Veja Também

Veja Também

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  TERÇA-FEIRA 30/12/2014

ÁSIA: Ansiedade nos mercados de petróleo e incerteza política na Grécia arrastaram os índices asiáticos para baixo nesta terça-feira, com Tóquio, Seul e Hong Kong batendo novas mínimas, após fechamento misto em Wall Street.

No comércio asiático, o petróleo Brent estendeu as perdas pela quarta sessão consecutiva, com preocupações sobre excesso de fornecimento global compensando as interrupções na Líbia.

O MSCI Asia Pacific Index (MXAP) perdeu 0,9% e as fortes chuvas que inundaram partes da Malásia durante as últimas duas semanas e que deve continuar por pelo menos mais uma semana, aumentou a possibilidade de interrupção da colheita de óleo de palma, cujos contratos para entrega em março subiu 0,8% para 2.305 ringgit (658 dólares) a tonelada na Bursa Malaysia Derivatives em Kuala Lumpur. As chuvas também prejudicaram a oferta de borracha da Tailândia, que faz fronteira com a Malásia. A borracha para entrega em junho subiu 3,9% na Tokyo Commodity Exchange pelo quarto dia consecutivo.

No seu último dia de negociação do ano, o Nikkei do Japão caiu 1,57% e fechou em baixa de duas e meia semanas, aos 17.450 pontos. O dólar caiu 0,94% contra o iene, em ¥ 119,56, ante ¥ 120,69 na segunda-feira em Nova York, à frente da temporada de feriado de Ano Novo no Japão. Mercados japoneses ficarão fechados até 5 de janeiro. A coalizão de governo aprovou um plano de reforma tributária que vai cortar a taxa de impostos sobre as sociedades, de 34,62% para 32,11% ​​no início do próximo ano fiscal,em abril e depois cortar ainda mais para 31,33% no ano seguinte. O pressuposto é que corte nos impostos corporativos incentivará as empresas a contratar mais trabalhadores, aumentar os salários e aumentar o investimento.

Na China, o Shanghai Composite fechou em ligeira baixa de 0,02% em meio à um comércio agitado. Entre os stocks negociadas, China State Construction Engineering registou perdas de 1,4%, mas stocks relacionados com a energia diminuiu as perdas. Sinopec e PetroChina subiram 0,2 e 1% cada. A mídia estatal informou que o maior campo de petróleo da China deverá cortar a produção em 1,5 milhões de toneladas em 2015, após recente queda dos preços do petróleo.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,33%, atingindo a mínima na semana. A produtora  de minério de ferro China Resources Zhongsheng Holdings recuou 4,8%, uma vez que prevê perdas no balanço de 2014. Outros nomes ligados ao setor ferro e aço também sofreram perdas, como Angang Steel, Maanshan Iron & Steel Co. e Chongqing Iron & Steel Co que perderam 1,3%, 2,99% e 1,73%, respectivamente.

O referencial S & P ASX 200 da Austrália recuou 1,04%, com quedas de ações relacionadas às commodities. Produtores de energia ficaram sob pressão em meio à queda dos preços do petróleo. Santos e Liquefied Natural Gas caíram mais de 3% cada, enquanto Oil Search recuou  1,5%. Produtores de outro também recuram, depois que o ouro spot ficou abaixo 1,200 dólares; Alacer Gold perdeu 3,6% e Evolução Mining recuou 0,8%.

Apesar de um salto de 2% no preço à vista do minério de ferro desembarcado na China, para US $ US68.71 uma tonelada, a gigante BHP Billiton caiu 0,7%, para 29,48 dólares, enquanto a principal rival Rio Tinto perdeu 0,8%, para 57,56 dólares. A terceira maior produtora de minério de ferro Fortescue Metals Group adicionou 0,7%, para US $ 2,75.  O setor financeiro apagaram os ganhos iniciais. Macquarie Group e Australia and New Zeland Banking Group recuaram 0,9 e 0,6%, respectivamente. O dólar australiano recuou para $ 0,8135, baixa de quase quatro anos e meio contra o dólar.

Enquanto isso, a busca do avião da AirAsia, voo QZ8501 continua, agora com ação conjunta de uma força internacional. As ações da companhia aérea recuperou 1,5%, depois de cair mais de 7% na segunda-feira.

EUROPA: As bolsas europeias recuam nesta manhã de terça-feira, puxadas pela queda dos preços do petróleo e incerteza política na Grécia pesando sobre o sentimento do investidor europeu.

O índice Stoxx Europe 600 desliza 0,6%, às 8:16 em Londres, com a incerteza política na Grécia depois que o Parlamento rejeitou o candidato do primeiro-ministro para o presidente, forçando uma eleição em 25 de janeiro. O temor é que o partido de oposição Syriza possa ganhar a eleição, com sua promessa de renegociar termos de resgates anteriores e o "default" da dívida do governo. Várias autoridades da zona do euro têm alertado que este fato poderia empurrar a zona euro de volta à beira do colapso mesmo após o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi prometer fazer "tudo que for preciso".

O movimento atinge a rendibilidade dos títulos não só na Grécia, mas também da Itália e Espanha, mostrando que os investidores estão buscando refúgio seguro como os títulos dos EUA. Os preços dos títulos movem inversamente aos rendimentos.

O petróleo Brent estendeu as perdas pela quarta sessão, com preços próximos a uma baixa de mais de cinco anos, próximos de US $ 57 o barril, apesar das perturbações em curso na Líbia. O presidente Nicolas Maduro da Venezuela, que é membro da OPEP, disse nesta segunda-feira que o preço do petróleo do país havia reduzido para a metade durante o segundo semestre de 2014, a $ 48. Falando na TV estatal, Maduro culpou os EUA, dizendo que o objetivo é prejudicar a Rússia e a Venezuela, informou a Reuters. Na Rússia, o rublo avança 3%.

A inflação anual da Espanha em dezembro caiu para -1,1%, em grande parte por causa da queda nos preços da gasolina e óleo diesel. Sua estimativa era de -0,7%, ante -0,4% em novembro.

No Reino Unido, o FTSE 100 cai com perdas do setor de energia. Ações da Tullow Oil recuam 2,27%. Royal Dutch Shell  e BG Group recuam 2% cada. Entre as mineradoras, BHP Billiton cai 1,1% e Rio Tinto perde 0,34%.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
12h00 - S&P/CS Composite-20 HPI (examina as mudanças no valor (preço de venda) do mercado imobiliário em 20 regiões nos EUA no ano anterior. Este relatório ajuda a analisar a força do mercado imobiliário dos EUA, o que contribui para a análise da economia como um todo);
13h00 - CB Consumer Confidence (mede o nível de confiança dos consumidores na atividade econômica. É um indicador importante, pois pode prever os gastos do consumidor, que é uma parte importante da atividade econômica);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Nikkei: -1,57%
Austrália: -1,04%
Hong Kong: -1,33%
Shanghai Composite: -0,02%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,56%
London - FTSE: -0,56%
Paris CAC -0,81%
IBEX 35: -0,86%
FTSE MIB: -0,48%

COMMODITIES
BRENT: -1,40%
WTI: -1,39%
OURO: +0,38%
COBRE: -+,89%
NIQUEL: -0,32%
SOJA: +0,36%
ALGODÃO: +0,05%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,19%
SP500: -0,28%
NASDAQ: -0,17%

RECESSO DE FINAL DE ANO:
BRASIL: A BOVESPA não abre nos dias 31 de Dezembro e 1 de Janeiro.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEGUNDA-FEIRA 29/12/2014

ÁSIA: A maioria dos mercados de ações da Ásia avançou nesta segunda-feira, impulsionadas por ganhos nos EUA e com novas regras bancárias na China, que deve ajudar a estimular os empréstimos locais. O índice MSCI Asia Pacific subiu 0,5%, mas o índice de referência do Japão apagou os ganhos anteriores e fechou em queda com notícias do Ministério da Saúde sobre um possível caso de Ebola em Tóquio. Um paciente retornara para o Japão vindo de Serra Leoa, no início deste mês, onde permaneceu por oito dias.

O Nikkei 225 caiu 0,50%, apesar das boas notícias de sábado de que o governo do Japão aprovou estímulos no valor de 29 bilhões de dólares americanos, além de uma pesquisa da Reuters mostrando que as principais empresas japonesas estão planejando usar suas reservas para impulsionar suas ações em 2015. O iene limitou os ganhos de exportadores, sendo negociado a ¥ 120,33 em relação ao dólar, em comparação com ¥ 120,35 na sessão anterior. Destaque para Fujifilm Holdings que subiu 0,4%, se beneficiando da notícia sobre o Ebola. A empresa disse em novembro que esperava que sua droga para tratar o Ebola deveria ser aprovado no final de 2014.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu de 1,93%, retomando as negociações depois da interrrupção para as comemorações de Natal. Hang Seng China Enterprises, que mede ações de empresas da China em Hong Kong, subiu 3,9%, a maior alta desde novembro de 2013 e no continente, o Shanghai Composite Index avançou 0,37%, seu maior fechamento desde Janeiro de 2010, impulsionadas pelo setor financeiro. Segundo a agência oficial de notícias Xinhua, o banco central da China mudou suas regras para permitir que depósitos de instituições financeiras não-bancárias contem como reservas, uma medida destinada a aumentar a concessão de empréstimos e impulsionar o crescimento.

O referencial da Austrália, o S & P ASX 200 avançou 1,47%, depois de ficar fechada na quinta e sexta-feira para o feriado de Natal. O dólar australiano ganhou 0,3%, para US $ 0,8137 de dólar. Stocks de ouro levou avançou após o metal precioso ser negociado perto da alta de quase uma semana, após dados do fim de semana mostrarem que os lucros das industrias chinesas tiveram a pior perda em mais em dois anos no mês passado, somando-se aos sinais de desaceleração na maior economia da Ásia e estímulos por parte do banco central, geralmente acena para uma visão inflacionária e ouro é tido como um porto seguro em momentos inflacionários. Alacer Gold disparou 12,2%, enquanto Evolution Mining e Newcrest Mining tiveram alta de 9 e 4,7%, respectivamente.

Os preços do minério de ferro ganharam 10 ¢ para US $ 66.90. Fortescue, Rio Tinto e BHP subiram 7,5%, 2,6% e 2,5%, respectivamente. Atlas Iron and BC Iron também registraram ganhos sólidos.

Entre outros destaques, as ações da AirAsia caíram 7,5%, para a mínima de quatro semanas, depois de abrir em queda de 12%, depois do desaparecimento do voo QZ8501, partindo da Indonésia até Cingapura na manhã de domingo. O referêncial da Malásia, o índice FTSE Bursa Malaysia KLCI, onde AirAsia está listada, avançou 0,1%

EUROPA: As principais bolsas europeias operam sem direção na manha desta segunda-feira, como as bolsas reabrindo depois de uma pausa de quatro dias, operando com volumes abaixo da média.

O euro caiu para uma baixa de 28 meses contra o dólar, antes da  terceira e última rodada de votação para eleição presidencial grega. Se o candidato preferido do primeiro-ministro Antonis Samaras não conseguir ganhar os 180 votos necessários, será convocada uma eleição para final de janeiro, antecipando em cerca de 18 meses antes do previsto. Stocks gregos caem 7%, pois um resultado negativo para o presidente Samaras traz volatilidade ao mercado, pois se houver eleições antecipadas, é altamente provável que o partido anti austeridade ganhará as eleições e será uma grande ameaça para o notável progresso do país.

