renesas Electronics fecharam acima de 3,3% e NEC em alta de 2,9%. As ações da Elpida Memory subiram 4,8% depois de uma atualização na classificação da Deutsche Securities. Setor financeiro misto: Sumitomo Mitsui Financial estável, Mizuho Financial subiu 0,8%, mas Nomura Holdings recuaram 0,9% depois que o Credit Suisse rebaixou suas ações. Goldman está otimista com os fabricantes de automóveis do Japão no longo prazo.

CHINA: China liberará vários dados econômicos na sexta-feira, elevando temores de que Pequim poderá introduzir novas políticas restritivas para esfriar a inflação, após o Conselho de Estado da China anunciará que tomará todas as medidas necessárias para manter a estabilidade dos preços e que não irá relaxar os controles sobre o setor imobiliário. Papéis imobiliários estavam entre os perdedores no continente e em Hong Kong, após a Moody's Investors Service reduzir sua perspectiva sobre o setor imobiliário chinês de estável para negativa, citando um ambiente operacional difícil devido ao aperto da política, aumento das taxas de juros, empréstimos bancários e diminuição da oferta.

EUROPA: As ações européias abriram em queda. O índice Stoxx 600 cai 0.68%. Bancos são destaque de queda, após uma sessão ruim para o setor em Wall Street, onde uma subcomissão do Senado acusou a Goldman Sachs de venda de títulos hipotecários má qualidade. A comissão também fez acusações semelhantes contra o Deutsche Bank que cai 2.53% em Frankfurt. UniCredit rebaixou o Banco Santander de comprar para manter, devido a provável necessidade de mais capital. Ações do banco caiu 1,9% e a rival local BBVA cai 1,7%. As quedas ajudam a puxar o índice IBEX 35 para baixo, tornando um dos piores desempenhos na Europa. Outros bancos também caem, mas o Bank of Ireland sobe 4,4% em Dublin, depois de reportar um menor prejuízo em 2010. Em Londres, as ações da Reckitt Benckiser cai 6,5%, tornando-se o maior decliner no índice principal, após o grupo de produtos de uso doméstico anunciar a aposentadoria de seu CEO. O índice FTSE 100 cai, com perdas para as ações de mineradoras, incluindo uma queda de 1,5% para a BHP Billiton. Entre os principais índices, o francês CAC 40 opera em queda, liderado por um queda de 2,2% para o banco de investimento Natixis. A gigante de alimentos Danone sobe 1,4% após a companhia relatar aumento de 8,5% no primeiro trimestre em suas vendas e confirmou suas metas para 2011. O índice alemão DAX 30 cai, liderada pela queda do Deutsche Bank. Entre outras ações, o gigante farmacêutico suíço Roche cai 0,9% após relatar uma queda de 9% nas vendas no primeiro trimestre, afetada pelo desempenho do franco suíço.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 - Producer Price Index (PPI)de março (o mais importante indicador de inflação dos Estados Unidos);
9h30 - Core Producer Price Index (PPI) de março (o índice é muito acompanhado pelo mercado financeiro, por estar alheio a grandes volatilidades);
9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego).


AGENDA DE AMANHÃ:
CHINA: Gross Domestic Product do 1º Trimestre (PIB da China)e Consumer Price Index - CPI (indicador mensal da inflação ao consumidor); Retail Sales (saldo das vendas no comércio); Industrial Production (números da produção industrial da China); Producer Price Index (índice de preços ao produtor da China).
EUROPA: Trade Balance de fevereiro (números da balança comercial na Zona do Euro); Consumer Price Index (CPI) de março (indicador mensal da inflação ao consumidor europeu).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - CPI - Consumer Price Index (Indicador mensal da inflação ao consumidor dos Estados Unidos) e de seu núcleo Core CPI (mensura os preços ao consumidor, com exceção dos custos relativos à alimentação e energia), ambos de março; 9h30 - NY Empire State Index de abril (atividade manufatureira no estado); 10h00 - Treasury International Capital (demanda estrangeira por títulos e ativos norte-americanos) em fevereiro; 10h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization (capacidade utilizada), ambos de março; 10h55 - Preliminar do Michigan Sentiment de abril (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Austrália: -0,55%
Nikkei: +0,13%
Hong Kong: -0,50%
Xangai Composite: -0,23%

