Veja Também

Veja Também

sexta-feira, 29 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - SEXTA-FEIRA 29/05/2015

ÁSIA: O Shanghai Composite monopolizou os holofotes nesta sexta-feira na Ásia,  depois de um dia agitado, fechando 0,15% menor, com o índice estendendo as perdas para terminar a semana em baixa, enquanto o índice CSI 300 das maiores empresas cotadas em Xangai e Shenzhen avançou 0,14%.

No início do dia, a bolsa de Xangai chegou a cair 4.1%. Na sessão anterior, o Shanghai Composite despencou 6,5%, marcando sua maior perda em um dia desde 19 de janeiro, após notícias que corretoras chinesas estariam apertando as regras para concessão de empréstimos, estimulando temores de que o rali poderia estar chegando ao fim. Os investidores preferiram realizar lucro, frente a muitos IPOs na próxima semana.

A estatal de notícias Xinhua disse que a queda "foi razoável e volatilidade do mercado continua normal." Segundo analistas, o mercado chinês tem subido a um grau assustador e uma das preocupações é que a alta é inteiramente baseado em estímulos monetários e não em fundamentos econômicos. O índice subiu 42,65% no ano e 3,87% neste mês.

Em Hong Kong, o  Hang Seng sucumbiu à pressão vendedora no fechamento e o índice fechou em queda de 0,11% depois de um início de alta.

O índice Nikkei do Japão terminou praticamente estável, após conquistar uma nova alta em 15 anos, com o dólar limitando o avanço da bolsa. O índice de Tóquio cravou uma sequência de 11 sessões consecutivas de alta, a mais longa desde fevereiro de 1988 e fechou o mês de maio com alta de  5,39%.

Os dados do governo divulgados antes da abertura de mercado mostrou que o índice de preços ao consumidor CPI) subiu 0,3% em Abril, ligeiramente acima das previsões de 0,2% de uma pesquisa da Reuters, mas significativamente menor do que o aumento de 2,2% em março, no entanto, as despesas das famílias caiu 1,3% em Abril, decepcionando as expectativas de um aumento de 3,1% de uma pesquisa da Reuters. O iene fechou a 123,90 contra o dólar americano.

S & P ASX 200 da Austrália liderou os ganhos na região e terminou a semana em alta. Analistas atribuem o rali a uma confluência de fatores, tais como um dólar australiano mais fraco e uma tendência de compra no final do mês.

Ações de bancos atraiu ordens de compra depois de várias sessões sem brilho. National Australia Bank subiu 2,6%, enquanto Commonwealth Bank of Australia , Australia and New Zeland Banking e Westpac subiram mais de 1% cada.

No setor de recursos as mineradoras Fortescue Metals e BC Iron encerraram em queda de 0,4 e 7,1%, respectivamente, enquanto BHP subiu 1,3 no dia e 1,1% na semana e Rio Tinto avançou 1% no dia e 2,5% na semana.  O minério de ferro recuou 1,2%, para US $ 62.30 a tonelada.

EUROPA: A maioria das bolsas europeias recuam, devido incerteza se a Grécia será capaz de chegar a um acordo com seus credores internacionais, antes do prazo para  pagamento de suas parcelas em junho.  A Grécia tem agendada um pagamento de 1,5 bilhão de euros (1,6 bilhões dólares americanos) com o Fundo Monetário Internacional em 5 de junho.

O governo grego diz que ainda está com o objetivo de chegar a um acordo no domingo,  mas autoridades europeias desconversam, dizendo que é necessário mais trabalho a ser feito, e que soluções temporárias devem vir no final de Junho.

A diretora gerente do FMI, Christine Lagarde, disse que a saída da Grécia da zona do euro é uma possibilidade, citado em uma reportagem de jornal alemão e acrescentou que tal movimento não significaria o fim do euro.

O Stoxx Europe 600 cai 0,35%, mas a caminho de fechar com uma perda semanal de 1%, mas fechar o mês com um ganho de 2%.

Em Atenas, o Athex Composite recua 0,48%, mas devendo terminar o mês de maio com alta de 0,3%. No mercado de renda fixa, os preços dos títulos gregos subiram, enviando os rendimentos para baixo. O rendimento da dívida de 2 anos recuava 13 pontos base em 22,45%, e o rendimento da dívida de 10 anos caiu 3 pontos base, em 10,82%

A Grécia disse que sua economia encolheu 0,2% no primeiro trimestre, confirmando uma estimativa preliminar no início deste mês. A economia da Dinamarca cresceu 0,4% em relação ao último trimestre, Áustria expandiu 0,1% no mesmo período e dados da República Checa mostrou que o país postou um crescimento de 3,1%.

Enquanto isso, os dados da inflação da Espanha em abril revelou que os preços caíram 0,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O euro sobe 0,1918% em relação ao dólar, sendo comprada a 1,0961 dólares, acima dos 1,0949 dólares na quinta-feira.

Em Londres, o FTSE 100 do Reino Unido opera entre ganhos e perdas, mas segue a caminho de fechar o mês com ganhos de 1%, o que marcará o segundo ganho mensal consecutivo, mas o menor aumento mensal desde maio de 2014. Entre as mineradoras, BHP Billiton sobe 0,47% e Rio Tinto cai 0,35%.

AGENDA DO INVESTIDOR:

EUA:
9h30 - Prelim GDP (Estimativa para o PIB dos EUA);
9h30 - Prelim GDP Price Index (Índice de Preços do PIB);
10h45 - Chicago PMI (mede o nível de atividade industrial na região);
11h00 - Revised UoM Consumer Sentiment (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
11h00 - Michigan Inflation Expectations (mede a porcentagem que os consumidores esperam do preço dos bens e serviços nos próximos 12 meses);

ÍNDICES MUNDIAIS - 8h40:

ÁSIA
Nikkei: +0,06%
Austrália: +1,12%
Shanghai Composite: -0,15%
Hong Kong: -0,11%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,57%
London - FTSE: +0,22%
Paris CAC -0,80%
IBEX 35: -0,20%
FTSE MIB: +0,14%

COMMODITIES
BRENT: +0,48%
WTI: +1,24%
OURO: +0,02%
COBRE: +0,16%
SOJA: 0,00%
ALGODÃO: +0,82%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: -0,07%
SP500: -0,15%
NASDAQ: -0,21%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - QUINTA-FEIRA 28/05/2015

ÁSIA: Mercados da China lideraram as perdas na região, com investidores temerosos com as consequências de mais exigências em relação à financiamento de conta margem. No resto da região, os mercados fecharam sem direção.

O Shanghai Composite fechou com queda de 6,5%, quebrando uma série de oito sessões de alta e marcando sua maior perda em um dia desde 19 de Janeiro, quando o índice mergulhou 7,7%, depois que Pequim endureceu as regras de empréstimos. O CSI 300, índice das maiores empresas listadas em Xangai e Shenzhen caiu 6,7%, enquanto o ChiNext afundou 5,4%.

A notícia de que corretoras chinesas estão apertando as regras para empréstimo parecem ser a principal causa de preocupação entre os investidores. Separadamente, o Shanghai Securities News também informou que os reguladores pediram recentemente aos bancos apresentem dados sobre os fluxos de dinheiro no mercado de ações, de acordo com a Reuters.

Os arquivos da Hong Kong Exchanges & Clearing mostraram que a China Central Huijin vendeu 300 milhões de ações do Industrial and Commercial Bank of China  e 280 milhões de ações da China Construction Bank Corporation. Os pesos pesados ​​financeiros e do setor imobiliário tiveram pesadas perdas; China Construction Bank e Bank of China afundou mais de 5% cada, enquanto Shanghai Shimao e Gemdale perderam 9,5 e 8,9 por cento%, respectivamente.

Enquanto isso, Hang Seng de Hong Kong rastreou seus pares do continente para encerrar 2,2% menor, atingindo uma baixa de duas semanas.

Nikkei do Japão subiu 0,39% e renovou uma nova alta em quinze anos, a 20.551 pontos, estabelecendo a décima sessão consecutiva de alta, com o dólar e o iene atingindo um novo pico de oito anos no comércio asiático. A moeda japonesa atingiu 124,28 e recuou para 123,67 no final do dia. Segundo a Reuters, o índice tem marcado a série de vitórias mais longa desde Fevereiro de 1988.

Como resultado, os exportadores, especialmente montadoras, tiveram um bom impulso. Honda Motor, Toyota Motor e Nissan subiram quase 2% cada, enquanto a Suzuki Motor avançou 0,8%. Sony aparou ganhos iniciais para fechar com alta de 0,2% depois que o chefe da deficitária unidade de telefonia móvel do grupo disse na quarta-feira que cortes de custos pode ser necessário para absorver o aumento acentuado do dólar em relação ao iene. O setor financeiro também ajudou a impulsionar a bolsa; Mizuho Financial subiu 5,9%, enquanto Resona Holdings e Sumitomo Mitsui Financial Group subiram 3,5 e 2,8%, respectivamente.

Frente aos dados interno divulgados antes da abertura de mercado, revelaram que as vendas no varejo aumentaram 5,0% até abril, abaixo das expectativas de um aumento de 5,4%, mas marcando o primeiro aumento do indicador mensal em quatro meses.

S & P ASX 200 da Austrália  terminou em território negativo depois que os dados de gastos de capital no primeiro trimestre ficou abaixo das expectativas, enquanto isso, o dólar australiano caiu para $ 0,7682 em relação ao dólar americano, contra uma baixa de cinco semanas de 0,775 dólares, antes da divulgação dos dados. O setor bancário fechou sem direção, com Commonwealth Bank of Australia e National Australia Bank caindo 0,8 e 0,4%, respectivamente, enquanto ANZ subiu 0,6%.

A maioria das mineradoras avançaram após quinta alta consecutiva dos preços de minério de ferro, para US $ 63.10 a tonelada. Fortescue Metals e Rio Tinto fecharam em alta de 3 e 0,6%, respectivamente, mas BHP Billiton e a sua filial South 32 recuaram 0,5 e 3,1%, respectivamente. Newcrest Mining despencou 5,4%, com o ouro spot próximo de uma baixa de duas semanas, enquanto empresas do setor de energia, como Santos e Origin Energy caíram quase 1% cada.

EUROPA: As bolsas europeias recuam na manhã desta quinta-feira, após subir no pregão de ontem, após os comentários do Primeiro-Ministro da Grécia, Alexis Tsipras, de que  Atenas estava na reta final de um acordo com os credores, no entanto, o vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, negou o boato, dizendo que os dois lados ainda tinham um caminho a percorrer, informou a Reuters. O Ministro das Finanças alemão Wolfgang Schaeuble também fez comentários semelhantes à ARD Television, dizendo que ficou surpreso com o tom otimista dos gregos.

Athex Composite da Grécia recua 1,23%, enquanto as ações da Piraeus Bank avança 0,21% e Alpha Bank adiciona 0,60%. Os preços dos títulos gregos também aumentam, enquanto o rendimento da dívida de 2 anos caiu 47 pontos base, para 22,54%. O rendimento da dívida de 10 anos caiu 6 pontos em 10,96%.

O euro sobe 0,3026% em relação ao dólar, em 1,0939 dólares, comparado com 1,0905 dólares na quarta-feira em Nova York. O ganho do euro sugere que o mercado está confiante de que um acordo será atingido em breve, apesar da negativa da Comissão Europeia.

Os investidores também avaliam os comentários feitos pelo membro do Conselho do Banco Central Europeu, Ewald Nowotny, à CNBC de que o banco central terá de ser "muito cuidadoso" com o desenrolar de seu programa de flexibilização quantitativa. Em março, o BCE  lançou um programa de compra de títulos € 1100000000000, até setembro de 2016.

Em Londres, o FTSE 100 do Reino Unido opera com volatilidade após uma alta de quase três semanas de alta, pesada por mineradoras, mas os ganhos de alguns varejistas ajuda a amortecer a queda no índice de referência. Anglo American cai 1,73%, enquanto BHP Billiton e Rio Tinto perdem 0,70% cada.  Kingfisher sobe 3,24%. após a varejista relatar um aumento de 0,8% no primeiro trimestre nas vendas de suas lojas.