O Índice FTSE 100 opera entre modestos ganhos  e perdas, ajudados pelo setor de mineração, na sequência de relatos de medidas de liquidez na China. BHP Billiton sobe  2,63%, a produtora de cobre Fresnillo avança 2,89%, enquanto Rio Tinto e Anglo American adicionam 2% cada.

Os preços do petróleo recuam, com o Brent sendo negociado abaixo de 60 dólares, apesar dos confrontos entre diferentes facções que tentam controlar a Líbia, membro da OPEP, cartel que recusou a cortar a produção em novembro, apesar da queda dos preços do petróleo, mas no domingo, o ministro da Energia da Argélia, Youcef Yousfi, disse que a OPEP deve cortar produção, de acordo com a agência oficial de notícias do país APS, relatado pela Reuters.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA: Não está prevista a divulgação de dados econômicos.

ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Nikkei: -0,50%
Austrália: +1,47%
Hong Kong: +1,93%
Shanghai Composite: +0,37%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,84%
London - FTSE: +0,08%
Paris CAC -0,41%
IBEX 35: -1,47%
FTSE MIB: -1,67%

COMMODITIES
BRENT: -3,20%
WTI: -1,39%
OURO: +1,54%
COBRE: -0,89%
NIQUEL: -0,27%
SOJA: +0,50%
ALGODÃO: +0,41%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,13%
SP500: -0,15%
NASDAQ: -0,02%

RECESSO DE FINAL DE ANO:
BRASIL: A BOVESPA não abre nos dias 31 de Dezembro e 1 de Janeiro.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEXTA-FEIRA 26/12/2014

ÁSIA:  Devido recesso de Natal, mercados como da Austrália, Hong Kong, Indonésia e Filipinas permaneceram fechados e as atenções se voltaram para uma enxurrada de indicadores mensais divulgados pelo Japão.

A produção industrial de novembro do Japão caiu inesperadamente 0,6%, ante expectativa de alta de 0,8% de uma pesquisa da Reuters e aumento de 0,4% em outubro. As exportações de carros, caminhões e ônibus do Japão em novembro diminuíram 11,5% no ano, recuando pelo quarto mês consecutivo, totalizando 368.113 veículos em novembro, ante 415.997 em outubro. Enquanto isso, o núcleo da inflação, o que inclui a energia e excluindo alimentos frescos, subiu 2,7% em novembro, em linha com as expectativas com a pesquisa da Reuters, mas marcou o quarto recuo mensal consecutivo. Em uma comparação sem o aumento do imposto sobre as vendas implementadas em abril, o núcleo da inflação foi de apenas 0,7% no mês, abaixo dos 0,9% de outubro  e bem abaixo da meta de 2% de inflação estabelecida pelo Banco do Japão (BOJ). O Nikkei fechou o pregão com alta de 0,06%, superando lentidão da sessão da manhã, após a divulgação dos dados e o iene pouco mudou em relação ao dólar, registrando ganhos limitados, fechando em ¥ 120,19, ante ¥ 120,15 na quinta-feira na América do Norte.

Na Coréia do Sul, o índice Kospi avançou 0,08%, para uma alta de duas semanas e meia, depois de ficar fechada na quinta-feira para o feriado de Natal, com ganhos para o setor de energia, com os preços do petróleo subindo no comércio asiático após a notícia de que um foguete atingiu um tanque de armazenamento no maior porto de petróleo da Líbia. O won da Coreia do Sul subiu 0,3% em relação ao pregão de 24 de dezembro fechando em 1,098.74 por dólar,  com especulação de que exportadores estão vendendo dólares para converter os ganhos no exterior com a aproximação do final do ano.

Na China, o Shanghai Composite saltou quase 3%, com corretoras liderando os ganhos depois que as autoridades facilitaram ainda mais as condições de liquidez para os bancos. A mídia local disse que o banco central chinês está planejando renunciar temporariamente exigências para os credores no sentido destes constituirem reservas. Citic Securities subiu para a máxima permitido de 10%, enquanto Haitong Securities e Founder Securities subiram 9,9% cada.

O Shanghai Composite subiu 6,2% nos últimos dois dias de negociação, o maior desde agosto de 2009. O índice subiu 49% este ano em meio a especulações de que o banco central vai facilitar ainda mais a política monetária para apoiar a economia depois de cortar as taxas de juros.

Mercado de ações em Hong Kong está fechada para o Natal e vai reabrir apenas no dia 29 de dezembro.

No Sudeste Asiático, o índice FTSE KLCI da Malásia teve melhor fechamento em duas semanas puxadas por ações de bancos. Em sentido contrário, SET da Tailândia caiu 0,6%, enquanto Straits Times de Cingapura fechou estável.

EUROPA: As principais bolsas da Europa permanecem fechadas devido as comemorações de Natal.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA: As bolsas de Wall Street reabrem após o feriado do Dia de Natal.  Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Nikkei +0,06%
Austrália: ---
HONG KONG: ---
Xangai Composite: +2,77%

EUROPA
Frankfurt - Dax: ---
London - FTSE: ---
Paris CAC 40: ---
Madrid IBEX: ---
FTSE MIB: ---

COMMODITIES
BRENT: ---
WTI: ---
OURO: ---
COBRE: ---
NÍQUEL: ---
SOJA: ---
ALGODÃO: ---

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,19%
SP500: +0,16%
NASDAQ: +0,26%

RECESSO DE FINAL DE ANO:
BRASIL: A BOVESPA não abre nos dias 31 de Dezembro e 1 de Janeiro.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  TERÇA-FEIRA 23/12/2014

ÁSIA:  As principais bolsas asiáticas fecharam em queda nesta terça-feira, mesmo após uma forte sessão em Wall Street, com temores de uma nova queda dos preços do petróleo. Os volumes negociados foram baixos antes do feriado de Natal, além de que os mercados japoneses ficaram fechados para o feriado de aniversário do Imperador.

Na China, o Shanghai Composite fechou 2,96% menor em meio a um pregão agitado, com investidores focados nas notícias de que Pequim está investigando uma possível manipulação nos preços das ações. A agência de valores mobiliários investiga 18 ações. Destaque para empresas relacionadas com a energia, como PetroChina e Sinopec, que registraram perdas de 5,6 e 4,9% cada. Air China, companhia aérea de bandeira do país, reverteu ganhos os anteriores e caiu 4,8%depois de anunciar a compra de 60 Boeing 737 aviões por um preço total de US $ 5,9 bilhões.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,32%. O índice de preços ao consumidor composto de Hong Kong em novembro subiu 5,1% ante o ano anterior, devido a um menor aumento dos preços de frutas frescas. O aumento do IPC de novembro foi um pouco menos do que os 5,2% de outubro, mas ficou acima da mediana de uma alta de 4,3% previsto pelo The Wall Street Journal. O governo de Hong Kong prevê que o CPI suba 4,3% em 2014, estável em relação ao ano passado.

As ações australianas quebraram um rali de quatro dias de alta, com o S & P ASX 200 caindo 1,12%, depois de uma queda nos preços das commodities ferindo o sentimento do investidor. O dólar australiano caiu 0,3 % em relação ao homônimo americano, para 0,8112 dólar. Os produtores de energia também exibiram um cenário sombrio. O preço do petróleo caiu depois que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos reiteraram a promessa da OPEP de manter a produção. Os preços do minério de ferro também recuaram, com uma queda de 1,8%, em US $ 67.90. Oil Search fechou 2,2% menor, enquanto a Woodside Petroleum e Santos perderam 1,9 e 1,3%, respectivamente.

Mineradoras caíram forte. BC Iron e Fortescue Metals despencaram 9,5 e 5,2% cada. A gigante BHP Billiton caiu 3,5% para 28,81 dólares, enquanto a principal rival Rio Tinto recuou 3,3%, para 55,81 dólares.

EUROPA: As principais bolsas europeias avançam com os investidores reagindo a uma enorme quantidade de dados em meio a volumes de negociação abaixo da média. O pan europeu Stoxx Euro 600 avança 0,12%, mas os volumes devem permanecer menor devido aos feriados festivos que começam na quinta-feira. Mercados de ações da Europa fecham no meio do dia amanhã, véspera de Natal.

As despesas do consumidor da França ficou inalterada em 0,4% e no Reino Unido, o PIB do terceiro trimestre foi de 0,7%, inalterado em relação à sua primeira leitura e abaixo de uma previsão de 0,8%. A confiança dos consumidores dos 18 países que compartilham o euro ficou ligeiramente mais otimista em dezembro, refletindo a queda dos preços do petróleo. As despesas das famílias devem aumentar ligeiramente nos próximos meses, o que ajudará a evitar que economia da zona do euro volte para a contração, apesar do investimento empresarial fraco e exportações decepcionantes. A preliminar da confiança do consumidor subiu para -10,9 em dezembro, ante -11,5 em novembro. A previsão do consenso de 15 economistas consultados pelo The Wall Street Journal na semana passada era de - 11,0.

Reservas de petróleo e gás registram ganhos modestos com a alta nos preços do petróleo.  Royal Dutch Shell sobe 0,13%, a francesa Total adiciona 0,18%, mas italiana Eni recua 0,41%. Em baixa, a Nutreco cai 5,01% e lidera a baixa no Stoxx 600, depois que  a Cargill dos abandonou os planos de comprar a produtora holandesa de alimentação animal.

Em Londres, as gigantes da mineração BHP Billiton e Rio Tinto caem 0,22% e 0,13% respectivamente.

Athex Composite  da Grécia  cai 2,25%, com os investidores aguardando os resultados da segunda votação para eleger o líder do país.

 AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - Durable Goods Orders e Core Durable Goods Orders (números mensais de pedidos de bens duráveis para a indústria nos Estados Unidos, além de destacar o indicador se excluídos as encomendas no setor de transportes);
11h30 - Final GDP (PIB);
11h30 - Final GDP Price Index (Índice de Preços do PIB);
12h00 - S&P/CS Composite-20 HPI (examina as mudanças no valor (preço de venda) do mercado imobiliário em 20 regiões nos EUA no ano anterior. Este relatório ajuda a analisar a força do mercado imobiliário dos EUA, o que contribui para a análise da economia como um todo);
12h55 - Revised UoM Consumer Sentiment (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
12h55 - Michigan Inflation Expectations (mede a porcentagem que os consumidores esperam do preço dos bens e serviços nos próximos 12 meses);
13h00 - New Home Sales de julho (número de casas novas com compromisso de venda);
13h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores), e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed);
13h00 - Core PCE Price (gastos com consumo pessoal (PCE) excluindo os preços dos alimentos e de energia);
13h00 - Richmond Manufacturing Index (consiste numa pesquisa com cerca de 100 fabricantes, determinando a saúde econômica do setor manufatureiro no distrito de Richmond. Qualquer leitura acima de 0 indica melhoria das condições do setor, enquanto uma leitura abaixo de 0 indica agravamento das condições);

ÍNDICES MUNDIAIS (8h10):

ÁSIA
Nikkei ---%
Austrália: -1,12%
HONG KONG: -0,32%
Xangai Composite: -2,96%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,13%
London - FTSE: +0,53%
Paris CAC 40: +0,44%
Madrid IBEX: -0,27%
FTSE MIB: -0,09%

COMMODITIES
BRENT: +0,80%
WTI: +0,99%
OURO: +0,51%
COBRE: -0,20%
NÍQUEL: -0,77%
SOJA: -0,39%
ALGODÃO: -0,03%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,06%
SP500: +0,02%
NASDAQ: +0,02%

CALENDÁRIO DE FINAL DE ANO:
EUA:
Dia 25: Christmas Day - O mercado americano não abre.