EUROPA
London - FTSE: -1,01%
Paris Cac 40: -1,15%
Frankfurt - Dax:-0,80%
Madrid IBEX: -1,29%

COMMODITIES
BRENT: -0,29%
WTI: -0,23%
COBRE: -0,72%
NIQUEL: -1,15%
SOJA FUTURO: -0,53%
ALGODÃO FUTURO: -1,17%

INDICES FUTUROS
Dow: -0,43%
S&P: -0,51%
NASDAQ: -0,69%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:

_EUA:
*Depois do pregão: Google Inc.

ATENÇÃO: Dados de desemprego e preço ao produtor americano ditarão os rumos para as bolsas.

HIGHLIGHTS:
_ OGX deverá divulgar relatório de avaliação de recursos nesta sexta-feira.
_ Vale aprova pagamento de 1ª parcela de juros sobre o capital, de R$ 0,61 por ação em 29 de abril.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 13 de abril de 2011

QUARTA-FEIRA13/04/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados de ações na Ásia fecharam em alta. A queda em Wall Street não teve muito impacto, mas o medo de uma crise na cadeia de abastecimento continua depois que o Japão elevou o nível de radiação. Nikkei, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi Composite Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong e Xangai Composite subiram. Entre os outros mercados, Nova Zelândia fechou estável, Straits Times de Singapura, Taiex de Taiwan, Sensex da Índia, KLCI da Malásia, ações das Filipinas subiram. Mercado da Tailândia ficou fechado por conta de feriado. Stocks de energia perderam terreno em meio a uma queda acentuada nos preços do petróleo, após os comentários negativos da Goldman Sachs, informando que não recomenda posições compradas em futuros de petróleo no curto prazo, prevendo uma "queda substancial" para o petróleo bruto Brent, "apesar dos riscos decorrentes da crise política no Oriente Médio e Norte da África, a probabilidade de uma correção é cada vez maior". O declínio acentuado dos preços do petróleo apoiou companhias aéreas da região. Declínios nos preços das commodities metálicas, após recomendação do Goldman Sachs para a realização de lucros também pesou sobre as ações. Na Austrália, BHP Billiton perdeu 0,6%, Sumitomo Metal Mining caíram 2,2% em Tókio, Jiangxi Copper teve queda 1,0% em Hong Kong e em Xangai caiu 2,3%. Apesar do recuo das commodities, o benchmark na Austrália subiu, apoiada nos bancos, frente à liberação de resultados e pagamento de dividendos. Nos mercados de câmbio, o iene enfraqueceu frente ao euro e ao dólar dos EUA. A onda de compras de ienes, com base na aversão ao risco diminuiu em meio à ausência de más notícias.

JAPÃO: A queda do iene ajudou a reforçar as ações japonesas, após a queda de 1,7% na terça-feira, mas sentimento ainda é de cautela e aversão ao risco. Renesas Electronics saltou 9,9%, após a empresa que vai retomar a produção um mês antes do previsto. Os fabricantes de automóveis, que dependem de Renesas que fornece microcontroladores, também foram impulsionados pelo relatório, com a Honda Motor subindo 2,3% e Nissan Motor com alta de 2,2%.
Concessionárias em todo o Japão pode ser obrigado a compartilhar os custos da reparação da usina nuclear de Fukushima Daiichi, de propriedade da Tokyo Electric Power, ou Tepco. Kansai Electric Power caiu 4,0% e Hokkaido Electric Power teve queda de 2,3%, enquanto Tepco subiu 11,8% depois da perda de 10% na terça-feira.