O PIB do Reino Unido subiu 0,3% no primeiro trimestre de 2015, a uma taxa anualizada de 1,2%, abaixo das expectativas pela maioria dos economistas, confirmando que a economia abrandou no primeiro trimestre do ano e o Banco da Inglaterra espera que as revisões finais mostrem que a economia avance 0,5% no primeiro trimestre e que o crescimento vai acelerar no segundo.

AGENDA DO INVESTIDOR:

EUA:
9h30 - Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
11h00 - Pending Home Sales (mostra contratos assinados de venda de imóveis usados nos Estados Unidos, porém ainda sem conclusão do negócio);
12h00 - Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h10:

ÁSIA
Nikkei: +0,39%
Austrália: -0,21%
Shanghai Composite: -6,50%
Hong Kong: -2,23%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,45%
London - FTSE: +0,09%
Paris CAC -0,61%
IBEX 35: -0,04%
FTSE MIB: -0,27%

COMMODITIES
BRENT: +0,32%
WTI: +0,16%
OURO: +0,04%
COBRE: +0,05%
SOJA: +0,32%
ALGODÃO: +0,56%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: -0,13%
SP500: -0,11%
NASDAQ: -0,15%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - QUARTA-FEIRA 27/05/2015

ÁSIA: Os mercados de Xangai e Japão continuam a renovar novas altas de vários anos nesta quarta-feira, enquanto outras bolsas da região recuaram na sequência de um tropeço impressionante de Wall Street, em meio a uma força do dólar americano e alguns dados otimista que poderia reforçar o aumento da taxa de juros mais rápido do que o esperado.

Nikkei do Japão estendeu os ganhos pela nona sessão consecutiva e renovar nova alta em 15 anos em 20.472 pontos, com a relação dólar-iene fechar perto do nível mais alto desde julho de 2007. Exportadores lideraram os ganhos, graças a uma moeda mais fraca, Canon e Toyota Motor subiu 1,6 e 0,5%, respectivamente, mas Sony recuou 2%. Papeis relacionados com petróleo registram quedas, na sequência do recuo da commodity durante a noite; Inpex recuou 1,1%, enquanto Showa Shell fechou em baixa de 0,3%.

A minuta da última reunião do Banco do Japão revelou que os membros do conselho continuam preocupados com a meta de inflação de 2% do banco central, embora esperem que o consumo privado permaneça resiliente com a melhora dos rendimentos.

Depois de oscilar entre ganhos e perdas no início do dia, o Shanghai Composite da China fechou em alta de 0,63%, depois de dados mostrarem que lucros do setor industrial do país tiveram a primeira alta anual desde setembro passado .

A bolsa de Xangai tem visto ganhos robustos com notícias positivas, tais como o lançamento de um fundo mútuo com Hong Kong, juntamente com a inauguração de mais de 1.000 projetos de infra estrutura no valor de 318.000 milhões dólares americanos. No acumulado do ano, o índice subiu 50,95%. No entanto, uma enorme quantidade de ofertas públicas iniciais (IPOs) acontece ainda em Maio, aumentando o apetite por riscos.

Em Hong Kong, Galaxy Entertainment , que vai lançar dois novos projetos de resorts em Macau recuou 1%. O Hang Seng recuou  0,60%.

S & P ASX 200 da Austrália recuou 0,83%, em meio a um sell-off entre os seus principais ​​nos setores de commodities e bancários, que terminou com uma série de quatro dias de alta.

Empresas relacionadas com  ouro e energia recuaram, na sequência do recuo nos preços das commodities. Alacer Gold e Newcrest Mining fecharam em baixa de 0,7 e 0,3%, respectivamente, após o ouro spot fechar perto de uma mínima de duas semanas no comércio asiático. Entre os produtores de energia, Liquefied Natural Gas e Oil Search despencaram 8,1 e 2,6%, respectivamente.

Fortescue Metals permanece no centro das atenções na sequência de um relatório da Australian Financial Review na terça-feira, dizendo que a mineradora de minério de ferro manteve negociações para obter investimentos de empresas chinesas. As ações da quarta maior produtora de minério de ferro do mundo recuou 2,08 %, depois de subir 10,6% na sessão anterior. Grandes mineradoras com BHP Billiton e Rio Tinto recuaram 1,6 e 1,7% cada, apesar do minério de ferro saltar 2,6%, para US $ 62.78 a tonelada..

EUROPA: As bolsas europeias avançam, recuperando das perdas registados na sessão anterior, com preocupações com a deterioração da situação financeira da Grécia.

O Stoxx Europe 600 sobe 0,54%, com todos os setores avançando. O índice de referência caiu 0,7% na terça-feira, com o dólar se recuperando em meio à especulação da elevação da taxas de juros, afetando mercados das commodities.

No Reino Unido o FTSE 100 avança, após encerrar em queda no terça-feira, quando registrou sua primeira queda em seis sessões. Imperial Tobacco sobe 2,10%, depois que um regulador dos EUA disse que a Reynolds American e Lorillard devem vender quatro marcas de cigarros da Imperial.

International Consolidated Airlines sobe 1,47% depois que o governo irlandês deu aval na terça-feira ao seu plano compra da transportadora Aer Lingus. O conselho da Aer Lingus disse que apoia o plano e espera a aprovação dos acionistas. IAG é a empresa controladora da British Airways. No lado negativo, as ações do Weir Group recua 1,15%, após um rebaixamento do ratings da empresa  de engenharia de energia de comprar para manter pelo Deutsche Bank. Entre as mineradoras, BHP Billiton recua 0,07%, Rio Tinto avança 0,17% e Anglo American cai 0,07%.

A Rainha Elizabeth vai abrir o parlamento do país e irá definir os planos do governo para um referendo sobre a adesão da União Europeia (UE).

Entre outras manchetes, seis altos funcionários da FIFA foram presos sob acusações de corrupção, como parte de uma investigação dos EUA. De acordo com o NY Times, um dos acusados investigados pelo FBI, líder da operação, é o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin.

AGENDA DO INVESTIDOR:

EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores importantes.

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h20:

ÁSIA
Nikkei: +0,17%
Austrália: -0,83%
Shanghai Composite: +0,63%
Hong Kong: -0,60%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,08%
London - FTSE: +0,53%
Paris CAC +0,45%
IBEX 35: +0,71%
FTSE MIB: +0,96%

COMMODITIES
BRENT: -0,00%
WTI: -0,07%
OURO: -1,01%
COBRE: -0,15%
SOJA: +0,35%
ALGODÃO: +0,38%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,04%
SP500: +0,03%
NASDAQ: +0,07%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

terça-feira, 26 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - TERÇA-FEIRA 26/05/2015

ÁSIA: As principais bolsas da Ásia subiram nesta terça-feira, com os mercados na China e Japão conquistando novas altas, com muitos mercados retornando de feriados, como em Wall Street, Hong Kong, Reino Unido e Alemanha.

Na China, o Shanghai Composite subiu 2,02%, registrando nova alta em sete anos, enquanto Hang Seng de Hong Kong subiu 0,92%, conquistando nova alta de três semanas, enquanto o índice CSI300, que compreende as maiores empresas listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 1,95% e o ChiNext subiu quase 3%.

Entre as ações mais negociadas em Xangai, China Shipbuilding Industry disparou 10%, Baotou Steel e China State Construction & Engineering  adicionaram 0,6 e 0,8%, respectivamente, enquanto na ilha, Hong Kong Exchanges and Clearing saltou mais de 5%, para níveis recordes, depois da notícia de que Pequim lançará um fundo mútuo com Hong Kong. Anunciado no fim de semana, o esquema permitirá que os fundos domiciliados em Hong Kong e China sejam vendidos em ambos mercados a partir de 1º de julho, de acordo com a Reuters.

O governo também anunciou mais de 1000 projetos de infraestrutura no valor de 318.000 milhões dólares americanos e um corte nas taxas de importação de cosméticos, sapatos e roupas em 50%, em média.

Nikkei do Japão subiu 0,12%, oitava sessão consecutiva para terminar em uma nova alta em 15 anos, em 20.437,48 pontos. Toshiba permanece no centro das atenções depois que um jornal informou que o conglomerado industrial não pagará dividendos final do ano fiscal até março devido atraso em seu relatório de ganhos para o ano, devido resultado de uma investigação de contabilidade. Suas ações recuperaram ligeiramente das perdas anteriores para fechar em alta de 0,2%.

Em outras notícias corporativas, Suntory Beverage & Food anunciou que vai comprar o negócio de máquinas de vendas da Japan Tobacco  por cerca de 150 bilhões de ienes. Mitsubishi Heavy Industries recuou 0,5%, com a notícia de que a empresa industrial esta planejando ter uma participação em uma joint venture, chamada Japão Tunnel Systems, criado pela IHI e JFE Engineering.

S & P ASX 200 da Austrália subiu 0,91%, em uma alta de quase três semanas. Analistas atribuem o rali  à alta no mercado de ações da China, bem como avanço do setor bancário e de mineração.

Um relatório da Australian Financial Review publicou matéria afirmando que empresas chinesas não identificadas estariam interessadas em comprar uma participação na mineradora Fortescue Metals cujas ações dispararam 10,6%. Segundo a publicação, a quarta maior produtora de minério de ferro do mundo também estaria conversando, em uma outra frente, com a Baosteel Group e o Citic sobre um possível plano de recapitalização.

O preço do minério de ferro saltou para US $ 61,18 a tonelada. As gigantes BHP Billiton adicionou 0,6% e Rio Tinto avançou 0,2%.
.
EUROPA: As bolsas europeias abriram em alta e recuam nesta terça-feira, com os investidores retornando de um feriado e avaliando os desenvolvimentos financeiros e políticos na Grécia e na Espanha.

O euro cai 0,6468% para $ 1,0896, ante 1,0978 dólares na sexta-feira em Nova York. O euro perdeu o nível de 1,09 dólar depois que o ministro do Interior da Grécia disse que Atenas não tem dinheiro suficiente para fazer o pagamento da parcela de junho para o Fundo Monetário Internacional. As negociações estão paralisadas com seus credores internacionais e os principais pontos das diferenças são as pensões e impostos sobre vendas.

O país precisa de ajuda urgente para pagar o empréstimo devido na próxima semana para o Fundo Monetário Internacional e para pagar salários e pensões. O primeiro-ministro da Grécia Alexis Tsipras disse está enfrentando dissidência dentro de seu partido de esquerda Syriza em relação às políticas econômicas, pois a Grécia pode ter que concordar  com seus credores, se quiserem dinheiro para o resgate do FMI e outros credores. Athex Composite da Grécia sobe 1,71%.

Na Espanha, o partido esquerdista Podemos (nós podemos) e Ciudadanos (cidadãos) de centro-direita venceram as eleições regionais e municipais no domingo, em cidades importantes como Barcelona e Madrid. O índice espanhol IBEX 35 sobe.

Ainda pesa sobre a moeda comum o comentários da Presidente do Federal Reserve Janet Yellen na sexta-feira, que mesmo com uma série de dados econômicos fracos, ainda espera que o banco central eleve as taxas de juros neste ano.

O Stoxx Europe 600 oscila entre ganhos e perdas e recua 0,09%. Ações de energia SXEP cai 0,49%, com os preços do petróleo recuando 0,62%.

Em Londres, o FTSE 100 do Reino Unido recua, com índice de referência a caminho de quebrar a sua série de alta mais longa em dois meses. Um declínio no índice na terça-feira marcaria primeira perda do índice em seis sessões.

O grupo de serviços básicos oscilam entre altas e baixas. Rio Tinto sobe 0.79%, BHP Billiton adiciona 0,19%, mas Randgold Resources cai 1.34%.

Companhias aéreas também avançam.  Easyjet PLC adiciona 0.39%, depois que Ryanair Holdings divulgou resultados financeiros robustos. Suas ações avançam 5,31%.

AGENDA DO INVESTIDOR:

EUA:
9h30 - Durable Goods Orders e Core Durable Goods Orders (números mensais de pedidos de bens duráveis para a indústria nos Estados Unidos, além de destacar o indicador se excluídos as encomendas no setor de transportes);
10h00 - S&P/CS Composite-20 HPI (examina as mudanças no valor (preço de venda) do mercado imobiliário em 20 regiões nos EUA no ano anterior. Este relatório ajuda a analisar a força do mercado imobiliário dos EUA, o que contribui para a análise da economia como um todo);
10h45 - Flash Services PMI (estimativa inicial do Índice PMI, fornecendo indicadores precedentes para dados finais do PMI de Serviços. São um dos primeiros indicadores econômicos de cada mês, fornecendo evidências de mudanças nas condições econômicas.
11h00 - CB Consumer Confidence (mede o nível de confiança dos consumidores na atividade econômica. É um indicador importante, pois pode prever os gastos do consumidor, que é uma parte importante da atividade econômica);
11h00 - New Home Sales (número de casas novas com compromisso de venda);
11h00 - Richmond Manufacturing Index (consiste numa pesquisa com cerca de 100 fabricantes, determinando a saúde econômica do setor manufatureiro no distrito de Richmond. Qualquer leitura acima de 0 indica melhoria das condições do setor, enquanto uma leitura abaixo de 0 indica agravamento das condições);
13h30 - Discurso do membro do FOMC e Presidente do FED de Dallas, Richard Fisher;
21h10 - Discurso do presidente do Fed de Richmond, Jeffrey Lacker;


ÍNDICES MUNDIAIS - 7h30:

ÁSIA
Nikkei: +0,12%
Austrália: +0,91%
Shanghai Composite: +2,02%
Hong Kong: +0,92%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,56%
London - FTSE: -0,42%
Paris CAC +0,13%
IBEX 35: -0,27%
FTSE MIB: +0,58%

COMMODITIES
BRENT: -0,46%
WTI: -0,73%
OURO: -1,01%
COBRE: -0,52%
SOJA: +0,24%
ALGODÃO: +0,25%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: -0,23%
SP500: -0,28%
NASDAQ: -0,39%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - SEGUNDA-FEIRA 25/05/2015

ÁSIA: Os mercados de Tóquio e Xangai marcaram novos recordes, com os investidores reagindo a um dólar mais forte e notícias de novos projetos de infraestrutura na China, mas o potencial risco da saída da Grécia da zona do euro continua, principalmente após o ministro do Interior do país, Nikos Voutsis, ameaçar no domingo a dar calote nos pagamentos das parcelas devidos ao Fundo Monetário Internacional.

Na China, o Shanghai Composite subiu 3,35%, pelo quinto dia consecutivo de alta e terminou em seu nível mais alto desde Janeiro de 2008, liderada por empresas de infraestrutura e transporte depois que a agência estatal de planejamento do país anunciou uma lista de propostas com mais de 1.000 projetos para que investidores privados possam ajudar a financiar e construir. China Railway Construction e China Railway Group subiram 8,2 e 7,7%, respectivamente, enquanto China Shipbuilding Industry Company (CSIC) saltou até o limite diário de 10 por cento. Ações do setor financeiro também estavam entre as ações mais negociadas. Banco Agrícola da China fechou em alta de 2,9%, China Construction Bank , Bank of Communications e Bank of China avançaram quase 2% cada.

O Ministério das Finanças da China disse que vai cortar tarifas de importação sobre cosméticos, sapatos e roupas em 50% em média, como parte de um plano para aumentar o consumo interno e sustentar o crescimento econômico.

Um terremoto com magnitude de 5,6 sacudiu Tóquio  e áreas vizinhas, com o epicentro em  Ibaraki, mas nenhum alerta de tsunami foi emitido. Houve relatos de danos e feridos e também de anormalidades em algumas instalações nucleares. O índice Nikkei sofreu volatilidade antes de retomar uma trajetória ascendente e fechar com alta de 0,74%, avançando pelo sétimo dia consecutivo, para terminar em seu nível mais alto desde junho de 2000 graças a um iene mais fraco. A moeda japonesa foi negociado a 121,60 contra o dólar, seu nível mais fraco em quase dois meses.

Exportadores foram destaques, com exceção de Canon e Toshiba, que recuaram. O último disse na sexta-feira que iria estender as investigações contábeis em seus negócios de chip, TV, computador, além de anunciar a retirada do mercado de televisão e eletrodomésticos em Cingapura até o final de maio devido à forte concorrência. Tokyo Electric Power Co. e Mitsubishi dispararam 6,7 e 1,5%, respectivamente, após ambas as empresas ganharem o direito de construir uma usina de 2,4 gigawatt no Qatar.

Na frente de dados interno, as exportações em abril subiram 8,0% ante o ano anterior, superando as expectativas de um aumento de 6,4%, no entanto as importações caíram 4,2% em termos homólogos, em comparação com as expectativas de um declínio de 1,5%, resultando em um déficit comercial de 53,4 bilhões de ienes (439,3 milhões dólares), em comparação com uma estimativa de ¥ 318,9 bilhões.

S & P ASX da Austrália subiu 1% e terminou em uma alta de uma semana, com o salto de 3,5% nos preços do minério de ferro, em US $ 59.96 a tonelada, gerando demanda para os players de mineração. Rio Tinto e BHP Billiton ganharam 1,55 e 0,79%, respectivamente, enquanto os rivais Fortescue Metals e BC Iron avançaram mais de 2% cada. Bancos reverteram uma abertura em baixa. Commonwealth Bank of Australia e Westpac avançaram mais de 1% cada.

As bolsas em Hong Kong e Coreia do Sul ficaram fechados por conta de feriados.
.
EUROPA: Em um dia que muitas das bolsas europeias estão fecharam, junto com Wall Street, os mercados da Espanha e da Grécia recuam nesta segunda-feira após as eleições regionais e sinais de uma  piora na crise da dívida.

O IBEX 35  da Espanha cai 1,90% em Madrid na segunda-feira, enquanto Athex Composite da Grécia recua 1,27%. Em sintonia com essas perdas, o FTSE MIB Itália cai 1,76%, enquanto o índice PSI 20 Portugal perde 1,14% e o CAC 40 da França recua 0.71%.  Os bancos recuam. Banco Popular Español cai 4,4%, Alpha Bank da Grécia perde 2,55%, enquanto o UniCredit da Itália tomba 2,94%.

O euro também está sob a pressão em relação ao dólar, caindo para $ 1,0975 contra 1,1005 dólares no final das negociações de Nova York na sexta-feira. O dólar registrou seu primeiro ganho semanal face ao euro em cinco semanas na sexta-feira.

Nas eleições regionais e municipais no domingo na Espanha, o Partido Popular do primeiro-ministro Mariano Rajoy foi severamente punido, depois de quatro anos de cortes de gastos e uma série de escândalos de corrupção. O PP sofreu seu pior resultado em 20 anos em cidades importantes como em Barcelona e Madrid. Na região Catalunha, a vitória foi do ativista Ada Colau, que fundou um grupo de defesa que tenta bloquear despejos de pessoas que não podem pagar suas hipotecas. Ela é, possivelmente, o primeiro de uma nova geração do chamado "Indignados", ou manifestantes, que venceu a eleição para um importante cargo público. Colau vencer o candidato da Convergência e União, um partido conservador que há muito tempo dominam a região.

No domingo, o ministro do Interior do país, Nikos Voutsis, disse na tv que o seu país não será capaz de atender o pagamento de € 1540000000 devido ao Fundo Monetário Internacional em 5 e 19 de junho. O primeiro-ministro grego Tsipras e presidente do Eurogrupo Jeroen Dijsselbloem devem falar no parlamento da UE na quinta-feira.

Entre notícias corporativas, a fabricante de aço Arcelormittal sobe mais de 1% depois que a empresa assinou um acordo com a Autoridade da Índia para a criação de uma unidade de fabricação de aço automotivo.

Grupo Louis Vuitton e a gigante de cosméticos L'oreal avançam  após a China decidiu cortar tarifas de importação de bens de consumo, incluindo cosméticos e roupas a partir do próximo mês, o que poderia dar um impulso ao consumo interno no país.

Mercados de Londres e Alemanha estão fechados por um feriado, enquanto Wall Street estará fechado para as comemorações do feriado do Memorial Day.

AGENDA DO INVESTIDOR:

EUA: Mercados dos EUA permanecem fechados por conta do Feriado do Memorial Day.
12h00 - Discurso do membro do FOMC e Presidente do FED de Dallas, Richard Fisher

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h30:

ÁSIA
Nikkei: +0,74%
Austrália: +1,00%
Shanghai Composite: +3,35%
Hong Kong: ---%

EUROPA
Frankfurt - Dax: ---%
London - FTSE: ---%
Paris CAC -0,69%
IBEX 35: -2,15%
FTSE MIB: -1,92%

COMMODITIES
BRENT: ---%
WTI: -0,93%
OURO: -0,14%
COBRE: ---%
SOJA: ---%
ALGODÃO: -0,66%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: ---%
SP500: ---%
NASDAQ: ---%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - SEXTA-FEIRA 22/05/2015

ÁSIA: As bolsas da China e Japão tomaram o centro das atenções na Ásia nesta sexta-feira, renovando suas maximas, após as bolsas dos EUA terminarem modestamente mais alto, com S & P 500 atingindo um recorde de alta, postando seu 10º recorde de alta no ano, em meio a dados econômicos mistos e com sinal de que as taxas de juros devem ficar em patamares mínimos por mais tempo.

O índice de referência da China subiu 2,83%, batendo um novo recorde de sete anos. Na semana, o Shanghai Composite saltou 2,8 %, marcando o maior ganho semanal desde dezembro, de acordo com a Reuters. Financeiras, seguradoras e corretoras liderou os ganhos; Banco Agrícola da China fechou em alta de 3%, enquanto o Bank of China e China Construction Bank subiram 2,7% cada. Haitong Securities e Citic Securities avançaram 3,4 e 2,5%, respectivamente, enquanto Ping An Insurance adicionou 3.4%.

Enquanto isso, Hang Seng de Hong Kong, subiu 1,70%, afastando da lentidão do início da semana, atingindo uma alta de mais de duas semanas. Goldin Financial Holdings e Goldin Propriedades Holdings foram destaques depois de cair quase 50% na sessão anterior, em seus níveis mais baixos desde 17 de Março e 20 de Abril, respectivamente.  Lenovo Group despencou 5%o, amargando resultados ruins, após seu balanço ser divulgado na quinta-feira. Li & Fung também perdeu 2,1% com a notícia de que o Wal-Mart vai retomar a maior parte do negócio terceirizado.

No Japão, o Nikkei subiu  0,30% e atingiu seu nível mais alto desde abril de 2000, estendendo ganhos pelo sexto dia consecutivo. Na semana, o índice subiu 2,7%. A bolsa de Tóquio havia aberto no vermelho no início do dia, com os investidores aguardavam a decisão do BOJ, que manteve o seu estímulo monetário expansionista. O banco central manteve a política inalterada, mas cortou as suas previsões do crescimento econômico e da inflação. O iene avançou para 120,81 contra o dólar americano, em comparação com 120,9 antes do comunicado à imprensa.

Exportadores e bancos foram os destaques. Toyota Motor fechou em queda de 0,91%, enquanto Canon e Nintendo caíram mais de 1% cada. Mitsubishi UFJ Financial Group lideraram as perdas no setor bancário com queda de 0,8%.

Na Austrália, o S & P ASX 200 iniciou o pregão com alta, mas devolveu os ganhos e terminou em território neutro, pesada por ações do setor bancário e as principais mineradoras.

ANZ Banking, Commonwealth Bank of Australia e National Australia Bank recuaram 0,5 % cada, enquanto Westpac perdeu 0,3%. BHP Billiton avançou 0,03%, Rio Tinto e Fortescue Metals derramou 0,25 e 0,50%, respectivamente, apesar das notícias que o governo australiano não vai continuar com o inquérito no setor do minério de ferro, depois que  a China anunciou que vai investir nos novos super navios de minério de ferro da Vale, em um movimento que vai expandir dramaticamente a oferta da mineradora brasileira. O minério de ferro subiu 1,4%, para US $ 57.91 por tonelada.

Felizmente, um aumento de 3% durante a noite nos preços do petróleo trouxe alegria para o setor de petróleo e gás; Oil Search, Santos e Woodside Petroleum subiram mais de 2% cada.

Na semana, todas as grandes mineradoras registraram perdas. BHP Billiton caiu 3,7%, Rio Tinto perdeu 2,3%, enquanto Fortescue Metals Group mergulhou outros 7,9%em meio a uma queda no preço da mercadoria na semana.

EUROPA: As bolsas europeias recuam ligeiramente, com os investidores se mantendo atentos com as negociações entre a Grécia e seus credores, bem com os dados de confiança mais recentes da Alemanha.

O Stoxx Europe 600 recua 0,16%, a caminho de quebrar uma série de quatro dias de alta, mas segue a caminho de um avanço semanal de 2,7%, o que seria o melhor desempenho semanal desde 10 de abril, depois que o membro do conselho executivo do Banco Central Europeu, Benoît Coeuré, disse na terça-feira que o banco vai intensificar as suas compras de títulos antes da  esperada calmaria do verão.

O euro é negociado a US $ 1,1181, acima dos 1,1113 dólares da quinta-feira em Nova York.

Preocupações com a Grécia permanece nas manchetes desta sexta-feira. Os líderes europeus reúnem-se no segundo dia em Riga. Após reunião de ontem à noite entre primeiro-ministro grego Alexis Tsipras, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês, François Hollande, um porta-voz do governo grego, Gabriel Sakellaridis, disse que um acordo de reforma para liberar a próxima parcela do dinheiro do resgate deverá ser alcançado dentro dos próximo 10 dias, o que daria tempo para Atenas realizar o pagamento € 300 milhões para o Fundo Monetário Internacional em 5 de junho.

A Grécia corre o risco de ficar sem dinheiro nas próximas semanas, a menos que recebe os fundos necessários, que estão sendo retidos até que o governo e os credores internacionais cheguem a um acordo com uma série de revisões econômicas, mas nenhum avanço é esperado na reunião da UE desta sexta-feira e economistas temem que o acordo ainda possa estar longe. Athex Composite da Grécia opera estável.

O FTSE 100 do Reino Unido avança a caminho da quinta alta consecutiva, para um ganho semanal de 1,2%, na sequência da perda da semana passada. Vodafone sobe 3,98% liderando  a alta no FTSE 100. A companhia de serviços móveis já saltou mais de 10% desde quarta-feira depois que um relatório da Bloomberg citou que o Presidente da Liberty Global, John Malone, disse que a Vodafone seria um "grande ajuste" para as operações de sua empresa a cabo na Europa Ocidental.

Entre as mineradoras, BHP Billiton sobe 2,10% e Rio Tinto avança 1,50% em Londres.

EUA: Futuros de ações dos EUA mostram pouca mudança com os investidores esperando o discurso da presidente da Reserva Federal Janet Yellen e um relatório sobre os preços ao consumidor antes do fim de semana prolongado. Será comemorado no dia 25 (segunda-feira) o Memorial Day.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - CPI (Consumer Price Index) (índice de preços ao consumidor considerando uma cesta fixa de bens e serviços) e o Core CPI (mede os preços ao consumidor, considerando a mesma cesta com exceção dos custos relativos à alimentação e energia);
14h00 - Discurso da Presidente do FED Janet Yellen;

ÍNDICES MUNDIAIS - 8h50:

ÁSIA
Nikkei: +0,30%
Austrália: +0,04%
Shanghai Composite: +2,83%
Hong Kong: +1,70%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,55%
London - FTSE: +0,51%
Paris CAC -0,24%
IBEX 35: -0,44%
FTSE MIB: -0,01%

COMMODITIES
BRENT: -1,20%
WTI: -0,87%
OURO: +0,51%
COBRE: -0,89%
SOJA: +0,40%
ALGODÃO: +0,09%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,05%
SP500: +0,02%
NASDAQ: +0,07%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - QUINTA-FEIRA 21/05/2015

ÁSIA: Mercados da China lideraram os ganhos regionais, com os investidores apostando em mais estímulo econômico após uma leitura preliminar de atividade industrial maciça do país ficar abaixo das expectativas.

O Índice flash PMI do HSBC da China ficou em 49,1, indicando que o setor manufatureiro em maio contraiu pelo terceiro mês consecutivo. A leitura foi mais fraca do que a previsão de 49,3 da Reuters, mas melhor do que os 48,9 do final em março.

O Shanghai Composite fechou em alta de quase 2%, seu nível mais alto desde 28 de abril, após a divulgação do índice PMI. Segundo analistas, a leitura sugere que ainda não está havendo pressão inflacionária na economia chinesa, pois a demanda ainda é muito fraca e a produção está baixa, o que significa que ainda pode haver mais medidas de estímulos por parte de Pequim. Empresas farmacêuticas e companhias aéreas lideraram os ganhos. Kangmei Pharmaceutical subiu até a máxima diária  permitida de 10% e Guangzhou Pharmaceutical Baiyunshan saltou 3,7%. Air China subiu 3,1%, enquanto China Southern Airlines e China Eastern Airlines avançaram 2 e 1%, respectivamente.

Enquanto isso, BYD que tem ações listadas em Shenzhen disparou até o limite diário de 10%, depois do anúncio do "Made in China 2025", plano do governo central de 10 anos que destina-se a dar à China uma liderança em inovação, desenvolvimento sustentável e produtos de qualidade frente a outras potências como a Alemanha.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,07%, com Goldin Financial Holdings no foco após despencar 44,25%. Analistas dizem que o súbito colapso e a interrupção das negociações da empresa de energia solar Hanergy Thin Film Power Group na sessão anterior poderia ter sido a causa. Enquanto isso, a Lenovo Group , disse que seu lucro líquido anual subiu 1%, para 829 milhões dólares, abaixo das expectativas dos analistas, enquanto as ações da fabricante líder mundial de PCs subiu 1,7% depois de recuar breve no terreno negativo durante o pregão.

O índice de preços ao consumidor de Hong Kong subiu 2,8% em abril ante o ano anterior, devido aumento menor no custo de alimentos básicos. A ascensão de abril foi inferior ao aumento de 4,5% de março e abaixo da expectativa de 4,3% previsto por economistas em uma pesquisa do Wall Street Journal. O governo de Hong Kong disse em sua previsão mais recente que espera uma inflação global de 3,2% neste ano, ante uma queda de 4,4% em 2014.

Depois de renovar a alta de 15 anos no início do dia, o Nikkei do Japão recuou e fechou estável. A bolsa de Tóquio atingiu os 20.320 pontos no intraday com um iene fraco e números otimistas do PIB do primeiro trimestre divulgados na quarta-feira impulsionando sentimento do investidor. Enquanto isso, o Banco do Japão começa sua reunião de política de dois dias na quinta-feira.

Destaque para a Panasonic que fechou em alta de 2,3% em seu nível mais alto desde outubro de 2008, depois de anunciar que aumentará o seu investimento na indústria automotiva. Após o anúncio, Nomura Securities elevou o rating de "neutro" para "comprar".

Depois de cair três dias, as ações australianas recuperaram fortemente, com caçadores de pechinchas em busca de ações espancadas. A moeda australiana mais fraca frente ao dólar americano fez os papeis ficarem mais atraentes e ajudou o S & P ASX 200 a se afastar da pressão de queda das commodities e terminar em alta de 0,93%, depois que a ata do Fed descartar a possibilidade de aumento da taxa de juros em junho.

As mineradoras desafiaram a queda de 2,4% do preço do minério de ferro durante a noite para US $ 57.12 a tonelada  e avançaram; Fortescue Metals fechou em alta de 2,4 % depois de sofrer fortes perdas recentemente, enquanto Rio Tinto e BHP Billiton subiram mais de 1% cada. Produtores de energia Oil Search e Woodside Petroleum subiram 1,8 e 1,6%, respectivamente. Dentro do setor financeiro, Commonwealth Bank of Australia, ANZ Banking e Westpac Banking recuperaram mais de 1% cada, enquanto National Australia Bank teve uma queda de 0,5%.

EUROPA: As bolsas europeias recuam nos primeiros movimentos da sessão desta quinta-feira, com os investidores digerido dados mistos da zona do euro e expectativa com a ata da reunião do BCE de abril. O Stoxx 600 recua 0,06%, com papeis relacionados com bens de consumo, setor financeiro e industriais entre aqueles que perdem terreno, mas setor de energia e recursos lideram as altas.

O saldo da conta corrente da zona do euro, registou um excedente de 18,6 bilhões de euros (20.680 milhões dólares) em março, ante EUR27.3 bilhões em fevereiro.

O DAX 30 da Alemanha recua depois que o PMI flash da atividade manufatureira  e de serviços (PMI composto) de maio do país cair para uma baixa de cinco meses, em 52,8, enquanto o índice PMI de fabricação 'caiu para a mínima de três meses, em 51,4, enquanto a expectativa era de uma leitura de 52.

CAC 40 da França também recua. A atividade manufatureira da França melhorou em maio, com o PMI da Markit atingindo uma alta de 12 meses em 49,3 e no geral, o PMI composto da zona do euro, uma medida da atividade nos setores de indústria e serviços,caiu para 53,4 em maio, ante 53,9 em abril, menor nível de três meses.

O FTSE 100 do Reino Unido opera com volatilidade entra baixas e altas, com destaque para as mineradoras, após a divulgação de dados de manufatura chinesa. Rio Tinto avança 1,66%, BHP Billiton adiciona 1,79% e Antofagasta sobe 1,73%. As vendas de varejo britânicas aumentaram 1,2% em abril,  um aumento de 4.7% em comparação com abril de 2014, após uma queda inesperada de março, mas mais forte do que o esperado pelos economistas, sugerindo que a economia do Reino Unido pode crescer a um ritmo mais forte durante o segundo trimestre do ano.

A Grécia ainda permanece no centro das atenções, com a continuidade das negociações, apesar da perspectiva  cadda vez menos provável de que país seja capaz de realizar o pagamento do empréstimo com o Fundo Monetário Internacional em 5 de junho. O Ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, disse  na quarta-feira que não podia descartar um possível default grego, segundo  relato do Wall Street Journal, colocando mais pressão sobre Atenas.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
10h45 - Flash Manufacturing PMI (estimativa referente ao nível de atividade industrial nos Estados Unidos);
11h00 - Existing Home Sales (vendas de imóveis usados nos Estados Unidos);
11h00 - CB Leading Index (ou Índice de Indicadores Antecedentes, relatório que compreende 10 índices já divulgados no país e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia);
11h00 - Philly Fed Manufacturing Index (indicador responsável por mensurar a atividade industrial no estado);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h00:

ÁSIA
Nikkei: +0,03%
Austrália: +0,93%
Shanghai Composite: +1,89%
Hong Kong: -0,07%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,45%
London - FTSE: -0,09%
Paris CAC -0,48%
IBEX 35: -0,37%
FTSE MIB: -0,66%

COMMODITIES
BRENT: +1,54%
WTI: +1,50%
OURO: -0,14%
COBRE: +0,41%
SOJA: +0,40%
ALGODÃO: +0,62%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: -0,18%
SP500: -0,21%
NASDAQ: -0,35%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - QUARTA-FEIRA 20/05/2015

ÁSIA: No Japão, um desempenho melhor do que o esperado do PIB para os primeiros três meses de 2015 ajudou seus mercados de ações a superar a região, enquanto outras bolsas da região refletiram o fechamento misto em Wall Street.

A segunda maior economia da Ásia expandiu 2,4% em relação ao trimestre anterior, superando as expectativas de um crescimento de 1,5%, indicando que o Japão pode estar em direção a um crescimento estável, graças a sua politica de flexibilização e uma moeda mais fraca.
 
O Nikkei do Japão subiu 0,85%, renovando nova alta em 15 anos, em  20.278 pontos. Setor financeiro e de bens de consumo lideraram os ganhos. A empresa de cosméticos Shiseido subiu 6,9%, enquanto a empresa de alimentos Nisshin subiu 4,9%. Grandes bancos como Resona Holdings fechou em alta de 1,8%, enquanto Nomura Holdings adicionou 1%, com os investidores animados com a notícia de recompra de ações. Askul e Konica Minolta saltaram 11,9 e 2,3%, respectivamente, depois de também anunciar planos de recompras de ações.

Takata despencou 10,2%, seu nível mais baixos desde 16 de abril, após a fabricante de air-bag japonês anunciar planos para dobrar o recall de air bags com defeito para quase 34 milhões de veículos. De acordo com as autoridades norte-americanas, será o maior recall automotivo na história americana.

Na China, o Shanghai Composite avançou 0,70%, marcando uma alta de duas semanas de alta. Papeis do setor de transporte, avançaram na sequência das quedas dos preços do petróleo; China Southern Airlines e China Eastern Airlines saltaram 3,4 e 2,5%, respectivamente, enquanto a Air China fechou em alta de 1%. Entre as montadoras, SAIC Motor e Dongfeng Auto subiram 1,7 e 0,8%, respectivamente.

Enquanto isso, em Hong Kong caiu 0,39%, puxado por um declínio de ações de cassinos de Macau e um tombo nas ações da empresa de energia solar Hanergy Thin Film Power Group controladas pelo magnata chinês Li Hejun. As negociações do papel foi suspensa depois de cair quase 50% na primeira hora de negociação.

S & P ASX 200 da Austrália reduziu as perdas para terminar em território neutro, depois de bater seu nível mais baixo desde 30 de janeiro no intraday.

Liquified Natural Gas perdeu 5%, enquanto Santos e Origin Energy recuou 3,8 e 2,2%, respectivamente, após queda nos preços do petróleo durante a noite. Produtoras de minério de ferro também tiveram perdas, depois que a commodity caiu para 58,63 dólares a tonelada; Fortescue Metals e BHP Billiton fechou  em baixa de 6,8 e 2,7%, respectivamente e Rio Tinto recuou 2,5%.

O setor bancário, que responde por quase 30% da bolsa de Sydney, também pesou na bolsa. Os quatro principais credores terminaram no vermelho. Commonwealth Bank of Australia fechou em queda de 0,4%, enquanto o setor industrial subiu 1,1%, enquanto as varejistas fecharam sem direção.

EUROPA: As bolsas europeias recuam nesta quarta-feira, após ganhos na sessão anterior, inspirado nas declarações de membros do BCE e com investidores de olho na ata da última reunião do Federal Reserve dos EUA

O Stoxx Europe 600 cai 0,29%, com apenas o setor de telecomunicações avançando, depois de subir 1,7% na terça-feira, quando um funcionário do Banco Central Europeu, disse que o banco vai aumentar as compras de ativos neste mês e em junho, por conta da baixa liquidez no período de férias de Verão.

No Reino Unido, O FTSE 100 oscila entre perdas e ganhos e tenta o terceiro dia consecutivo de ganhos, com as ações da Vodafone Group sustentando o índice de referência, enquanto Burberry Group PLC adicionou pressão depois de postar uma perspectiva decepcionante.

A Vodafone sobe 3,30%, recuperando de um declínio de 3,2% na terça-feira, quando o peso pesado das telecomunicações divulgou uma queda no lucro ajustado, mas hoje, o presidente da Liberty Global disse que vê na aliança com a Vodafone como um "grande ajuste". Entre as mineradoras, BHP Billiton cai 0,50%, enquanto Rio Tinto e Glencore avançam 0,98% e 0,54%, respectivamente.

O Bank of England espera que o crescimento econômico do Reino Unido acelere no segundo trimestre, após um início lento no ano. A ata da reunião de maio do Comitê de Política Monetária mostrou que os nove membros votaram por manter a taxa básica de juros em uma baixa recorde de 0,5% e manter o tamanho da carteira de compras de títulos do banco central em 375 bilhões de libras (581,20 dólares bilhões).

Os dados oficiais da terça-feira mostraram que os preços ao consumidor no Reino Unido caiu no ano passado pela primeira vez em mais de meio século em abril e os investidores esperam que o BOE comece a elevar lentamente sua taxa básica de juros em meados de 2016.

A Grécia permanece no centro das atenções com a continuidade das conversas, embora as autoridades europeias, como o Ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, disse que as negociações estavam muito devagar, de acordo com um relatório da Reuters, enquanto o porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, em entrevista coletiva diária disse que "é necessário mais tempo e esforço para fechar as lacunas abertas e que o progresso está acontecendo, embora a um ritmo lento.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h30 - Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);
15h00 - FOMC Meeting Minutes (Ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h10:

ÁSIA
Nikkei: +0,85%
Austrália: -0,09%
Shanghai Composite: +0,70%
Hong Kong: -0,39%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,21%
London - FTSE: +0,08%
Paris CAC -0,26%
IBEX 35: +0,06%
FTSE MIB: -0,15%

COMMODITIES
BRENT: +0,94%
WTI: +0,53%
OURO: +0,02%
COBRE: -0,42%
SOJA: -0,61%
ALGODÃO: +0,00%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,01%
SP500: -0,04%
NASDAQ: +0,05%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

terça-feira, 19 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - TERÇA-FEIRA 19/05/2015

ÁSIA: As bolsas de Xangai e Tóquio lideraram os ganhos na Ásia nesta terça-feira, após registros de novos recordes no Dow Jones Industrial Average e S & P 500, com expectativas de que o Federal Reserve possa adiar o aumento das taxas de juros após comentários do Presidente do Fed de Chicago, Charles Evans,  bem como uma enxurrada de medidas de apoio por parte de Pequim.

Os riscos de um calote grego permaneceu no radar dos investidores depois que Atenas disse na segunda-feira que precisava firmar o acordo da dívida até o final do mês ou poderia entrar em default e sair da zona do euro, o que agitará os mercados de uma forma generalizada, apesar de que a Grécia corresponde a apenas 2% da economia da zona do euro e a exposição dos bancos europeus à dívida do governo grego hoje é mínimo, assim sendo, o impacto pode ter os efeitos minimizados rapidamente.

Na China, o Shanghai Composite saltou 3,15%, o maior avanço em quase quatro meses, depois que o governo divulgou diretrizes para reformar o seu sistema econômico em 2015, que inclui alivio gradual dos controles sobre as taxas de depósito, melhorar o sistema de oferta pública inicial (IPO) e desenvolver melhor seu mercado de capitais. O sentimento também foi impulsionado com um documento emitido pelo Conselho de Estado na segunda-feira a respeito das etapas do programa experimental Shenzhen-Hong Kong Stock Connect.

Seguradoras avançaram; Huatai Securities e Haitong Securities saltaram 10 e 7,55%, respectivamente. Empresas imobiliárias Poly Real Estate e China Vanke registraram alta de 3,8 e 2,3%, respectivamente. Ajudaram a alta, China Railway Group e China Railway Construction com alta de 2,6 e 3,42%, respectivamente, após Pequim aprovar um orçamento de 40 bilhões de dólares para projetos de ferroviárias e metrô projetos, numa tentativa de fortalecer a economia.

Em Hong Kong, o Hang Seng rastreou seu par do continente e fechou em alta de 0,37%.  Greentown China Holdings liderando a alta no benchmark, com alta de 6,03%, depois de ter dito que a estatal China Communications Construction Group concordou em aumentar a sua participação na empresa e tornar seu maior acionista.

Nikkei do Japão subiu 0,68% e recuperou a marca de 20.000 pontos, mas os ganhos foram limitados com os investidores aguardando a divulgação do PIB do primeiro trimestre na quarta-feira. Os ganhos foram liderados por corretoras e companhias aéreas; Nomura Holdings saltou 2,1%, enquanto a Japan Airlines avançou 1,4%. As ações de Stanley Electric subiu quase 3%, com os investidores animados com a decisão de recompra de ações.

S & P ASX 200 da Austrália caiu 0,77%, puxadas por dois dos quatro grandes bancos e  pela BHP Billiton, enquanto a nova mineradora South32 subiu em seu segundo dia de negociação.

Empresas  de recursos básicos foram agredidas; As produtoras de petróleo Woodside Petroleum e Santos diminuiu 0,6 e 1,3%, respectivamente, enquanto as produtoras de ouro Newcrest Mining e Evolução Mining recuaram mais de 1% cada.

Produtoras de minério de ferro também recuaram, com os preços da matéria prima na produção do aço caindo 1,1%, chegando a ficar abaixo de US $ 60 por tonelada.  BHP Billiton recuou 1,8%, estendendo as perdas  de 7% da sessão anterior, Fortescue Metals despencou 3,02%, enquanto a Rio Tinto encerrou estável em 57,45 dólares. Em contrapartida, South32 disparou 12,2%, após uma estréia sem brilho na segunda-feira. Analistas, incluindo JPMorgan e Citigroup,  citaram em seus relatórios, a recomendação de "compra" da terceira maior mineradora listada na Austrália.

Enquanto isso, a minuta da reunião do Banco da Reserva da Austrália (RBA) mostrou que o banco central deixou em aberto a possibilidade de cortar as taxas de juros no futuro , levando o dólar australiano para uma baixa de uma semana, fechando a 0,7995 contra o homônimo americano.

EUROPA: As bolsas europeias sobem na manhã desta terça-feira, com os investidores reagindo aos comentários do membro do Banco Central Europeu, Benoît Coeuré, dizendo que o BCE iria prosseguir com seu programa de compras de maneira moderada em maio e junho, por conta da recente reversão nos preços dos títulos dos governos da zona do euro. Separadamente, outro membro do conselho do BCE, Christian Noyer, disse que o BCE está pronto para ir mais longe se for necessário para cumprir sua meta de inflação.

O Stoxx Europe 600 sobe 1,29%. O FTSE 100 avança, mas a empresa de telefonia móvel Vodafone recua 2,62%, após anunciar que o lucro operacional para o ano caiu 19%, para £ 3510000000 e que a receita cresceu 10,1%  e excluindo venda de aparelhos, caiu 1,6%. Ações de empresas mineradoras também recuam. BHP Billiton perde 3,14% e Rio Tinto recua 1,57%.

Os preços ao consumidor no Reino Unido em abril caiu em comparação ao ano anterior. A inflação anual no Reino Unido foi de -0.1% em abril, em comparação com zero de um mês antes. Essa é a primeira vez que os preços ao consumidor caíram em uma base anual desde 1960.

O dólar se fortaleceu contra o euro na segunda-feira após o fechamento dos mercados europeus depois que o Federal Reserve Bank de San Francisco publicou um artigo argumentando problemas com ajustes sazonais nas estatísticas oficiais, alegando que  crescimento no inverno havia sido deprimido e que o PIB do primeiro trimestre na verdade era muito mais elevado do que o inicialmente estimado.

O euro mais fraco ajudou a impulsionar as exportações da zona do euro para o resto do mundo em março, contribuindo para a sua recuperação econômica e o preço ao consumidor da zona do euro parou de cair em abril, após quatro meses consecutivos de declínio.

Os 19 países que usam o euro tiveram um superávit comercial de EUR23.4 bilhões (26,2 bilhões dólares), ante EUR16.1 bilhões em março de 2014, devido a um aumento de 11% nas exportações, enquanto as importações registaram um aumento de 7%. Nos primeiros três meses do ano, as exportações subiram 5% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto as importações ficaram inalterados.

Sentimento econômico alemão em maio atingiu uma baixa de cinco meses, sugerindo a recuperação econômica da maior economia da Europa está a perder impulso. O indicador ZEW de expectativas econômicas caiu pelo segundo mês consecutivo, com uma leitura de 41,9 em maio, ante 53,3 em abril e foi o mais baixo desde dezembro de 2014. Economistas consultados pelo The Wall Street Journal havia previsto um declínio para 48,2. O alemão DAX 30 avança com os grandes exportadores se beneficiando de um euro mais fraco.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - Housing Starts (índice mensal de construção de novas casas nos Estados Unidos) e Building Permits (índice mensal de permissão para novas construções nos Estados Unidos);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h10:

ÁSIA
Nikkei: +0,68%
Austrália: -0,77%
Shanghai Composite: +3,15%
Hong Kong: +0,37%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +1,85%
London - FTSE: +0,35%
Paris CAC +1,88%
IBEX 35: +1,36%
FTSE MIB: +1,44%

COMMODITIES
BRENT: -1,21%
WTI: -1,13%
OURO: -0,453%
COBRE: -1,54%
SOJA: -0,31%
ALGODÃO: +0,11%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,30%
SP500: +0,29%
NASDAQ: +0,39%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - SEGUNDA-FEIRA 18/05/2015

ÁSIA: As principais bolsas da Ásia, com exceção do Japão, recuaram após dados mostrarem quedas nos preços dos imóveis novos em 48 de 70 principais cidades da China, com preços médios caindo pelo oitavo mês seguido. O índice de preço de casas novas no continente em abril caiu 6,1% em relação ao mesmo período do ano passado e inalterado face a março, enquanto as encomendas de máquinas no Japão em março subiu 2,6% em relação aos termos homólogos, recuperando-se do recuo de 0,4% em fevereiro.

Preocupações com uma série de novos anúncios que serão divulgados nesta semana, junto com dados recentes do setor imobiliário da China, levou o Shanghai Composite para uma baixa de 0,59%, após rali de 2,4% na sexta-feira. Empresas do setor imobiliário lideraram as perdas. China Vanke e Poly Real Estate perderam 2,3 e 3,4%, respectivamente, enquanto Gemdale fechou em queda de 1,6%.

As corretoras também ficaram sob pressão de venda; China Merchants Securities caiu 6,5 %, enquanto Founder Securities e Citic Securities caíram mais de 3%, cada. Aluminum Corporation of China caiu 8,7 e 6 %, respectivamente em Xangai e Hong Kong depois que a empresa disse que o plano de Pequim para consolidar a indústria de terras raras envolve apenas a sua controladora.

Enquanto isso, Hang Seng de Hong Kong caiu 0,83%, após uma forte recuperação na semana passada, alimentada por relatos de que o Shenzhen-Hong Kong Stock Connect poderia ser lançado mais cedo do que o esperado. O Hang Seng China Enteprises, índice que rastreia empresas do continente ou "índice H-share" caiu 0,6%.

No Japão, o Nikkei subiu 0,80% e fechou próximo da máxima de três semanas, impulsionadas por dados melhores que o esperado, bem como ganhos robustos nos setores financeiros e de seguros. Dai-ichi Life Insurance liderou a alta com aumento de 10,6%, depois de apresentar o maior pagamentos em dividendos aos acionistas.

Os principais credores também avançaram, depois de anunciar planos para aumentar os pagamentos de dividendos e recompras suas próprias ações. Mitsubishi UFJ Financial Group e Mizuho Financial Group subiram mais de 4%, enquanto Sumitomo Mitsui Financial Group subiu 3,5%.

Toshiba recuperou 1,1%, depois de cair 2,5% na abertura, após nunciar  na sexta-feira que iria ampliar as investigações sobre irregularidades contábeis.

S & P ASX 200 da Austrália caiu 1,335, aumentando as perdas recentes e terminando perto de uma  baixa de uma semana, puxadas por fortes perdas no setor bancário, bem como uma queda de 7,3% da BHP Billiton.

A mineradora registrou a maior perda no benchmark depois que a South 32 fechar em A $ 2,050 em sua estréia no meio-dia na Austrália. As ações da South32 também será listada nas bolsas no Reino Unido e África do Sul ainda hoje. BHP Billiton pretende se concentrar nas unidades de carvão, cobre, minério de ferro e petróleo, enquanto a South32 terá operações de alumínio e manganês.

Analistas acreditam que o IPO da South32 e a queda da BHP se anularam mutuamente, pois o valor da South 32 e a queda da BHP é de menos de 1% de queda, o que está em linha com o fechamento nos EUA na sexta-feira.

Rio Tinto caiu 1,1%, enquanto Fortescue Metals terminou inalterada depois de o primeiro-ministro Tony Abbott apoiou um inquérito parlamentar sobre a indústria de minério de ferro na sexta-feira. O movimento vem na sequência da derrocada dos preços do minério de ferro e afirma que as grandes mineradoras estão inflando o mercado propositalmente para forçar a saída de players menores.

O preço à vista do minério de ferro caiu 1,6% na sexta-feira, para US $ 61.31 a tonelada, mas os futuros Dalian estavam acima de 1.2%, em 427 yuan.

DuluxGroup despencou mais de 5% depois de reportar uma queda de 18% no lucro líquido do primeiro trimestre, enquanto o dólar australiano manteve-se acima do nível de 80 centavos de dólar americano e analistas dizem que a valorização da moeda  trás de volta "níveis desconfortáveis para os mercados.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em alta nesta manhã de segunda-feira e opera com volatilidade, em parte, devido ao recuo do euro frente ao dólar e com investidores também de olho nos dados fracos da China. O Stoxx Europe 600 abriu com alta de 0,22% e recua 0,33% neste momento, na sequência da queda de 0,4% na sexta-feira, quando números ressaltaram preocupações com o crescimento econômico dos EUA.

Na Itália, o  FTSE MIB recua, com um número considerável de seus componentes em movimento de queda, cujas ações são negociadas ex-dividendo. Empresa de energia Eni cai 2,48%, a fornecedora de energia Enel perde 0,48% e a fabricante de óculos Luxottica Group perde 1,53%.

No Reino Unido, o FTSE 100 segue o desempenho do índice pan-europeu, com Babcock International Group subindo após uma atualização financeira otimista.  A empresa de engenharia e de defesa divulgou que seu lucro líquido no ano aumentou 43% para £ 313.100.000 (492,4 milhões dólares), a receita subiu 20% para £ 4 bilhões e elevou seus dividendos em 10%.

Mas as ações da BHP Billiton despenca 4,14% após a estréia  da nova empresa australiana South 32, que compreende ativos não essenciais da BHP, cujas ações abriram em 2,13 dólares australianos (1,71 dólares) cada, mas que fechou em queda, abaixo das expectativas de mercado. Entre outras mineradoras, Anglo American cai 0.09%, Antofagasta sobe 0,95%, Glencore avança 1,45% e Rio Tinto sobe 1,01%.

Existem boatos de que a Rio Tinto tentará novamente vender um conjunto de ativos de alumínio, a Australasian, cuja especulação diz que os ativos poderia render mais de US $ 1 bilhão à empresa.

A Grécia continua no foco das atenções, com a persistente incerteza sobre a situação da dívida do país. Na sexta-feira, a agência de classificações DBRS cortou sua avaliação sobre a Grécia, que enfrenta um prazo importante de reembolso em 5 de junho e que as próximas duas semanas serão cruciais. Ainda na Grécia, uma carta de um oficial do país ao Fundo Monetário Internacional, foi relatado pelo jornal grego Kathimerini e confirmado pelo Financial Times, revelou que a Grécia esteve perto de não cumprir parte do reembolso 750.000.000 € (860 milhões dólares) na semana passada. Em Atenas, o Athex Composite Index cai 1,69%.

Uma reunião do Conselho dos Negócios Estrangeiros da UE está programada para acontecer nesta segunda-feira, para discutir a crise de imigração do Mediterrâneo.

Não há lançamentos de dados importantes agendados para segunda-feira.

EUA: Futuros dos EUA indicam um início lento em Wall Street na segunda-feira, com investidores digerido os comentários do Presidente do Federal Reserve de Chicago, Charles Evans, de que o banco central deve impedir um aumento das taxas de juro de curto prazo neste ano, em um discurso em Estocolmo, mas os analistas também estão otimistas de que o S & P 500 possa continuar a sua sequência de altas recentes. O índice S & P 500 atingiu uma alta recorde de 2,122.73 na sexta-feira, depois de uma série de dados mais fraco do que o esperado, levantando dúvidas sobre a capacidade do Fed de elevar os juros táo cedo.

O dólar sobe em relação ao iene e o euro.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h00 - NAHB Housing Market Index (venda de imóveis e a expectativa para novas construções no mercado imobiliário americano);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h30:

ÁSIA
Nikkei: +0,80%
Austrália: -1,33%
Shanghai Composite: -0,59%
Hong Kong: -0,83%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,05%
London - FTSE: -0,18%
Paris CAC -0,79%
IBEX 35: -0,61%
FTSE MIB: -1,58%

COMMODITIES
BRENT: -0,45%
WTI: -0,05%
OURO: +0,44%
COBRE: -0,34%
SOJA: +0,24%
ALGODÃO: -0,69%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: -0,09%
SP500: -0,18%
NASDAQ: -0,24%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - SEXTA-FEIRA 15/05/2015

ÁSIA: As bolsas asiáticas avançaram nesta sexta-feira, seguindo o impressionante avanço de Wall Street,  com mercados de dívida mais calmos e um dólar mais fraco, enquanto mercado de Xangai seguiu sentido contrário após pressão de liquidez

Na China, o Shanghai Composite fechou em queda de 1,57%, apesar da tentativa do regulador de valores mobiliários do país acalmar o nervosismo do mercado. O presidente da China Securities Regulatory Commission, Xiao Gang, disse em uma conferência das indústrias que o mercado de ações não seriam "extremamente" impactado pelo aumento das ofertas públicas iniciais que começaram no mês passado.

Os comentários aconteceram depois de uma semana relativamente decepcionante para as ações do continente, um contraste gritante com o que vinha ocorrendo desde novembro passado. Segundo analistas, investidores parecem estar vendendo algumas das suas participações para ter capital para a nova rodada de IPOs, visto que os IPOs tem sidu uma estratégia muito rentável nos últimos tempos no mercado continental.

China Vanke avançou 3 e 0,6% em Xangai e Hong Kong, respectivamente, depois que ele anunciou uma parceria com a gigante Dalian Wanda Group. Stocks de internet ampliaram ganhos após a China anunciar planos para acelerar o desenvolvimento das suas redes de banda larga de alta velocidade.

Em Hong Kong, o Hang Seng  ampliou ganhos para fechar com alta de 1,96%, antes da divulgação do PIB da cidade no primeiro trimestre. A economia de Hong Kong pode ter expandido 2% no período, porém mais lento do que os 2,2% no trimestre anterior, de acordo com uma pesquisa da Reuters. Hong Kong Exchanges e Clearing avançou acima de 5%.

Nikkei do Japão subiu 0,83%, com o iene chegando a 119,40. A queda na paridade dólar-iene na quinta-feira, foi provocada pela onda de vendas nos mercados de títulos globais, transferindo temores para mercado de capitais e levou a bolsa de Tóquio para uma baixa 1% no pregão anterior. Entre os decliners, Nikon despencou 11% depois de uma previsão de lucro fraco, enquanto a Sharp fechou com alta de  7% depois de anunciar que garantiu um resgate de 1700 milhões dólares, seu segundo grande resgate em três anos. A gigante eletrônica deficitária também vai promover uma nova reestruturação que inclui um corte de 10% de sua força de trabalho global. A fabricante de airbag Takata caiu 2,6%, depois que a Honda anunciou mais 4.890.000 carros equipados com airbags defeituosos da fábricante.

S & P ASX 200 da Austrália subiu 0,68% e na semana, o índice de referência subiu 1,8%, o seu primeiro ganho semanal em três semanas. Setor financeiro fechou em alta, com exceção do National Australia Bank, que despencou quase 3%, sendo negociadas ex-dividendos. Commonwealth Bank of Australia e Australia and Nova Zeland Banking terminou 1,4 e 0,3% maior, respectivamente.

As varejistas também avançaram. Myer e JB Hi-Fi subiram 3 e 1,9%, respectivamente, enquanto a fabricante de dispositivos médicos ResMed recuperou 3,86% depois de uma queda de 18% na sessão anterior. Entre as mineradoras,  BHP subiu 1,6%, Rio adicionou 0,7%.

Na semana, BHP subiu 3,8%, Rio Tinto recuou 0,5%, enquanto Fortescue caiu 8,4%.

EUROPA: As bolsas europeias sobem, estendendo os ganhos da sessão anterior, quando o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, reforçou o compromisso do banco com as medidas para estimular a economia da zona do euro enquanto for necessário para o seu objetivo de ser plenamente alcançado.

O euro recua na esteira dos comentários de Draghi, sendo negociado a 1,1359 dólares na sexta-feira, em comparação com $ 1,410 na quinta-feira e o Stoxx Europe 600 avança 0,46%, diminuindo a perda semanal para 0,1%. Roche Holding sobe 2,94% e lidera a alta no benchmark após a farmacêutica suíça apresentar resultados positivos nos ensaios relacionados ao tratamento de câncer de pulmão.

Em Londres, o FTSE 100 avança, com SABMiller adicionando 1,36% depois que a cervejeira disse que está entrando no mercado de cerveja artesanal no Reino Unido através da compra de Meantime Brewing Company. Os termos do negócio não foram divulgados. Entre os decliners, figura a empresa de energia engenharia Weir Group que cai 0,21% e a mineradora Fresnillo que recua 1,45%. Entre outras mineradoras, BHP Billiton avança 0,45% e Rio Tinto adiciona 0,17%.

A Grécia permanece no foco das atenções com a continuidade das negociações entre o país e seus credores. A Grécia quer privatizar a concessão do maior porto do Pireu. O Fundo Monetário Internacional, disse nesta quinta-feira que continua flexível nas negociações da dívida com a Grécia e espera que os credores internacional cheguem a um acordo com Atenas em breve, informou a Reuters.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - NY Empire State Manufacturing Index (mede a atividade manufatureira no estado de Nova York);
10h15 - Industrial Production (produção industrial) e Capacity Utilization (capacidade utilizada);
11h00 - Prelim UoM Consumer Sentiment (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
11h00: Prelim UoM Inflation Expectations (mede a porcentagem que os consumidores esperam do preço dos bens e serviços nos próximos 12 meses);
17h00 - TIC Long-Term Purchases (mede o nível de investimento estrangeiro e nacional nos EUA);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h50:

ÁSIA
Nikkei: +0,83%
Austrália: +0,68%
Shanghai Composite: -1,57%
Hong Kong: +1,96%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,05%
London - FTSE: +0,29%
Paris CAC +0,28%
IBEX 35: -0,13%
FTSE MIB: +0,40%

COMMODITIES
BRENT: -0,18%
WTI: -0,35%
OURO: -0,53%
COBRE: -0,54%
SOJA: +0,29%
ALGODÃO: +0,41%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,12%
SP500: +0,12%
NASDAQ: +0,27%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - QUINTA-FEIRA 14/05/2015

ÁSIA: As bolsas de Sydney e Tóquio recuaram, com o fortalecimento de suas moedas  frente ao dólar após dados do varejo americano trazer novas preocupações sobre o estado da economia  e sua capacidade de resistir a alta das taxas de juros. O avanço dos yields de 10 anos do Tesouro dos EUA terminou a sessão em seu nível mais alto em mais de cinco meses, reforçando o instinto de cautela por parte dos investidores.

Na China, o Shanghai Composite terminou praticamente estável, após dados de abril mostrarem que a oferta de moeda cresceu em seu ritmo mais lento desde que se iniciou seus registros, enquanto os investimentos em ativos afundaram em seu nível mais baixo em quase 15 anos, ilustrando a desaceleração econômica teimosamente persistente. Entre as baixas, grandes credores e construtoras; Banco Industrial e Comercial da China e China Construction Bank recuaram 0,8% cada, enquanto Poly Real Estate registrou queda de 4,3%.

China Railway Group ganhou um contrato de $ 390,000,000 para construir ferrovia  russa de alta velocidade que passará a fazer parte do novo projeto Silk Road, mas a notícia não parece ter  impulsionado as ações da empresa de infra-estrutura que caiu 2,6%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng avançou 0.14%, puxadas pelo setor de tecnologia, que também pode receber um impulso a partir de boatos de que a China poderia lançar o Shenzhen-Hong Kong Stock Connect ainda no terceiro trimestre deste ano, permitindo que os investidores comprem ações diretamente entre ambos os mercados. Os mercados em Shenzhen são dominadas por ações de empresas de tecnologia.

Nesta semana, o Premier Li Keqiang se comprometeu a apoiar a indústria da Internet. Em foco, Tencent, o maior portal de serviços de Internet da China, saltou 3,1% depois de anunciar um aumento de 22% na receita do primeiro trimestre e 7% de crescimento nos lucros em comparação com o mesmo período um ano atrás. O HSBC mantém sua classificação de "comprar" e elevou seu preço-alvo para 182 dólares de Hong Kong, ante  H $ 181.

A maior produtora de petróleo offshore Cnooc caiu 2,35%, na sequência da queda dos preços de petróleo bruto e a gigante estatal de energia PetroChina  caiu  0,53%.

Nikkei do Japão caiu 0,98%, próximo de uma baixa de uma semana, com o iene próximo de 119 frente ao dólar americano. As empresas ferroviárias Central Japan Railway e Odakyu Electric Railway recuaram 4 e 3,4%, respectivamente. Fast Retailing , dona da marca de roupas Uniqlo, caiu 2,5%, enquanto que outros pesos pesados ​​do índice como Fanuc e Softbank fecharam em baixa de 1,4 e 1% cada.  Nissan Motor subiu 2,4%, Toyota Motor caiu 0,2%, enquanto Mazda Motor saltou 1%.

Toshiba subiu 0,8%, após recente sell off. A empresa disse que as irregularidades contábeis deverá ser estimado em um total de cerca de 420 bilhões de dólares ao longo dos últimos três anos, enquanto a Sharp deverá revelar detalhes de sua nova estratégia de negócios, entre outras, a redução seu capital para 500 milhões de ienes (4,2 milhões dólares) e suas ações caiu 1%.

S & P ASX 200 da Austrália  caiu 0,32%, vítima de realização de lucros após dois dias de ganhos, como o aumento do dólar australiano assustando os investidores, apesar de uma recuperação parcial no fim do pregão. O dólar local ficou acima do nível de 80 centavos ante homólogo americano, sendo negociado a US $ 0,8125 no comércio asiático.

A associação entre a força da moeda australiana, queda no preço do minério de ferro e mais dados chineses fragilizados, fizeram com que as mineradoras liderassem as perdas no benchmark. Fortescue Metals despencou 8%, enquanto BHP Billiton e Rio Tinto recuaram 1,6 e 2,2%, respectivamente.

Segue o raciocínio: dos atuais US $ US62.58 / tonelada, o minério de ferro corresponde a cerca de ¢ 82,34 dólares / tonelada a uma taxa de câmbio de ¢ 76,00 centavos de dólar. No entanto, a uma taxa de câmbio de ¢ 82,00 centavos de dólar, corresponde a cerca de $ 77,26 / t.

A fabricante de dispositivos médicos, ResMed afundou 18,4%,  acompanhamento o mergulho de 15% nas bolsas americanas, depois que um estudo experimental nos EUA concluir que o seu dispositivo para dormir, aumentar risco de ataque cardíaco em pacientes.

Enquanto isso,  a empresa de agronegócios GrainCorp recuou 2,5% após seu lucro semestral cair mais de 40%.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em queda, com os investidores digerindo as oscilações do euro, monitorando a crise da dívida da Grécia e a saúde da economia dos EUA, mas tenta recuperar e quebrar a sequência de duas sessões consecutiva de perdas

O pan-europeu Stoxx 600 opera com volatilidade, enquanto o euro avança 0,5637%, saltando para 1,14 dólar, enquanto o dólar continua a ser punido após decepcionantes dados econômicos dos EUA, ressaltando as expectativas de que o Federal Reserve deverá esperar até o final do ano para fazer a sua primeira alteração de suas taxas de juros.

O fortalecimento do euro coloca pressão nos mercados de ações, principalmente no mercado alemão, cujo setor de exportação é bastante forte. O DAX 30 oscila entre baixas e altas.

O ministro das Finanças grego Yanis Varoufakis disse que o pagamento da dívida da Grécia para o Banco Central Europeu deve ser adiado para "um futuro distante" , informou a Reuters. Na terça-feira, Atenas fez um pagamento de 750 milhões de euros (836,7 milhões dólares americanos) ao Fundo Monetário Internacional, mas invadiu a sua conta de emergência.

A equipe de negociação do país deve retomar as negociações com os credores internacionais do país para chegar a um acordo, segundo um funcionário do governo, disse a Reuters na quarta-feira, após reunião presidido pelo Primeiro-Ministro Alexis Tsipras. O governo grego também descartou referendo para garantir o apoio público para as reformas impopulares, optando por fazer um acordo com os credores até ao final do mês. Athex Composite da Grécia sobe 0,99%.

No FTSE , a empresa de embalagens Mondi registra o melhor desempenho no benchmark após o Deutsche Bank e o Credit Suisse elevarem seu preço-alvo enquanto  GlaxoSmithKline registra a pior performance depois que o UBS rebaixou as ações da companhia farmacêutica de comprar para neutra. Entre as mineradoras, BHP Billiton e Rio Tinto recuam 1,40 e 1,30%, respectivamente.

Os mercados na Áustria, Islândia, Finlândia, Letónia, Lituânia, Estónia, Dinamarca, Indonésia, Noruega, Suécia e Suíça  estão fechados por conta de um feriado público.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - PPI ( é um indicador de inflação que mede a variação nos preços médios recebidos pelos produtores nacionais de bens e serviços, excluindo alimentos e energia) e de seu núcleo Core PPI (preços praticados por produtores);
9h30 - Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
14h01 - 30-y Bond Auction (leilão de títulos de 30 anos do governo dos EUA);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h40:

ÁSIA
Nikkei: -0,98%
Austrália: -0,32%
Shanghai Composite: +0,06%
Hong Kong: +0,14%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,07%
London - FTSE: -0,06%
Paris CAC +0,01%
IBEX 35: -0,08%
FTSE MIB: +0,28%

COMMODITIES
BRENT: +1,18%
WTI: +0,85%
OURO: +0,27%
COBRE: -0,20%
SOJA: +0,00%
ALGODÃO: +0,23%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,41%
SP500: +0,44%
NASDAQ: +0,53%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - QUARTA-FEIRA 13/05/2015

ÁSIA: As bolsas chinesas recuaram nesta quarta-feira depois de um novo lote de indicadores econômicos. No resto da região, as bolsas avançaram, depois que Wall Street terminou em ligeira baixa, recuperando-se da liquidação acentuada no período da manhã, após  recuperação no mercado de títulos.

A produção industrial chinesa em abril aumentou 5,9% em relação ao mesmo período do ano passado, ligeiramente abaixo da previsão de 6% em uma pesquisa da Reuters e melhor que 5,6% de março. As vendas no varejo cresceram 10% em termos homólogos, abaixo da alta de 10,5% esperado, enquanto investimento em ativos fixos subiu 12%, abaixo da previsão de 13,5%.

Shanghai Composite da China caiu 0,56%, após oscilar entre ganhos e perdas após lançamento de dados. O CSI300, índice das maiores empresas listadas em Xangai e Shenzhen caiu 0,6%. A queda foi liderada por corretoras e seguradoras; Founder Securities e Haitong Securities recuaram 3,1 e 2,7%, respectivamente, enquanto Ping An Insurance e China Life Insurance perderam 2,2 e 1,8% cada.

Em Hong Kong, o Hang Seng foi pressionado no final do pregão e sofreu queda de 0,58%. Hang Seng Bank, uma subsidiária da gigante bancário britânico HSBC, subiu 2,8% depois da notícia de que está vendendo sua participação no Banco Industrial em Xangai. Ações desta última caiu 2,3%, enquanto HSBC perdeu 0,7%. China Resources Land, braço imobiliário do conglomerado China Resources Group, caiu 6,8% após anúncio de lançamento de novas ações em Hong Kong e Hong Kong Exchanges e Clearing recuou 1,6%, apesar de seus lucros do primeiro trimestre corresponderem às expectativas de mercado.

S & P ASX 200 da Austrália subiu 0,71%, após divulgação do orçamento federal do país, com varejistas entre os maiores ganhadores.

Os preços do petróleo e do ouro mais firmes apoiou o setor de recursos. Santos e Newcrest Mining subiram entre 0,6 e 2,8%, respectivamente. Entre as gigantes da mineração, Rio Tinto caiu 0,4% e BHP Billiton recuou 0,1%, depois que o minério de ferro recuou 0,2%, para US $ 62.9 a tonelada.

Revertendo uma abertura em baixa, índice de referência Nikkei do Japão Nikkei subiu 0,71%, após dados mostrar o país registrando seu maior superávit em conta corrente em sete anos. Em março, o superávit foi de 2.795 trilhões de ienes, marcando o nono mês consecutivo.

O setor automobilístico foi o centro das atenções. Nissan Motor caiu 1%, antes de entregar seu balanço trimestral previsto para depois do fechamento do mercado, enquanto Toyota Motor e Honda perderam mais de 1% cada. A operadora de telefonia móvel Softbank e o banco Sumitomo Mitsui Financial fecharam com queda de 0,2 e 2,6%, respectivamente.

EUROPA: As bolsas europeias avançam na manhã desta quarta-feira com os investidores reagindo aos balanços das empresas, aos preços do petróleo mais elevados e com os novos dados econômicos da zona do euro.

O PIB da zona do euro se recuperou  no primeiro trimestre de 2015 cresceu 0,4%, ante último trimestre de 2014, abaixo das estimativas do mercado, impulsionada principalmente pela expansão na França e Itália. Pela primeira vez desde o primeiro semestre de 2010, as quatro maiores economias da zona do euro registraram crescimento e pela primeira vez desde o primeiro trimestre de 2011, a economia da zona monetária cresceu mais rápido do que a economia dos EUA e do Reino Unido.

A Alemanha, maior economia da zona euro, registrou um crescimento de 0,3% em comparação com 0,7% no período anterior, enquanto a França e a Itália superaram as expectativas, crescendo 0,6% e 0,3%, respectivamente, depois de estar estagnado no período anterior.

O Stoxx Europe 600 sobe 0,92%, com todos os setores avançando, enquanto o FTSE 100 sobe após divulgação dos dados de emprego. O valor de referência de Londres caiu 1,4% na terça-feira, a maior queda diária desde o final de março.

O mercado de trabalho britânico continuou a se fortalecer durante o primeiro trimestre de 2015, apesar de um abrandamento no ritmo do crescimento econômico. A taxa de desemprego no Reino Unido foi de 5,5% nos três meses até março, o mais baixo desde meados de 2008. Durante o mesmo período, os salários mensais e semanais incluindo bônus aumentaram 1,9% e quando levado em consideração apenas o pagamento regular o avanço foi de 2,2%. Economistas esperam que os salários continuem a subir ao longo de 2015, porque a redução do desemprego dá aos funcionários mais poder de negociação. Embora a taxa de desemprego continue caindo, a queda no número real de desempregados durante o primeiro trimestre de 2015 foi o menor desde meados de 2013.

O Banco da Inglaterra cortou suas previsões de crescimento para a economia do Reino Unido, mas sinalizou que deve elevar a sua taxa de juro de referência que está na mínima histórica em meados do próximo ano. O BOE disse em seu relatório trimestral que a economia deverá expandir 2,5% em 2015 e 2,6% em 2016, em comparação com as suas previsões de fevereiro para o crescimento de 2,9% para este e próximo ano. A perspectiva mais fraca reflete fatores como o recente fortalecimento da libra, um mercado imobiliário lento e baixa produtividade e que os esforços da Grécia para chegar a um novo acordo com os seus credores internacionais sobre a ajuda financeira está lançando uma nova cortina de dúvidas sobre as perspectivas do Reino Unido.

SABMiller sobe 2,41% após dizer que a receita anual ficou em 26,29 bilhões dólares, um aumento de 5% em relação ao mesmo período do ano anterior, em linha com as expectativas dos analistas. O lucro, no entanto, caiu para $ 3,30 bilhões devido fraqueza da moeda em relação ao dólar. Entre as mineradoras, BHP Billiton sobe 0,48% e Rio Tinto avança 0,65%.

Na Grécia, o primeiro-ministro Alexis Tsipras pediu aos credores que quebre o impasse nas negociações, depois de Atenas honrou o pagamento de 750 milhões de euros para o Fundo Monetário Internacional (FMI). Apesar da probabilidade de um default ser altamente provável,  analistas acharam a magnitude do movimento nos mercados financeiros de ontem um pouco exagerado.

No resto da Europa, durante uma visita a Sochi para encontrar com o presidente russo, Vladimir Putin, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, pediu para as partes do conflito ucraniano que não violem o cessar-fogo acordado no início deste ano.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - Retail Sales (mede as vendas totais do mercado varejista, desconsiderando o setor de serviços) e o Core Retail Sales (exclui as vendas de automóveis e gás);
9h30 - Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo);
9h30 - Business Inventories (relatório sobre as vendas e os estoques do setor atacadista);
11h30 - Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);
14h01 - 10-y Bond Auction (leilão de títulos de 10 anos do governo americano);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h20:

ÁSIA
Nikkei: +0,71%
Austrália: +0,71%
Shanghai Composite: -0,56%
Hong Kong: -0,58%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,75%
London - FTSE: +0,64%
Paris CAC +1,21%
IBEX 35: +0,84%
FTSE MIB: +1,14%

COMMODITIES
BRENT: +1,64%
WTI: +0,08%
OURO: +0,12%
COBRE: -0,05%
SOJA: +0,29%
ALGODÃO: +0,17%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: +0,31%
SP500: +0,34%
NASDAQ: +0,44%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.

terça-feira, 12 de maio de 2015

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO - TERÇA-FEIRA 12/05/2015

ÁSIA: As bolsas asiáticas sofreram pressão nesta terça-feira, seguindo fechamento negativo em Wall Street, pesada por uma confluência de fatores, que incluem preocupações sobre a desaceleração do crescimento na China, bem como os ganhos dos rendimentos das obrigações globais levando a uma volatilidade nas últimas semanas, especialmente durante o período que antecedeu a divulgação dos dados de emprego nos EUA na última sexta-feira.

A alta dos yields do Tesouro dos EUA, que empurram para cima os custos das empresas e endividamento das famílias, foram um ponto negativo para os mercados. O rendimento dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA subiu para 2,27% e o rendimento dos títulos de 30 anos superou 3,03%, enquanto o  rendimento do bund alemão de 10 anos subiu para 0,62%.

Na China, o Shanghai Composite subiu 1,58% e aumentando a série de vitórias para três dias, graças ao corte da taxa de juros pelo banco central no domingo. As corretoras fecharam em alta. Founder Securities e Haitong Securities fechando acima de 2.3 e 1.5%, respectivamente.

O Banco Industrial e Comercial da China fechou em baixa de 0,2%, enquanto outros players financeiros terminaram com ganhos modestos. No setor imobiliário, os pesos pesados ​​como Poly Real Estate e China Vanke caíram mais de 1% cada.

O relatório de vendas de automóveis da China mostraram uma queda de 0,5% em Abril. SAIC Motor e Guangzhou Auto recuaram 0,7 e 1,4%, respectivamente,  Changan Automobile Group declinou 2,4%, enquanto Dongfeng Auto disparou até a valorização máxima diária permitida de 10 por cento. Shenzhen-listados FAW Group saltou para cima quase 2 por cento.

Enquanto isso, os mercados de Hong Kong fez uma pausa nas altas e terminou em queda de 1,1%.

S & P ASX 200 da Austrália fechou em alta de 0,8%, quebrando uma sequência de cinco dias de queda, com investidores em busca de barganhas, antes da divulgação do orçamento federal anual no final do dia. Analistas esperam um déficit de mais de 40 bilhões de dólares australianos (31.500 milhões dólares),

Os bancos estavam no centro das atenções. National Australia Bank retomou as negociações depois de levantar 2,7 bilhões dólares americanos junto de investidores institucionais e fechou em baixa de 0,5%. Australia and New Zeland Banking , Westpac e Commonwealth Bank of Australia subiram entre 0,9 e 1,5%.

O setor de recursos avançaram, com BHP Billiton superando o desempenho do setor com uma alta de 2,2%, enquanto Rio Tinto subiu 1,1%.

Nikkei do Japão recuperou de uma baixa de sete dias no intraday e terminou ligeiramente superior ao fechamento do dia anterior. Analistas acreditam que o corte da taxa na China, destinado a aumentar a liquidez nos mercados financeiros, deve limitar a desvantagem em relação à Tóquio.

Operadora de telefonia móvel Softbank caiu 0,7%, apesar de superar as expectativas do mercado com lucro operacional de 982.7 mil milhões de ienes (8200 milhões dólares) no primeiro trimestre.  Montadoras avançaram. Suzuki Motor disparou 7,8%, apesar de uma queda de 4,4% no lucro operacional no primeiro trimestre. Toyota Motor e Nissan subiram 0,6 e 0,2%, respectivamente, enquanto Honda recuou 0,9%.

Depois de despencar quase 30% na sessão anterior após o anúncio de uma redução de capital social, a gigante de eletrônica Sharp recuperou 11%, no entanto, o conglomerado industrial Toshiba estendeu as perdas e fechou em baixa de 0,6% após mergulhar 1,6% na sessão anterior.

EUROPA: As bolsas europeias recuam na manhã desta terça-feira, com investidores apreensivos com as negociações entre a Grécia e os ministros das finanças  da zona do euro.

As reformas da Grécia foi o principal tema da rodada de negociações entre o país e o grupo dos ministros das finanças da zona do euro em Bruxelas na segunda-feira. Sem a reforma, o país não poderá receber a parcela vital da ajuda equivalente a 7,2 bilhões de euros (8,03 bilhões dólares americanos). Jeroen Dijsselbloem, o chefe do Eurogrupo, disse que a Grécia poderia começar a receber alguns fundos de emergência se começasse as reformas acordadas com os seus credores, no entanto, ele advertiu que um referendo sobre programa de resgate da Grécia poderia atrasar qualquer antecipação da parcela de ajuda.

Mercados de ações e títulos governamentais europeus foram atingidos com uma onda de vendas na terça-feira, com recentes sinais de estabilidade no mercado provar ser de curta duração. A fraqueza ecoou no mercado do Tesouro dos EUA na segunda-feira, onde os yields de 10 anos subiu para seu nível mais alto em mais de cinco meses, com os investidores preparando para novas vendas das dívidas.

As vendas dos bônus globais estão entrando em sua segunda semana, após uma breve pausa no final da semana passada, com os investidores ainda tentando entender o que desencadeou a primeira onda de vendas, mas alegam que os mercados caíram porque os investidores acreditavam que os títulos subiriam ainda mais após um forte rali no início de 2015.

O rendimento dos 10 anos de obrigações de referência da Alemanha subiu em 0,08 ponto percentual para 0,66%. Bonds em toda a área do euro enfraqueceu em montantes semelhantes. Os rendimentos aumentam à medida que os preços caem.

A fraqueza nos mercados de obrigações continuaram a assombrar sobre os mercados de ações. O índice Stoxx Europe 600 recua 1,74%.

Em Londres, o FTSE 100 do Reino Unido cai em linha com o resto do continente, pesada por uma queda de 8,2% na EasyJet, após a companhia alertar que a receita por assento cairá abaixo de um dígito nos seis meses até Setembro. A empresa voltou a registrar lucro de 5 milhões de libras (7,8 milhões dólares) no primeiro semestre, enquanto a receita subiu 3,8%, para £ 1,8 bilhão, puxada por uma boa ocupação nas estações de esqui no inverno, aliado à baixa nos custos de combustível.

A gigante BHP Billiton cai 0,19%, após dizer que planeja cortar mais os custos devido a persistente fraqueza nos preços das commodities, mas o resto do setor registram perdas mais pesadas. Rio Tinto cai 1,37% e Anglo American perde 1,03%.

As indústrias britânicas aumentaram a produção em março, depois de passar por um período de calmaria nos últimos meses. A produção industrial do Reino Unido subiu 0,5% no mês, em comparação com um crescimento de 0,1% em fevereiro e acima do que os analistas consultados pelo The Wall Street Journal na semana passada estavam esperando.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
10h00 - NFIB Small Business Index (índice de otimismo do pequeno empresário);
11h00 - JOLTS Job Openings (pesquisa mensal em diferentes indústrias em que analisa contratações, abertura de emprego, demissões, recrutamentos, etc);
15h00 - Federal Budget Balance (orçamento federal dos Estados Unidos);
13h45 - Discurso do Presidente do Federal Reserve de Nova York William Dudley;

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h20:

ÁSIA
Nikkei: +0,02%
Austrália: +0,88%
Shanghai Composite: +1,58%
Hong Kong: -1,12%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -2,11%
London - FTSE: -1,74%
Paris CAC -1,72%
IBEX 35: -1,75%
FTSE MIB: -0,88%

COMMODITIES
BRENT: +2,16%
WTI: +1,64%
OURO: +0,94%
COBRE: +1,03%
SOJA: -0,75%
ALGODÃO: -0,52%

ÍNDICES FUTUROS
DOW: -0,70%
SP500: -0,67%
NASDAQ: -0,81%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.