BRASIL:
Dia 24: Não haverá negociação nos segmentos de renda variável, de renda fixa privada e de derivativos.
Dia 25: Não haverá negociação nos segmentos de renda variável, de renda fixa privada e de derivativos.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEGUNDA-FEIRA 22/12/2014

ÁSIA:  As bolsas asiáticas começaram a semana curta em alta nesta segunda-feira, com uma recuperação dos preços do petróleo  durante a madrugada, melhorando o sentimento nos mercados globais.

Wall Street fechou em alta na sexta-feira, com o S & P 500 subindo 3,4% na semana, registrando sua segunda melhor semana em quase dois anos, refletindo a decisão da reunião do FOMC de que não subirá os juros tão cedo.

No Japão, o iene pouco mudou em relação ao dólar fechando em 119,5, inibindo o rali de ações de empresas exportadoras. No início da sessão, o Nikkei registrou 17.692 pontos, mas fechou com apenas 0,08% de alta. Destaque para as ações da Refinadora de petróleo Showa Shell, que disparou 28% com notícia de que estava em negociações para ser adquirida pela rival Idemitsu Kosan, por US $ 4,2 bilhões. As ações da Idemitsu subiu quase 3%.

Na China, o Shanghai Composite subiu 0,61% em meio a um pregão volátil. Destaques positivos para Bank of China e Agricultural Bank of China que subiram 9,9% cada. Concessionárias de energia elétrica também subiram depois que a mídia local informou que a China pode lançar um projeto de reforma dos serviços públicos no início de 2015. GD Power Development e Huadian Power International subiram 10% cada,  para a máxima diária permitido.

Em Hong Kong, o Hang Seng index subiu 1,26%, próximo da alta de 12 de dezembro. Sun Hung Kai Properties fechou em alta de 2,3%, após um julgamento de corrupção envolvendo funcionários da empresa, concluído na semana passada, que teve veredicto menos grave do que se pensavam. Destaque negativo para  a corretora Haitong Securities que perdeu 2%, depois de anunciar no domingo que planeja levantar 3,86 bilhões de dólares em uma IPO privada em Hong Kong.

O referencial da Austrália S & P ASX 200 subiu  1,94%, cravando uma série de quatro triunfos e terminando próximo da alta de duas semanas, enquanto o dólar australiano ganhou 0,3%, sendo negociado a 0,8166 em relação ao dólar, perto da mínima de vários anos. Produtores de petróleo e gás avançaram. Santos e Oil Search fecharam com alta de 6,4 e 5%, respectivamente. Mineradoras também subiram com a recuperação dos preços do minério de ferro; Fortescue Metals e BHP Billiton subiram 5,5 e 3% cada. As pequenas mineradoras tiveram ganhos espetaculares. Arrium disparou 25,8% e BC Iron ganhou 8,3%.

O primeiro-ministro australiano Tony Abbott luta contra uma queda no apoio público ao chegar ao final de seu primeiro  mandato, prejudicadas por erros e uma economia azedada, arrastam seus índices de aprovação para mínimas históricas. Economistas esperam que o Banco da Reserva da Austrália corte as taxas de juros no próximo ano, com a economia lutando contra a queda dos preços das commodities, prevendo uma a taxa de juros oficial a 2%.

EUROPA:  As principais bolsas europeias abriram em alta, com o sentimento impulsionado por uma recuperação no preço do petróleo, melhora do rublo russo, que sobe 4,88% em relação ao dólar, embora tenha caído cerca de 50% em relação ao par americano neste ano.

O pan europeu Stoxx 600 Index deve ter uma queda no volume de negociação nesta semana, devido aos feriados festivos de final de ano. Mercados tem sido voláteis nas últimas semanas, com uma forte queda do preço do petróleo e com os problemas econômicos da Rússia pesando em empresas com exposição à região.

As ações de energia na Europa são destaque no pan índice. Seadrill tem fortes ganhos após perdas íngremes recentes. Entre outros destaques, as ações da seguradora Delta Lloyd cai 5% depois que o banco central holandês multou a empresa depois de alegar ganhos indevidos a partir de 2012. A finlandesa Neste Oil sobe 1% depois que a empresa aumentou a sua perspectiva de lucro, destacando a renovação de um crédito de imposto para combustível nos EUA

O FTSE 100 do Reino Unido sobe impulsionado por ações do setor de energia, industria e finanças. Tullow Oil sobe 1,37%, enquanto as grandes petrolíferas Royal Dutch Shell e BP sobem 2,9% e 2,8%, respectivamente. Ações de empresas de petróleo tem sido duramente castigadas nas últimas semanas, com  os preços do petróleo caindo para mínimas de cinco anos em meio à preocupações com o excesso de oferta no setor. Entre as mineradoras, BHP Billiton sobe 0,91%, Rio Tinto avança 0,73%, Glencore sobe 0,93% e Antofagasta recua 0,13%.

O FTSE 100 subiu 3,9% na semana passada, marcando sua melhor semana em mais de três anos.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
13h00 - Existing Home Sales (mede as vendas de casas usadas no país).

ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Nikkei +0,08%
Austrália: +1,94%
HONG KONG: +1,26%
Xangai Composite: +0,61%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,80%
London - FTSE: +0,88%
Paris CAC 40: +1,03%
Madrid IBEX: +0,68%
FTSE MIB: +1,22%

COMMODITIES
BRENT: -0,05%
WTI: -0,22%
OURO: +0,19%
COBRE: +0,41%
NÍQUEL: +0,93%
SOJA: +0,48%
ALGODÃO: +0,03%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,33%
SP500: +0,30%
NASDAQ: +0,32%

CALENDÁRIO DE FINAL DE ANO:
EUA:
Dia 25: Christmas Day - O mercado americano não abre.

BRASIL:
Dia 24: Não haverá negociação nos segmentos de renda variável, de renda fixa privada e de derivativos.
Dia 25: Não haverá negociação nos segmentos de renda variável, de renda fixa privada e de derivativos.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEXTA-FEIRA 19/12/2014

ÁSIA: As bolsas asiáticas seguiram o desempenho otimista de Wall Street, com a promessa do Federal Reserve de ser paciente no aumento das taxas de juros. Dados positivos mostrando que as reivindicações de seguro desemprego diminuiu em 6.000 para 289.000 na semana passada, o mais baixo desde o início de novembro.

No Japão, o Nikkei teve seu melhor desempenho em seis semanas e meia, subindo 2,39%, para 17.621,40 pontos, com o iene sendo a ¥ 119,09 a partir de ¥ 118,83 na quinta-feira em Nova York. O dólar mais forte é uma benção para os exportadores japoneses. O Banco do Japão manteve sua política monetária estável em sua última reunião do ano, como previsto, mas o banco central elevou sua avaliação econômica, citando sinais de uma recuperação nas exportações.

O referencial da Austrália, S & P ASX 200 subiu 2,45%, contabilizando uma série de três dias de alta, com o setor de commodities recuperando das pressões da queda dos metais e dos preços do petróleo.

Os produtores de petróleo e gás Woodside Petroleum e Origin Energy subiram 3% cada. Santos que anunciu que havia conseguido um empréstimo bancário de $ 816,60 milhões do ANZ Banking entalhou uma alta de 0,4%. Mineradoras também registraram alta; BHP Billiton e Fortescue Metals subiram 3,4 e 2 %, respectivamente, enquanto BC Iron reverteu a abertura com ganhos para terminar 4% menor depois de anunciar mudanças em seu negócio com a Mineral Resources. Enquanto isso, o dólar australiano continuou sendo negociado abaixo 82 centavos de dólar, perto de mínimos de vários anos.

Mercados do Japão e Austrália estão superando a região da Ásia-Pacífico nesta esta semana, enquanto os mercados emergentes da Ásia como Vietnã e Filipinas em particular , tem sido atingidos por uma combinação de preocupações que incluem o declínio dos preços do petróleo, a perspectiva de política monetária mais apertada, pontualmente nos EUA e um surto de volatilidade das moedas na região, gerando uma onda de vendas nos mercado emergente no início da semana, apesar de que a maioria dos países da Ásia são importadores de petróleo e os preços mais baixos do petróleo são bem vindos. Na Austrália, ao contrário, onde há grandes empresas de  recursos naturais, o foco dos investidores sobre as últimas indicações do Fed tem ofuscado as preocupações do mercado de commodities, temporariamente.

Na China, o índice Hang Seng subiu 1,34% em Hong Kong e no continente, o Shanghai Composite Index subiu 1,67%. Os stocks no continente tem sido amplamente protegidos das preocupações no exterior, subindo 23% desde que o banco central da China surpreendeu os mercados em novembro, com um corte da taxa de juro, incluindo um ganho de  4,6% nesta semana. A preocupação no momento na China é o pico da taxa de recompra de 7 dias, que está em 6%. O Banco do Povo da China (PBoC) teria ofertado aos bancos, empréstimos de curto prazo para aliviar a pressão sobre endividamento de curto prazo. Enquanto isso, a China revisou para cima o PIB para 2013, em 3,4%, para 58.800.000 milhões de yuans, ante  56.880.000 milhões de yuans, mas disse que a revisão não afetará o crescimento econômico este ano.

EUROPA:



AGENDA ECONÔMICA:
EUA:



ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):




Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  QUINTA-FEIRA 18/12/2014

ÁSIA: A maioria das bolsas asiáticas subiu nesta quinta-feira, seguindo o forte fechamento de Wall Street, depois que a Presidente do FED, Janet Yellen, disse em sua última entrevista coletiva de 2014 que é improvável que o BC inicie seu processo de elevação da taxa por "nas próximas reuniões. Outro impulso positivo para os mercados foi a recuperação dos preços do petróleo, após dados dos EUA mostrarem queda de estoques de petróleo.

Na China, o preço médio das casas novas em 70 cidades chinesas caiu 0,60% em novembro, em comparação com uma queda de 0,8% em outubro. Foi o terceiro mês consecutivo em que os preços médios caíram de forma menos acentuada do que no mês anterior. Em uma base anual, o preço médio das casas novas caíram 3,6% em novembro, em comparação com uma queda de 2,5% em outubro e 1,1% queda em setembro. O Banco Central cortou as taxas de juro no mês passado, primeiro corte desde Julho de 2012, após relaxamento nas políticas de hipotecas  em setembro, melhorando o sentimento entre os investidores e compradores de imóveis. A taxa de recompra de sete dias, um indicador da disponibilidade de financiamento interbancário chinês subiu 133 pontos base, para 5,21%, maior salto desde janeiro.

O Shanghai Composite caiu 0,10%, após quatro sessões de alta,  com setor imobiliário e financeiro em baixa. China Railway Construction subiu 10%, o máximo diário permitido com notícia de que a China assinou um memorando de entendimento com a Sérvia e Hungria para a construção de uma linha ferroviária entre Belgrado e Budapeste em meados de 2015.

Em Hong Kong, o Hang Seng subiu 0,99%, acabando com uma sequência de cinco dias de queda, quando caiu mais de 10%, na sequência da recuperação dos mercados norte-americanos. Ações de energia subiu, seguindo a melhora dos preços internacionais do petróleo.

No Japão, o Nikkei subiu 2,32% recuperando território acima dos 17.000 pontos, com o iene caindo 0,13% frente ao dólar, sendo negociado a ¥ 118,87, ante  ¥ 117,07 no dia anterior. Destaque para a alta dos fabricantes de automóveis. Sony subiu quase 5%, depois de relatos de que a Coreia do Norte estava por trás de um ataque cibernético contra a Sony Pictures, que cancelou o lançamento do filme "The Interview", em meio à pressão dos ciberterroristas que invadiram os computadores da empresa. O filme é sobre um complô para assassinar o líder norte-coreano Kim Jong Un. O Banco do Japão começou a sua reunião de dois dias e divulgará a sua última decisão de política do ano na sexta-feira e espera-se pela manutenção de suas configurações monetárias.

Na a Austrália, o S & P ASX 200 subiu 0,96%, registrando o segundo dia de alta, beneficiado pela avaliação econômica otimista do Fed e um pequeno aumento dos preços do petróleo.

A produtora de petróleo e gás Santos subiu 5%, enquanto Oil Search avançou 4,4% e Woodside adicionou 3,10%. Mineradoras Rio Tinto e BHP Billiton subiram 2,5 e 1,9%, respectivamente, enquanto Fortescue Metals teve um ganho de 6,4%.

EUROPA: As principais bolsas europeias avançam nesta manhã de quinta-feira, após o Federal Reserve dos Estados Unidos dizer que não tem ainda total confiança na economia e se comprometeram a ser paciente com os aumentos das taxas de juros, substituindo a promessa de manter os custos de empréstimos perto de zero por um "tempo considerável" e melhorando a sua avaliação sobre o mercado de trabalho. A queda dos preços do petróleo estão segurando a inflação abaixo da meta do Fed e forçando outros bancos centrais a implementar medidas adicionais para evitar a deflação. O Banco Nacional da Suíça impôs taxas de juros negativas.

O pan-europeu índice Euro Stoxx 600 sobe cerca de 1,9%, com todos os setores em território positivo.

No Reino Unido, o FTSE 100 registra ganhos, incluindo alta de 0,47% da farmacêutica AstraZeneca, após aprovação pela Comissão Europeia do medicamento Lynparza para tratar o câncer de ovário.  A droga pode ser usada em todos os 28 estados membros da UE, bem como na Noruega, Islândia e Liechtenstein.

A maioria das empresas de petróleo e gás continuam a subir, depois que o setor encena uma uma recuperação dos preços do petróleo. Tullow Oil sobe 2,08%, empresa de serviços de petróleo Petrofac adiciona 2,29%, BG Group sobe 0,71% e BP ganha 0,91%, enquanto a Royal Dutch Shell ganha 0,05%. Mineradoras também avançam. Anglo American sobe 1,25%, Glencore adiciona 0,70% e as gigantes BHP Billiton e Rio Tinto sobem 0,15% cada.

O German Ifo Business Climate, um estudos com 7000 empresas, entre elas indústrias, construtores, atacadistas e varejistas da Alemanha subiu para 105.5, melhor que os 104.7 do mês anterior, mas pior que a expectativa de 105.6.

O candidato preferido do primeiro-ministro grego não conseguiu ganhar os 180 votos necessários para vencer em primeiro turno a eleição presidencial da Grécia.

O Rublo, que na segunda e terça-feira sofreu uma desvalorização histórica, recupera na abertura dos mercados moscovitas. Em conferência anual à imprensa, o presidente Vladimir Putin disse que o PIB cresceu 0,6% nos últimos 10 meses, que apesar da turbulência do mercado financeiro, ele acredita em um excedente do orçamento federal e que o governo está estudando medidas adequadas para ajudar a economia, como as usadas com sucesso em 2008, apesar de que o preço do petróleo continuará a pressionar a economia.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
12h45 - Flash Services PMI (estimativa inicial do Índice PMI, fornecendo indicadores precedentes para dados finais do PMI de Serviços. São um dos primeiros indicadores econômicos de cada mês, fornecendo evidências de mudanças nas condições econômicas.
13h00 - Philly Fed Manufacturing Index (indicador responsável por mensurar a atividade industrial no estado).
13h00 - CB Leading Index (ou Índice de Indicadores Antecedentes, relatório que compreende 10 índices já divulgados no país e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Nikkei +2,32%
Austrália: +0,96%
Xangai Composite: -0,10%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +2,10%
London - FTSE: +0,73%
Paris CAC 40: +2,42%
Madrid IBEX: +2,29%
FTSE MIB: +2,32%

COMMODITIES
BRENT: +1,40%
WTI: +1,70%
OURO: +1,09%
COBRE: -0,72%
NÍQUEL: -1,81%
SOJA: +0,79%
ALGODÃO: -0,21%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,92%
SP500: +0,97%
NASDAQ: +1,07%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  QUARTA-FEIRA 17/12/2014

ÁSIA:  A maioria das bolsas asiáticas recuperou parte das fortes perdas recentes, com a continuidade da queda nos mercados de petróleo, a crise financeira na Rússia e com os investidores de olho na reunião mensal da Reserva Federal.

Durante a madrugada, o Brent continuou abaixo de 60 dólares o barril, perto de seu nível mais baixo em cinco anos, com o excesso de oferta arrastando para baixo os preços. O crude dos EUA com entrega para janeiro caiu a 54,96 dólares o barril, depois de tocar 53,60 dólares na terça-feira, valor mais baixo desde maio de 2009, .

Na China, Shanghai Composite subiu 1,28%, aumentando para quatro sessões consecutivas de alta, com ganhos no setor bancário, enquanto o yuan manteve-se estável em relação ao dólar, após o banco central definir seu ponto médio diário em uma nova alta de 10 meses.

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,37%, tocando seu nível mais baixos desde 03 de outubro. Geely Automobile recuou 17% depois de advertir que seu lucro líquido de 2014 será atingido por perdas cambiais decorrentes de suas operações na Rússia e uma forte queda nas vendas em seus principais mercados e as negociações das ações da marca esportiva chinesa Li Ning, que foram suspensas em 12 de dezembro, retomaram hoje e caiu mais de 10% depois de anunciar planos para levantar até US $ 218 milhões em uma oferta aberta de ações.

No Japão, o Nikkei subiu 0,38%, recuperando-se de uma baixa de seis semanas, com o iene ajudando os exportadores.

Na Austrália, o S & P ASX 200 subiu 0,19%, quebrando uma série de seis dias de queda, ajudado pela recuperação no setor de recursos. Mineradoras negligenciaram a queda dos preços do minério de ferro que fechou em US $ 68.58 a tonelada, mínima de cinco anos. A gigante de recursos BHP Billiton subiu 0,3%, para 27,51 dólares, enquanto Rio Tinto saltou 1,4%, para 53,38 dólares.  Após perdas extensas nas sessões anteriores, Santos avançou 4,3%, enquanto Oil Search e Woodside Petroleum subiram 3,4 e 3%, respectivamente. Enquanto isso, o dólar australiano caiu 0,4%, para  8,148 centavos de dólar.

EUROPA:  As principais bolsas europeias recuam, revertendo parte da alta do dia anterior, com nova queda dos preços do petróleo e  a crise financeira da Rússia.

Turbulência econômica da Rússia se mantém no foco dos investidores,esperando para ver o que o governo vai fazer para deter a queda do rublo, depois de subir as taxas para 17%. O Ministério das Finanças do país anunciou que começou a vender seu estoque de moeda estrangeira. Analistas acreditam que as autoridades da Rússia em breve poderá ser forçado a implementar controles de capital para interromper a queda. Como é um dos principais parceiros comerciais, são esperados que os problemas de financiamento da Rússia comece a bater na Europa.

O FTSEurofirst 300, índice das principais ações europeias caiu 0,9%. O Brent cai mais de 1%,  pela sexta sessão consecutiva, com preocupações persistentes com o excesso de oferta mantendo os preços abaixo de US $ 60 o barril. Total registra queda de 1,2% em Paris e BP cai 0,5% em Londres.

O FTSE 100 do Reino Unido recua, seguindo o sentimento azedo em toda Europa. Investidores aguardam a minuta do Banco da Inglaterra, bem como dados de empregos de outubro. Entre empresas de mineração, BHP Billiton cai 0,72% e Rio Tinto avança 0,42%.

Investidores também aguardam a reunião mensal do Federal Reserve às 17h00, horário de Brasilia, seguido de uma explicação da Presidente do  Fed, Janet Yellen às 17h30. Aguarda-se a remoção da frase "tempo considerável", uma referência de quanto tempo  o FED pretende manter as taxas baixas.

Em outras notícias, os gregos vão às urnas para o primeiro de três rodadas para a eleição presidencial. Se um presidente não for eleito nestas rodadas, uma eleição geral será automaticamente chamado.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - CPI - Consumer Price Index (Indicador mensal da inflação ao consumidor dos Estados Unidos) e de seu núcleo Core CPI (mensura os preços ao consumidor, com exceção dos custos relativos à alimentação e energia);
11h30 - Current Account (saldo da conta corrente norte-americana);
13h30 - Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);
17h00 - FOMC Economic Projections (previsões de crescimento do PIB);
17h00 - Federal Funds Rate (Decisão da Taxa de Juros);
17h00 - FOMC Statement (Declaração do FOMC);
17h30 - FOMC Press Conference (Discurso da Presidente do FED Janet Yellen).

ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Nikkei +0,38%
Austrália: +0,19%
Hong Kong: -0,43%
Xangai Composite: +1,28%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -1,19%
London - FTSE: -0,75%
Paris CAC 40: -0,90%
Madrid IBEX: -1,26%
FTSE MIB: -1,59%

COMMODITIES
BRENT: -1,21%
WTI: -1,29
OURO: +0,09%
COBRE: -0,39%
NÍQUEL: -1,63%
SOJA: -0,79%
ALGODÃO: +0,33%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,36%
SP500: +0,40%
NASDAQ: +0,32%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  TERÇA-FEIRA 16/12/2014

ÁSIA:  As principais bolsas asiáticas fecharam em baixa, com exceção ao índice Shanghai Composite, em consequência de uma queda persistente dos preços do petróleo e com dados adicionando mais preocupações sobre a desaceleração da  atividade econômica na segunda maior economia do mundo.

O petróleo estava sendo negociadas abaixo de $ 56 o barril nos EUA na segunda-feira, próximo a uma baixa de 5 anos, caindo pela quinta sessão consecutiva após o ministro do petróleo dos Emirados Árabes Unidos dizer que não havia necessidade de uma reunião de emergência da Opep para sustentar os preços.

No Japão, o Nikkei caiu 2,01%, abaixo do nível de 17.000  pontos, na sequência de uma força do iene frente ao dólar, fechando a ¥ 117,42, ante ¥ 117,73 da segunda-feira em Nova York, derrubando papeis de empresas exportadoras.