CHINA: Em Hong Kong, a queda nos preços do petróleo bruto, foram positivas para o setor dos transportes, apesar de pesar sobre os produtores de recursos. Foxconn International Holdings foi outro destaque entre as blue chips, subindo 2,1%, na sequência de um relatório do Financial Times que está pensando em investir 12 bilhões de dólares no Brasil.

EUROPA: Maioria das praças da Europa abriram em alta. Stoxx 600 ganharam 0,4%, conduzida por um aumento 5,8% para a Alcatel-Lucent após atualização de equal-weight, para overweight pela Morgan Stanley. As ações da Nokia cai mais de 3%, em Helsinque, após a corretora cortar a fabricante de telefones celulares de equal-weight para underweight. As ações da ASML, que faz sistemas de litografia para a indústria de semicondutores, cai 2,2% em Amsterdã apesar da companhia relatar que o lucro líquido no primeiro trimestre, mais do que triplicou e as vendas quase dobraram. Na Alemanha, o índice DAX 30 sobe, com a ThyssenKrupp subindo até 3,3%, mas Commerzbank caindo 3,5%. Na França, o índice CAC 40 sobe, com ações da Schneider Electric subindo 1,5% após a companhia anunciar que não esta em conversações com a americana Tyco International. O índice FTSE 100 sobe, liderado por ganho de 3,5% para a ARM e um aumento de 2,2% para Essar Energy. As mineradoras também tentam recuperar um pouco das perdas da terça-feira, ajudada pela recuperação nos preços do ouro. As ações da Fresnillo sobem 2,5% após a companhia anunciar que a produção de ouro no primeiro trimestre subiram mais de 13%, embora a produção de prata caíram 2,2%. As ações da Antofagasta e Vedanta Resources sobem cerca de 1,2% cada. A produção industrial na zona do euro subiu 0,4% em fevereiro. Comparado ao mesmo mês do ano passado, a produção cresceu 7,3%. Economistas consultados pela Dow Jones Newswires tinham previsto um aumento de 0,8% mensal e um aumento de 7,9% anual. A Fitch Ratings anunciou o rebaixamento do rating de crédito de longo prazo da Líbia, de BB para B, atribuindo-lhe uma perspectiva estável. "O rebaixamento do rating reflete a instabilidade política extrema, colapso na produção de petróleo e o congelamento dos ativos soberanos externos da Líbia, após a imposição das sanções da ONU".

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_BRASIL: Vencimento de opções sobre os contratos de Ibovespa Futuro negociados na BM&F Bovespa.
_EUA:
9h30 - Retail Sales de março (vendas do mercado varejista, desconsiderando o setor de serviços e o Retail Sales ex-auto ignora as vendas de automóveis;
11h00 - Business Inventories de fevereiro (nível de vendas e de estoques das indústrias, além dos setores de atacado e varejo);
11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano;
15h00 - Livro Bege do Fed (relatório importante sobre o desempenho atual da economia do país).


AGENDA DE AMANHÃ:
CHINA: Gross Domestic Product do 1º Trimestre (PIB da China)e Consumer Price Index - CPI (indicador mensal da inflação ao consumidor); Retail Sales (saldo das vendas no comércio); Industrial Production (números da produção industrial da China); Producer Price Index (índice de preços ao produtor da China).
EUROPA: Relatório Mensal do Banco Central Europeu (BCE) de abril (relatório mensal com análises e dados sobre a atual situação econômica nos países da União Europeia).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Producer Price Index (PPI)de março (o mais importante indicador de inflação dos Estados Unidos); 9h30 - Core Producer Price Index (PPI) de março (o índice é muito acompanhado pelo mercado financeiro, por estar alheio a grandes volatilidades); 9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h15):

ÁSIA
Austrália: +0,25%
Nikkei: +0,90%
Hong Kong: +0,66%
Xangai Composite: +0,88%

EUROPA
London - FTSE: +0,93%
Paris Cac 40: +0,85%
Frankfurt - Dax: +1,13%
Madrid IBEX: +0,48%

COMMODITIES
BRENT: +0,50%
WTI: +0,70%
COBRE: -0,07%
NIQUEL: -0,41%
SOJA FUTURO: +0,38%
ALGODÃO FUTURO: +0,14%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,43%
S&P: +0,63%
NASDAQ: +0,66%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Depois do pregão: Localiza.
_EUA:
*Antes do pregão: A-Power Energy, JP Morgan Chase, Northern Technologies.

ATENÇÃO: Com o vencimento de opções e contratos futuros da BM&F bovespa, a sessão promete muita volatilidade. Nos Estados Unidos, os indicadores mais importantes são as vendas no varejo e o Livro Bege do Federal Reserve.

HIGHLIGHTS:
_ OGX deverá divulgar relatório de avaliação de recursos nesta sexta-feira.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 12 de abril de 2011

TERÇA-FEIRA 12/04/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados acionários da Ásia fecharam em queda nesta terça-feira, com a deteriorização da crise nuclear do Japão à níveis correspondentes ao desastre de Chernobyl. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong e o principal índice de Taiwan caíram, enquanto o Xangai Composite subiu ligeiramente. No resto da região, Straits Times de Singapura, as ações da Malásia, Filipinas, Indonésia, Tailândia, Nova Zelândia caíram. O mercado indiano ficou fechado por conta de feriado. Na Austrália, Alumina caiu 5,2% após a gigante de alumínio Alcoa informar resultados trimestrais decepcionantes na segunda-feira, enquanto a BHP Billiton perdeu 1,4% e Fortescue Metals com queda de 3,1%. Os principais bancos caíram. Em Seul, o mercado seguiu as perdas nos mercados regionais.
O Banco da Coreia manteve a sua taxa de juro estável em 3,00%, como previsto. Novas preocupações em torno da crise nuclear do Japão provocou um onda de venda de moedas com grau de risco, como o dólar australiano. O iene e o franco suíço, visto como execuções porto-seguro, se beneficiaram.

JAPÃO: O Japão elevou o nível de crise nuclear de Fukushima Daiichi, em escala internacional para 7, o mesmo que o desastre de Chernobyl de 1986 e o mercado não gostou da notícia, além de sentir um novo terremoto de magnitude 6,4 que atingiu a região de Honshu e teve o epicentro localizado a apenas 77 km ao sudeste de Tóquio, sendo sentido na capital japonesa, mas ainda não há relatos de vítimas ou danos. Trinta e dois dos 33 subíndices Topix foram menores como a Tepco, detentora da nuclear de Fukushima, com queda de 3,4%. Um iene fortalecido e preocupações sobre a interrupção da produção levaram a maioria dos exportadores para baixo: Toyota Motor perdeu 0,6% e Sony caiu 2,9%.

CHINA: Ações em Hong Kong caíram fortemente, lideradas por estoques de energia, após abrupta queda dos preços do petróleo bruto. O declínio também pesou sobre os produtores de carvão. As ações dos bancos de Hong Kong caíram depois da autoridade monetária da cidade anunciar que vai intensificar a vigilância contra o que descreveu como "crescimento do crédito insustentável".

EUROPA: Mercados europeus abriram em queda. O índice Stoxx Europe 600 cai 1.13% no início do pregão, na sequência de queda na Ásia. O fraco desempenho na Europa também veio após um início decepcionante da temporada de resultados dos EUA: Alcoa que registrou números abaixo das expectativas. Ações de reservas de petróleo e mineração foram duramente atingidas na Europa, com a queda nos preços das commodities. As ações da Total cai 1.81% em Paris e Kazakhmys perde 3.89% em Londres, aliás, as ações das mineradoras são as que registram maiores quedas no Reino Unido e ajudaram a puxar o índice FTSE 100 para baixo. O recuo nos preços do petróleo ajudou empresas de viagens e companhias aéreas. As ações da Air France-KLM sobem em Paris e Ryanair Holdings mantém alta em Dublin. Ainda na Irlanda, as ações do Allied Irish Banks cai 11,2%, depois que o grupo anunciou aumento nas perda em 2010 e que irá cortar cerca de 2.000 empregos em 2011 e 2012. O ISEQ irlandês e o PSI 20 de Portugal opera em queda. As ações do grupo alemão de resseguros Munich Re sobem, após a empresa ser atualizado de equal-weight para overweight pela Morgan Stanley. No entanto, as perdas de estoques de tecnologia e automóveis pesam sobre os principais índice. O DAX 30 cai, liderada por um declínio 2,2% para a Volkswagen e uma queda de 2,9% para a fabricante de chips Infineon Technologies. Na França, a Renault cai 2.95%. O índice CAC 40 opera em queda. Entre outras ações em foco na Europa, as ações da Delta Lloyd cai 7,8% em Amsterdã após a seguradora britânica Aviva anunciar que vai diminuir sua participação no grupo. Banco italiano Banca Monte dei Paschi di Siena sobe 3% após delinear um plano de crescimento e disse espera lucro de mais de € 1,7 bilhão até 2015. A libra esterlina estendeu o declínio em relação ao dólar dos EUA depois que a inflação anual desacelerou para 4% em março, a partir de uma leitura de 4,4% em de fevereiro. Economistas previam que a taxa de inflação anual permaneceria em 4%. Em uma base mensal, os preços ao consumidor subiram 0,3% em março contra as expectativas de um aumento de 0,5%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 – Export Prices (preços de bens exportados, excluindo produtos agrícolas) e o Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo), ambos de março;
9h30 - Trade Balance (balança comercial) de fevereiro (mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país);
15h00 - Treasury Budget (orçamento governamental) de março.

AGENDA DE AMANHÃ:
EUROPA: Industrial Production de fevereiro (números da produção industrial da Zona do Euro).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: ILO Unemployment Rate de fevereiro (taxa de desemprego divulgada pelo National Statistics e um dos principais indicadores da economia britânica); Average Earing Excluding Bonus de fevereiro (níveis de pagamento no curto prazo na economia britânica, excluindo bônus); Claimant Count Rate de março (situação do desemprego no Reino Unido).
BRASIL: Vencimento de opções sobre os contratos de Ibovespa Futuro negociados na BM&F Bovespa.
EUA: 9h30 - Retail Sales de março (vendas do mercado varejista, desconsiderando o setor de serviços e o Retail Sales ex-auto ignora as vendas de automóveis; 11h00 - Business Inventories de fevereiro (nível de vendas e de estoques das indústrias, além dos setores de atacado e varejo); 11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano; 15h00 - Livro Bege do Fed (relatório importante sobre o desempenho atual da economia do país).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h05):

ÁSIA
Austrália: -1,46%
Nikkei: -1,69%
Hong Kong: -1,34%
Xangai Composite: +0,03%

EUROPA
London - FTSE: -0,84%
Paris Cac 40: -1,07%
Frankfurt - Dax: -0,99%
Madrid IBEX: -0,15%

COMMODITIES
BRENT: +1,23%
WTI: +0,90%
COBRE: -0,35%
NIQUEL: -0,68%
SOJA FUTURO: -0,23%
ALGODÃO FUTURO: -0,14%

INDICES FUTUROS
Dow: -0,41%
S&P: -0,49%
NASDAQ: -0,53%

ATENÇÃO: Expectativa de dados econômicos fracos nos EUA, podem afetar negativamente o pregão de hoje e a proximidade de acordo de cessar-fogo na Líbia e a estimativa de queda de crescimento dos EUA e Japão pelo FMI, pode reduzir as cotações de petróleo e prejudicar empresas ligadas à commodity.

HIGHLIGHTS:
_ OGX deverá divulgar relatório de avaliação de recursos nesta sexta-feira.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 11 de abril de 2011

SEGUNDA-FEIRA 11/04/2011

(1) RESUMO: A maioria dos mercados asiáticos fecharam em queda nesta segunda-feira, com S & P / ASX 200 da Austrália em alta diante a especulações envolvendo notícia de que a BHP Billiton estava em negociações para comprar a participação holandesa Shell na Woodside Petroleum, enquanto as ações japonesas foram afetadas por dados mais fracos que o esperado. Nikkei do Japão, Kospi da Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong, Taiex de Taiwan e o índice composto de Xangai fecharam em queda. No resto da região, as ações da Malásia, Straits Times de Singapura e Sensex da Índia caíram. Nova Zelândia, ndonésia e Tailândia subiram. Nos mercados cambiais, o dólar dos EUA vai bem, após legisladores dos EUA chegaram a um acordo sobre o orçamento, mas não deve ter um impacto duradouro, devido uma série de discursos de autoridades do Federal Reserve, onde os investidores estarão atrás de pistas sobre o rumo da política monetária dos EUA .

JAPÃO: Ações japonesas cederam, frente à realização de lucros após a subida de 1,9% do Nikkei na sexta-feira, bem como dados de encomendas de máquinas japonesas que caiu 2,3% em fevereiro, frente a um ganho de 4,2% em janeiro. O resultado, que abrangeu o período antes da catastrofe de 11 de março, ultrapassou a projeção dos economistas, que previam uma queda de 0,9% nas encomendas. O sentimento do mercado não é bom, pois se fevereiro foi ruim, março será ainda mais grave. Sony caiu 2,2% e Sharp perdeu 1,2% com a notícia da suspensão de operações em instalações domésticas. Um novo com magnitude preliminar de 7,1 sacudiu a nordeste do Japão, no aniversário de um mês do tremor de magnitude 9,0 de 11 de março. A Agência Meteorológica do Japão emitiu alerta de tsunami para a região de Ibaraki. A Tokyo Electric Power subiu 20,56%,após anunciar que não houve alteração nos níveis de radiação na sua usina nuclear de Fukushima Daiichi após o último terremoto e que havia retomado o resfriamento dos reatores.

CHINA: Ações em Hong Kong iniciaram a sessão em alta lideradas por papéis de petrolíferas e mineradoras de carvão, seguindo o preço do petróleo bruto. Alguns promotores imobiliários locais tiveram desempenho fracos frente a uma perspectiva de cautela, após o premier Wen Jiabao alertar que o país precisa intensificar a regulação e controle do setor, para tentar conter a alta nos preços, enquanto os crescentes custos de combustível arrastava Cathay Pacific Airways, mas o benchmark Hang Seng, Hang Seng China Enterprises e em Xangai, o Composite fecharam em queda, diante novo terremoto no Japão.

EUROPA: Mercados europeus também sucumbem ao novo terremoto no Japão. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,4%, após ganho de 0,6% na semana passada. Stocks de automóveis registram perdas, após downgrade do setor pelo Credit Suisse. Daimler cai -3.43%. A BMW perde 2.17% e a Volkswagen tem baixa de 2.76%. O índice alemão DAX 30 opera em baixa. A operadora da bolsa Deutsche Boerse sobe até 1,1% após o conselho de administração da NYSE Euronext afirmar no domingo, afirmar seu compromisso de fusão com a bolsa alemã e rejeitou uma oferta de 11,3 bilhões da Nasdaq e Intercontinental Exchange. Autoss também pesam sobre o mercado de Paris, onde a Peugeot e Renault perdem mais de 2%. A fabricante de pneus Michelin cai 1,6%. O índice CAC 40 opera em baixa. Em Londres, os bancos tomaram o centro do palco, com as ações do Barclays PLC subindo 3,7% e Royal Bank of Scotland Group tem alta de 3% após a divulgação do relatório do ICB. A comissão disse que os maiores bancos do país deve ter capital social mínimo de 10% e as operações bancárias de varejo devem ser separados dos braços de investimentos mais arriscados. As ações de mineradoras subem, seguindo a cotação do cobre e prata. As ações da Xstrata e BHP Billiton, adicionam 2%. O índice FTSE 100 opera estável

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

AGENDA DE AMANHÃ:
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: German Consumer Price Index - CPI (mede a evolução dos preços de bens e serviços).
REINO UNIDO: Consumer Price Index - CPI (indicador mensal da inflação ao consumidor britânico), Core CPI (mede a evolução dos preços de bens e serviços, excluindo alimentos e energia), o DCLG HPI (O Department for Communities and Local Government (DCLG) Home Price Index mede a variação no preço de venda das casas) e o RPI - Retail Price Index (mede a evolução dos preços de bens e serviços adquiridos pelos consumidores para fins de consumo. Ela inclui os custos de habitação (O CPI não).
EUA: 9h30 – Export Prices (preços de bens exportados, excluindo produtos agrícolas) e o Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo), ambos de março; 9h30 - Trade Balance (balança comercial) de fevereiro (mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país); 15h00 - Treasury Budget (orçamento governamental) de março.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Austrália: +0,62%
Nikkei: -0,50%
Hong Kong: -0,38%
Xangai Composite: -0,25%

EUROPA
London - FTSE: +0,05%
Paris Cac 40: -0,65%
Frankfurt - Dax: -0,62%
Madrid IBEX: -0,23%

COMMODITIES
BRENT: -1,27%
WTI: -1,14%
COBRE: -0,60%
NIQUEL: -0,40%
SOJA FUTURO: -0,91%
ALGODÃO FUTURO: +0,35%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,28%
S&P: +0,06%
NASDAQ: +0,08%

ATENÇÃO: Sem dados na agenda dos EUA, as atenções ficam por conta da definição do pacote de ajuda a Portugal, que não foi definido durante o final de semana pela União Europeia e nem pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) e espera-se por um montante por volta de € 70 bilhões e € 90 bilhões. Dependendo da cifra, poderá agitar o mercado, visto que valores dentro deste intervalo já está precificado ao longo da última semana.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 8 de abril de 2011

SEXTA-FEIRA 08/04/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados de ações na Ásia fecharam em alta, nesta sexta-feira, após outro terremoto no Japão. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Hang Seng de Hong Kong e Xangai Composite fecharam em alta. Kospi de Coreia do Sul caiu. Entre os outros mercados, Straits Times de Singapura, bolsas da Indonésia e Filipinas subiram; KLCI da Malásia, estável; Taiex de Taiwan, Sensex da Índia, SET Tailândia e NZX 50 da Nova Zelândia caíram. Na Austrália, as ações lideradas por bancos e petrolíferas, garantiram a alta. Nos mercados cambiais, o euro tocou a máxima de 11 meses face ao dólar dos EUA e iene, com a súbita onda de compras em Tóquio impulsionou a moeda única. Os ganhos vieram, apesar de elevar a taxa básica de juro em 0,25 ponto percentual, para 1,25% ao ano, conforme expectativas, enquanto os bancos centrais do Japão e da Inglaterra optaram por manter o juro básico. Várias moedas asiáticas subiram acentuadamente em relação ao dólar, como won coreano avançando e as moedas de Singapura e da Austrália também apresentam ganhos. Traders disseram que a fraqueza do dólar e a ampla retomada do iene reforçou essas moedas.

JAPÃO: Ações em Tóquio fechou surpreendentemente em forte alta, mesmo após após o nordeste do Japão ter sdo sacudido por um terremoto de magnitude 7,1. Foi o maior terremoto desde 11 de março, causando falta de energia generalizada pelo norte, balançando prédios em Tóquio e colocando o país em alerta para a segurança de suas usinas nucleares. Relatórios sugerem dano de pequena monta, tendo epicentro próximo a Sendai. Um aviso de evacuação por tsunami foi acionado, mas cancelado cerca de uma hora depois. A cadeia de vestuário Fast Retailing saltou de 6,7%, após elevar sua projeção de lucro para o ano fiscal que encerra em agosto, anunciando que uma contribuição maior do que o esperado em suas operações no exterior vai ajudar a compensar o impacto negativo do terremoto de 11 de Março. Tohoku Electric Power perdeu 2,1% após o terremoto de ontem obrigar a empresa mudar temporariamente um gerador diesel de emergência para alimentar o sistema de arrefecimento na sua usina nuclear de Aomori . Analistas estavam focados na pesquisa economia de Março, que mostrará um retrato mais completo de sentimento de negócios após o terremoto. A pesquisa é realizada no final de cada mês. Notícias de que embarques de automóveis no Japão foi retomada pela primeira vez desde o terremoto de 11 de março ajudou montadoras de auto a mover para cima. Toyota Motor subiu 1,4%, a Honda adicionou 1,7% e a Mitsubishi Motors teve alta de 3,1%, embora a Mazda perdeu 1,1%. E desta vez sem novos danos relatados na usina nuclear de Fukushima Daiichi após o tremor, a operara Tokyo Electric Power recuperou 20,6%.

CHINA: Ações em Hong Kong subiram, com promotores imobiliários em baixa, diante perspectiva fraca em meio a crescentes taxas de hipoteca, aliada a expectativa do fim do programa de compras de ativos do FED dos EUA e com CNOOC subindo, mas refinarias deslizaram com preços do petróleo bruto-Nymex superando os US $ 110 o barril.

EUROPA: Os mercados europeus abriram em alta na sexta-feira, impulsionadas pela recuperação das ações japonesas durante a noite e aumento nos preços de metais preciosos. O índice Stoxx Europe 600 avança 0,5%, liderada por ações de mineradoras e de seguros. Rio Tinto, Kazakhmys e BHP Billiton, tidas sobem entre 1,5% e 2%. Os preços do ouro subem mais uma vez com o dólar mais fraco e preocupações sobre a inflação levando investidores a buscar refúgio em metais preciosos. Os preços do cobre e prata também avançaram. As ações da mineradora de ouro African Barrick Gold e Randgold Resources e a mineradora de prata Fresnillo também apresentam alta. O britânico FTSE 100 sobe, também lideradas por ações defensivas como a Scottish & Southern Energy e farmacêutica Shire. Em Portugal, o índice PSI-20 sobe 1,2%. Ministros das Finanças da Europa estão reunidos na Hungria para tentar definir o tamanho e os termos do pacote de resgate para Portugal. A empresa de correios holandesa TNT cai quase 8% após o grupo cortar as perspectivas lucro, citando o aumento acentuado do preço do petróleo. Na França, as ações da Lafarge, maior fabricante do mundo de cimento, sube 2%. A Reuters informou que o braço europeu do grupo de gesso tem atraído o interesse de fundos de private equity. O índice CAC 40 e DAX 30 sobem, esta última liderado por ganhos da operadora Deutsche Boerse e pela fabricante de chips Infineon Technologies.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
11h00 - Wholesale Inventories de fevereiro (informações sobre as vendas e os estoques do setor atacadista).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: German WPI (preços de vendas no atacado).
REINO UNIDO: Nationwide Consumer Confidence (nível de confiança do consumidor britânico sobre o momento atual eo futuro da economia local).
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h05):

ÁSIA
Austrália: +0,66%
Nikkei: +1,85%
Hong Kong: +0,47%
Xangai Composite: +0,73%

EUROPA
London - FTSE: +0,81%
Paris Cac 40: +0,85%
Frankfurt - Dax: +0,53%
Madrid IBEX: +0,77%

COMMODITIES
BRENT: +1,27%
WTI: +1,14%
COBRE: +1,59%
NIQUEL: +2,54%
SOJA FUTURO: +0,91%
ALGODÃO FUTURO: +1,61%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,34%
S&P: +0,39%
NASDAQ: +0,24%

ATENÇÃO: Agenda fraca lá fora, faz com que as atenções fiquem por conta das medidas anunciadas pelo ministro Guido Mantega, que divulgou que as operações de crédito para pessoa física passam a ter IOF de 3% ao mês a partir de hoje, a fim de “moderar o consumo”. Vamos ver como o mercado digere mais essa.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader