Veja Também

Veja Também

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 31/08/2017

ÁSIA: Os índices asiáticos fecharam misturados nesta quinta-feira, com investidores avaliando os PMI de manufatura e serviços da China, bem como digerindo os sólidos dados econômicos dos EUA. O PIB revisado do segundo trimestre mostrou que a economia americana cresceu 3% nesse período, acima de 2,6% calculado anteriormente. Enquanto isso, o setor privado nos EUA adicionou 237 mil postos em agosto, de acordo com o último lançamento da ADP e da Moody's Analytics. Esse foi o ritmo mais rápido do crescimento em cinco meses.

O PMI oficial de manufatura da China aumentou para 51,7 em agosto, superando a previsão 51,3 dos analistas. Enquanto isso, o PMI oficial de serviços caiu para 53,4 em agosto, em comparação com 54,5 de julho. O número de agosto foi o menor desde maio de 2016. Os mercados da China foram misturados. O Índice Hang Seng de Hong Kong recuou 0,44%, enquanto no continente, o Shanghai Composite caiu 0,08% mas o Shenzhen Composite ganhou 0,31%. As ações dos principais bancos da China recuaram apesar de reportar sólidos ganhos e diminuir os índices de inadimplência dos empréstimos. As ações do Banco da China negociadas em Hong Kong caiu 0,73%, Banco Industrial e Comercial da China afundou 2,82% e o Banco Agrícola da China caiu 1,88%. As ações dos bancos listados no continente também seguiram o sentido sul.

O Nikkei do Japão subiu 0,72%, para fechar em 19.646,24, com ganhos vistos em montadoras e na maioria das ações de tecnologia, à medida que o dólar se fortaleceu para seus níveis mais altos em cerca de duas semanas contra o iene, fechando em 110,44 ienes, ligeiramente abaixo da máxima de 110.60 alcançado na sessão anterior. A produção industrial caiu 0,8%, em comparação com o mês anterior, ligeiramente maior do que a previsão de uma queda de 0,5% de analistas.

Enquanto isso, Kospi da Coreia do Sul recuou 0,38%, em 2.363,19 pontos, pesada por uma queda de 3,54% da montadora sul coreana Kia Motors, condenada a pagar 420 bilhões de won (US $ 374 milhões) em salários não pagos por um tribunal. O banco central da Coreia do Sul manteve sua taxa de política inalterada em 1,25%, como esperado.

Abaixo, o S & P / ASX 200 avançou 0,79% e terminou em 5.714,5 pontos com a aproximação do fim da temporada de relatórios corporativos. O índice foi impulsionado pela força na maioria dos setores. O subíndice financeiro pesadamente ponderado aumentou 0,71%. O dólar australiano, muitas vezes sensível aos dados econômicos chineses, mergulhou para $ 0,7884 após o lançamento depois de negociar em torno de $ 0,791, negociados anteriormente à divulgação dos dados. A moeda recuperou mais tarde para $ 0,7902, um pouco acima do fechamento de quarta-feira de $ 0,7898. Entre as mineradoras australianas, BHP Biliton subiu 1,6%, Fortescue avançou 2,2% e Rio Tinto adicionou 1,9%.

Os mercados da Malásia ficaram fechados por conta de um feriado público.

EUROPA: Os mercados europeus avançam nesta quinta-feira, com investidores digerindo novos dados, enquanto as tensões geopolíticas diminuem. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,70%. O índice de referência regional progride para fechar agosto com uma queda de 1,3%, o que marcaria seu terceiro mês consecutivo de perdas. As ações foram prejudicadas pela força do euro que recentemente atingiu uma máxima de mais de dois anos frente ao dólar dos EUA e um aumento de cerca de oito anos frente à libra.

Os ganhos regionais são liderados por um salto nas ações dos produtores de metais, que empurra o Índice de Recursos Básicos do Stoxx Europe 600 para uma alta de 1,59% depois que um indicador oficial da atividade das fábricas da China subir em agosto. A China é um dos principais compradores de metais preciosos e industriais, fazendo com que as empresas de mineração fiquem sensíveis à evolução da segunda maior economia do mundo. A produtora de cobre Antofagasta sobe 2,1%, e Anglo American aumenta 2,9%. As gigantes BHP Biliton e rio Tinto sobem 1,4 e 2,2%, respectivamente, enquanto a produtora de aço ArcelorMittal avança 2,38%.

O índice FTSE 100 opera em alta, com apenas o setor de petróleo e gás no vermelho. O índice de referência de Londres fechou em alta de 0,4% na quarta-feira e segue em curso para um modesto aumento mensal de 0,5%. Isso marcaria uma segunda alta mensal consecutiva para o índice. Ações da BP recuam 0,03% e Royal Dutch Shell cai 0,30%.

Entre os dados econômicos, a inflação na zona do euro deverá acelerar para 1,5% em agosto, de acordo com uma primeira leitura instantânea do Eurostat, ante uma leitura de 1,3% em julho e uma estimativa da FactSet de 1,4%. A inflação subjacente foi de 1,2% em agosto, atendendo às expectativas. O desemprego na zona do euro foi de 9,1% em julho, segundo o Eurostat, inalterado em relação a junho e abaixo de 10% em julho de 2016. O euro aumentou ligeiramente para US $ 1,1907 após os dados de inflação da eurozona de agosto.

Na Alemanha, os pedidos de desemprego caíram 5.000 postos em agosto, como esperado e a taxa de desemprego manteve-se em uma baixa recorde de 5,7%.

A confiança do consumidor no Reino Unido aumentou dois pontos em agosto para -10, ante uma leitura de -12 em julho, que corresponde à queda pós-Brexit de 2016, disse GfK.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para uma abertura positiva. Na quarta-feira, todos os índices em Wall Street fecharam em alta depois de fortes leituras sobre o crescimento econômico dos EUA e empregos do setor privado, com o S & P aumentando pela quarta sessão consecutiva.

Se o Dow e o S & P terminem no vermelho em agosto, essa seria a primeira queda mensal desde março para cada um. Para o ano, o barômetro de "blue-chips" avança 11%, enquanto o S & P sobe 10% e o Nasdaq aumenta 18%.

Hoje os investidores estão à espera de um relatório sobre a renda pessoal, os gastos dos consumidores e a inflação subjacente, bem como novos dados sobre os pedidos de desemprego, o mercado imobiliário e as condições comerciais da área de Chicago, enquanto amanhã acompanharão os números do mercado de trabalho.

O relatório de julho sobre a renda pessoal, gasto dos consumidores e a inflação subjacente deve ser divulgado às 9h30, com economistas prevendo um crescimento de 0,4% tanto para receitas como para desembolsos, mais um aumento de 0,1% na inflação. No mesmo momento, espera-se o lançamento das reivindicações semanais de seguro desemprego e deve apontar números próximos de 235.000 reivindicações.

Às 10h45, os investidores apreciarão a leitura de agosto sobre as condições de negócios na área de Chicago e as vendas de casa pendentes em julho estão programadas para chegar às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 8h25:
Dow: +0,25%
SP500: +0,23%
NASDAQ: +0,20%
OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 30/08/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira, seguindo a força de Wall Street. O ressurgimento do apetite dos investidores por ativos mais arriscados ocorreu apesar da resposta do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação ao lançamento, sugerindo que não haverá trégua para o governo de Pyongyang e que "todas as opções estão sobre a mesa".

A insinuação de Trump no que diz respeito à Coreia do Norte "deveria ter aumentado a aversão ao risco", mas os investidores parecem ter ignorado a tensão geopolítica, como repetidamente foi o caso neste ano, depois dos ataques.

Nikkei do Japão adicionou 0,74% e fechou em 19.506,54 pontos. O dólar se recuperou da queda contra a moeda japonesa após o lançamento do míssil de terça-feira da Coreia do Norte. O dólar buscou 110,11 ienes, acima de 108,82 ienes visto no início desta semana. O lançamento dos números das vendas no varejo do Japão no mês de julho mostrou um aumento de 1,9% em relação ao ano anterior. A leitura foi acima da previsão de aumento de 1%.

O Kospi da Coreia do Sul subiu 0,32%, com a recuperação das ações de tecnologia após "selloff" de terça-feira: SK Hynix fechou em alta de 1,33% e a Samsung SDI subiu 3,77%.

Abaixo, o S & P / ASX 200 da Austrália fechou ligeiramente acima da linha plana, com ganhos moderados nos setores de tecnologia da informação e consumo, compensando a queda de 5,66% no subíndice de serviços de telecomunicações. O índice de referência fechou em alta em 0,01%, em em 5669.72 pontos.

As ações da maior empresa de telecomunicações da Austrália, a Telstra, chegou a cair quase 8% no início da sessão, após a National Broadband Network rejeitar uma proposta de monetização que a telecom estava fazendo. Agora esta transação não deverá prosseguir. O papel fechou em baixa de 6,25%. As perdas nos principais bancos também arrastaram o sharemarket para baixo, enquanto as mineradoras australianas tiveram um desempenho misto. BHP Billiton subiu 0,6%, Rio Tinto avançou 0,1%, enquanto Fortescue recuou 1,9%.

Os mercados da China fecharam misturados. O índice Hang Seng subiu 1,19%, enquanto os mercados do continente apresentaram uma performance mais moderada: o Shanghai Composite recuou 0,07%, enquanto o Shenzhen Composite adicionou 0,35%. Várias empresas lançaram seus relatórios semestrais após o fechamento do mercado na terça-feira. As ações da China Southern Airlines aumentaram 4,23% em Hong Kong, apesar da companhia anunciar na terça-feira que seu lucro no primeiro semestre caiu 11%. As ações da empresa negociada no continente fecharam em alta de 5,1%. As ações da China Eastern Airlines negociadas em Hong Kong ganharam 2,36% após o lucro do primeiro semestre saltar 34%, enquanto as ações negociadas na Bolsa de Valores de Xangai subiram 1,29%.

O salto nas ações das companhias aéreas chinesas ocorreu após o Banco Popular da China definir o ponto de referência do yuan em 6.6102 yuan por dólar, nível mais forte em mais de um ano. As operadoras tendem a melhorar quando o dólar é mais fraco, pois isso afeta seus custos de combustível.

EUROPA: Os mercados europeus sobem na manhã desta quarta-feira, enquanto os investidores tentam expulsar qualquer nervosismo acerca das tensões com a Coreia do Norte, aproveitando o sentimento positivo observado no exterior. O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,6% depois de atingir seu nível mais baixo desde 10 de fevereiro na terça-feira. Essa queda ocorreu depois que a Coreia do Norte lançou um míssil balístico sobre o Japão, em uma jogada vista como outra provocação direta de Pyongyang para desestabilizar a região asiática.

Analistas disseram que as respostas e medidas equilibradas ao teste de mísseis do presidente dos EUA, Donald Trump e outros líderes globais ajudaram a acalmar os medos sobre uma possível escalada no conflito.

O setor bancário avança apoiado por algumas atualizações no setor. O Swedbank sobe 1,7% depois que o JPMorgan atualizou sua recomendação sobre o banco sueco.

O euro move-se ligeiramente para baixo contra o dólar nos primeiros negócios, em US $ 1,19 após quebrar os $ 1,20 na sessão anterior devido questões geopolíticas.

O FTSE 100 do Reino Unido segue a caminho para quebrar uma sequência perdedora de duas sessões, recuperando da queda de 0,9% visto na terça-feira. As produtoras de ouro que estavam entre as maiores altas na terça-feira, recuam nesta quarta-feira. Randgold Resources cai 0,69% enquanto Anglo American cai 1,1%. Entre outras mineradoras, a produtora de cobre Antofagasta sobe 0,2% e as gigantes, BHP Biliton e Rio Tinto também avançam 0,2% cada.

Entre as notícias econômicas, a inflação da Espanha aumentou para 2% em agosto, ante 1,7% em julho e superior à previsão de 1,8%. A confiança do consumidor na zona do euro subiu para -1,5 em agosto, ante -1,7 em julho, enquanto a leitura do bloco sobre o sentimento econômico subiu para 111,9, ante 111,3.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apresentam um desempenho positivo, colocando o S & P 500 em busca de sua quarta sessão consecutiva de alta.

Os investidores estão à espera de uma leitura sobre o crescimento econômico dos EUA e  relatório mensal da ADP sobre empregos do setor privado e também monitoram as consequências do furacão Harvey e o último lançamento do míssil da Coreia do Norte. Os economistas esperam que o PIB mostre um crescimento de 2,8% no segundo trimestre e será divulgado às 9h30 da manhã, enquanto o lançamento da ADP está programado para às 9h15 e vem à frente do tão aguardado relatório "payrolls" que será divulgado na sexta-feira.

Entre as autoridades do Federal Reserve, o governador do Fed, Jerome Powell, deve pronunciar um discurso às 10h15 sobre o papel dos conselhos das grandes empresas financeiras em uma conferência do Fed de Chicago.

ÍNDICES FUTUROS - 6h55:
Dow: +0,08%
SP500: +0,02%
NASDAQ: +0,11%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 29/08/2017

ÁSIA: As bolsas asiáticas caíram na madrugada desta terça-feira, enquanto os investidores se voltavam para ativos seguros após aumento das tensões geopolíticas depois que a Coreia do Norte lançou um míssil balístico que sobrevoou sobre o Japão na terça-feira. O míssil dirigiu en direção da região de Tohoku antes de cair no oceano pacífico. A última vez que um projétil do estado do eremita sobrevoou o Japão foi 2009, de acordo com a Reuters.

Os preços do ouro spot subiram para a máxima em quase 10 meses no início da sessão. O metal amarelo chegou até US $ 1.322,33 a onça antes de fechar em US $ 1.318,94, um pouco acima dos US $ 1.317,10 observados na segunda-feira.

Enquanto isso, a moeda japonesa reforçou frente ao dólar, sendo negociado à 108,32 ienes por dólar, seu nível mais forte em cerca de quatro meses. O Nikkei do Japão caiu 0,45%, em 19.362,55 pontos. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, classificou o lançamento como uma "ameaça grave, sem precedentes e que prejudica a paz e a segurança na região".

Através do estreito coreano, o Kospi caiu 0,23% e terminou em 2.364,74 pontos, com investidores processando os últimos desenvolvimentos na península. A maioria das blue chips recuaram: Samsung Electronics caiu 0,04%, LG Electronics despencou 2,49% e Hyundai Motor caiu 0,35%, enquanto  papeis ligados à defesa subiram com as notícias. Victek disparou 7,31%. O won coreano caiu quase 1% em relação ao dólar no início da sessão.

Abaixo, o S & P / ASX 200 caiu 0,72% em 5.699 pontos com os subíndices financeiros fortemente ponderado pesou sobre o benchmark. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton fechou em baixa de 0,3%, enquanto Fortecue subiu 1,7%

O sentimento por risco também pesou nos mercados da China. O índice Hang Seng caiu 0,35%, enquanto os mercados continentais tiveram quedas mais moderadas. O Shanghai Composite apagou as perdas anteriores para fechar 0,09% maior, enquanto o Shenzhen Composite deslizou 0,24%.

EUROPA: Os mercados europeus seguem seus pares asiáticos e sofrem perdas pesadas, com aumento das preocupações geopolíticas em torno da Coreia do Norte aumentando preocupações nos mercados globais. O índice Stoxx Europe 600 recua 1,34% e segue em curso para o menor fechamento desde o início de fevereiro. O benchmark pan-europeu também segue para a sua pior queda percentual desde o final de setembro de 2016. Aproximadamente 25 ações do Stoxx 600 sobem.

O selloff ocorre depois que Pyongyang lançou um míssil no início desta terça-feira, cruzando a ilha japonesa de Hokkaido e caindo no Oceano Pacífico. Foi o primeiro míssil disparado sobre o Japão desde 2009 e levou os investidores a buscar segurança em ativos menos arriscados, como o ouro, títulos do tesouros dos EUA e o iene, enquanto o dólar e ações foram as principais vítimas. O dólar caiu para a mínima de um mês contra o franco suíço, a 94,64 francos e também contra o euro que subiu para US $ 1,20 pela primeira vez desde janeiro de 2015.

Os investidores também digerem o impacto do furacão Harvey, que atingiu o Texas durante o fim de semana, derrubando quase 15% da capacidade da refinaria de petróleo dos EUA. Royal Dutch Shell cai 0,41% contribuindo para a queda de 1,3% no Stoxx Europe 600 Oil & Gas Index, após dizer na segunda-feira que a refinaria de Deer Park e instalações químicas na área de Houston estão tendo problemas com armazenamento devido as fortes chuvas.

Entre os dados econômicos, a confiança do consumidor na Alemanha deverá melhorar ainda mais em setembro, atingindo 10,9 pontos, seu nível mais alto em quase 16 anos, segundo o levantamento mensal do Instituto GfK. Os gastos de consumidores franceses aumentaram 0,7% em relação ao mês anterior e 2,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, em comparação com as expectativas de ganhos de 0,4% e 1% de uma pesquisa do Wall Street Journal com economistas. A recuperação da contração em junho ocorreu quando as famílias da segunda maior economia da zona do euro gastaram mais em alimentos e produtos manufaturados. Uma segunda leitura do PIB francês no segundo trimestre subiu 0,5% em relação ao período anterior, como esperado. Os preços das casas no Reino Unido caíram 0,1% em relação ao mês de agosto, após um modesto aumento no mês anterior.

O FTSE 100 do Reino Unido cai mais de 1%, movendo-se a maior baixa desde 11 de agosto. As negociações no Reino Unido estavam fechadas segunda-feira por conta de um feriado. A maioria das mineradoras que negociam na LSE caem. Anglo American cai 0,7%, Antofagasta recua 1,8%, BHP Billiton cai 1,3% e Rio Tinto cai 1,6%. RandRold Resources dispara 3,90% e Fresnillo avança 2,53%. As produtoras de metais preciosos rastreiam o salto nos preços do ouro em torno de uma alta de 11 meses.

Terça-feira também marca o segundo dia de negociações da terceiro rodada do Artigo 50 do Reino Unido com a União Europeia (UE) em Bruxelas para discutir o futuro de ambas as regiões depois que a Grã-Bretanha sair do bloco. Na segunda-feira, o negociador-chefe da UE, Michel Barnier, disse aos repórteres que estava preocupado com o quão lento o progresso foi até agora. O secretário responsável pelo Brexit, David Davis, pediu flexibilidade e imaginação nas conversações para que ambos os lados possam se concentrar em seu relacionamento futuro depois que o Brexit for concluída.

EUA: Os futuros de ações dos EUA seguem negociando em baixa, depois que um míssil norte coreano sobrevoou o espaço aéreo japonês, levando investidores a procura de ativos percebidos como mais seguros do que ações.

O índice de volatilidade VIX dispara cerca de 22%. O VIX é considerado o "indicador de medo", mas a alta no intraday desta terça-feira ainda permanece abaixo de 17,28 atingido em 11 de agosto, quando o presidente Donald Trump respondeu à Kim Jong-Un da ​​Coreia do Norte com a promessa de "fúria e fúria".

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
10h00 - S&P/CS Composite-20 HPI (examina as mudanças no valor (preço de venda) do mercado imobiliário em 20 regiões nos EUA no ano anterior. Este relatório ajuda a analisar a força do mercado imobiliário dos EUA, o que contribui para a análise da economia como um todo);
11h00 - CB Consumer Confidence (mede o nível de confiança dos consumidores na atividade econômica. É um indicador importante, pois pode prever os gastos do consumidor, que é uma parte importante da atividade econômica);

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,52%
SP500: -0,67%
NASDAQ: -0,85%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 28/08/2017

ÁSIA: Os índices asiáticos navegaram às cegas na segunda-feira, depois da falta de detalhes  da reunião de Jackson Hole na sexta-feira, enquanto os mercados de petróleo digeriram os impactos do furacão Harvey na costa do golfo dos EUA. A Shell e a Petrobras estão entre as empresas que fecharam suas refinarias na área de Houston, devido chuvas intensas e enchentes de grande monta.

Os potenciais danos devido às condições climáticas sobre as instalações de refinação na Costa do Golfo impactaram nos preços da gasolina, enquanto os preços do petróleo diminuíram devido à menor demanda dessas refinarias por petróleo bruto necessário para produzir a gasolina.

A presidente do Federal Reserve, Janet Yellen e o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, mantiveram o silêncio sobre questões das futuras políticas monetárias na reunião, frustrando os investidores que esperavam uma posição mais clara de ambos.

O Nikkei do Japão terminou praticamente inalterado, terminando a sessão em baixa de 0,01% a 19.449,9 pontos. 

Atravessando o estreito coreano, o Kospi deslizou 0,35% em 2.370,3 pontos, com uma liquidação nos “stocks” de tecnologia pesando sobre o mercado. A Samsung Eletronics caiu 1,9% após o chefe de fato do Grupo Samsung, Jae Y. Lee ser condenado a 5 anos de prisão na sexta-feira. Samsung C & T, uma afiliada da Samsung, caiu 3,%.

Abaixo, o S & P / ASX 200 foi pressionado pelo subíndice financeiro altamente ponderado, após investigação do órgão regulador sobre as falhas do CBA aumentar pressão sobre o maior banco do país. O índice caiu 0,59%, para fechar em 5.709,9 pontos, com a temporada de relatórios chegando ao fim nesta semana.

Também pesou sobre o mercado, a queda de 5,7% das ações da companhia aérea Qantas, após rebaixamento do “stock” e após a companhia anunciar uma remodelação da sua administração.

O impulso ascendente das mineradoras também diminuiu nesta segunda-feira, após queda da recente euforia nos mercados de metais. Fortescue caiu 1,7%, enquanto Rio Tinto perdeu 1,2%. O aumento da gasolina ajudou o setor a subir, o único do ASX a obter ganhos. Woodside Petroleum subiu 0,5% e Caltex Australia subiu 1,7%.

Na China, os mercados ignoraram a tendência regional negativa e fechou em  alta. O Shanghai Composite avançou 0,94% e o Shenzhen Composite adicionou 1,39%. O lucro das empresas industriais da China cresceu 16,5% em julho, ante ganho de 19,1% em junho, após ondas de calor no país forçarem muitas fábricas a parar a produção. Essa desaceleração do lucro está em linha com a desaceleração econômica em julho, uma vez que os esforços de Pequim para reduzir os níveis da dívida e conter a especulação sobre imóveis começaram a pesar sobre o crescimento.

O departamento de estatísticas disse que as empresas estatais do país testemunharam uma recuperação da rentabilidade, especialmente aquelas nos setores de carvão e aço. Em julho, o índice dívida / capital das empresas industriais da China diminuiu para 55,8%, em comparação com 55,9% em junho.

O índice Hang Seng de Hong Kong fechou em alta de 0,05%.  O benchmark chegou a ser negociado acima de 28.000 pontos pela primeira vez desde maio de 2015, sustentado por resultados robustos de algumas empresas blue-chips no primeiro semestre.

Os mercados filipinos ficaram fechados por conta de um feriado público.

EUROPA:  As bolsas europeias caem nesta segunda-feira, após o euro atingir seu nível mais alto frente ao dólar em mais de dois anos. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,42% após o índice pan-europeu terminar a sessão de sexta-feira em baixa de 0,1% e terminar a semana recuando 0,1%.

O FTSE 100 do Reino Unido está fechado nesta segunda devido o August Bank Holiday e isso deve significar volumes de negociação mais fracas do que o habitual.

Os setores de recursos básicos e de petróleo e gás estavam entre os piores desempenhos, com os mercados digerindo o impacto do furacão Harvey nos EUA, que destruiu muitas refinarias e afetou a produção do petróleo na região do golfo. Os preços do petróleo caíram ligeiramente na manhã de segunda-feira. O Stoxx Europe 600 Oil & Gas Index recua 0,3%. As ações da produtora de petróleo francesa Total caem 0,21% e as ações da Royal Dutch Shell listada em Amsterdam recuam  0,4%.

No mercado de divisas, o euro avança frente ao dólar depois que o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, fez dois discursos na semana passada, não dando indicações sobre os próximos passos do banco em relação à sua política monetária. Na reunião em Jackson Hole na sexta-feira, Draghi disse apenas que as políticas protecionistas poderiam representar “um sério risco” para o crescimento da economia global, mas acrescentou que a recuperação econômica global parece estar firme. Ao mesmo tempo, a presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, disse que, embora as ações feitas pelos reguladores na sequência da crise tornaram o sistema financeiro mais seguro mas que algumas regulamentações ainda podem ser necessárias, parecendo ser uma indireta para o governo Trump.

Os exportadores em toda a Europa recuam devido a força do euro. Entre os grandes nomes, as ações dos fabricantes de automóveis alemães BMW recuam 0,92%, enquanto Daimler perde 0,73%, enquanto a produtora francesa de beleza L'Oreal cai 0,53%. A força do euro pode prejudicar os exportadores, pois afetam as receitas feitas no exterior.

O suprimento monetário na zona do euro caiu forte em julho, segundo dados do Banco Central Europeu. O indicador de oferta de dinheiro M3 do bloco de 19 países cresceu 4,5% em termos anuais, em comparação com uma taxa de crescimento de 4,9% prevista por economistas. Em junho, a taxa de crescimento foi de 5,0%. Na média dos últimos três meses, o M3 cresceu 4,8% contra uma previsão de 5,0%. Os empréstimos às empresas aumentaram 2,4% após aumento de 2,0% em junho, enquanto os empréstimos domésticos cresceram 2,6%, semelhante ao mês anterior.

A segunda-feira marca o lançamento da terceira rodada de negociações do Artigo 50 do Reino Unido com a União Européia (UE), onde autoridades estarão reunidos em Bruxelas.

No início deste ano, o negociador chefe da UE, Michel Barnier, disse que a terceira rodada de negociações deveriam esclarecer certas questões, incluindo acordos financeiros.

EUA:  Os futuros apontam para uma abertura mais baixa em Wall Street, enquanto os investidores observam a política dos EUA e os movimentos do petróleo. As bolsas americanas fecharam mescladas na sexta-feira depois que nem a presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, nem o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, deram indícios sobre o futuro da política monetária de seus respectivos bancos centrais.

Dow Jones Industrial Average terminou 0,14% maior na sexta-feira, enquanto o índice S & P 500 avançou 0,17%, mas o Nasdaq Composite Index recuou 0,09%, ainda assim, os três benchmarks terminaram a semana passada com ganhos.
  

A política dos EUA continua a manter os investidores atentos em busca de qualquer reação às notícias em torno do presidente dos EUA e por respostas da administração em relação ao Harvey.

Os futuros da gasolina nos Estados Unidos avançam nesta segunda-feira, depois que o ex-furacão, agora tempestade tropical Harvey interrompeu quase 15% da capacidade das refinarias do país e ainda são aguardadas novas interrupções no fornecimento, inclusive na Exxon Mobil na área de Houston. A segunda maior refinaria dos EUA processa até 560 mil barris de petróleo por dia, alimentando combustível em oleodutos e barcaças que o movem através dos EUA do sudeste à Costa Leste.

Na Bolsa Mercantil de Nova York, futuros de petróleo para entrega em outubro caem 1,21% na sessão eletrônica Globex. O mergulho nos futuros de petróleo da Nymex reflete as preocupações com a demanda na região após paradas das refinarias, mas os preços do petróleo bruto provavelmente continuarão sob pressão com o impacto da tempestade no final da semana.

Os investidores também manterão os olhos nos dados de estoque dos EUA nesta semana, que poderá ter uma redução dos suprimentos causada pelo Harvey.  As refinarias dos EUA produziram quantidades recordes de combustível durante o verão.

Analistas observaram que Harvey também desligou várias grandes plataformas de petróleo e gás offshore no Golfo do México. As plataformas representam cerca de 22% da capacidade de produção de petróleo no mar no Golfo.

Os preços do petróleo bruto também poderão sofrer especulações com os membros da OPEP que podem ampliar seu limite de produção até março do ano que vem.

O relatório sobre comércio de mercadorias em julho é devido às 9h30. Espera-se que o déficit comercial se eleve para um valor dessazonalizado de US $ 64,6 bilhões, de acordo com economistas.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - Goods Trade Balance (diferença entre exportação menos importação de bens);
9h30 - Prelim Wholesale Inventories (dados preliminares de vendas e estoques no atacado americano);

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,10%
SP500: -0,05%
NASDAQ: -0,11%





OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 25/08/2017

ÁSIA: A maioria dos índices da Ásia fechou em alta nesta sexta-feira, afastando-se das incertezas em Washington que derrubou as bolsas em Wall Street na quinta-feira, enquanto os investidores se anteciparam em relação ao simpósio anual de bancos centrais em Jackson Hole.

O Nikkei do Japão subiu 0,51% e fechou em 19.452,61 pontos, com ganhos de montadoras, varejistas e setor financeiro gerando apoio ao índice. O CPI de julho do Japão cresceu 0,5% em comparação com um ano atrás, em linha com as expectativas, ante crescimento de 0,4% em junho. Esse foi o sétimo mês consecutivo de ganhos, o que refletiu num iene mais fraco perante o dólar. O dólar americano negociou a ¥ 109,60, ante ¥ 109 da quinta-feira. Para o Japão, os preços crescentes são bem-vindos, porque o país tem tido uma batalha contra a deflação por um quarto de século e isso também deve oferecer algum suporte para as ações japonesas. 

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi fechou em alta de 0,11%, em 2.378,51 pontos. Ações das empresas do conglomerado Samsung na Korea Exchange fecharam em baixa depois que um tribunal anunciou a condenação do chefe de fato do Samsung Group, Jay Y. Lee, por 5 anos, devido suborno e desvio de 6,4 bilhões de wons. Após o anúncio, a Samsung Electronics fechou em baixa de 1,05% e a Samsung C & T caiu 1,48%.

Abaixo, o S & P / ASX 200 recuou 0,03%, para finalizar a sessão em 5.743,9 pontos, com os investidores digerindo ganhos numa semana caracterizada pela ausência de notícias, mas que esse ambiente deverá começar a desaparecer na próxima semana com o fim das férias de verão. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton subiu 0,5%, Fortescue avançou 0,9% e Rio Tinto subiu 0,7%.

O Índice Hang Seng de Hong Kong subiu 1,21% com mercados animados com fortes ganhos publicados por várias empresas após o fechamento do mercado na quinta-feira. No continente, o Shanghai Composite saltou 1,84% e o Shenzhen Composite adicionou 1,04%.

Os mercados da Índia ficaram fechados por conta de um feriado público.

EUROPA: Os mercados europeus consolidam um movimento de alta após evoluírem entre pequenos ganhos e perdas no início da sexta-feira, quando os investidores se preparavam para o principal evento da semana: os discursos dos chefes  dos bancos centrais da zona do euro e dos EUA em Jackson Hole, Wyo.

O índice Stoxx Europa 600 avança 0,31%, após fechar 0,2% maior na quinta-feira e segue a caminho para um ganho semanal de 0,4%.

A reunião, organizada pela Reserva Federal de Kansas, começou no final da quinta-feira e será finalizada no sábado. A presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos, Janet Yellen, está programada para discursar às 11 horas, enquanto Draghi falará às 4 horas da tarde. Os investidores esperam por dicas sobre o futuro da política monetária na Europa e nos EUA, mas podem ficar desapontados. Fontes do BCE já disseram à Reuters que Draghi não estará discutindo as taxas de juros ou o programa de flexibilização quantitativa do banco, mas focará o tema do simpósio: "Promovendo uma economia global dinâmica". 

O índice de expectativa de negócios alemão Ifo caiu para 115,9 em agosto, ante 116 em julho. Os analistas esperavam uma leitura de 115,7 para agosto, enquanto a leitura final do PIB alemão confirmou que a economia cresceu 2,1% no segundo trimestre. O DAX 30 da Alemanha opera em alta.

A confiança do consumidor na França, a segunda maior economia da zona do euro, caiu para 103 em agosto, ante 104 em julho. CAC 40 da França segue os mesmos passos.

O índice FTSE 100 do Reino Unido sobe, após fechar em seu nível mais alto desde 16 de agosto na quinta-feira. O índice de blue-chip de Londres segue a caminho para um ganho semanal de 1,3%. As ações do Reino Unido estarão fechadas na segunda-feira devido a um feriado bancário.

As mineradoras proporcionam sustentação ao FTSE 100. Anglo American sobe 1,3%, Antofagasta avança 1,8%, BHP Billiton dispara 2,5%, enquanto Rio Tinto sobe 1,3%.

EUA: Os futuros apontam para uma sexta-feira com mais alta, com investidores se preparando para ouvir a presidente do Federal Reserve Janet Yellen.

Ao longo da semana, os investidores se concentram suas atenções no simpósio econômico do Fed de Kansas City em Jackson Hole, Wyo., em meio à falta de dados econômicos importantes. Todos esperam Yellen finalmente falar nesta sexta-feira, quando os investidores vão ouvir atentamente suas palavras em busca de pistas sobre o futuro da política monetária dos EUA.

COMMODITIES: Os preços do petróleo operam em alta, recuperando parte das perdas de quinta-feira, devido temor de que um furacão que segue para a costa do Golfo dos EUA no final de semana, o que pode resultar na paralisação das operações na região.  A tempestade tropical Harvey subiu para a categoria de furacão.  O minério de ferro também registrou ganhos, assim como aço, devido queda nos estoques. Os contratos futuros do MinFe subiram 0,34% na bolsa de Dalian, enquanto o MinFe 62% negociado em Qingdao subiu 1,56%.

AGENDA DO INVESTIDOR: 
EUA:
9h30 - Durable Goods Orders e Core Durable Goods Orders (números mensais de pedidos de bens duráveis para a indústria nos Estados Unidos, além de destacar o indicador se excluídos as encomendas no setor de transportes);​
13h00 - Discurso da chairwoman do Federal Reserve Janet Yellen na Jackson Hole Symposium;

ÍNDICES FUTUROS - 8h50:
Dow: +0,23%
SP500: +0,29%
NASDAQ: +0,41%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 24/08/2017

ÁSIA: A maioria dos principais índices na Ásia fechou em alta nesta quinta-feira, apesar de Wall Street recuar depois da ameaça do presidente Donald Trump sobre um possível "shutdown" do governo para garantir os fundos necessários para construir um muro ao longo da fronteira EUA-México. O presidente prometeu repetidamente que o México pagaria construção para evitar a imigração ilegal, apesar da recusa o país fronteiriço. Durante uma manifestação no Arizona, o presidente também disse acreditar que os EUA "provavelmente acabará terminando com o NAFTA".

O Nikkei do Japão caiu 0,42%, para fechar em 19.353,77 pontos, apesar da recuperação do dólar dos EUA frente ao iene na sessão asiática. O dólar fechou em ¥ 109,19, um aumento de 0,2%.

Atravessando o estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul avançou 0,40% e terminou em 2.375,84 pontos. A Samsung Electronics avançou 0,08% após lançar na quarta-feira seu modelo Galaxy Note 8 em Nova York, substituindo o seu problemático modelo Galaxy Note 7 cuja bateria causava superaquecimento e explodiu a vários dispositivos.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 adicionou 0,15% em 5.745,50 pontos, com ganhos nos subíndices de materiais e tecnologia da informação. A BHP adicionou 2,2%, Rio Tinto subiu 3,1%, South32 ganhou 1,7%, enquanto a produtora de ouro Newcrest Mining fechou em alta de 2,3%. Os investidores tem sido recompensado pela disciplina dos custos e geração de caixa do setor. A BHP Billiton reportou na quinta-feira, um aumento de seu dividendo final e elevou o valor de seu programa de recompra de ações após retorno à rentabilidade no exercício de 2017. A mineradora de cobre Oz Minerals subiu 2,5%, quando divulgou um forte salto no lucro líquido após o metal vermelho atingir em Londres, seu ponto mais alto desde o final de 2014. Os investidores aclamaram a notícia de que a mineradora havia aprovado o projeto Carrapateena, a maior mina de cobre da Austrália. Destaque de baixa para o setor bancário fortemente ponderado. As ações da CBA registraram uma queda de 0,8%, a 15ª queda nos últimos 20 pregões, fazendo com que as perdas chegassem a mais de 9% desde o final de julho. QBE negociou ex-dividendo e caiu 0,2%.

O índice Hang Seng subiu 0,53%, na reabertura dos mercados em Hong Kong depois de permanecerem fechados na quarta-feira devido tufão Hato. O indicador dos operadores de cassino de Macau caiu em meio às conversas de que a receita das casas de jogo podem ser afetadas nas próximas semanas depois que Typhoon Hato deixou a cidade sem eletricidade, interrompeu o abastecimento de água da ilha e  serviços móveis. As ações de Hong Kong subiram 25% em 2017, impulsionadas por entradas via continente e expectativas de lucros corporativos saudáveis.

Os mercados no continente fecharam em baixa: o Shanghai Composite caiu 0,48% e o Shenzhen Composite deslizou 0,60%.

os preços do petróleo conseguiram manter seus ganhos de 1% desde que os EUA mostraram que seus estoques caíram.

EUROPA: As bolsas europeias avançam, enquanto investidores aguardavam comentários sobre a política monetária da reunião em Jackson Hole. O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, que deve falar na sexta-feira durante o evento, não deu nenhuma indicação sobre as etapas futuras do banco central em um discurso realizada na quarta-feira na Alemanha.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,4% nas negociações iniciais, recuperando de uma perda de 0,5% na quarta-feira, com a maioria dos setores se movendo em território positivo.

Na França, o sentimento das empresas atingiu uma máxima de 10 anos em agosto, aumentando para 111 pontos, a leitura mais alta visto desde a crise financeira, indicando um forte crescimento das fábricas e no capex do terceiro trimestre. A crescente confiança das empresas indica que a economia francesa poderia sustentar o impulso da primeira metade do ano. Os últimos dados do PIB mostraram que o crescimento da economia cresceu 0,5% no segundo trimestre, o mesmo ritmo estabelecido nos seis meses anteriores. Uma medida mais ampla da confiança das empresas realizada pela Insee, incluindo serviços, varejo, atacado e construção, também aumentou  para 109 em agosto, ante 108 em julho. O aumento da confiança no setor de serviços ajudou a compensar declínios no varejo e na construção. O CAC 40 de Paris opera em alta.

No Reino Unido, o FTSE 100 segue seus pares regionais e avança após subir ligeiramente na quarta-feira, com a queda da libra ajudando ações das muitas empresas multinacionais do FTSE. A libra é negociado em gamas apertadas antes de um segundo relatório de estimativa sobre o PIB no segundo trimestre. A moeda do Reino Unido é comprada a US $ 1,2795, comparada com US $ 1,2799 no final da quarta-feira em Nova York. Contra o euro, a libra esterlina é negociado a € 1,0853, acima de € 1,1808 da quarta-feira.

O desempenho das mineradoras é positivo, seguindo a alta dos metais industriais em Londres. Anglo American sobe 0,2%, Antofagasta avança 1,2%, BHP Billiton adiciona 0,9% e Rio Tinto opera em alta de 1,1%.

A fabricação de automóveis do Reino Unido cresceu 7,8% em julho e o crescimento do PIB do Reino Unido avançou 0,3% na segunda estimativa, inalterado ante estimativa inicial, mas acima de 0,2% nos primeiros três meses do ano.

EUA: Os futuros de ações dos Estados Unidos avançam, sinalizando uma recuperação frente a sessão anterior.

Na agenda do investidor,  estão incluídos os novos dados sobre o mercado de trabalho dos EUA e uma série de balanços trimestrais de empresas, incluindo Staples e Tiffany, mas o destaque deve ser mesmo a reunião dos líderes de bancos centrais, apesar de que analistas creem que o simpósio de Jackson Hole provavelmente decepcionará em relação a detalhes dos rumos das políticas monetárias de seus respectivos bancos centrais.

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi discursará na sexta-feira, assim como Yellen e os investidores estarão em busca de quaisquer pistas sobre o caminho da política monetária dos dois chefes do banco central. O discurso de Yellen é de suma importância, tendo em conta as recentes advertências do Fed sobre vulnerabilidades associadas a avaliações de ativos.

O relatório do Departamento de Trabalho sobre reivindicações semanais de desempregados está programado para ser lançado às 9h30 da manhã, enquanto as vendas de casas existentes em julho deverão diminuir para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 5,50 milhões. O relatório da Associação Nacional de Corretores de Imóveis será publicado às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 7h00:
Dow: +0,12%
SP500: +0,15%
NASDAQ: +0,26%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 23/08/2017

ÁSIA: Os índices asiáticos fecharam sem direção nesta quarta-feira após o rali em Wall Street, enquanto o dólar perdeu terreno na sequência dos comentários do presidente Donald Trump.

O Nikkei do Japão subiu 0,26%, fechando em 19.434,64 pontos, interrompendo uma série de cinco dias de perdas.

Abaixo, o S & P / ASX 200 caiu 0,22%, finalizando em 5.737,20 pontos, com o subíndice de energia compensando as perdas nos subíndices de utilidades e tecnologia da informação. Entre as mineradoras australiana, BHP Billiton e Rio Tinto avançaram 0,3 e 0,2%, respectivamente, enquanto Fortescue recuou 0,6%.

Os mercados da China continental também recuaram. O Shanghai Composite caiu 0,08% e fechou em 3.287,67 pontos, enquanto o Shenzhen Composite caiu 0,33%. As negociações nos mercados de Hong Kong foram cancelados por conta da aproximação do ciclone tropical Hato, a primeira tempestade da categoria 10 a atingir o estado-ilha desde 2012. 

O índice Taiex de Taiwan fechou em alta 0,14% ajudada por ações de tecnologia. A fornecedora de componentes da Apple Hon Hai e Largan avançaram, enquanto um ganho de 1% para a Samsung Electronics ajudou o Kospi da Coreia do Sul a fechar em alta de 0,05%.

O dólar caiu contra o iene depois que Trump advertiu na quarta-feira sobre um possível "shutdown" do governo se ele não conseguir construir um muro na fronteira com o México. O dólar foi negociado a 109,34 ienes, em comparação com 109,82 ienes antes das observações de Trump. Enquanto isso, o ouro spot subiu para US $ 1.287.09 a onça ante $ 1.282,94 observado anteriormente. 

O índice do dólar caiu para 93,468 frente a uma cesta de moedas no início da sessão asiática. O índice do dólar recuperou um terreno e fechou em 93,541.

Entre as notícias econômicas, o banco central da Indonésia recuou de maneira surpreendente a sua taxa de juros de referência em 25 pontos base para 4,5%. Uma pesquisa da Reuters mostrou que 19 dos 20 economistas entrevistados esperavam que as taxas permanecessem inalteradas. O corte tarifário foi o primeiro do Banco da Indonésia desde outubro.

EUROPA:  As bolsas europeias caem nesta quarta-feira, com investidores avaliando novos dados sobre a saúde da economia da zona do euro, enquanto aguardam a reunião dos bancos centrais em Jackson Hole.

O índice Stoxx Europe 600 cai 0,23%, liderado por perdas no setor de serviços ao consumidor e petróleo e gás, mas as ações de tecnologia e utilidade lideram os ganhos. O índice de referência saltou 0,8% na terça-feira, interrompendo uma série de três sessões de quedas.

A economia da zona euro manteve seu impulso de crescimento em agosto, com um forte aumento na atividade de manufatura compensando uma desaceleração nos serviços. A leitura preliminar do índice PMI composto da zona do euro foi de 55,8, enquanto analistas esperavam uma leitura de 55,7. O PMI flash de manufatura ficou em 57,4, acima de 56,5 do mês anterior e ante expectativas de 56,4 dos analistas. Nos serviços, o PMI preliminar foi de 54,9, ante 55,4 em julho, a mesma leitura esperada na pesquisa do FactSet. As últimas leituras de PMI para a zona do euro indicam a continuidade do recente e forte desempenho da economia do bloco da moeda comum. 

No Reino Unido, o FTSE 100 vacila nesta quarta-feira, uma vez que a queda libra impulsiona os exportadores, tentando compensar uma tendência de baixa nas ações europeias. O setor de serviços ao consumidor estava entre as piores performances. Na terça-feira, os avanços no setor de mineração ajudaram o FTSE 100 a aumentar 0,9% e quebrar uma série de três sessões de queda e registrar o maior ganho percentual diário desde 12 de julho. As mineradoras continuam a avançar nesta quarta-feira, com BHP Billiton subindo  0,3%, Rio Tinto avançando 0,5%, enquanto Antofagasta sobe 1,1%.

A fraqueza da libra deve-se principalmente à incerteza em torno do futuro da Grã-Bretanha na UE. O governo do Reino Unido deverá publicar o "futuro documento de parceria sobre cooperação judiciária civil". O documento deve revelar planos de Westminster para o papel do Tribunal de Justiça Europeu na Grã-Bretanha pós-Brexit. A libra é negociado a US $ 1,2793, abaixo dos US $ 1,2823 no final de terça-feira em Nova York.

Os investidores permanecem focados no simpósio do banco central do Fed de Kansas City, em Jackson Hole, Wyo., que começa quinta-feira e vai até o sábado. O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, será um dos principais oradores e está previsto para falar na sexta-feira. É esperado que ele evite falar sobre a tentativa de desvalorizar o euro, mas será praticamente impossível ele se esquivar deste assunto. Nesta quarta-feira, Draghi falou em uma reunião do Prêmios Nobel no Encontro Lindau sobre Ciências Econômicas na Alemanha. Mais tarde, ele viajará para Jackson Hole.

EUA:  Wall Street parece abrir em baixa nesta quarta-feira, com investidores voltando suas atenções para a reunião dos presidentes dos bancos centrais globais em Jackson Hole. O benchmark de blue chips DJIA avançou quase 200 pontos na terça-feira, seu maior ganho desde 25 de abril, depois que o presidente Donald Trump parece estar fazendo progressos na elaboração de seu plano de reforma tributária.

Nesta quarta-feira, os investidores parecem estar atentos, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, disse no final de terça-feira que está pronto para um possível "shutdown" no governo em busca de um financiamento para o muro de fronteira com o México. Trump, durante uma manifestação com seus militantes no Arizona, também advertiu sobre a possível rescisão do Acordo de Livre Comércio da América do Norte.

A escassez de potenciais eventos reorientou a atenção do investidor para a reunião, promovido pelo Banco Central de Kansas City em Jackson Hole, Wyo., que começa quinta-feira e vai até o sábado. 

A conferência chega em um momento crítico para os bancos centrais, especialmente o BCE e o Fed. A presidente do Federal Reserve, Janet Yellen e o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, estão entre os principais palestrantes na sexta-feira e os investidores esperam obter dicas sobre o futuro caminho da política monetária de ambas as instituições. Depois de anos de política acomodatícia, analistas dizem que o cenário está mudando, embora que lentamente e deve entrar em água inexplorada: o desencadeamento do QE nunca feito antes, mas está prestes a acontecer neste ano que exibe um grau de calmaria, mas é preocupante quando você considera o que pode vir adiante.

Os índices PMI para serviços e manufatura em agosto estão programados para ser lançado às 10h45 e as vendas de casas novas para julho será divulgado às 11 da manhã. O presidente do Fed de Dallas, Robert Kaplan, falará no almoço da Associação de Petróleo da Bacia do Permian em Midland, Texas, às 14h05.

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: -0,20%
SP500: -0,30%
NASDAQ: -0,30%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 22/08/2017

ÁSIA: A maioria dos índices asiáticos fechou a sessão de terça-feira com ganhos moderados à medida que os investidores voltam suas atenções para o simpósio anual do Federal Reserve dos EUA em Jackson Hole no final da semana.

O Nikkei do Japão caiu pela quinta sessão consecutiva, a série de baixa mais longa desde abril de 2016, encerrando 0,05% menor e fechando em 19.383,84 pontos depois de negociar em alta durante a maior parte da manhã.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul subiu 0,44%, para terminar em 2,365,33 pontos, após nervosismo observado na segunda-feira, quando começaram os exercícios militares conjuntos da Coreia do Sul e EUA.

Abaixo, o S & P / ASX 200 subiu 0,42%, para fechar em 5.750.124 pontos, com a força dos subíndices dos industriais e materiais compensando as perdas no subíndice de bens de consumo. A mineradora BHP Billiton anunciou que o lucro do ano inteiro aumentou quase cinco vezes para US $ 6,7 bilhões no ano que terminou em 30 de junho. Apesar do salto, o lucro da BHP ficou abaixo da previsão da Thomson Reuters de US $ 7,4 bilhão. BHP fechou em alta de 1,5%, enquanto Fortescue avançou 1,3% e Rio Tinto adicionou 1,2%.

Os mercados da China foram misturados: o índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,91%, enquanto no continente, o Shanghai Composite aumentou 0,13% e o Shenzhen Composite deslizou 0,42%.

EUROPA: Os mercados europeus avançam na manhã desta terça-feira, acompanhando os ganhos em outros mercados e com investidores aguardando a conferência anual em Jackson Hole no final desta semana. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,52%, liderados pelos setores de materiais básicos e cuidados à saúde. O índice de referência pan-europeu caiu 0,4% na segunda-feira, em parte devido preocupações sobre outro surto de tensões entre os EUA e a Coreia do Norte.

Mas os investidores parecem ter deixado de lado essas preocupações e concentrar nas atualizações financeiras corporativas. Entre elas as pesos pesados ​​BHP Billiton e Antofagasta. A BHP avança 3% depois que a mineradora disse que planeja vender suas operações onshore de petróleo e gás nos EUA. A decisão segue as reivindicações do fundo investidor Elliott Management a favor da mudança. A BHP também disse que seu dividendo final aumentará três vezes. A mineradora reportou um lucro líquido anual de US $ 5,86 bilhões, mas isso ficou abaixo do previsto. Antofagasta salta 3,46% após a produtora de cobre mais do que triplicou o dividendo intermediário depois de reportar um aumento acentuado nos ganhos no primeiro semestre. Os movimentos das ações ajudam a orientar o Índice de Recursos Básicos do Stoxx Europe 600 que avança 1,60%, em curso para a sua melhor sessão em quase uma semana, assim como ajuda o FTSE 100 do Reino Unido.

O índice de sentimento econômico mensal da Alemanha veio abaixo das projeções dos analistas nesta terça-feira. O Instituto ZEW citou uma "forte queda nas expectativas", uma vez que o índice caiu para 10 em agosto, abaixo de 17,5 no mês passado, mas o DAX 30 da Alemanha também opera em alta.

EUA:  Wall Street deve abrir em alta nesta terça-feira em busca do segundo dia de ganhos, com investidores em busca de pechinchas, enquanto aguardam a reunião em Jackson Hole.

Os EUA e a Coreia do Sul iniciaram nesta semana, os exercícios militares anuais que enfureceram Pyongyang que alertou no domingo que os exercícios são "um comportamento imprudente que leva a situação para a fase incontrolável de uma guerra nuclear", mas o foco dos investidores focam a partir de então, no simpósio de bancos centrais em Jackson Hole, Wyo., onde investidores buscam pistas sobre o futuro da alta de taxas de juros.

A conferência tem sido nos últimos anos, um local para grandes notícias na política monetária, mas analistas acreditam que desta vez é improvável que siga esse padrão. Espera-se que o discurso de Yellen continue com os temas bem-sucedidos sobre estabilidade financeira. Yellen e Mario Draghi, presidente do BCE estão programados para falar na sexta-feira.

O índice de preços da casa da FHFA está programado para ser divulgado às 10h00, seguido pelo índice de fabricação do Fed de Richmond às 11h00.  Não há palestrantes do Fed registrados para falar nesta terça-feira.

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: +0,13%
SP500: +0,12%
NASDAQ: +0,34%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 21/08/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia fecharam misturados no pregão de segunda-feira, com investidores digerindo os desenvolvimentos políticos em Washington, enquanto os EUA iniciam os exercícios militares em conjunto com a Coreia do Sul.

O Nikkei do Japão caiu 0,40%, para fechar em 19.393,13 pontos, com ganhos nos "stocks" de petróleo sendo compensados ​​pela suavidade dos fabricantes de automóveis, finanças e tecnologia. O índice de referência caiu para os níveis próximos de três meses e meio na sessão anterior.

Atravessando o estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul caiu 0,14% e fechou em 2.355 pontos enquanto começam os exercícios militares anuais de 21 de agosto a 31 de agosto, conhecido como Ulchi Freedom Guardian, que testarão se a aparente flexibilidade da Coreia do Norte em relação à Guam é duradoura, mas Pyongyang já advertiu no domingo que as manobras são "comportamento imprudente, levando a situação para a fase incontrolável de uma guerra nuclear".

Abaixo, o S & P / ASX 200 recuou 0,37%, para terminar a sessão em 5.725,90 pontos, com fraqueza nos subíndices de serviços de saúde e telecomunicações. O subíndice financeiro altamente ponderado caiu 0,29%. O grupo australiano Fortescue Metals afirmou na segunda-feira que o lucro líquido subiu 113% para US $ 2,09 bilhões no ano findo em 30 de junho de 2017. As ações da mineradora dispararam 6,1%, depois de anunciar um dividendo maior do que o esperado. Enquanto isso, as rivais BHP Billiton e Rio Tinto avançaram 0,8 e 1,3%, respectivamente. 

Entre outros destaques de mercado, a empresa siderúrgica australiana Bluescope viu suas ações despencar 21,83% depois que a empresa destacou uma perspectiva mais fraca de ganhos devido à concorrência e menores margens nos EUA.

Na Grande China, os mercados subiram. O índice Hang Seng de Hong Kong ganhou 0,40% e no continente, o Shanghai Composite avançou 0,57%, enquanto o Shenzhen Composite subiu 0,74%.

EUROPA: As bolsas europeias recuam nesta segunda-feira com investidores duvidando da capacidade do presidente Donald Trump de impor sua ambiciosa agenda econômica, enquanto as tensões entre os EUA e a Coreia do Norte aumentam. O índice Stoxx 600 cai 0,16%, após o índice de referência pan-europeu cair 0,7% na sexta-feira, na sequência dos ataques terroristas em Espanha. O benchmark já caiu cerca de 6% desde que alcançou o pico de 20 meses em meados de maio.

Destaque de alta para a Fiat Chrysler que segue em direção ao topo do pan-índice, subindo mais de 3% com notícias de que a montadora chinesa Great Wall Motor está interessada na empresa. O conglomerado dinamarquês AP Moller-Maersk anunciou que concordou em vender sua divisão de petróleo e gás, a Maersk Oil, para a gigante francesa Total por US $ 7,45 bilhões. O acordo, que deverá ser fechado no primeiro trimestre de 2018, fez as ações da Moller-Maersk dispararem 4%.

O setor bancário da Europa recua 0,35%, enquanto o setor de recursos básicos avançam na segunda-feira, apoiados pela alta nos preços de metais. O zinco subiu para seu maior nível em 10 anos em de Londres, devido demanda robusta do aço na China. As ações da mineradora de cobre Antofagasta sobem 1,48% e as Glencore adicionam 0,38%. Os peso pesados de minério de ferro BHP Billiton e Rio Tinto avançam 0,89 e 0,98%, respectivamente. No início desta segunda-feira, a produtora australiana de minério de ferro Fortescue Metals Group aumentou seus dividendos após o lucro anual mais do que duplicar devido fortes preços do minério de ferro.

Apesar do avanço do setor de materiais básicos, o FTSE 100 do Reino Unido opera em baixa. O índice caiu 0,9% na sexta-feira, reduzindo seu ganho semanal para 0,2%.

EUA: Os futuros de ações dos EUA operam entre altas de baixas, antes da abertura desta segunda-feira, podendo colocar o Dow Jones Industrial Average a caminho de uma baixa de duas semanas. Na semana passada, o DJIA caiu 0,8%, resultando em uma queda de 1,9% em duas semanas, o maior declínio percentual em duas semanas desde meados de setembro. O S & P 500 caiu 0,7% na semana e o Nasdaq Composite caiu 0,6%.

Segundo analistas, "não há muito para se comemorar neste momento, com a temporada de ganhos chegando ao fim, pois o sentimento do mercado é bastante negativo, com um novo ciclo de escalada na península coreana parecendo estar pronto para se iniciar, já que os EUA e a Coreia do Sul iniciaram nesta segunda-feira, exercícios militares anuais.

O ouro saltou brevemente acima de US $ 1.300 a onça pela primeira vez desde novembro na sexta-feira, impulsionado pela demanda por ativos de refúgio após uma semana de contínua turbulência na Casa Branca e o ataque terrorista em Barcelona, ​​Espanha. O metal amarelo subiu 0,2% na semana passada, alta em quatro das últimas seis semanas, tocando em uma alta de dois meses.

O sentimento também azedou após Trump demitir seu controverso estrategista político, Steve Bannon. A demissão do ex-estrategista chefe da Casa Branca de Trump foi seguida pela renúncia de seu conselheiro especial sobre regulamentação, Carl Icahn, na sexta-feira. 

O índice de atividade nacional para julho do Federal Reserve de Chicago está programada para sair às 9h30 da manhã, mas os investidores começam a concentrar suas atenções para o simpósio do Fed de Kansas City em Jackson Hole, Wyo. O encontro dos presidentes dos principais bancos centrais do mundo começa na quinta-feira e termina no sábado.

Na semana passada, fontes do Banco Central Europeu, em um relatório da Reuters, atenuaram as expectativas de uma mudança radical do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, alegando que ele não divulgará novas mensagens políticas na conferência. Analistas acreditam que o Conselho de Administração do BCE deve anunciar planos sobre o futuro do programa de compras de ativos conhecido como "QE" em sua próxima reunião em 7 de setembro.

Mas mesmo sem um discurso do Sr. Draghi, a presidente da Fed, Janet Yellen, deverá ser o foco do simpósio e é claro que o evento geralmente produz pistas globais em relação ao pensamento do banco central.

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: -0,01%
SP500: -0,01%
NASDAQ: -0,08%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 18/08/2017

ÁSIA: Os mercados da Ásia foram pressionados com as crescentes incertezas sobre a capacidade da administração Trump de seguir suas políticas econômicas propostas durante sua campanha, após rumores de que Gary Cohn, diretor do Conselho Econômico Nacional, seria o próximo membro importante a se demitir pela administração, após Trump dissolver na quarta-feira dois conselhos consultivos compostos por executivos de alto nível. Vários membros desses conselhos haviam se demitido após resposta do presidente à violência em uma manifestação nacionalista em Charlottesville, Virgínia. O rumor foi posteriormente refutado pela Casa Branca.

Os mercados também acompanharam a notícia de um ataque terrorista próximo de um popular ponto turístico em Barcelona, ​​na Espanha, na quinta-feira. Pelo menos 13 morreram no ataque e feriu mais de outros 100.

O Nikkei do Japão tocou em seus níveis mais baixos em três meses, com a força no iene também pesando sobre as ações. Houve uma pressão da moeda japonesa frente ao dólar, euro e libra britânica, o que prejudica os exportadores japoneses. O índice de referência recuperou parte das perdas no final após analistas dizerem que os ganhos corporativos estavam fornecendo apoio ao benchmark e fechou em baixa de 1,18% para terminar em 19.470,41 pontos.

Atravessando o estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul recuou 0,14% e terminou em 2358,37 pontos.

Enquanto isso, o S & P / ASX 200 da Austrália caiu 0,56% para 5.747,10 pontos, impulsionado por perdas na maioria dos subíndices. O subíndice financeiro pesadamente ponderado perdeu 1,09%. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton caiu 2%, Fortescue recuou 0,7% e Rio Tinto perdeu 0,5%.

Nos mercados na China, o índice Hang Seng de Hong Kong perdeu 1,08% e no continente, o Shanghai Composite fechou em ligeira alta de 0,02%, próximo da estabilidade, em 3.269,24 pontos.

A fabricante de computadores Lenovo registrou uma perda de US $ 72 milhões no trimestre findo em 30 de junho, citando condições de mercado desafiantes e restrições de oferta. O papel caiu 3,81% em Hong Kong.

Ações financeiras apresentavam as maiores baixas na região. Em Tóquio, as seguradoras de vida lideraram o caminho para baixo: Dai-ichi Life Holdings caiu 2,69% enquanto a T & D Holdings caiu 2,6%. Na Austrália, três dos quatro maiores bancos do país, Westpac Banking (-1,56%)  National Bank Bank (-1,34%) e Austrália and New Zeland Banking (-1,15%) caíram pelo menos 1,2%.

Entre os dados econômicos divulgados, os preços de casas novas na China subiram 0,4% em julho em relação ao mês anterior, abaixo de uma alta de 0,7% observado em junho. Em uma base anual, os preços médios de casas novas aumentaram 9,7% em relação ao ano anterior.

EUROPA: As bolsas europeias registram baixas substanciais na manhã desta sexta-feira, com investidores reagindo ao pior ataque terrorista na Espanha em mais de 13 anos. Pelo menos 13 pessoas foram mortas na quinta-feira, quando uma van atropelou centenas de pedestres na popular via de Las Ramblas de Barcelona. Mais de 100 pessoas ficaram feridas e o número de mortos poderá aumentar, segundo autoridades. Horas depois, a polícia matou cinco supostos terroristas enquanto realizavam um outro ataque que atingiu sete pessoas em Cambrils, cidade espanhola a sudoeste de Barcelona. O chamado Estado islâmico se responsabilizou pelo ataque, no entanto, a reivindicação não foi confirmada.

Em Madrid, o IBEX 35 registra baixa de 1,17%, enquanto o pan-europeu Stoxx 600 caiu quase 1%, pesada pelo setor de viagens e lazer. As companhias aéreas, incluindo a Easyjet, Ryanair e Lufthansa, registram as maiores baixas, com cada uma recuando mais de 1,3%. A empresa holandesa de armazenagem de petróleo e produtos químicos Vopak reportou que o lucro principal em 2017 será menor do que no ano passado, em parte devido aos planos da empresa em investir em suas instalações de armazenamento. Suas ações lideram a baixa no benchmark, com queda de mais de 8%. O Stoxx Europe 600 segue em curso para um aumento semanal de 0,3%.

Assim como em toda a Europa, o FTSE 100 do Reino Unido cai nesta sexta-feira, com queda nas ações relacionadas à viagens depois dos ataques terroristas na Espanha. O índice enfrenta a segunda perda consecutiva, mas ainda está em curso para um modesto aumento semanal de 0,4%. As ações da produtora de ouro Randgold Resources sobem 1,3%. Entre outras mineradoras, Anglo American cai 1,2%, Antofagasta recua 1%, BHP Billiton perde 1,6% e Rio Tinto opera em baixa de 0,8%.

EUA: Os futuros do índice de ações dos EUA apontam para uma abertura próximo da estabilidade, com investidores tomando nota do sentimento comercial negativo visto globalmente à luz do ataque terrorista em Barcelona na quinta-feira.

A turbulência em torno da liderança do presidente Donald trump, das políticas econômicas e suas recentes declarações sobre a supremacia branca na Virgínia, continuam a pesar o sentimento dos mercados.

Na agenda do investidor, os dados do sentimento do consumidor de Michigan estão programados para sair às 11h00. Enquanto isso, Deere, Estee Lauder 
devem relatar seus números trimestrais.

Foot Locker despenca 18,26% no "pré-market", depois que a empresa de vestuário esportivo ficou aquém das estimativas de lucro e vendas no segundo trimestre. A empresa reportou um lucro líquido de US $ 51 milhões, ou 39 centavos por ação no trimestre, em comparação com US $ 127 milhões, ou 94 centavos por ação, no mesmo período do ano anterior. As vendas caíram 4,4% para US $ 1,701 bilhão, também abaixo do consenso de US $ 1,801 bilhão. As vendas nas lojas caíram 6%, em comparação com um consenso de um ganho de 0,8%. O presidente executivo, Richard Johnson, reportou em um comunicado, descrevendo os resultados como "decepcionantes", afetados pela disponibilidade limitada de novos produtos inovadores no mercado e que essas dinâmica persistirá até o fim de 2017 e espera-se que as vendas ​​diminuam de 3 a 4% ao longo do resto do ano.

Na sequência da minuta da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto vistos no início desta semana, os investidores irão procurar comentários importantes por parte do presidente do Fed, Robert Kaplan, que deve falar no Dia da Conferência do Distrito da Comunidade do Condado de Dallas, no Texas.

ÍNDICES FUTUROS - 8h00:
Dow: -0,07%
SP500: -0,04%
NASDAQ: +0,21%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 17/08/2017

ÁSIA: Os mercados asiáticos fecharam mesclados nesta quinta-feira, enquanto os investidores digeriam a ata do Federal Reserve que revelou uma divisão entre os membros do FOMC sobre o momento do próximo aumento da taxa de juros.

A perspectiva de um ritmo mais lento no aumento de taxa de juros nos EUA pressionou o dólar e o ganho subsequente no iene pesou nas ações japonesas na quinta-feira. O Nikkei do Japão caiu 0,14%, para fechar em 19.702,63 pontos, com o iene se fortalecendo contra o dólar, sendo negociado abaixo de ¥ 110. Os setores automotivos e financeiros encerraram a sessão em baixa. As ações japonesas geralmente caem quando o iene se fortalece em meio ao medo de que uma moeda mais forte atinja os exportadores, uma faceta importante da economia do país, enquanto uma taxa de juros mais alto nos EUA aumenta os lucros dos bancos.

Ainda assim, a recuperação no iene neste ano não parece estar atingindo a economia japonesa. As exportações japonesas cresceram 13,4% em julho comparado com o ano anterior, o oitavo aumento mensal consecutivo, em linha com a previsão de um aumento de 13,6% e acima do aumento de 9,7% observado em junho. 

Na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,57%, para terminar em 2.361,67 pontos, auxiliado pelo otimismo em relação aos ganhos no terceiro trimestre. Posco terminou 4,71%  maior e a Hyundai Steel subiu 2,81%.

O índice de referência S & P / ASX 200 da Austrália caiu 0,10%, para fechar em 5.779,20 pontos, com os ganhos nos subíndices de materiais e cuidados de saúde sendo equilibrados com as perdas no subíndice de serviços de telecomunicações. As ações da Telstra despencaram 10,62% depois de ter dito que reduziria os dividendos. O dólar mais fraco alimentou a recuperação dos metais, assim a mineradora Rio Tinto subiu 1,4%, enquanto Fortescue Metals e BHP Billiton subiram 1,2% cada.

O Índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,24%, com a continuidade da temporada de relatórios corporativos. Os mercados do continente fecharam em alta: o Shanghai Composite subiu 0,68% e o Shenzhen Composite adicionou 0,57%.

Os mercados da Indonésia estavam fechados para um feriado público.

os preços do petróleo subiram depois de cair mais de 1% durante horário ocidental, devido preocupações de que a produção dos EUA estava aumentando.

EUROPA: As bolsas europeias caem quinta-feira, com as ações do banco sofrendo com dúvidas sobre quando o Federal Reserve elevará a taxa de juros dos EUA em 2017 após uma série de leituras inesperadamente baixas, enquanto os investidores esperam detalhes oficiais da discussão política do Banco Central Europeu no mês passado.

O índice Stoxx Europe 600 recua 0,20%, liderado por perdas de ações financeiras e de petróleo e gás. Nomes de utilidade e cuidados de saúde, no entanto, avançam. Um declínio nesta quinta-feira será o primeiro do índice de referência em quatro sessões. O benchmark terminou em alta de 0,7% na sessão de quarta-feira, auxiliada em parte pelo enfraquecimento do euro.

O Stoxx Europe 600 Bank Index cai 0,78% pesada pela perspectiva de taxa de câmbio, já que muitos bancos europeus tem operações nos EUA e taxas mais altas podem ajudar a margem dos juros.

No Reino Unido, o FTSE 100 opera em baixa, com ações de bancos e da varejista Kingfisher pesando sobre o benchmark, enquanto ações de mineradoras apresentam um melhor desempenho. O índice subiu 0,7%  na quarta-feira e uma perda na quinta-feira será o primeiro teste em quatro sessões. 

O debate "dovish" no Fed pesou sobre o dólar, mas essa fraqueza ajudou a elevar os preços de commodities nominados em dólares, incluindo cobre que apresenta uma recuperação recente. A produtora de cobre Antofagasta sobe 0,5%. Outros pares do setor perdem fôlego. Anglo American sobe 0,1%, BHP Billiton cai 0,1% e Rio Tinto recua 0,5%. A varejista Kingfisher despenca 5,73% depois que registrou queda nas vendas ​​no segundo trimestre, em parte por causa da contínua fraqueza na França.

As vendas no varejo no Reino Unido cresceram 0,3% em julho e o crescimento do mês anterior foi revisado significativamente. A leitura de julho ficou um pouco abaixo das expectativas dos economistas que previam uma leitura de 0,4%. Em termos anuais, as vendas no varejo cresceram 1,3%, decepcionando as expectativas de uma expansão de 1,7%. Depois de um início de ano lento, as vendas no varejo recuperaram um pouco no segundo trimestre, com o calor do verão fazendo os britânicos sair de casa e gastar. 

A inflação acelerou bruscamente após a forte depreciação da libra na sequência do Brexit no ano passado, espremendo as carteiras das famílias britânicas. A inflação ficou em 2,6% em julho, abaixo da máxima de quatro anos de maio, quando registrou 2,9%, mas ainda significativamente acima do alvo do Banco da Inglaterra de 2%. Com o crescimento da inflação, os britânicos viram seus salários reais diminuir pelo quarto mês consecutivo em junho.

Novos dados divulgados pela câmara de comércio britânica na quinta-feira mostrou que a confiança do exportador suavizou devido às flutuações cambiais e escassez de trabalhadores qualificados pós-Brexit. O Office for National Statistics anunciou recentemente que o número de cidadãos da UE que trabalham no Reino Unido atingiu um recorde.

Existem expectativas de que o BCE comece a encerrar seus esforços agressivos de estímulo monetário, com o aumento do PIB e a melhora das economias da eurozona neste ano. Os investidores estavam ansiosos para ouvir o que o presidente do BCE, Mario Draghi, dirá sobre esse assunto durante o simpósio do Fed em Jackson Hole, Wyo, na próxima semana, mas um relatório da Reuters de quarta-feira, citando fontes do BCE, disse que Draghi não divulgará detalhes sobre políticas econômicas na conferência. Na última reunião do BCE, Draghi afirmou claramente que uma discussão sobre os ajustes para o QE deveria ocorrer no "outono", sugerindo que é provável que possa começar a haver sinais de mudanças de estímulo em setembro ou outubro. Analistas mantém a visão de que um cenário provável é que o banco elimine seu viés de flexibilização do QE na reunião de setembro, preparando as bases para um anúncio formal em outubro de que o ritmo das compras do QE pode ser reduzido até a virada do ano.

EUA: Os futuros de ações dos EUA seguem em baixa nesta quinta-feira, após os investidores digerirem a última minuta do Federal Reserve e a decisão do presidente Donald Trump de dissolver dois conselhos empresariais após CEOs de diferentes companhias renunciarem em protesto às declarações de Trump culpando não apenas supremacistas brancos, mas também manifestantes opostos a eles, pela violência em Charlottesville, na Virgínia. Diversos políticos do Partido Republicano, o mesmo de Trump e o aliados do Reino Unido criticaram o presidente após seus comentários da terça-feira sobre a violência de sábado.

As pequenas perdas ocorrem depois que as bolsas fecharam moderadamente maior na quarta-feira, com o Dow terminando em território positivo pela quarta sessão consecutiva.

O dólar declinou depois que a minuta da reunião de julho do Fed sugeriu que o banco central está preocupado com a inflação lenta e esse tipo de incerteza leva a novas dúvidas sobre se o Fed será capaz de aumentar as taxas novamente neste ano, deixando os investidores nervosos. Segundo analistas, olhando para o futuro, o caminho do dólar pode ser ditada por qualquer notícia vindo da Coreia do Norte, após o presidente Trump pedir a seus conselheiros militares sobre opções militares credíveis.

As atenções de quinta-feira também se voltam para os ganhos dos pesos pesados ​​Alibaba e Wal-Mart, além de dados de reivindicações semanais de desempregados e o índice de manufatura do Fed de Filadélfia de agosto que serão divulgados às 9h30. A produção industrial e a utilização da capacidade para julho são esperadas às 10h15, seguidas de indicadores econômicos para julho às 11 da manhã.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 - Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
9h30 - Philly Fed Manufacturing Index (indicador responsável por mensurar a atividad
10h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization Rate (capacidade utilizada);
11h00 - CB Leading Index (ou Índice de Indicadores Antecedentes, relatório que compreende 10 índices já divulgados no país e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia);

ÍNDICES FUTUROS - 7h20:
Dow: -0,06%
SP500:-0,09%
NASDAQ: -0,25%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.