Na China, o setor de manufatura encolheu inesperadamente pela primeira vez em sete meses. O índice flash PMI do HSBC / Markit caiu para 49,5 em dezembro, abaixo previsões para manter a leitura final de novembro em 50,0, limite que separa contração da expansão. O Shanghai Composite inverteu a abertura em queda, para uma alta de 2,3%, com a maioria das ações do setor financeiro disparando para a máxima de 10% diário permitido. Setor de infraestrutura também tiveram um bom desempenho, com notícias de medidas de apoio das autoridades. Pequim aprovou projetos de infraestrutura no valor de US $ 31 bilhões, o que inclui um terceiro aeroporto na capital e cinco estradas na região sul e central. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,63%, estendendo as perdas de segunda-feira.

Na Austrália, o S & P ASX 200 caiu 0,65% e contabilizou a sexta sessão consecutiva de queda, na sequência do recuo em Wall Street e a implacável queda dos preços da energia.

Ações de commodities foram agredidas, especialmente os produtores de petróleo e gás. Search Oil despencou 2,8%, enquanto a Woodside Petroleum e Santos perderam 2,6% cada. As gigantes da mineração BHP Billiton e Rio Tinto tiveram perdas de 3,2 e 1,6%, respectivamente, apesar do preço à vista do minério de ferro desembarcado na China subir para US $ 69.06 a tonelada.

O dólar australiano ganhou 0,3% em relação ao dólar, com a minuta da reunião de dezembro do Banco da Reserva da Austrália revelar que o banco central sentiu a necessidade de uma queda ainda maior da moeda local para ajudar a proteger a economia da queda dos preços das commodities.

EUROPA:  As principais bolsas europeias abriram em queda  pelo sétimo dia, com dados de manufatura decepcionantes da China alimentando preocupações sobre a saúde da economia global, mas aponta uma recuperação após divulgação otimista do PMI para a zona do euro.

A atividade de negócios na zona do euro em dezembro cresceu a um ritmo mais rápido em dois meses, mas o ritmo de expansão ainda era um dos mais fracos visto em 2014. O índice PMI composto subiu para 51,7 ante 51,1 de novembro, o menor em 16 meses. O PMI de serviços subiu para 51,9, uma alta de dois meses, enquanto a leitura de produção ficou em 50,8, o maior nível em cinco meses.

A fraqueza situou novamente nos países centrais. A leitura do composto da Alemanha ficou uma baixa de 18 meses. Na França, o PMI composto subiu para melhor nível em quatro meses, impulsionado pelo setor de serviços. Por um lado, o aumento do PMI na zona do euro apoia a ideia de que o estímulo do BCE está a começar a ter efeito, mas por outro lado, a taxa decepcionante de expansão, especialmente a fraqueza evidente na Alemanha e na França acrescenta as preocupações para mais estímulos.

O índice Stoxx Europe 600 cai 0,7%, com o setor de petróleo e gás estendendo as perdas com a continuidade da queda do preço do petróleo. As ações de mineradoras caem com dados da China caindo para a mínima de sete meses em dezembro. BG Group cai 0,93% e BP recua 1,67%, enquanto as mineradoras BHP Billiton e Rio Tinto caem 1,57% e 0,16% respectivamente.

O Banco da Inglaterra advertiu que a continuação do baixo crescimento e inflação na zona do euro traz riscos para a economia do Reino Unido e para estabilidade do seu sistema financeiro. O teste de estresse dos oito maiores bancos do Reino Unido, que analisou a sua resiliência face a uma queda de 35% nos preços da habitação e uma subida acentuada das taxas de juro, constatou-se que apenas um necessitaria de mais capital. A taxa anual de inflação da zona do euro situou-se em 0,3% em novembro, enquanto a economia do Reino Unido cresceu apenas 0,2% no terceiro trimestre e o BCE vai rever a sua postura de política monetária no início do próximo ano e indicou que pode lançar um programa de compras de títulos em mais um esforço para estimular o crescimento e inflação.

Em um movimento surpresa, primeiro-ministro grego Antonis Samaras antecipou a eleição presidencial para esta quarta-feira, dois meses mais cedo do que inicialmente previsto. A situação precisa obter dois terços dos 300 membros do parlamento para apoiar seu candidato, Stavros Dimas. Se Samaras não conseguir obter apoio suficiente, o parlamento deve ser dissolvido, o que significa uma nova possível eleição no final de janeiro. Dada a instabilidade política recente, os investidores já estão se preparando uma vitória da extrema-esquerda, anti-austeridade Syriza e renovando temores de um "Grexit" (Grécia deixando a zona do euro). O índice Athex Composite cai 0.21%.

Além disso, o banco central da Rússia aumentou drasticamente sua taxa de juro de 10,5% para 17% para travar o colapso do rublo, por ser uma economia dependente do petróleo, o que faz caminhar para uma recessão devido a queda dos preços do petróleo e das sanções ocidentais.  

O líder da Ucrânia apelou à União Europeia para uma ajuda financeira de emergência, alegando que o governo precisa de ajuda para consertar a economia, informou a Reuters.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - Housing Starts (índice mensal de construção de novas casas nos Estados Unidos) e Building Permits (índice mensal de permissão para novas construções nos Estados Unidos);
12h45 - Flash Manufacturing PMI (estimativa referente ao nível de atividade industrial nos Estados Unidos)

ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Nikkei -2,01%
Austrália: -0,65%
Hong Kong: -1,63%
Xangai Composite: +2,30%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,22%
London - FTSE: +0,14%
Paris CAC 40: -0,20%
Madrid IBEX: -0,66%
FTSE MIB: +0,46%

COMMODITIES
BRENT: -2,10%
WTI: -2,17%
OURO: +0,71%
COBRE: +0,25%
NÍQUEL: -1,29%
SOJA: -0,27%
ALGODÃO: -0,77%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,13%
SP500: +0,17%
NASDAQ: -0,04%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEGUNDA-FEIRA 15/12/2014

ÁSIA:  As bolsas asiáticas diminuíram suas perdas no fechamento do pregão de segunda-feira, depois de registrar quedas acentuadas no início do pregão, após as bolsas dos EUA terminarem em forte baixa na semana que passou, com índices de referência postando perdas semanais consideráveis. O Dow Jones Industrial Average declinou 1,8% na sexta-feira, uma queda de 3,8% na semana, sua pior perda semanal desde novembro de 2011 e o S & P 500 caiu 1,6%, enquanto o Nasdaq Composite caiu de 1,1%.

O sentimento empresarial no Japão piorou no quarto trimestre. O índice Tankan do Banco do Japão para grandes fabricantes caiu de 13 para 12 no trimestre anterior, abaixo das expectativas para uma leitura de 13 em uma pesquisa da Reuters. O referencial do Japão Nikkei caiu 1,57%, seu menor fechamento desde meados de novembro, com o iene subindo para ¥ 118,27 em relação ao dólar, ante ¥ 118,83 na sessão anterior, com vista para uma vitória esmagadora pelo primeiro-ministro Shinzo Abe nas eleições antecipadas para este fim de semana.

Ações australianas fecharam em baixa pela quinta sessão consecutiva, como a queda dos preços das commodities pesando sobre o S & P ASX 200 que recuou  0,64%, para 5186,10. Grandes parte do centro de Sydney estava isolada após no mínimo um homem armado fazer reféns no Lindt Chocolate Café em Martin Place, no coração do distrito comercial e colocar uma bandeira islâmica na janela, o que provocou preocupações de um ataque terrorista. Autoridades australianas isolaram ruas, evacuaram as pessoas de edifícios e suspenderam várias rotas ferroviárias. Falando à jornalistas, o primeiro ministro Tony Abbott chamou o incidente de "muito preocupante", informou a Reuters.

O petróleo que inicialmente mergulhou no comércio asiático da segunda-feira, após o IEA cortar sua perspectiva, associado a alta do dólar, inverteu a tendência na sessão da tarde  e postou pequenos ganhos, com investidores abocanhando pechinchas entre as ações de energia. Woodside subir 2,28%, Santos subiu 4,19% e Oil Search avançou 1,54%. Origem caiu 0,73%, Senex disparou 7,84%, Caltex adicionou 1,83%, Beach Energy subiu 1,71% e Drillsearch subiu 3,60%.

Em sentido contrário, as gigantes da mineração recuaram. BHP caiu 0,46%, para 28,33 dólares e Rio perdeu 0,32%, para 53,50 dólares. Newcrest Mining caiu 0,5% com a notícia de que a produtora de ouro planeja dividir o desenvolvimento de sua mina Golpu em Papua, Nova Guiné, em duas etapas e que se destina a reduzir os gastos e melhorar a rentabilidade. Bancos também perderam terreno. ANZ caiu 0,77%, Commonwealth Bank deslizou 0,57%, National Australia Bank mergulhou 1,47% e Westpac perdeu 0,72%. O dólar australiano foi negociado a 0,8247 dólar, perto de seu nível mais baixo desde meados de 2010.

Na China, um relatório de pesquisa do banco central da China disse que espera uma queda de crescimento econômico do país para 7,1% no próximo ano. O índice Hang Seng caiu 0,95%, pelo quinto dia consecutivo, com empresas de petróleo e bancos liderando as perdas.  Shanghai Composite reverteu perdas na última hora e fechou 0,5% maior, com investidores no continente comprando ações de bancos.

Os mercados emergentes caem com ações relacionadas às commodities arrastando para baixo os mercados do Sudeste Asiático. O SET da Tailândia caiu 3%, pesada por uma queda de 3,6% nas ações da PTT, principal empresa de energia do país, que emitiu um aviso de que seu lucro líquido este ano pode ser menor do que os 2,9 bilhões dólares ganhos em 2013. Jakarta Composite da Indonésia caiu 0,9%, batendo seu nível mais baixo em quase três anos, enquanto a rupia, moeda local, caiu para o menor nível desde agosto de 1998, sendo negociado a 12.650 contra o dólar.

EUROPA:  As principais bolsas europeias abriram em baixa nesta segunda-feira, com a atenção focada em um incidente envolvendo refém em Sydney, Austrália, mas o índice Stoxx Europe 600 recupera, após o indicador deslizar 5,8% na semana passada, a sua pior semana em três anos, em meio a preocupações de que a economia mundial está abrandando.

As negociações com os futuros sobre o índice CAC 40 e AEX Index foram adiadas por um problema técnicos, segundo a Euronext, atrasando a pré-abertura em todos os mercados de derivativos e os futuros do índice do mercado suíço recuam. As ações da Chocoladefabriken Lindt & Sprüngli recuam, depois que terroristas fizeram reféns em um dos cafés da empresa em Sydney.

Ações de energia sobem, recuperando da queda da semana passada. Os preços do petróleo afundou no início dos negócios, mas diminuíram as perdas e mudaram para o território positivo em meio à previsões de demanda de petróleo pela Agência Internacional de Energia e os relatos de interrupções de fornecimento na Líbia. Além disso, o Wall Street Journal também informou que Abdalla Salem el-Badri, o chefe da OPEP, disse que o cartel do petróleo ainda não definiu suas metas de preços. Especialistas esperam dados econômicos dos EUA, China e Europa na terça-feira e as expectativas para o PMI deste mês são favoráveis e deve impedir que uma nova queda dos preço do petróleo na semana.

Em Londres, as ações das empresas petrolíferas PETROFAC, do BG Group, Tullow Oil , BP e Royal Dutch Shell tem os melhores desempenhos no FTSE 100 na manhã desta segunda-feira. As ações da gigante das telecomunicações BT também subiam após rumores de que a empresa pode anunciar em breve uma nova aquisição. Entre as mineradoras, BHP Billiton sobe 0,75%, Glencore recua 0,09%, Rio Tinto avança 0,54% e Anglo American adiciona 0,66%

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - NY Empire State Manufacturing Index (mede a atividade manufatureira no estado de Nova York);
12h15 - Industrial Production (produção industrial) e Capacity Utilization (capacidade utilizada).
13h00 - NAHB Housing Market Index (venda de imóveis e a expectativa para novas construções no mercado imobiliário americano);
19h00 - TIC Long-Term Purchases (mede o nível de investimento estrangeiro e nacional nos EUA);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

 ÁSIA
Nikkei -1,57%
Austrália: -0,64%
Hong Kong: -0,95%
Xangai Composite: +0,53%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,66%
London - FTSE: +0,60%
Paris CAC 40: +0,77%
Madrid IBEX: +0,74%
FTSE MIB: +0,79%

COMMODITIES
BRENT: +1,98%
WTI: +1,89%
OURO: -0,70%
COBRE: +0,18%
NÍQUEL: +1,05%
SOJA: +0,71%
ALGODÃO: +0,53%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,65%
SP500: +0,73%
NASDAQ: +0,74%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEXTA-FEIRA 12/12/2014

ÁSIA: Mercados asiáticos fecharam sem direção nesta sexta-feira, com o fechamento positivo em Wall Street compensando as preocupações com a queda nos preços do petróleo abaixo de US $ 60 o barril, pela primeira vez em cinco anos, durante a madrugada.

A produção industrial da China em novembro subiu 7,2%, abaixo das expectativas de um aumento de 7,5% da pesquisa da Reuters e abaixo da alta de 7,7% de outubro. As vendas no varejo subiram 11,7%, acima das expectativas para um aumento de 11,5%. Investimentos em ativos fixos para o período de janeiro a novembro aumentou 15,8%, em linha com as expectativas.

O referencial da China Shanghai Composite index fechou em alta de 0,47%, mesmo após os dados espalharem preocupações sobre a desaceleração do crescimento do país. A Reuters relatou que Pequim instou os bancos do continente para acelerar empréstimos nos últimos meses de 2014. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,27%.

No Japão, o Nikkei subiu 0,66%, depois de três sessões de quedas consecutivas e bater uma baixa de duas semanas na quinta-feira, com enfraquecimento do fraco iene e os sinais de resiliência na economia dos EUA. Exportadores lideraram os ganhos, com exceção da Nissan e Honda Motor que caíram, arrastado por anúncios de recalls devido à problemas com airbags anunciadas pela Takata. Enquanto isso, as pesquisas continuam a apontar para uma vitória esmagadora para a coalizão governista nas eleições parlamentares de domingo. As prévias indicam que o bloco LDP-Komeito manterá uma maioria de dois terços no parlamento, dando ao primeiro-ministro Shinzo Abe o mandato que ele precisa para continuar com suas políticas econômicas.

O referencial da Austrália, S & P ASX 200 caiu 0,22%, recuando pela quarta sessão consecutiva e terminou a semana em baixa. Mineradoras recuaram depois que os preços do minério de ferro caiu para seu nível mais fraco em mais de 5 anos. Produtores de minério de ferro como Fortescue Metals e Rio Tinto caíram mais de 2% cada. Os credores também recuaram; Austrália & New Zeland Banking Group e Commonwealth Bank of Australia recuaram 0,7 e 0,5%, respectivamente.

Enquanto isso, o dólar australiano foi negociado a 0,8271 dólar em relação ao dólar norte-americano, perto de níveis de 30 de Junho de 2010, após o Presidente do Reserve Bank of Australia, Glenn Stevens, dizer em uma rara entrevista que a moeda continua sobrevalorizada e seria "mais adequado" uma cotação próxima a 75 centavos de dólar.

EUROPA: As bolsas europeias recuam com novas quedas de petróleo West Texas Intermediate abaixo de US $ 60 o barril e após dados da produção industrial da China ficar aquém das estimativas.

O colapso do petróleo tem aumentado após os três maiores membros da OPEP, Arábia Saudita, Iraque e Kuwait, oferecerem mais descontos para países da Ásia. Analistas dizem que a queda do preço do crude vai beneficiar principais consumidores de petróleo, incluindo os EUA, Índia e Indonésia e prejudicar países como a Rússia e os do Oriente Médio. Para o Japão e países europeus que estão preocupados com a deflação, a queda dos preços do petróleo dá margens para implementar políticas monetárias mais agressivas.

O índice Stoxx Europe 600 caiu 0,8%, com o setor de energia , mais uma vez pesando fortemente sobre o benchmark. Premier Oil e Tullow Oil caem 4,38% e 4,53% respectivamente, enquanto os pesos pesados ​​como BP e Shell perdem 1,94% cada.

Mineradoras que tem uma forte exposição à China também recuam. Anglo American cai 3,11%, BHP Billiton recua 2,39% e Rio Tinto perde 2,11%.

O mais recente programa do BCE, conhecido como TLTRO, correspondeu às expectativas na quinta-feira, mas os resultados não deixaram pistas para os investidores de quando o BCE irá anunciar seu programa de flexibilização quantitativa escala (QE).

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - Producer Price Index - PPI (mede o preço cobrado pelos produtores) e também o Core PPI (exceção aos preços de alimentação);
12h55 - Prelim UoM Consumer Sentiment (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
12h55: Prelim UoM Inflation Expectations (mede a porcentagem que os consumidores esperam do preço dos bens e serviços nos próximos 12 meses);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Nikkei +0,66%
Austrália: -0,22%
Hong Kong: -0,27%
Xangai Composite: +0,47%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -1,18%
London - FTSE: -1,31%
Paris CAC 40: -1,21%
Madrid IBEX: -1,107%
FTSE MIB: -1,07%

COMMODITIES
BRENT: -0,61%
WTI: -0,17%
OURO: -0,13%
COBRE: +0,54%
NÍQUEL: +1,45%
SOJA: -0,16%
ALGODÃO: +0,69%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,58%
SP500: -0,52%
NASDAQ: -0,69%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  QUINTA-FEIRA 11/12/2014

ÁSIA: As bolsas asiáticas deslizaram novamente nesta quinta-feira, com a queda dos preços do petróleo para uma nova baixa de cinco anos durante a madrugada, após a OPEP cortar sua previsão de demanda para o próximo ano e um indicador mensal do Japão pior do que o esperado reforçando o nervosismo sobre a lentidão da economia global.

As bolsas dos EUA fecharam em forte baixa na quarta-feira. O Dow Jones Industrial Average teve seu pior desempenho desde 09 de outubro, fechando em queda de 1,5% e S & P 500 também recuou 1,6%, seu pior desempenho desde 13 de outubro e Nasdaq Composite perdeu 1,7%.

As encomendas de máquinas no Japão caíram 6,4% em outubro, pior do que as expectativas de um declínio de 2,4% em uma pesquisa da Reuters e mais lento do que 2,9% de aumento de setembro. Em relação a outubro do ano passado, as encomendas de máquinas caíram 4,9%, pior do que as expectativas de um declínio de 0,3%. O Nikkei caiu 0,89% e atingiu uma baixa de quase três semanas a 17.043 pontos, quando a moeda tocou seus níveis mais altos em duas semanas contra o dólar em ¥ 117,54, em comparação com ¥ 119,40 do dia anterior.

O índice de referência da China Shanghai Composite fechou 0,45% menor, com preocupações sobre a liquidez do mercado depois que novos anúncios foram inesperadamente divulgados. . Ações do setor financeiro lideraram as perdas perdas no benchmark. Preocupações com o crescimento da segunda maior economia mundial, fez com que índice chinês tivesse sua maior perda em cinco anos na terça-feira depois de Pequim fez um movimento de surpresa para controlar empréstimos

Em Hong Kong, o Hang Seng fechou em queda de 0,90% em meio a queda do petróleo derrubando ações de petrolíferas, enquanto companhias aéreas subiram.

Na Austrália, o país adicionou 42.700 novos postos de trabalho em novembro, acima da previsão de 15.000 pela Reuters. A taxa de desemprego foi de 6,3%, ante 6,2% em outubro. O índice S & P / ASX200 caiu 0,53%, pesada pelo setor de energia, mineração e bancário, enquanto o setor de telecomunicações minimizou as perdas no índice, liderada por uma forte alta da Telstra.  A empresa de exploração de petróleo e gás Santos caiu 8,3% após anunciar que cortou seu orçamento de investimentos para 2015 em 25% e que as vendas de ativos ainda estavam sendo considerados.

Durante a noite, o preço do minério de ferro avançou 0,1% a US $ 69,14 a tonelada. Entre as mineradoras, Rio Tinto perdeu 2,4%, para 55,04 dólares, BHP caiu 1,3%, para US $ 29 e Fortescue Metals perdeu 3,5%, para 2,47 dólares.

O banco central da Coréia do Sul mantem as taxas de juro inalteradas pelo segundo mês consecutivo, em linha com as expectativas. Decisões de política monetária nas Filipinas e Indonésia também serão divulgados nesta quinta-feira e nenhuma mudança é esperada.

EUROPA: As bolsas europeias recuperam depois de três dias de perdas, oscilando entre pequenas perdas e ganhos. O BCE libera hoje a segunda rodada de empréstimos de longo prazo para os bancos da região.

O índice Stoxx Europe 600 sobe, recuperando de uma mínima de três anos, com alta do Brent depois de cair 27% desde junho. A Opep disse que acredita que a demanda por petróleo em 2015 terá o nível mais fraco em 12 anos. O Stoxx 600 está a caminho para o pior desempenho semanal em dois meses. O Index grego ASE também estende as perdas de ontem, em meio as perspectivas com a eleição parlamentar.

Os preços ao consumidor francês em novembro caiu 0,2% em relação a outubro, mais que o esperado, aumentando a pressão sobre o Banco Central Europeu a tomar medidas adicionais para impulsionar economia. Economistas consultados pelo The Wall Street Journal esperavam um declínio de 0,1% em relação ao mês anterior e um aumento de 0,4% no ano.

O banco central da Noruega cortou a sua taxa de juros em 25 pontos para 1,25%.

O FTSE 100 do Reino Unido avança, liderada pelo setor de petróleo e gás. A empresa de serviços de petróleo Petrofac sobe 2.58%, a gigante petrolífera BP sobe 1.71%  e Royal Dutch Shell sobe 1,3%, enquanto Tullow Oil avança 1.87%. Entre empresas de mineração, Anglo American cai 0,91%, BHP Billiton sobe 1,08% e Rio Tinto avança 0.20%. A economia de Londres cresceu 24% entre 2007 e 2013, apesar da crise financeira e está em contraste com o crescimento de 15% visto pelo resto do Reino Unido durante esse período.

Entre as notícias corporativas, a maior varejista de vestuário do mundo, Inditex sobe 3,5% depois de registrar um aumento no lucro e receita, em linha com as estimativas dos analistas. A rival sueca Hennes & Mauritz sobe 0,5%. Telecom Italia sobe 4,7%. Telefonica, Oi e Claro  planejam fazer uma oferta pela TIM Participações.Telecom Italia possui um 67% de participação na empresa de telefonia brasileira.


AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - Retail Sales (mede as vendas totais do mercado varejista, desconsiderando o setor de serviços) e o Core Retail Sales (exclui as vendas de automóveis e gás);
11h30 - Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
11h30 - Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo);
13h00 - Business Inventories (relatório sobre as vendas e os estoques do setor atacadista);
18h01 - 30-y Bond Auction (leilão de títulos de 30 anos do governo dos EUA);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Nikkei -0,89%
Austrália: -0,53%
Hong Kong: -0,90%
Xangai Composite: -0,45%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,21%
London - FTSE: +0,08%
Paris CAC 40: -0,01%
Madrid IBEX: +0,27%
FTSE MIB: +0,17%

COMMODITIES
BRENT: +0,20%
WTI: +0,37%
OURO: -0,37%
COBRE: +0,31%
NÍQUEL: +0,08%
SOJA: +0,38%
ALGODÃO: +0,74%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,30%
SP500: +0,34%
NASDAQ: +0,24%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  QUARTA-FEIRA 10/12/2014

ÁSIA: As principais bolsas asiáticas fecharam sem direção nesta quarta-feira, com os investidores assustados com os dados econômico lento da China, incerteza política na Grécia e uma nova queda nos preços do petróleo. Wall Street fechou sem direção. Dow Jones Industrial Average e o S & P 500 recuaram, enquanto o Nasdaq Composite avançou.

Destaque regional para o Shanghai Composite que fechou em alta de 2,96%, recuperando cerca de metade das perdas de terça-feira. Números da inflação piores do que o esperado aumentaram as preocupações sobre a atividade da segunda maior economia do mundo, mas  alimentou especulações de uma maior flexibilização monetária.

O índice de preços ao consumidor subiu 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado, leitura mais baixa desde novembro de 2009,  abaixo uma previsão Reuters de um aumento de 1,6% e o setor de atacado, por sua vez, manteve-se entrincheirado em uma espiral deflacionária, o índice de preços ao produtor (PPI)  em novembro caiu 2,7% no ano, pior do que a previsão de um declínio de 2,4%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,16%. A maior produtora de energia nuclear CGN Power foi o centro das atenções, subindo de 20% em sua estréia comercial. As ações da estatal foi negociadas a HK $ 3,330, em comparação com o seu IPO de HK $ 2,78, depois de atingir o pico em HK $ 3,48.

O referencial do Japão, Nikkei caiu 2,25%, ampliando as perdas e terminando em uma baixa de quase duas semanas, com o iene subindo 0,6%, a 118,9 contra o dólar, derrubando papeis de empresas exportadoras. Números do governo japonês divulgados antes da abertura do mercado, mostraram que os grandes fabricantes japoneses cresceram menos no período de outubro a dezembro e veem as condições piorando ainda mais no trimestre seguinte.

Na Austrália, o S & P ASX 200 perdeu 0,45%, com o sentimento do consumidor afundando 5,7% em dezembro para 91,1 pontos, o menor nível em mais de três anos, ante aumento de 1,9% em novembro.

Ações de bancos foram os maiores perdedores, digerindo notícias da Australian Prudential Regulation Authority e do Australian Securities Investments Comission sobre as normas de empréstimos hipotecários residenciais; Westpac Bank e Macquarie Group perderam 1,6% cada.

Mineração foi o setor com melhor desempenho no benchmark australiano, apesar da queda de 1,1% no preço à vista do minério de ferro, para US $ 69.06 a tonelada, assim como o preço do petróleo, ouro e do cobre. A gigante BHP Billiton subiu 1,8%, para 29,39 dólares, enquanto a Rio Tinto subiu 1,6%, para 56,40 dólares. Reservas de petróleo em sua maioria recuaram, com o Brent retomando a sua trajetória de queda. Santos recuou quase 1%, enquanto Woodside Petroleum apagou as perdas e recuperou 1,5%.

EUROPA: As principais bolsas europeias sobem no comércio da manhã desta quarta-feira, recuperando das pesadas vendas da sessão anterior, quando dados econômico mais lento da China assustaram os investidores, que já estavam sob tensão da incerteza política na Grécia. O índice de referência grego teve ontem a maior queda desde 1987, como a perspectiva da eleição alimentar especulações de que a liderança anti austeridade poderia ganhar força no cenário político grego.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,7% com alta em todos os setores. Um índice de credores europeus sobe após queda de ontem, com os bancos em Portugal, Itália e Espanha liderando os ganhos.

Em Londres, BG Group sobe 1,2%, depois de vender uma rede de gasodutos de gás natural na Austrália por US $ 5 bilhões. Tullow Oil sobe 4,15%, mas BP cai 0,26%, Royal Dutch Shell cai 0,55%. Entre as mineradoras, BHP Billiton sobe 0,28% e Rio Tinto avança 0.39%.

Enquanto isso, as tensões entre a Ucrânia e a Rússia se intensificaram na quarta-feira depois que um militar da Ucrânia acusou os separatistas de violarem o "Dia do Silêncio", informou a Reuters.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
13h30 - Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);
16h01 - 10-y Bond Auction (leilão de títulos de 10 anos do governo americano);
17h00 - Federal Budget Balance (orçamento federal dos Estados Unidos);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Nikkei -2,25%
Austrália: -0,45%
Hong Kong: +0,16%
Xangai Composite: +2,96%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +0,73%
London - FTSE: 0,29%
Paris CAC 40: +0,40%
Madrid IBEX: +0,56%
FTSE MIB: +0,60%

COMMODITIES
BRENT: -1,12%
WTI: -0,52%
OURO: -0,01%
COBRE: -0,43%
NÍQUEL: -0,38%
SOJA: +0,85%
ALGODÃO: +0,27%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,05%
SP500: +0,02%
NASDAQ: +0,01%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  TERÇA-FEIRA 09/12/2014

ÁSIA: Mercados asiáticos seguiram a queda de Wall Street, depois que os preços do petróleo caíram para novas mínimas de cinco anos no pregão asiático, com Brent abaixo de US $ 66 por barril. Durante a noite, os preços caíram 4% devido previsões pessimistas após o Dow postar a maior queda desde outubro.

Com as exportações e importações da China em declínio, aumentaram as pressões sobre o Banco do Povo da China para novas medidas de apoio à economia. O índice de referência da China, Shanghai Composite atingiu uma alta de 3.091 pontos no início da sessão, mas despencou 5,31% na última hora do pregão, num movimento típico de realização de lucros, depois que o governo reduziu as expectativas do PIB para 2015 para 7%, abaixo da meta 2014 de cerca de 7,5%. Enquanto isso, o yuan caiu para uma baixa de cinco meses contra o dólar. Nos últimos 30 dias, o Shanghai Composite subiu cerca de 20%. Em Hong Kong, o Hang Seng perdeu mais de 2%, caindo pela primeira vez em três sessões, depois de subir para uma alta de uma semana e meia de alta na segunda-feira.

O Nikkei do Japão caiu 0,68%, interrompendo uma série de sete dias de alta, sob peso de uma moeda mais forte. O yen última negociado a 120,7 por dólar, depois de atingir uma baixa de sete anos na segunda-feira. O sentimento também foi ferido por uma pesquisa da Reuters mostrando que a maioria das empresas ve a economia estagnado ou em recessão. Sony foi um dos maiores perdedores no benchmark Nikkei com uma queda de 4%, após ataque cibernético na segunda-feira.

O referencial da Austrália, S & P ASX 200 recuou 1,68%, depois de atingir uma alta de uma semana e meia na sessão anterior, enquanto o dólar australiano caiu para uma nova mínima de quatro anos contra o dólar. Produtores de energia foram duramente atingidos. Santos e Oil Search despencaram 7% cada, enquanto Origin Energy caiu quase 5%. Mineradoras também sofreram; BHP Billiton e Fortescue Metals registraram queda de 4% cada e Rio Tinto mergulhou 2,85%, para 55,50 dólares.

EUROPA: As principais bolsas europeias registram forte baixa no início do pregão nesta terça-feira, impactada pelo recuo no preço do petróleo e baixa das bolsas chinesas pesando sobre o sentimento do investidor.

O pan-europeu Stoxx 600 Euro Index recua 1,02% com o DAX alemão, o francês CAC 40 e o FTSE 100 , perdendo cerca de 1%.

Stocks relacionadas com commodities lideram as perdas. Mineradoras tem uma forte exposição à China, maior consumidora do mundo. Em Londres, BHP Billiton cai 2,51% e Rio Tinto cai 2,29%. Entre empresas de energia, Tullow Oil diminui 1,79% e empresa de serviços petrolífera Petrofac recua 2,54%.

Os ministros das Finanças da zona euro são a favor de concede à Grécia uma prorrogação de dois meses do seu programa de resgate, segundo o chefe do Eurogrupo Jeroen Dijsselbloem.

Na Alemanha, as importações deslizaram 3,1% em outubro em relação ao mês anterior. Os analistas tinham estimado uma queda de 1,7%. As exportações caíram 0,5%, em comparação com as previsões para uma contração de 1,7%.

Deutsche Bank cai 2,4%, após o governo dos EUA acusar a maior instituição financeira da Alemanha de usar empresas de fachada para sonegar impostos.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
10h30 - NFIB Small Business Index (índice de otimismo do pequeno empresário);
13h00 - JOLTS Job Openings (pesquisa mensal em diferentes indústrias em que analisa contratações, abertura de emprego, demissões, recrutamentos, etc);
13h00 - IBD/TIPP Economic Optimism (mede o nível de confiança do consumidor e o otimismo quanto à atividade econômica);
13h00 - Wholesale Inventories (dados de vendas e estoques no atacado americano);


ÍNDICES MUNDIAIS (7h20):

ÁSIA
Nikkei -0,68%
Austrália: -1,68%
Hong Kong: -2,34%
Xangai Composite: -5,31%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,89%
London - FTSE: -1,18%
Paris CAC 40: -1,19%
Madrid IBEX: -1,19%
FTSE MIB: -1,15%

COMMODITIES
BRENT: -4,52%
WTI: +0,49%
OURO: +0,11%
COBRE: -0,34%
NÍQUEL: -1,13%
SOJA: +0,19%
ALGODÃO: -0,07%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,29%
SP500: -0,29%
NASDAQ: -0,33%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEGUNDA-FEIRA 08/12/2014

ÁSIA: As principais bolsas asiáticas avançaram nesta segunda-feira, com S & P 500 e Dow terminando em níveis recordes na sexta-feira após os EUA criarem 321 mil novos empregos no mês passado, o maior ganho desde Janeiro de 2012.

O índice de referência da China subiu 2,86%, ultrapassando o nível de 3000 pela primeira vez desde abril de 2011, ganhando pela quinta sessão consecutiva. Para a semana que terminou na sexta-feira, o Shanghai Composite subiu mais de 9%, seu melhor desempenho semanal em cinco anos, na esperança de novas medidas na economia e está prevista uma série de dados econômicos para esta semana e qualquer decepção irá aumentar ainda mais essas expectativas. As corretoras foram destaques de alta mais uma vez. O Hang Seng de Hong Kong subiu 0,19%, com a maioria dos grandes bancos chineses postando ganhos significativos, enquanto stocks de energia decepcionaram novamente.

Dados comerciais da China revelaram uma forte desaceleração nas exportações e importações de novembro. As exportações subiram 4,7% ante o ano anterior, bem abaixo um aumento esperado de 8% de uma pesquisa do Wall Street Journal. Da mesma forma, as importações registaram uma queda inesperada de 6,7%, contra expectativas de um aumento de 3,5%,  ainda assim, o superávit comercial do país subiu para 54,500 bilhões dólares americanos, superando as estimativas de um superávit de US $ 43.95 bilhões.

O Nikkei do Japão devolveu parte dos ganhos depois de romper o nível de 18.000 pontos, mas o índice ainda fechou em alta de 0,08%, enquanto o dólar fechou a ¥ 121,34, após atingir 121,84 dólares, novo recorde em sete anos, devido otimismo do mercado de trabalho dos EUA em novembro e com a decepção da revisão do PIB do segundo trimestre do Japão, que encolheu mais do que o inicialmente estimado, com uma contração anualizada de 1,9%, confirmando que a economia japonesa encolheu por dois trimestres consecutivos, entrando em recessão técnica e veio a menos de uma semana das eleições gerais do país.

O referencial S & P ASX 200 da Austrália terminou com alta de 0,70%, enquanto o dólar australiano parou as perdas depois de bater em um novo recorde de baixa de quatro anos em $ 0,8272. Bancos avançaram depois que um relatório do Sistema de Investigação Financeira lançado no fim de semana recomendar um aumento das necessidades de capital; National Australia Bank liderou os ganhos com 2% de alta. A Cia aérea Qantas subiu 14% depois de anunciar que espera publicar seu melhor lucro do primeiro semestre em quatro anos.

Enquanto a depreciação da moeda não for suficiente para apoiar os maiores exportadores de recursos da Austrália, eles continuarão a enfrentar a pressão dos preços mais fracos das commodities. O maior produtor de petróleo da Austrália, Woodside Petroleum perdeu 0,9%, depois que o Brent caiu para US $ 68.17 o barril - seu nível mais baixo desde 2009.

A gigante BHP Billiton mergulhou 1,1%, para 30,10 dólares, enquanto a principal rival Rio Tinto recuou 1 ¢ para 57,13 dólares, apesar do preço à vista do minério de ferro desembarcado na China subir em torno de  US $ 71.77 a tonelada, um recuo de 45% no ano.

EUROPA:  As principais bolsas europeias abriram em baixa, descartando os dados de emprego americanos melhores do que o esperado, divulgados na semana passada.  Ewald Nowotny, membro do Conselho do Banco Central Europeu, expressou hoje preocupações sobre a saúde da economia da região, indicando que a inflação da zona do euro poderia cair ainda mais no primeiro trimestre de 2015, o que levaria a união monetária perigosamente perto da deflação. A inflação caiu para 0,3% em novembro, ante 0,4% em outubro e que vê a zona do euro como o ponto fraco da economia mundial e que vale a pena discutir sobre o programa de compras.

Em entrevista ao jornal Die Welt, a chanceler alemã Angela Merkel acusou o presidente russo Vladimir Putin de "criar problemas" na Moldávia e na Geórgia, criticou-o sobre a crise Ucrânia e disse que ele estava tentando pressionar alguns estados dos Balcãs "politicamente e economicamente dependentes".  Seus comentários foram feitos enquanto o presidente francês, François Hollande fazia uma visita inesperada à Rússia para conversações sobre a crise com Putin no sábado. Segundo a Reuters, após as palestras, Hollande disse que poderia haver cessar fogo no leste da Ucrânia nos próximos dias.

O índice Stoxx Europe 600 desliza 0,3%. Empresas de construção contribuem para a queda. Sika cai 10% em Frankfurt e Cie. Saint-Gobain perde 3,4% em Paris. A maior fornecedor da Europa de materiais de construção ofereceu 2,75 bilhões de francos suíços (US $ 2,8 bilhões) para comprar uma participação de controle na fabricante de produtos químicos para construção. Isso desencadeou uma batalha na administração da Sika.

Na semana passada, o Stoxx 600 subiu 1,1%, seu nível mais alto desde janeiro de 2008, com especulações de que o Banco Central Europeu começará a comprar títulos do governo  e com as encomendas às fábricas alemãs batendo as previsões. Índice DAX da Alemanha recua. Um relatório mostrou que a produção industrial do país subiu 0,2% em comparação a setembro quando subiu 1,1%. O aumento foi menor do que a estimativa de 0,4% de uma pesquisa da Bloomberg News.

Produtores europeus de commodities caem, após dados chineses mostrarem que as exportações chinesas subiram menos que as estimativas e as importações caíram mais que as previsões dos analistas. Em Londres, BHP Billiton recua 1,49% e Rio Tinto perde 1%.

Air France-KLM recua 1,6% em Paris, após a companhia aérea dizer que o tráfego de carga caiu 3,6% em novembro e o de passageiros aumentar apenas 0,4%.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
13h00 - Labor Market Conditions Index (compilação de vários dados de trabalho em uma única leitura, a fim de dar uma melhor visão do mercado);

ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Nikkei +0,08%
Austrália: +0,70%
Hong Kong: +0,19%
Xangai Composite: +2,86%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,47%
London - FTSE: -0,70%
Paris CAC 40: -0,57%
Madrid IBEX: -0,30%
FTSE MIB: -0,22%

COMMODITIES
BRENT: -0,82%
WTI: -0,81%
OURO: +0,38%
COBRE: -0,20%
NÍQUEL: 0,00%
SOJA: +0,11%
ALGODÃO: +0,62%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,32%
SP500: -0,34%
NASDAQ: -0,35%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

RESENHA DA BOLSA - HARAMOTO -  SEXTA-FEIRA 05/12/2014

ÁSIA: A maioria das bolsas asiáticas terminou em alta nesta sexta-feira; com investidores de olho nos números do mercado de trabalho americano.  Na quinta-feira, o chefe do BCE, Mario Draghi disse que o banco central "intensificará"  os preparativos para novas compras de ativos no ano que vem depois de deixar a política inalterada. As declarações foram feitas em meio a relatos que o banco central está considerando um pacote de flexibilização quantitativa para a sua próxima reunião, em janeiro.

O Shanghai Composite da China em uma sessão extremamente volátil,  oscilou entre fortes ganhos e perdas, numa escala de 165 pontos, fechou em alta de 1,36%, renovando outro pico de três anos, estendendo os ganhos de 4% do último pregão. O índice  tem subido acentuadamente nas últimas duas semanas após o Banco Popular da China cortar de maneira surpreendente as taxa de juro no final do mês passado.

Haitong Securities subiu 10% com notícias de que está negociando a compra do braço de banco de investimento do Banco Espirito Santo de Portugal, o poderia ajudar o banco central português a recuperar fundos após socorrer Espirito Santo no início deste ano. Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,71%.

Referencial Nikkei do Japão inverteu as perdas para fechar com alta de 0,19%,  em um novo pico de sete anos e meio, com o iene atingiu uma nova baixa de sete anos, a 120,1 por dólar.

Em sentido contrário, o S & P ASX 200 da Austrália apagou os ganhos e fechou em queda de 0,62%, enquanto o dólar australiano manteve-se abaixo de 84 centavos de dólar.

Mais uma vez, os estoques de energia tiveram os piores desempenhos na semana. Origin caiu 8,16%, Santos despencou 16,83%, Horizon Oil caiu 7,50, Woodside recuou 0,11% na semana.
As ações de mineradoras também tiveram uma semana ruim. BHP caiu 1,62%, para 30,42 dólares, enquanto Rio Tinto fez pior, deslizando 3,32%, para 57,14 dólares.

As duas gigantes da mineração estão próximos de conseguir um acordo que lhes permitirão construir uma enorme mina de cobre no Arizona, sudeste dos Estados Unidos.  Ações de ambas as empresas caíram, apesar da notícia.

EUROPA: As principais bolsas europeias operam em alta no pregão desta manhã, após os comentários de ontem do Presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi.

Na quinta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) optou por manter a política monetária inalterada, levando a uma recuperação do euro. Aqueles que esperam que Draghi anunciasse o começo das compras de títulos soberanos ficaram desapontados, mas houve relatos de que o banco poderia considerar flexibilização quantitativa (QE) no início de 2015. O Banco da Inglaterra também decidiu manter a taxa básica de juros em uma baixa recorde de 0,5%, desde março de 2009 e quantidade de compras de ativos de  £ 375000000000 (588.000 milhões dólares) inalteradas.

O PIB da Zona do Euro cresceu 0,2%, como o esperado.

O STOXX 600 índice opera 0,8% maior, de olho no relatório de empregos dos EUA. Economistas esperam 230.000 novos postos de trabalho para novembro, mas o crescimento dos salários deverá permanecer indescritível. A taxa de desemprego deverá manter-se inalterada em 5,8%, de acordo com a Reuters. .

O alemão DAX sobe apesar do Bundesbank da Alemanha diminuir para metade a sua previsão de crescimento para 2015 e reduzir sua estimativa para este ano.  As encomendas às fábricas alemãs em outubro aumentaram mais do que o previsto

Nos mercados de commodities, o Brent caiu abaixo de US $ 70 por barril, após a Arábia Saudita reduzir os preços mensais para o petróleo bruto que vende para os EUA e Ásia.

A empresa de construção civil Balfour Beattt com sede em Londres sobe 1%, depois que rejeitou uma oferta de aquisição. A promotora imobiliária Berkeley Group Holdings avança 2,5%, após registrar aumento da receita no primeiro semestre do ano de £ 821.000.000 para £ 1020000000 e disse que a caminho de cumprir o seu objetivo de dividendos.

Zurich Insurance adiciona 0,6%, depois de dizer que deverá atingir as suas metas para 2016.

Em Londres, o FTSE 100 opera em alta, com apenas o grupo do setor de mineração em queda. Rio Tinto  desliza 1,4% depois que o seu CEO, Sam Walsh disse  que a filosofia comercial da Glencore  seria um grande impedimento para a fusão entre as duas empresas de mineração.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
11h30 - Relatório de Emprego de maio, composto por: Unemployment Rate (taxa de desemprego), Nonfarm Payrolls (pesquisa realizada em cerca de 375 mil empresas, que mostra o número de empregos gerados na economia, excetuando-se agricultura e pecuária), Average Workweek (média de horas trabalhadas por semana) e Hourly Earnings (média de remunerações por hora trabalhada);
11h30 - Trade Balance (balança comercial) de janeiro (mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país);
13h00 - Factory Orders de outubro (mede o volume de pedidos feitos à indústria como um todo, de bens duráveis e bens não duráveis);
18h00 - Consumer Credit de setembro (mede o total de crédito disponível ao consumidor).


ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA%
Austrália: -0,62%
Hong Kong: +0,71%
Xangai Composite: +1,36%

EUROPA
Frankfurt - Dax: +1,31%
London - FTSE: +0,66%
Paris CAC 40: +1,37%
Madrid IBEX: +1,65%
FTSE MIB: +2,08%

COMMODITIES
BRENT: -0,527%
WTI: -0,63%
OURO: -0,14%
COBRE: +0,26%
NÍQUEL: +0,18%
SOJA: -0,73%
ALGODÃO: +0,18%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,15%
SP500: +0,08%
NASDAQ: +0,14%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório. Você pode acompanhar também no http://br.investing.com/ e no http://haramoto.blogspot.com. Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader