Veja Também

Veja Também

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 31/01/2018

ÁSIA: A maioria dos índices asiáticos fechou em queda na quarta-feira, seguindo os declínios observados em Wall Street.

O Nikkei do Japão caiu 0,83%, a sexta sessão consecutiva de queda, depois de reverter pequenos ganhos no final da sessão. Fabricantes de automóveis, financeiras e casas comerciais registraram perdas. Entre os pesos pesados ​​do índice, Fanuc Manufacturing fechou em baixa de 0,66%, Toyota caiu 1,95% e Fast Retailing ganhou 0,74%. O setor de tecnologia fechou de forma mista, com Sony adicionando 0,5% e SoftBank recuando 0,73% ao final do dia.

Atravessando o Estreito Coreano, o Kospi da Coreia do Sul desistiu dos ganhos iniciais para terminar a sessão ligeiramente abaixo da linha plana. O índice fechou em baixa de 0,05%, apesar dos ganhos observados em algumas "techs". As ações da Samsung Electronics chegaram a subir mais de 5% após o anúncio de um "Split" na proporção de 50:1, mas depois fechou em alta de apenas 0,2%. O motivo da decisão foi "baseado na visão de que o preço alto das ações era um obstáculo para potenciais investidores", afirmou a empresa em comunicado.

A Samsung anunciou também um lucro recorde no quarto trimestre, em linha com a previsão no início deste mês. O lucro do período aumentou 64,3% em comparação com um ano atrás, com 15,2 trilhões de ganhos (US $ 14,15 bilhões). Outros nomes de tecnologia fecharam misturados: SK Hynix ganhou 0,55% e LG Display deslizou 1,08%.

A maior parte do setor financeiro negociou em baixa, assim como "stocks" relacionados à energia. A fabricante de aço Posco avançou 0,26%.

Abaixo, o  ASX 200 da Austrália subiu 0,25% para fechar em 6.037,7 pontos em meio a ganhos baseados em vários setores, com exceção de energia e materiais básicos. O declínio observado no setor de energia ocorreu após os preços do petróleo continuarem a cair. Santos caiu 1,16% e Beach Energy caiu 4,06%. Entre as mineradoras, BHP Biliton caiu 0,5%, Fortescue Metals caiu 1,7% e Rio Tinto recuou 2,1%. O subíndice financeiro pesadamente ponderado reverteu as perdas iniciais para fechar em alta de 0,06%.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,86%, para terminar em 32.887,27 pontos,  com o setor financeiros avançando após registrar perdas na última sessão. O HSBC fechou em alta de 0,12%, China Construction Bank aumentou 1,81% e a seguradora AIA avançou 0,6%. Os desenvolvedores imobiliários fecharam sem direção, enquanto os nomes relacionados à energia ficaram sob pressão, com CNOOC caindo 1,14%.

Nos mercados continentais, as bolsas terminaram em território negativo: o composto de Shanghai fechou 0,19% menor e o composto de Shenzhen caiu 1,66%. Apesar dos declínios, algumas blue chips registraram ganhos na sessão. O índice CSI 300, que rastreia blue chips listados em Xangai e Shenzhen, terminou em alta de 0,48%.

Os dados oficiais divulgados mostraram que as atividades das fábricas chinesas aumentou menos do que o esperado em janeiro: o PMI de manufatura da China chegou a 51,3, abaixo da previsão de 51,5.

Os mercados na Malásia ficaram fechados para o Thaipusam.

EUROPA: As bolsas europeias registram pequenos ganhos pequenos, com o índice de referência mantendo-se no caminho para o seu melhor mês desde setembro, com investidores monitorando mais uma rodada de ganhos corporativos sólidos. 

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,25% nos primeiros arranjos do dia, recuperando-se após um slide de 0,9% na terça-feira. Para o mês, o benchmark segue para um ganho de 1,9%, que seria o maior ganho mensal desde setembro.

Os investidores estão hesitantes em fazer grandes apostas, sob o fantasma do "selloff" global desta semana para as ações, provocado em parte pelo aumento das taxas de rendimento dos títulos de obrigações. No entanto, com uma série de resultados corporativos positivos, incluindo o maior fabricante de eletrodomésticos da Europa, a Electrolux e a fabricante de caminhões Volvo, as bolsas voltam a operar em um território ligeiramente positivo nesta quarta-feira.

Enquanto isso, o Banco Santander reportou uma queda de 4% no lucro líquido no quarto trimestre frente ao ano anterior. O maior credor da Espanha disse que os ganhos foram compensados ​​por deficiências extraordinárias em sua unidade dos EUA. Suas ações sobem 1% durante os primeiros negócios.

O FTSE 100 do Reino Unido recua ligeiramente, mantendo-se em curso para uma perda mensal de 1,3%, ante rali de alta de 4,9% em dezembro. O benchmark fechou em seu nível mais baixo desde o dia 20 de dezembro na terça-feira. A libra cai 0,0212% frente ao dólar, sendo negociado para US $ 1,4188, ante US $ 1,4149 no final de terça-feira em Nova York. 

As mineradoras recebem um baque depois que um indicador oficial da atividade de manufatura da China caiu pelo segundo mês consecutivo em janeiro. A China é um importante comprador de recursos naturais, de modo que qualquer sinal de desaceleração no setor de produção do país tende a pesar sobre o setor de recursos. Anglo American cai 0,2%, Antofagasta sobe 0,1%, BHP Biliton cai 0,1% e Rio Tinto cai 0,6%.

Fora da principal referência, uma queda de 40% nas ações da empresa de terceirização Capita pesa sobre o FTSE 100, depois que um aviso de lucro chacoalhou os investidores. O aviso vem após algumas semanas que sua rival Carillion disse que estava entrando em liquidação.

Os investidores também monitoram os dados econômicos. Houve uma queda na inflação da zona do euro para 1,3% em janeiro, ante 1,4% em dezembro. A queda era amplamente esperada. Além dos dados da inflação, o Eurostat também divulgou números sobre o desemprego da zona do euro, mostrando que a taxa de desemprego permaneceu em 8,7% em dezembro, de acordo com as previsões. 

Separadamente, os dados da Alemanha mostraram que o "boom" do emprego no país continuou em janeiro, enquanto as reivindicações de desempregados caíram em mais de 25 mil postos.

EUA: Os futuros de ações dos EUA estabilizam modestamente nesta quarta-feira, colocando o Dow a caminho para recuperar ligeiramente de uma queda de 2% em dois dias. Na terça-feira, o Dow sofreu a maior queda diária em oito meses, caindo 363 pontos, ou 1,4%. O S & P 500 caiu 1,1% e o Nasdaq Composite perdeu 0,9%.

Estrategistas dizem que o discurso do presidente Donald Trump não teve nenhum fato surpreendente e poderia estar ajudando o humor dos investidores, à medida que aguardam uma declaração do Federal Reserve, mais relatórios corporativos e uma série de dados econômicos.

O Dow continua a subir 5,5% em 2018, ajudado por fatores como a expansão da economia dos EUA, o crescimento dos lucros das empresas e o entusiasmo por cortes de impostos recentemente adotados e outras políticas favoráveis ​​às empresas.

A política monetária acomodatícia continua a ajudar o mercado de ações mas é esperada uma declaração relativamente "hawkish" do Fed que será lançada às 15h00. Não se espera nenhuma alta das taxas de juros na reunião de dois dias do banco central, que termina hoje. O encontro de janeiro é o último da chefe do Fed, Janet Yellen, que entregará as rédeas para Jerome Powell.

Na frente dos dados, o relatório de ADP de janeiro sobre o emprego no setor privado é devido às 9h15 e uma leitura do quarto trimestre sobre os custos de emprego está programada para chegar às 9h30. Os economistas esperam crescimento de 0,6% em tais custos.

Um lançamento das condições de negócios na área de Chicago é esperado às 10h45 do leste e o relatório de dezembro sobre as vendas de casas pendentes estará na torneira às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 10h00:
Dow: +0,33%
SP500: +0,30%
NASDAQ: +0,30%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 30/01/2018

ÁSIA: Os principais índices asiáticos fecharam em baixa nesta terça-feira, seguindo as quedas observadas em Wall Street. O índice da MSCI das ações para a Ásia-Pacífico, exceto o Japão, caiu 0,5% depois de subir para a máxima histórica na sessão anterior.

O índice Nikkei de Tóquio caiu 1,43% para fechar em 23.291,97 pontos. Os ganhos iniciais observados nas ações de montadoras foram eliminadas à medida que a sessão avançava: a Toyota terminou a sessão em baixa de 0,18% e a Honda declinou 0,56% no final do dia. A maior parte das "techs" recuaram. O peso pesado SoftBank Group caiu 1,48% e a Sony perdeu 1,93%. Ações relacionados à energia também negociaram em território negativo. Em sentido contrário, vários "players" relacionadas à indústria pesada destoaram e fecharam em alta: Komatsu e a Hitachi Construction Machinery subiram 1,67 e 7,02%, respectivamente.

Os dados divulgados no início do dia mostraram que as vendas no varejo no mês passado aumentaram 3,6% em comparação com o ano anterior, acima da expectativa de 1,8% mas as varejistas recuaram. O peso pesado Fast Retailing declinou 2,25%.

Em Seul, o Kospi caiu 1,17%, fechando em 2.567,74 pontos, depois de subir cerca de 1% e cravar um novo recorde durante a sessão. As ações de tecnologia foram negociadas em baixa, pesando no índice mais amplo. A blue chip Samsung Electronics afundou 2,77% antes do seu relatório trimestral, a ser divulgado na quarta-feira e a rival SK Hynix diminuiu 2,92%.

Abaixo, o ASX 200 da Austrália terminou a sessão em baixa de 0,87% em 6.022,8 pontos. O setor financeiro pesadamente ponderado fechou em queda de 0,58% e as principais ações de mineração também recuaram. BHP caiu 1,3%, Rio Tinto recuou 1%. Os produtores de ouro fecharam misturados depois que várias empresas do setor relataram números de produção do segundo trimestre. Newcrest Mining declinou 1,8% e Evolution Mining reverteu as perdas iniciais para subir 1,36% no final do dia.

Os mercados da Grande China também negociaram em baixa, somando a queda na sessão anterior, devido realização de lucro. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 1,09%. No continente, o composto de Xangai fechou 0,99% menor e o composto de Shenzhen caiu 0,53%.

Fornecedores da Apple da região levaram uma pancada seguindo o tombo da gigante de tecnologia, que caiu 2,1% na segunda feira nos EUA, em meio à especulações sobre possíveis cortes na produção do iPhone. A empresa informará seus números trimestrais na quinta-feira nos EUA. Taiwan Semiconductor Manufacturing, a maior empresa da ilha, caiu 2,3%. No Japão, Japan Display fechou em baixa de 0,83%, embora Sharp manteve acima da linha plana, ganhando 0,25%. AAC Technologies e Sunny Optical de Hong Kong diminuíram 2,21 e 1,59%, respectivamente.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa na manhã desta terça-feira, com investidores monitorando o lançamento de novos dados econômicos e ganhos corporativos. O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,3% durante os arranjos iniciais, com a maioria dos setores em território negativo.

O setor de recursos básicos registram perdas logo após o sino de abertura, recuando mais de 1,5% em meio a uma potencial crise de energia na China. A segunda maior província do país pediu às produtoras de carvão que encurtem ou cancelem as férias durante as celebrações do Festival da Primavera, a fim de aliviar as crescentes preocupações com a demanda de aquecimento mais alta do que o habitual. Anglo American, Tullow Oil e BHP Billiton estavam negociando em queda devido as notícias . 

Olhando para ações individuais, Loomis figua no fundo do benchmark europeu, após ganhos mais fracos do que os antecipados. A empresa sueca informou que o crescimento orgânico ficou abaixo das expectativas nos últimos três meses de 2017. Suas ações recuam mais de 8% menores. Do outro lado, Siemens Gamesa disse na terça-feira que registrou perda líquida no primeiro trimestre de 35 milhões de euros (43,4 milhões de dólares) devido custos de integração e reestruturação. A previsão de vendas de turbinas eólicas se estabilizará no mercado indiano em 2018 e suas ações sobem quase 5%.

Os gastos dos consumidores franceses caíram inesperadamente em dezembro. As despesas familiares na segunda maior economia da zona do euro caíram 1,2% em relação ao mês de dezembro, enquanto os economistas esperavam um aumento de 0,6%. Os números mostram um ponto fraco na economia francesa em meio a uma aceleração do crescimento. Dados anteriores mostraram um forte crescimento no investimento empresarial que ajudaram a impulsionar uma expansão econômica de 1,9% em 2017, a maior desde 2011.

Em dezembro, os consumidores reduziram os gastos com alimentos e produtos manufaturados em 1,4%, disse Insee. Ainda assim, a agência de estatísticas revisou seus números de novembro para uma expansão de 3% no mês anterior, ante 2,2% anteriormente divulgado. Em termos trimestrais, os gastos nos últimos três meses do ano diminuíram apenas 0,1%. O CAC 40 da França opera em baixa.

O FSE 100 do Reino Unido cai pela primeira vez depois de três dias de alta, rastreando o selloff nos EUA e na Ásia. O benchmark londrino apaga o ganho de 0,1% da segunda-feira. A libra desliza 0,3055% frente o dólar, sendo negociado a US $ 1,3991, ante US $ 1,4075 no final da segunda-feira em Nova York.

As ações da Anglo American caem 2,7%, mesmo depois que o grupo De Beers, sua dona maioritária, dizer que as vendas de diamantes subiram no primeiro ciclo de vendas de 2018. Entre outras empresas do setor, Antofagasta cai 1,7%, BHP Biliton cai 1,3%, Glencore perde 1,6% e Rio Tinto opera em baixa de 0,5%.

O "Brexit" voltou às manchetes nessta terça-feira, depois de um relatório da BuzzFeed sobre a análise do governo sobre o divórcio com a União Europeia vazou e mostrou que o Reino Unido será significativamente pior fora da UE, independentemente do que seja acordado.

EUA:  Um selloff parece estar sendo desenhado em Wall Street, podendo esticar pelo segundo dia, como os futuros dos índices americanos apontando para perdas na abertura.

A escalada dos rendimentos das obrigações dos EUA, o que implica em um aumento nos custos de empréstimos, parece pesar sobre as ações. O aumento das taxas das obrigações pode dificultar a demanda por ativos considerados mais arriscados, como ações, particularmente quando esses rendimentos são superiores aos das ações. 

Na segunda-feira, o rendimento do Título do Tesouro dos EUA de 10 anos disparou para 2,695%, seu nível mais alto desde abril de 2014, tendo atingido uma alta intradiária de 2,727%. 

A política e a economia também podem fornecer catalisadores para os investidores, com Trump programado para discursar às 10h00, enquanto o Federal Reserve começará sua reunião política de dois dias.

Deveremos ter um dia agitado na agenda corporativa. McDonalds e Pfizer Inc. devem reportar seus números trimestrais.

O Dow Jones e o S & P 500 tiveram o seu pior dia do ano nesta segunda-feira, fechando 0,6 e 0,4%, respectivamente. O Nasdaq Composite Index caiu 0,52%, registrando a segunda pior queda diária neste ano.

Entre os dados econômicos, os preços das casas da Case-Shiller de novembro são devidos às 10h00, enquanto o levantamento de Confiança do Consumidor para janeiro está programado para ser divulgado às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 8h00:
Dow: -0,51%
SP500: -0,29%
NASDAQ: -0,37%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 29/01/2018

ÁSIA: A maioria das bolsas asiáticas fechou em queda nesta segunda-feira, com o dólar americano perdendo um pouco de seu impulso inicial. 

Na semana passada, o dólar deslizou para uma mínima de três anos, seguindo os comentários do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, a favor de um dólar mais fraco. 

O Nikkei do Japão reverteu os ganhos iniciais para fechar literalmente estável em 23.629,34 pontos à medida que a recuperação do dólar perdeu força. Ações relacionadas à energia, varejistas e montadoras fecharam em alta no dia.

O índice Kospi da Coreia do Sul subiu 0,91% para terminar em 2.598,19 pontos.Samsung Electronics avançou 0,87%, antevendo o anúncio dos resultado do quarto trimestre no final desta semana. A rival fabricante de chips SK Hynix desistiu de ganhos iniciais para fechar em baixa de 0,26%. As montadoras e as ações relacionadas à petróleo finalizaram o dia em território positivo.

Em Sydney, o ASX 200 subiu 0,42% para terminar a sessão em 6.075,4 pontos, com os mercados retomando as negociações após um longo fim de semana devido às comemorações referentes ao dia da Austrália na sexta-feira. Os ganhos foram observados na maioria dos setores além dos produtores de ouro e fundos de investimento imobiliário. Entre as mineradoras australianas, BHP Biliton caiu 0,4%, Fortescue Metals caiu 0,3% e Rio Tinto fechou em alta de 0,5%. Enquanto isso, as ações relacionadas à energia e telecomunicações estavam entre os setores com melhor desempenho no dia.

Os mercados da China que negociaram em grande parte da manhã em alta, entraram em território negativo no período da tarde na sequência de comentários de um regulador sobre o bloqueio de "stocks" de alto preço.

No continente, o compósito de Shanghai recuou 0,97% e o composto de Shenzhen caiu 1,56%, enquanto o índice de blue chips CSI 300 perdeu 1,81% no final do dia. 

Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,56%. Segundo analista, a queda foi provavelmente devido à realização de lucro após um ótimo começo do ano. 

EUROPA: Os mercados europeus abriram misturados na manhã de segunda-feira, com investidores monitorando novos dados econômicos e ganhos corporativos, com o índice pan-europeu Stoxx 600 recuando ligeiramente durante os primeiros arranjos da manhã, com diversos setores e importantes bolsas apontando em direções opostas. 

O setor de tecnologia lideram os ganhos com uma alta de 0,7% em meio à um aumento no crescimento da receita da fabricante de chips eletrônicos Austria Microsystems após dizer que suas receitas em 2017 quase duplicaram em meio à demanda robusta de seus sensores para smartphones que tem como clientes, a Apple. Suas ações disparam mais de 24%. Dialog Semiconductor também negocia em alta com as notícias da AMS. Suas ações avançam mais de 6%.

Enquanto isso, Getinge reportou lucro abaixo das expectativas do mercado no quarto trimestre. O grupo de tecnologia médica sueca previu um ligeiro crescimento nas vendas orgânicas em 2018. Suas ações caem mais de 8%.

O FTSE 100 do Reino Unido contraria a tendência regional ao abrir em alta, tentando buscar o segundo dia consecutivo de alta, com as mineradoras liderando o topo do índice, à medida que os preços do cobre se recuperam e após a Anglo American anunciar a venda de seu projeto de carvão na África do Sul. Suas ações sobem 1,3%. Entre outros pares do setor, Antofagasta sobe 1,4%, BHP Biliton sobe 0,9% e Rio Tinto adiciona 1,6%.

EUA:  
13h30 - Core PCE Price Index (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores), ambos de janeiro e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed);

ÍNDICES FUTUROS - 9h00:
Dow: -0,21%
SP500: -0,32%
NASDAQ: -0,37%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 26/01/2018

ÁSIA: Os mercados asiáticos fecharam misturados nesta sexta-feira após força do dólar na sequência dos comentários do presidente Donald Trump de que "queria um dólar forte", contradizendo os comentários de Mnuchin na quarta-feira, de que um dólar mais fraco seria bom, quando derrubou a moeda para uma mínima de três anos na semana.

O índice Nikkei do Japão entregou os ganhos da manhã, para fechar em baixa de 0,16%, em 23.631,88 pontos. Contra o iene, o dólar subiu para negociar em 109,18. Os principais exportadores e fabricantes de automóveis terminaram a sessão misturada, enquanto a maior parte do setor financeiro recuou. Suzuki Motor caiu 3,51% depois que a Maruti Suzuki India anunciou lucro trimestral abaixo das expectativas, de acordo com a Reuters.

Os dados divulgados na sexta-feira mostraram que os preços ao consumidor de dezembro no Japão ficaram estáveis. O núcleo central do índice de preços ao consumidor aumentou 0,9% em dezembro em comparação com um ano atrás, em linha com as expectativas. Excluindo alimentos frescos e energia, os preços subiram 0,3% no mês passado.

Em Seul, o Kospi da Coreia do Sul inverteu as ligeiras perdas para terminar em alta de 0,49%, em 2.574,76 pontos. As "techs" negociaram sem direção: Samsung Electronics subiu 1,03%, enquanto SK Hynix caiu 0,4% ao final do dia, renunciando parte dos ganhos obtidos depois de anunciar lucros trimestrais recordes na quinta-feira. Os fabricantes de automóveis recuaram depois que a Hyundai Motor reportou uma queda no lucro operacional anual na quinta-feira e suas ações caíram 3,79% e a filial Kia Motors perdeu 1,18% no final da sessão.

O índice Hang Seng de Hong Kong saltou 1,53%, com ganhos em grandes grupos financeiros impulsionando o índice, enquanto a gigante Tencent subiu 2,36%. Os desenvolvedores imobiliários também registraram ganhos durante a sessão: Country Garden pulou 2,55% e Henderson Land subiu 3,68%.

O composto de Shanghai subiu 0,3% para fechar em 3.559,09 pontos e o composto de Shenzhen terminou a sessão 0,16% menor. O índice de blue chip CSI 300 subiu 0,39%. 

Enquanto isso, os dados divulgados anteriormente mostraram que os lucros feitos por empresas industriais no país cresceram 10,8% no mês passado em comparação com um ano.

Os mercados na Austrália e Índia ficaram fechados por conta dos feriados do Dia da Austrália e Dia da República, respectivamente.

EUROPA: As bolsas europeias registram ganhos modestos no último dia de negociação da semana, antes do discurso do presidente Donald Trump em Davos, na Suíça. O pan-europeu STOXX 600 negocia em alta de 0,3%. 

Na sessão anterior, os mercados europeus reverteram ganhos durante a sessão, após a última reunião de política monetária do Banco Central Europeu, na quinta-feira, quando o BCE deixou sua taxa de juros de referência inalterada. Os mercados subiram pressionados pela expectativa de que a política monetária fácil na zona do euro chegaria ao fim.

As notícias corporativas e as notícias políticas influenciam o sentimento nesta sexta-feira. A marca de luxo LVMH sobe mais de 3% após dizer que a receita aumentou 13% em relação ao ano anterior, chegando a 42,6 bilhões de euros para 2017. O grupo acrescentou que está "cautelosamente confiante" para 2018, apesar das incertezas em torno das preocupações geopolíticas e flutuações do mercado de câmbio.

Outros fabricantes franceses de luxo avançaram em direção ao topo do STOXX 600 após resultados da LVMH. Kering e Christian Dior ambos sobem acima de 2%.

Além das notícias corporativas, a chanceler alemã Angela Merkel está programada para se encontrar com o líder do Partido Social-Democrata, Martin Schulz e outros políticos enquanto se costura a última rodada de negociações para formar o próximo governo de coalizão.

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa, conheceu Donald Trump no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça. Trump disse que ele e May podem ter um " relacionamento realmente excelente". 

Os Rallys das principais moedas fizeram manchetes ontem. Trump disse que "o dólar vai se fortalecer e fortalecer", enquanto o presidente do Banco Central Europeu , Mario Draghi, disse que havia "poucas chances" de que a instituição alterasse as taxas de juros neste ano.

O FTSE 100 do Reino Unido  recupera-se de uma baixa de um mês na sexta-feira, com o contínuo rali na libra, devendo quebrar um rali de dois dias de queda.

A libra sobe 0,7780% frente ao dólar, para US $ 1,4221, ante US $ 1,4139 no final da quinta-feira em Nova York. A moeda britânica reagiu acima de US $ 1,43 no comércio de quinta-feira, mas recuou contra o dólar no final do dia depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, se pronunciou a favor de um dólar mais forte.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Antofagasta cai 0,5%, BHP Biliton recua 0,3% e Rio Tinto opera em baixa de 0,5%;

A confiança do consumidor francês caiu ligeiramente em janeiro, já que as famílias estão menos otimistas quanto à sua futura posição financeira e padrões de vida na França. A confiança dos consumidores ficou em 104 em janeiro, acima da média de longo prazo de 100, mas um ponto menor do que em dezembro, informou a agência de estatística Insee. Os economistas esperavam que a confiança dos consumidores permanecesse inalterada em relação ao mês anterior. Ainda assim, a pesquisa mostrou que os receios de desemprego na França estão caindo. Os consumidores também revisaram suas expectativas de inflação. O CAC 40 da França sobe.

EUA:  
11h30 - Advance GDP (PIB dos EUA);
11h30 - Advance GDP Price Index (Índice de Preços do PIB);
11h30 - Durable Goods Orders e Core Durable Goods Orders (números mensais de pedidos de bens duráveis para a indústria nos Estados Unidos, além de destacar o indicador se excluídos as encomendas no setor de transportes);
11h30 - Goods Trade Balance (diferença entre exportação menos importação de bens); 
11h30 - Prelim Wholesale Inventories (informações preliminares sobre as vendas e os estoques do setor atacadista)

ÍNDICES FUTUROS - 9h00:
Dow: +0,24%
SP500: +0,32%
NASDAQ: +0,58%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - QUARTA-FEIRA 24/01/2018

ÁSIA: Os principais mercados asiáticos fecharam sem direção nesta quarta-feira, enquanto o dólar continuou seu declínio em relação a cesta de moedas rivais.

O Nikkei do Japão caiu 0,76%, para fechar em 23.940,78 pontos, um dia depois que o índice atingiu uma nova alta de 26 anos. O declínio ocorreu com o contínuo fortalecimento do iene frente ao dólar. As principais montadoras, empresas financeiras e empresas manufatureiras registraram declínios, assim como os principais nomes de tecnologia.

Os bancos japoneses também caíram após recuperação dos preços dos títulos do Tesouro dos EUA após semanas de declínios constantes. Quando os preços dos títulos aumentam, seus rendimentos caem e isso tende a prejudicar os ganhos dos bancos

Dados divulgados na quarta-feira mostraram que as exportações do país aumentaram 9,3% no mês passado, em comparação com um ano atrás, abaixo da previsão de 10,1%. O valor das exportações japonesas de dezembro para a Ásia aumentou para um novo recorde.

Em Seul, o índice Kospi da Coreia do Sul fechou em alta de ligeiros 0,06%, em 2.538 pontos. O setor de tecnologia fechou sem direção. Samsung Electronics e a SK Hynix avançaram 0,37 e 1,57%, respectivamente, enquanto a LG Electronics despencou 6,39%.

Em Sydney, o ASX 200 subiu 0,29% para fechar em 6.054,70 pontos. A maioria dos setores registrou ganhos, com exceção dos subíndices de materiais e telecomunicações. A maioria dos bancos do "Big Four" do país subiram, enquanto as principais mineradoras recuaram: Rio Tinto caiu 0,39% e BHP recuou 0,36%, seguindo a queda dos preços dos metais devido dados de demanda mais suave na China.

O índice Hang Seng inverteu perdas iniciais para subir 0,08%, após fechar mais alto pela sexta sessão consecutiva na terça-feira e registra uma alta de mais de 9% em relação ao ano anterior. As ações relacionadas à energia registraram ganhos significativos. Petrochina disparou 6,61%, enquanto o setor financeiro fechou sem direção. A seguradora AIA caiu 0,3% e HSBC avançou 0,06%.

No continente, o composto de Xangai aumentou 0,4% para terminar em 3.560,73 pontos após negociar em seus níveis mais altos de dois anos na última sessão. O composto de Shenzhen avançou 0,51% para terminar a sessão em 1.960,93 pontos.

O Taiex de Taiwan caiu 0,90% e liderou as quedas na região, a segunda perda depois de oito sessões de alta. Taiwan Semiconductor caiu 3,01% depois de subir 13% nos últimos oito dias, ajudado pelos resultados positivos do quarto trimestre%, assim como a fabricante de lentes inteligentes Largan Precision, que caiu 4,41%.

EUROPA: As bolsas europeias entraram no vermelho durante a sessão da manhã desta quarta-feira, enquanto os investidores digerem notícias corporativas e observavam os desenvolvimentos políticos. O pan-europeu STOXX 600 cai 0,09%, enquanto a maioria dos setores mergulham em território negativo. 

Ações relacionadas à serviços públicos registram um dos piores desempenhos. A francesa Suez afunda 16% e lidera a baixa do STOXX 600. A concessionária francesa emitiu um aviso de lucro, dizendo que esperava seu lucro antes de juros e impostos (EBITDA) cairá 2% para 1,28 bilhões de euros (US $ 1,57 bilhão) em 2017. Entretanto, a fabricante de semicondutor AMS cai 6,6% após o JP Morgan cortar seu preço-alvo e classificar o papel de "overweight" para "neutro", acrescentando pressão ao concorrente Dialog Semiconductor. Seb também cai mais de 4,5% após Kepler Cheuvreux cortar sua classificação do papel para "esperar".

No entanto, nem todos os balanços reportados foram negativos. A farmacêutica suíça Novartis lidera o topo do STOXX 600, subindo mais de 2% depois que a empresa anunciou que as vendas para o ano aumentaram 2%, com o CEO descrevendo 2017 como um "ano-marco" para a inovação.

O FTSE 100 do Reino Unido cai para uma baixa de seis dias, com grandes multinacionais liderando a baixa, enquanto a alta da libra assusta os investidores. O benchmark segue a caminho para o menor fechamento desde quinta-feira passada. A libra salta 0,6857% frente ao dólar para US $ 1,4059, ante US $ 1,4000 no final de terça-feira em Nova York. 

A moeda britânica está negociando no seu nível mais alto desde o referendo do "Brexit" em junho de 2016, mas ainda está abaixo de $ 1.50 alcançado antes da votação. A libra esterlina mais forte atinge os ganhos de grandes empresas internacionais que geram a maior parte de suas receitas fora da Grã-Bretanha. Cerca de 75% da receita do FTSE 100 é gerada no exterior, de modo que o benchmark de Londres seja particularmente sensível à balanços.

O setor de recursos básicos recuperaram com o aumento dos preços dos metais. O setor registrou declínios acentuados na sessão anterior, no entanto, uma série de mineradoras de Londres negociam em alta nesta quarta-feira. Anglo American sobe 1,7%, BHP Biliton e Rio Tinto avançam 0,1%. Em sentido contrário, as ações da Antofagasta cai 1,7% depois que a produção de cobre da mineradora no quarto trimestre de 2017 caiu 1,3% em relação ao trimestre anterior, enquanto a produção de ouro caiu 32%.

Ainda na Europa, a elite empresarial e política do mundo continuam seu conclave na estação de montanha de Davos, na Suíça, para a Conferência Anual do Fórum Econômico Mundial. O presidente francês, Emmanuel Macron, deve falar nesta tarde. Trump e uma delegação de autoridades da Casa Branca estão programados para partir de Washington para a reunião nesta quarta-feira.

EUA:  
12h45 - Flash Manufacturing PMI (estimativa referente ao nível de atividade industrial nos Estados Unidos);
12h45 - Flash Services PMI (estimativa inicial do Índice PMI, fornecendo indicadores precedentes para dados finais do PMI de Serviços. São um dos primeiros indicadores econômicos de cada mês, fornecendo evidências de mudanças nas condições econômicas;
13h00 - Existing Home Sales de dezembro (mede as vendas de casas usadas no país);
13h00 - CB Leading Index (ou Índice de Indicadores Antecedentes, relatório que compreende 10 índices já divulgados no país e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia);
13h30 - Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);

ÍNDICES FUTUROS - 8h30:
Dow: +0,19%
SP500: +0,17%
NASDAQ: +0,17%

IBOVESPA: A partir das 8h30, começa o julgamento do ex-presidente Lula pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF-4), em Porto Alegre e o mercado estará de olho no julgamento. 

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 23/01/2018

ÁSIA: Os principais índices asiáticos fecharam com ganhos significativos nesta terça-feira, seguindo a liderança mais forte de Wall Street, depois que os legisladores dos EUA chegaram a um acordo para acabar com o "shutdown" do governo. Os investidores também digeriram a decisão do Banco de Japão de manter a política monetária estável.

O Nikkei 225 do Japão subiu 1,29%, para fechar em 24.124,15 pontos, depois de tocar seus níveis mais altos em mais de 26 anos no início do dia. O Banco do Japão manteve a política monetária constante ao longo de uma reunião de dois dias, um movimento que era amplamente esperado. 

A declaração de política do Banco do Japão deu um novo impulso ao iene e a moeda japonesa mais forte tende a pressionar uma série de ações, principalmente exportadoras japonesas. Pela primeira vez em 3 anos e meio, a expectativa de inflação na perspectiva trimestral do banco central manteve-se inalterada em relação ao relatório anterior e as autoridades políticas não veem expectativas de inflação "enfraquecendo".

O iene mais tarde recuou, depois que o governador do BOJ, Haruhiko Kuroda, disse que a economia não estava em um ponto que o BOJ pudesse considerar a suspensão de sua política de facilitação. O movimento do banco central para reduzir ligeiramente suas compras de títulos do governo japonês no início deste mês levantou especulações sobre potenciais apertos, mas a diminuição ou retirada da política "ultra-fácil" é mínima, segundo alguns especialistas de mercado.  O iene fechou em ¥ 111,06 por dólar, depois de se fortalecer até ¥ 110,59 antes da abertura do pregão. 

Fabricantes de automóveis registraram ganhos na sessão: Toyota fechou 0,79% maior, Honda saltou 1,81% e Mitsubishi Motors avançou 2,39%. Nomes de tecnologia também tiveram um dia positivo, com SoftBank Group avançando 2,02% e Sony aumentando 2,87%.

Dp outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul adicionou 1,38% para fechar em 2.536,60 pontos, apesar das montadoras entrarem em território negativo durante a sessão.  

Os EUA implementarm tarifas sobre importações de máquinas de lavar e painéis solares, principalmente para produtores asiáticos. Porém, a Samsung Electronics e LG Electronics, que fabricam entre outros, máquinas de lavar roupas, fecharam em alta de 1,9 e 0,46%, respectivamente. As ações da LG Display dispararam 5,85% depois que a empresa reportou que os ganhos do quarto trimestre caíram 95% em relação ao ano anterior, mas o movimento de alta se deve ao fato da empresa anunciar que fabricará painéis de OLED de plástico no final deste ano. 

Em Sydney, o australiano ASX 200 rompeu uma série de cinco sessões consecutivas de perdas e subiu 0,75% no final do dia, sustentada pela força do setor de energia, assim como o setor financeiro, que recuou forte na última sessão, subiu 0,78% nesta terça-feira. As petrolíferas Santos e Woodside fecharam em alta de 1,2% e 1,8%, respectivamente, enquanto entre as mineradoras, Rio Tinto fechou em alta de 0,6% e Fortescue Metals caiu 1,4%.

O sentimento positivo também foi visto nos mercados da China. O índice Hang Seng subiu 1,66% depois de renovar a máxima de todos os tempos  no início do dia. O setor financeiro que tem um grande peso no índice, estava no território positivo, assim como ações de casino. 

No continente, o composto de Shanghai avançou 1,3% para terminar em 3.546,98 pontos e o composto de Shenzhen aumentou 0,36% para terminar em 1.950,99 pontos, enquanto o índice de blue chips CSI 300 fechou a sessão em alta de 1,08%.

EUROPA: Os mercados europeus registaram ganhos sólidos durante o início do comércio de terça-feira, seguindo as notícias de que os legisladores garantiram um acordo que permitirá que as operações do governo dos Estados Unidos voltem a ativa. O pan-europeu STOXX 600 sobe 0,32% nos primeiros negócios da manhã.

As ações da empresa de acessórios para computadores Logitech sobem 4% depois de publicar seus último resultado financeiro. No terceiro trimestre, a empresa suíça viu as vendas aumentarem para US $ 812 milhões, um salto de 22% em relação ao ano anterior, enquanto a empresa aumentou a perspectiva de lucro para o ano. Ainda entre os melhores desempenhos no pan-índice, a companhia aérea easyJet viu sua receita total aumentar 14,4% no primeiro trimestre, atingindo £ 1,14 bilhão (US $ 1,59 bilhão), ajudando a elevar seu preço das ações em 6,5%.

À medida que os varejistas lidam com o aumento da popularidade da Amazon e do comércio eletrônico online, Carrefour da França anunciou o seu plano de transformação em 2022, onde procura aumentar seus investimentos em comércio eletrônico, enquanto abre mais lojas de conveniência e se torna mais popular na China. As ações sobem 4,5%.

Ainda no setor varejista, Ocado lidera o fundo do benchmark da Europa, depois da alta de segunda-feira, quando a varejista online do Reino Unido disparou mais de 27%.

O regulador de concorrência do Reino Unido disse a Rupert Murdoch que sua aquisição de US $ 15 bilhões na Sky não é de interesse público. O governo, que deverá fazer o veredicto final sobre este acordo, pediu à Autoridade de Concorrência e Mercados que avalie se Murdoch teve influência nos meios de comunicação no Reino Unido. Apesar da decisão do CMA, as ações do Sky aumentaram 2,7%.

O setor de recursos básicos caem, à medida que os preços dos metais diminuíram, pesando sobre o setor de mineração. Anglo American cai 2,9%, Antofagasta recua 2,4%, enquanto BHP Biliton perde 1,1% e Rio Tinto cai 0,8% em Londres.

EUA:  As ações dos EUA fecharam em alta na segunda-feira, depois que o Senado alcançou um compromisso de curto prazo para acabar com o encerramento do governo que começou no final da semana passada. A lei aprovada pelo Senado na segunda-feira, depois do fechamento de mercado, manterá o governo dos EUA aberto até 8 de fevereiro.

Os três principais índices do mercado de ações fecharam em níveis recordes na segunda-feira, em meio à sinais de que os políticos dos EUA estavam se aproximando de um acordo sobre o orçamento provisório. 

Não há dados econômicos devidos para esta terça-feira.

Com o "shutdown" do governo no espelho retrovisor, os investidores mudam o foco para a série de ganhos corporativos, já que os balanços corporativos continuam a todo vapor. Johnson & Johnson, Travelers Cos., Procter & Gamble e Verizon Communications devem relatar seus números antes do sino de abertura.

First Solar Inc. deve adicionar ganhos frente à alta de 8% registrado no "after-market" de segunda-feira, depois que o governo dos EUA aprovou tarifas sobre importações de painéis solares e máquinas de lavar roupas. As ações da Whirlpool também devem-se beneficiar.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,33%
SP500: +0,17%
NASDAQ: +0,27%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 22/01/2018

ÁSIA: A maioria dos mercados asiáticos fechou mesclado nesta segunda-feira, enquanto os investidores mantinham um olho nos desenvolvimentos políticos nos EUA depois que o encerramento parcial da máquina do governo iniciou no final de semana após as negociações fracassarem no senado.

O Nikkei 225 do Japão pouco mudou, fechando em alta de 0,03%, em 23.816,33 pontos. Os fabricantes de automóveis seguiram sem direção, enquanto as principais ações de tecnologia subiram. Destaque para as ações da Toshiba que subiram 4,35% após notícias de que a empresa estava pensando em listar sua unidade de memória. O IPO foi uma sugerido se a venda de sua unidade de chips não conseguisse obter aprovação dos reguladores do governo até o final de março.

Enquanto isso, o Kospi da Coreia do Sul caiu 0,72% para terminar em 2.502,11 pontos com o peso pesado do índice, Samsung Electronics caindo 2,19% no final do dia. Outros nomes de tecnologia foram misturados. A fabricante de chips SK Hynix declinou 3% e LG Display ganhou 0,99%. Os setores industrial, finanças e varejo também apresentaram um quadro misto, com a siderúrgica Posco fechando 2,08% menor e Lotte Shopping recuando 0,43%.

Abaixo, o ASX 200 da Austrália segue sua tendência baixista ao devolver os ganhos observados no início da sessão, terminando a sessão 0,23% menor, a quinta sessão consecutiva de queda, abaixo do nível psicologicamente importante de 6.000 pontos, em 5.991,9 pontos, a primeira vez desde o início de dezembro.

O setor financeiro altamente ponderado recuou 0,78%, pesando no índice mais amplo. As ações do Commonwealth Bank afundaram 1,23%, apresentando desempenho inferior ao de outros pares bancários, após o Citi rebaixar o credor para vender. O National Australia Bank, outro banco do "Big Four" do país, recuou 0,6%, enquanto Westpac caiu 1,1%, ANZ encerrando o dia 0,9% menor.

Os mercados da China fecharam em território positivo. O Índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,43%, com ações de cassino em território positivo. Sands China cresceu 3,48% e SJM Holdings avançou 4,52% antes do fechamento do mercado. Os setores de tecnologia e financeiro fecharam mesclados. Tencent subiu 1,33% e HSBC abrandou 0,29%.

No continente, o composto de Shanghai adicionou 0,39%, para fechar em 3.501,36 pontos e o ​​composto de Shenzhen ganhou 1,16% para terminar em 1.943,91 pontos. O índice de blue chips CSI 300 fechou em alta de 1,19%.

EUROPA: As bolsas europeias operam mescladas nesta segunda-feira, enquanto os investidores monitoram o "shutdown" do governo dos EUA e os desenvolvimentos políticos na Alemanha. O pan-europeu Stoxx 600 registra pouca alteração durante os arranjos matinais, com setores e importantes bolsas apontando em direções opostas.

As ações da UBS operam em baixa depois que o banco suíço reportou um lucro líquido de 1,165 bilhões de francos suíços (US $ 1,25 bilhão) para o ano de 2017, pesado por uma redução no quarto trimestre, devido a nova revisão fiscal dos EUA. Suas ações recuam 3% nos primeiros negócios da manhã, enquanto a fornecedora britânica Ocado disse que assinou um acordo com a Sobeys para desenvolver negócio online com a segunda maior varejista de alimentos do Canadá. Suas ações disparam mais de 12% maiores com as notícias.

Na Alemanha, foram feitos progressos para formar o próximo governo de coalizão. No domingo, a chanceler Angela Merkel saudou a notícia de que o partido de oposição, Partido Social Democrata, entrará em negociações com os democratas-cristãos. O DAX 30 opera em ligeira baixa.

No Reino Unido, o FTSE 100 avança ligeiramente mas sentindo o peso da força persistente na libra contra o dólar dos EUA. Ações de casas de apostas sofrem com temores de que um possível movimento regulatório por parte do governo britânico possa reduzir suas receitas. Na sexta-feira, o índice de referência subiu 0,4%, a primeira vitória em cinco sessões, mas caiu 0,6% na semana passada, a primeira perda semanal em sete.

Ações dos produtores de petróleo em Londres, avançam com a recuperação dos preços do petróleo. BP sobe 0,88% e Royal Dutch Shell avança 0,70%, enquanto entre as mineradoras, Anglo American sobe 1,3%, Antofagasta adiciona 0,6%, BHP Biliton cai 0,2% e Glencore perde 0,1%.

Em outra parte da Europa, o ministro das Finanças português, Mario Centeno, deve presidir sua primeira reunião como presidente do Eurogrupo na segunda-feira. Christine Lagarde , diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional deverá apresentar uma atualização da Perspectiva Econômica Mundial da instituição em Davos, na Suíça, antes da conferência anual do Fórum Econômico Mundial, que começa na terça-feira.

EUA: O "shutdown" do governo dos EUA continua e pode terminar nesta tarde se os democratas aceitarem um acordo, mas a administração Trump disse que não discutirá a legislação de imigração como condição para o financiamento do governo.

Não está prevista a divulgação de dados econômicos importantes.

ÍNDICES FUTUROS - 8h30:
Dow: -0,21%
SP500: -0,14%
NASDAQ: -0,12%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - SEXTA-FEIRA 19/01/2018

ÁSIA: A maioria dos principais índices na Ásia fechou com ganhos na sessão desta sexta-feira, embora Wall Street tenha recuado na sessão de quinta-feira com pequenas perdas em meio à preocupações políticas.

O benchmark Nikkei do Japão subiu 0,19% para fechar em 23.808,06 pontos, sustentadas por ganhos no setor financeiro. As montadoras de automóveis Toyota e Honda avançaram 0,53% e 0,65%, respectivamente. Entre os nomes de tecnologia, a Nintendo terminou a sessão 4,23% maior, estendendo os ganhos após o lançamento dos novos acessórios da Nintendo Switch na quinta-feira.

O Banco do Japão está otimista em atingir seu objetivo de inflação de 2% dentro de dois anos e está considerando a melhor forma de comunicar possíveis mudanças de política monetária. No momento em que o banco central se prepara para a sua primeira reunião política de 2018 na segunda e terça-feira, os "insiders" observam sinais de que a inflação está no caminho certo. A inflação, excluindo alimentos frescos, subiu 0,9% em novembro, e os líderes corporativos estão abertos para novos aumentos salariais nesta primavera, quando ocorrem negociações anuais com sindicatos.

Isso aumentou a especulação de que o Banco do Japão siga os passos do Federal Reserve e do Banco Central Europeu. Uma pequena redução na compra de títulos do governo pelo BOJ anunciado em 9 de janeiro empurrou o iene para cerca de 111 ienes por dólar na sexta-feira, ante cerca de 113 ienes no início do ano. Em geral, o aperto monetário, ou uma maior probabilidade disso, faz subir a moeda da nação.

Na Coreia do Sul, o Kospi subiu 0,18% para terminar em 2.520,26 pontos. Os fabricantes de automóveis também fecharam em território positivo, com o Hyundai Motor saltando 4,52%, no entanto, o setor de tecnologia recuou. O peso pesado Samsung Electronics devolveu os ganhos iniciais para fechar em baixa de 1,16%, enquanto a rival SK Hynix caiu 2,53%.

Abaixo, o ASX 200 da Austrália caiu 0,15% para terminar a sessão em 6.005,8 pontos. A sessão de sexta-feira marcou a quarta queda diária consecutiva. As principais ações de mineração e energia caíram. Rio Tinto perdeu 1,04%, BHP declinou 0,29% e a petrolífera Santos caiu 1,34% ao final do dia.

O Índice Hang Seng de Hong Kong fechou em alta de 0,41%, depois de marcar o terceiro recorde consecutivo na última sessão. Os desenvolvedores de imóveis registraram ganhos, com Country Garden subindo 3,27%, enquanto as ações do setor financeiro figurava em território negativo. As ações da Tencent, um componente altamente ponderado no índice, subia 0,54% antes do fechamento do mercado.

No continente, o composto de Shanghai subiu 0,41% para fechar em 3,489.11. O índice de Xangai havia tocado em seus níveis mais altos de dois anos antes do lançamento dos números robustos do crescimento chinês na quinta-feira. O composto de Shenzhen eliminou os ganhos iniciais para fechar em baixa de 0,14% em 1.921,33 pontos.

EUROPA: As bolsas europeias atingiram uma alta de 10 anos na manhã desta sexta-feira, enquanto os investidores digerem dados econômicos regionais fortes. O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,38% nos negócios do meio da manhã. 

O setor de recursos básicos estavam entre os destaques de alta seguindo os fortes números de demanda de metal na China, mas o setor de cuidados à saúde é que figura entre os maiores ganhadores devido atualizações de classificação. Por outro lado, o setor de petróleo e gás caem 0,6% depois que a OPEP disse que observa mais oferta de petróleo no mercado em 2018 por parte dos concorrentes. Como resultado, os preços do petróleo começaram a recuar. 

As ações do setor bancário recuperaram das perdas anteriores, mas o banco sueco SEB ainda segue negociando em baixa, recuando 2%, depois de anunciar uma redução nas participações acionárias devido novas regras contábeis.

Entre os destaques individuais, as ações da Steinhoff disparam quase 10% depois de obter apoio financeiro de credores sul-africanos para superar um escândalo contábil, informou a Moneyweb. O grupo têxtil OC Oerlikon também estava entre os destaqus de alta, com um aumento de 5%, depois de registrar maiores margens de lucro. No outro extremo, Kingfisher cai 3,5% após uma prévia de lucro da Carpetright.

O FTSE 100 do Reino Unido abriram em baixa, o que poderia ser a quinta perda consecutiva, com o setor de petróleo e gás pesando pelo selloff nos preços do petróleo. Os setores de telecomunicações e financeiros também seguem em baixa, mas os setores de materiais básicos e de bens de consumo se movem para cima. Na quinta-feira, o índice de referência de Londres caiu 0,3%, afastando-se de sua máxima histórica de 7.778,64 pontos na semana passada. Para esta semana, o índice segue em curso para cair 1%.

A libra sobe 0,0720% frente ao dólar e negocia em US $ 1,3930, ante $ 1,3895 no final de quinta-feira em Nova York. Entre as mineradoras, Anglo American cai 0,5%, Antofagasta avança 0,5%, BHP Biliton sobe 1% e Rio Tinto avança 0,6%.

Entre os dados econômicos, os números da conta corrente da zona do euro divulgado nesta manhã, mostraram um superávit mais amplo em novembro em relação ao mês anterior. As exportações mais fortes da região ajudaram o superávit ajustado a crescer para 32,5 bilhões de euros (US $ 39,92 bilhões), ante 30,3 bilhões de euros em outubro.

As vendas no varejo no Reino Unido caiu em dezembro, apesar da temporada de Natal, já que os consumidores aproveitaram os negócios da Black Friday. Os volumes caíram 1,5% no mês a mês em dezembro, pior do que o consenso de uma queda de 1% dos analistas.

Na noite de quinta-feira, o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que se o Reino Unido quiser acesso ao mercado único, incluindo o setor de serviços financeiros, então terá que contribuir com o orçamento da UE e seguir a jurisdição europeia, depois de uma reunião com a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, informou o Financial Times.

EUA: 
13h00 - Prelim UoM Consumer Sentiment (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
13h00 - Prelim UoM Inflation Expectations (mede a porcentagem que os consumidores esperam do preço dos bens e serviços nos próximos 12 meses);

ÍNDICES FUTUROS - 8h30:
Dow: +0,32%
SP500: +0,27%
NASDAQ: +0,42%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 18/01/2018

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam sem direção nesta quinta-feira, com investidores digerindo uma série de dados da China divulgados enquanto os mercados continentais estavam fechados.

O índice Nikkei 225 de Tóquio recuou 0,44% para fechar em 23.763,37 pontos. O índice virou para baixo na parte da tarde, apesar de ter registrado mais uma nova alta de 26 anos durante a sessão. O setor financeiro finalizou em território negativo. Os pesos pesados ​​do índice SoftBank Group e Fanuc caíram 1,24% e 1,33%, respectivamente, enquanto Fast Retailing, outro gigante fortemente ponderado do índice, subiu 0,34%, enquanto outros nomes do varejo recuaram.

As ações da Nintendo subiram 2,36% no mesmo dia em que a empresa apresentou o novo Nintendo Labo, um kit de papelão "faça-você-mesmo" destinado a ser usado com o console Nintendo Switch.

Em Seul, o Kospi da Coreia do Sul subiu 0,02% para finalizar em 2.515,81 pontos. A Samsung Electronics saltou 0,56% após registrar perdas na última sessão. A fabricante de chips SK Hynix também avançou, subindo 1,48%ao final do dia. Em contrapartida, Lotte Shopping caiu 1,49% à medida que outras ações do setor varejista negociaram misturas.

O Banco da Coreia manteve as taxas de juros em 1,5%, como esperado. Segundo analistas, o banco central manteve o tom cauteloso devido a condições monetárias mais restritas impulsionadas pela força do won coreano.

Em Sydney, o ASX 200 terminou em baixa de 0,02% em 6.014,6 pontos, enquanto os ganhos no setor financeiro pesadamente ponderado foram compensados ​​por perdas em ações vinculadas à energia e produtores de ouro. Entre as demais mineradoras, BHP Biliton subiu 0,2%, Rio Tinto avançou 0,5% e a produtora exclusiva de minério de ferro Fortescue Metals recuou 0,1%.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,43%, depois de gravar o segundo recorde consecutivo na última sessão. Os bancos avançaram, com o HSBC aumentando 0,53% e China Construction Bank avançando 2,69%. Os promotores imobiliários negociaram em território negativo à tarde, com Country Garden caindo 1,55%.

As bolsas do continente fecharam em seus níveis mais altos em dois anos, de acordo com a Reuters. O composto de Xangai avançou 0,91% para fechar em 3.475,91 pontos e o composto de Shenzhen adicionou 0,13% para terminar em 1.924.2 pontos. O índice CSI 300 de blue chips subiu 0,58% à medida que os bancos registravam ganhos. Banco Industrial e Comercial da China fechou 6,25% maior.

Os dados da China divulgados após o fechamento dos mercados chineses mostraram que a economia cresceu 6,9% no ano passado, acima do objetivo oficial de cerca de 6,5%. Outros números divulgados pela tarde foram misturados: as vendas no varejo de dezembro subiram 9,4% no ano, abaixo da previsão de 10,1% de analistas, mas a produção industrial superou as estimativas.

EUROPA: Os mercados europeus operam ligeiramente maiores na manhã desta quinta-feira, com o sentimento dos investidores impulsionado por outro fechamento recorde em Wall Street. o índice Stoxx Europe 600 sobe 0,09%, com avanço nos setores de tecnologia e petróleo e gás, mas grupos considerados defensivos como telecomunicações, serviços e cuidados à saúde figuram no vermelho.

O tom positivo é impulsionado pelos dados econômicos vindos da China, que é o segundo parceiro comercial da União Europeia, enquanto isso, o euro pouco muda. A moeda compartilhada saltou para uma máxima de três anos em relação ao dólar no início desta semana, levando vários funcionários do Banco Central Europeu a expressar preocupações de que o euro forte estaria pressionando a inflação no bloco comum para baixo. A força no euro pode prejudicar ações de exportadores europeus, uma vez que corta a receita e o lucro obtido em outras moedas .

Os investidores europeus também estão encorajados por conta de outra sessão vencedora em Wall Street na quarta-feira, quando o Dow Jones Industrial Average ganhou mais de 300 pontos para fechar acima de 26.000 pontos pela primeira vez, mas os futuros de ações de Wall Street estão sinalizando um começo mais difícil nesta quinta-feira.

Contrariando seus pares regionais, o FTSE 100 do Reino Unido opera em baixa, pressionados por conta da força contínua da libra e ao declínio das ações da operadora da cadeia Primark Associated, dona da British Foods após uma atualização comercial. Além disso, as ações de telecomunicações e utilidades também pesam, enquanto os de materiais básicos e os dos setores de serviços ao consumidor ganham terreno. O índice segue em curso para uma quarta sessão consecutiva de perdas. Na semana passada, o benchmark atingiu uma máxima de fechamento histórico de 7.778.64 pontos.

A libra avança 0,3254% frente ao dólar e negocia em US $ 1,3842, ante $ 1,3830 no final da quarta-feira em Nova York.

Ações de mineração operam em modesta alta depois de números melhores do que o esperado da produção industrial da China, um dos principais compradores de metais preciosos e industriais, mas o crescimento das vendas no varejo chinês de 9,4%, ficou aquém das expectativas. Anglo American cai 0,3%, Antofagasta recua 0,1%, enquanto BHP Biliton avança 0,1% e Rio Tinto avança 0,7%. A produtora de ouro Randgold Resources cai 1,60%.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontaram para um início morno para a sessão desta quinta-feira, já que os investidores estão desconfiados do potencial de encerramento parcial do governo no sábado.

Os resultados trimestrais seguem com as instituições financeiras como o Morgan Stanley, enquanto as reivindicações semanais de desempregados juntamente com o índice mensal de construção de novas casas e a licença de construção para dezembro serão divulgadas às 9h30. O índice de manufatura do Fed da Filadélfia para janeiro é devido às 11h00.

ÍNDICES FUTUROS - 11h30:
Dow: +0,01%
SP500: -0,11%
NASDAQ: -0,37%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 16/01/2018

ÁSIA: A maioria dos mercados asiáticos fechou em alta, com o índice de ações da MSCI para a Ásia-Pacífico, excluindo o Japão, ganhando 0,54% nesta terça-feira.

O Nikkei 225 do Japão, que pairava perto da linha plana no início da sessão, subiu 1% para fechar em 23.951,81 pontos, favorecido pela alta do dólar frente ao iene. O índice tocou seus níveis mais altos em 26 anos no início da sessão. As "techs" fecharam em alta, com a Sony e a Panasonic fechando avançando 0,2% e 0,6%, respectivamente.

Subaru avançou 2,61% ao final do dia, superando seus pares. A empresa disse que espera que as vendas nos Estados Unidos aumentem 5% neste ano, para 680 mil veículos. Entre outras montadoras japonesas, a Toyota adicionou 1,05% e Honda subiu 0,2%.

Do outro lado do estreito coreano, o Kospi da Coreia do Sul recuperou as perdas iniciais para fechar 0,72% mais alto. O peso pesado do índice, Samsung Electronics terminou a sessão 3,01% maior depois recuar na semana passada devido prévia de lucro mais fraco do que o esperado. A rival, fabricante de chips SK Hynix também registrou ganhos, subindo 2,435. A Hyundai Motor fechou 1,94% maior após a notícia de que os membros do sindicato na montadora chegaram a um acordo sobre salários. 

Abaixo, o ASX 200 da Austrália caiu 0,47% para finalizar em 6.048,6 pontos, com os setores de energia, utilitários e telecomunicações pesando sobre o índice. O setor financeiro fortemente ponderado recuou 0,52%. As ações da Rio Tinto recuaram 0,66% ao final do dia, depois de reportar os números de produção do quarto trimestre. A empresa disse que as remessas de minério de ferro de 2017 subiram 1% e estavam em linha com a expectativa. Os embarques de minério de ferro no quarto trimestre subiram 3% em relação ao mesmo período de um ano atrás. Entre outras mineradoras australianas, BHP Biliton caiu 0,7% e Fortescue Metals recuou 0,3%.

O Índice Hang Seng saltou 1,81%, com o benchmark estabelecendo um recorde de fechamento, colocando o benchmark de Hong Kong entre os melhores desempenhos do mundo em 2017.  O Hang Seng caiu na segunda-feira, quebrando uma série de 14 dias de alta. Os pesos pesados ​​dos índices Tencent e HSBC aumentaram 2,08% e 0,48%, respectivamente, à medida que os setores financeiros, casinos e "players" relacionados com energia registravam ganhos.

Segundo analistas, as preocupações com a economia chinesa mantiveram a maioria dos investidores estrangeiros fora das ações de Hong Kong no ano passado, enquanto o Hang Seng aumentou 36% em 2017. Alguns gestores de fundos e analistas dizem que a virada está se aproximando e profetizam algum de retrocesso, talvez depois do Ano Novo Chinês. O Citi espera que o Hang Seng caia para 29500 até o final deste ano, cerca de 7,5% abaixo do que está agora.

O Hang Seng negocia uma relação preço-lucro de 13,4, de acordo com dados da FactSet e isso é muito inferior ao 21,9, múltiplo alcançado em seu pico de outubro de 2007 e relativamente baixo em comparação com os 18,6 do S & P 500, no entanto, o Hang Seng está deprimido por múltiplos de um dígito para certos papeis, especialmente bancos chineses. A China Construction, o quarto maior componente do Hang Seng, comercializa apenas 6 vezes os ganhos projetados para o próximo ano, de acordo com dados da S & P Global Market Intelligence. Em comparação, a Tencent tem uma relação preço/lucro de 41,8.

No continente, o composto de Shanghai subiu 0,79% para terminar em 3.437,48 pontos e o composto de Shenzhen aumentou 0,72% para terminar em 1.927,56 pontos. O setor financeiro também estava entre os de melhor desempenho no índice CSI 300, com o Banco Industrial e Comercial da China fechando em alta de 2,33%. Apesar do movimento mais amplo, as ações das companhias aéreas sofreram perdas íngremes, com a Air China caindo 3,73% e a China Eastern Airlines perdendo 2,42% no final da sessão.

O yuan onshore negociou em 6.4311 contra o dólar e o yuan offshore negociou em 4.4293 depois que a moeda subiu para seus níveis mais altos em dois anos na segunda-feira. O Banco Popular da China havia estabelecido na segunda-feira, o ponto médio oficial em 6.4372 um dólar, o ponto de referência mais alto em mais de dois anos, informou a Reuters. O banco central da China permite que o yuan se mova 2% maior ou menor em relação ao dólar, em relação à taxa de fixação.

EUROPA: Os mercados europeus abriram ligeiramente maiores na manhã de terça-feira, com investidores monitorando o lançamento dos lucros das empresas e mantendo o olho no euro, que paira perto de um pico de três anos. O pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,2% nos primeiros negócios.

Olhando para as ações individuais, Hugo Boss segue em direção do topo do benchmark europeu logo após o sino de abertura, em meio a ganhos corporativos mais fortes do que o previsto. A casa de moda alemã voltou a lucrar nos últimos três meses de 2017. Suas ações sobem mais de 2%. Enquanto isso, a empresa belga de metais Umicore segue para o fundo do índice depois que o Credit Suisse cortou seu preço-alvo de seus papeis. Suas ações caem em torno de 2%.

O euro segue negociando em torno de US $ 1,2257 na manhã de terça-feira, próximo da alta de US $ 1,2296 registrado em setembro, seu nível mais alto desde dezembro de 2014 em meio às expectativas de que o Banco Central Europeu (BCE) poderia em breve cortar seu estímulo monetário.

O FTSE 100 do Reino Unido abriu em baixa,  com os setores de petróleo e gás e materiais básicos no vermelho. As ações da petrolífera BP caem depois que o peso pesado de energia disse que arcará com US $ 1,7 bilhão relacionado ao desastre do Deepwater Horizon em 2010. As ações da BP tem uma ponderação de 5,1% no FTSE 100, a quarta maior empresa individual, de acordo com os dados do FactSet.

O benchmark de Londres recupera ainda na parte da manhã e segue perto da máxima de fechamento de todos os tempos em 7.778,64 pontos, atingido na semana passada. Na segunda-feira, o índice caiu 0,1%.

A inflação do Reino Unido chegou a 3% em dezembro, informou o Office for National Statistics, atendendo a estimativa da FactSet. A taxa compara com uma leitura de 3,1% em novembro. Os preços médios das casas do Reino Unido aumentaram 5,1% em novembro, informou o ONS.

Estrategistas dizem que é improvável que os dados da inflação influenciem fortemente os pontos de vista atuais do Banco da Inglaterra, embora com certeza esteja monitorando o atual rali da libra, que continua a corroer a inflação relacionado ao Brexit nos últimos 18 meses, podendo o banco central do Reino Unido aumentar as taxas de juros mais cedo do que os mercados esperam. 

A libra cai 0,2392% frente ao dólar, e segue negociada em US $ 1,3767, abaixo de US $ 1,3782 de antes do lançamento de dados de inflação do Reino Unido. A libra fechou em US $ 1,3794 no final da segunda-feira em Nova York, depois de ficar acima de US $ 1,38 no início dessa sessão.

Rio Tinto cai 1,02% apesar de dizer que espera que as remessas de minério de ferro de suas minas da Austrália Ocidental aumentarão neste ano, depois que as exportações recorde no último trimestre permitiram atingir o alvo para 2017. Entre outras mineradoras, Antofagasta cai 1,78%, Anglo American recua 1,32% e BHP Biliton perde 1,34%.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para um salto na abertura, com os futuros do Dow aumentando mais de 200 pontos e colocando o indicador de blue-chip no caminho certo para um novo recorde próximo do nível de 26.000 pontos.

Antes do sino de abertura, o Citigroup e a seguradora UnitedHealth Group deverão divulgar seus números trimestrais.

Na sexta-feira, antes do fim de semana de três dias, o Dow Jones, S & P 500 e o Nasdaq Composite marcaram mais recordes históricos de fechamento, com o barômetro de blue chips, terminando em 25.803,19 pontos.

Os três principais indicadores aumentaram entre 22% e 30% nos últimos 12 meses, ajudados por fatores como a expansão da economia dos EUA, o crescimento de lucros das empresas e o entusiasmo sobre os cortes tributários do governo Trump e outras políticas favoráveis ​​ao setor corporativo.

Na agenda econômica, o índice Empire State de janeiro, um indicador que mostra como está o setor manufatureiro da economia dos EUA, é devido às 11h30 (horário de Brasilia). Na frente do Federal Federal, nenhum oficial fará discursos nesta terça-feira.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: +0,89%
SP500: +0,68%
NASDAQ: +0,68%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

RESENHA DA BOLSA - SEGUNDA-FEIRA 15/01/2018

ÁSIA: A maioria dos principais índices na Ásia fechou em alta na segunda-feira. O índice de ações da MSCI para a Ásia-Pacífico, excluindo o Japão, registrou um novo recorde na segunda-feira, ultrapassando o pico de 591,50 pontos em 2007. O índice subiu 0,28% para 591,80 pontos.

O Nikkei do Japão subiu 0,26% para fechar em 23.714,88 pontos, apesar do iene atingir um máximo de quatro meses em relação ao dólar, mesmo depois que o governador do Banco de Japão, Haruhiko Kuroda, não oferecer nada de novo para os mercados que estavam a procura de pistas sobre futuros apertos monetários. O dólar comprou ¥ 110,58 em comparação com ¥ 111,04 no final de sexta-feira em Nova York. O setor financeiro subiu durante a sessão, mas as montadoras e as ações de tecnologia tiveram um desempenho misto. As ações da SoftBank Group fecharam 3,22% maior, após notícias da Nikkei Asian Review de que a empresa pretendia listar a SoftBank Corp., seu braço de sua unidade móvel, tanto em Tóquio quanto no exterior neste ano, o que poderia gerar cerca de 2 trilhões de ienes (US $ 18 bilhões) para a empresa. SoftBank disse em uma declaração que a listagem de sua unidade móvel era uma opção para a empresa mas que nenhuma decisão oficial havia sido tomada.

Do outro lado do Estreito Coreano, o Kospi da Coreia do Sul subiu 0,29% para terminar em 2.503,73 pontos. A peso pesada Samsung Electronics, que negociou em baixa na maior parte da semana passada devido o lançamento de prévias de lucro mais fraco do que esperado, conseguiu reverter as quedas e fechar em alta em 0,71%. Outros nomes de tecnologia, no entanto, figuraram em território negativo. SK Hynix declinou 2,28%. Enquanto isso, ações expostas às bitcoins recuperaram das perdas ocorrids na semana passada após as notícias de uma possível proibição da negociação de criptografia na Coreia do Sul. Omnitel disparou 28,86% e Kakao avançou 3,2% no dia.

O ASX 200 de Sydney subiu 0,12% para terminar em 6.077,1 pontos, com os setores de materiais e produtores de ouro entre os destaques do dia. As principais mineradoras BHP e Rio Tinto fecharam em alta de 1,17% e 1,46%, respectivamente. Os produtores de ouro também fecharam a sessão em território positivo depois que o metal amarelo renovou suas máximas de quatro meses, devido abrandamento do dólar. Newcrest Mining subiu 2,92% e Evolution Mining aumentou 6,64% ao final do dia.

Os mercados da China recuaram após dados de sexta-feira mostrarem uma grande desaceleração no crescimento do empréstimo no final do ano e após o fornecimento de dinheiro da China registrar outro recorde. Os dados indicaram que para desalavancar a economia do país, Pequim provavelmente aumentará os custos de empréstimos e prejudicará o crescimento econômico, disse o Bank of America Merrill Lynch. 

O índice Hang Seng de Hong Kong, que negociou de forma convincente no início do dia, entrou em curva descendente na última hora da sessão. O índice recuou 0,23%, em 31.338.87 pontos após cravar o 14º dia consecutivo na última sexta-feira. Ainda assim, o benchmark não está longe da máxima histórica de 31.958,41 pontos.

Os mercados do continente também negociaram em baixa. O Shanghai Composite recuou 0,55% para fechar em 3.409,99 pontos e o composto de Shenzhen perdeu 1,8% para terminar em 1.913,77 pontos. O setor financeiro registrou ganhos, mas foram compensados ​​por perdas em serviços de telecomunicações, materiais e nomes industriais.

A moeda chinesa subiu para uma máxima de mais de dois anos depois que uma autoridade do banco central da Alemanha disse que aumentaria suas reservas de yuan em sua carteira de moedas. O yuan onshore negociou em 6.4320 enquanto o yuan offshore negociava em 6.4362. O banco central permite que o yuan suba ou caia no máximo de 2% frente ao dólar, em relação ao ponto médio estabelecido pelo Banco Popular da China, que estabeleceu o ponto médio de yuan em 6.4574 para o dólar, seu nível mais alto em mais de 1 ano e meio, no início desta segunda-feira.

Enquanto isso, várias pessoas ficaram feridas na Bolsa de Valores da Indonésia após colapso de um piso no prédio, informou a Reuters. A polícia disse que o motivo do colapso não era uma bomba. As negociações foram retomados durante o horário regular.

EUROPA: As bolsas europeias operam em ligeira baixa nesta segunda-feira de manhã. O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,15%.

A empresa de mineração Metso cai para o fundo do benchmark europeu, com queda de cerca de 10% após a empresa registrar vendas e lucros inferiores aos esperados. Por outro lado, Vivendi lidera a lista das ações de melhor desempenho após uma atualização de classificação.

Entre as noticias corporativas, a Renault informou um aumento nas vendas globais para 2017 nesta segunda-feira e disse que espera um crescimento ainda maior em 2018. A Rolls-Royce disse que está revisando sua participação na L'Orange, o que poderia levar a uma venda de sua subsidiária alemã, informou o Financial Times. O BNP Paribas está fazendo planos para se beneficiar da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia. O banco francês prepara planos para atrair empresas britânicas de tamanho médio.

O FTSE 100 do Reino Unido recua após noticias de colapso na construção, mas o benchmark de blue chips não está muito longe de seu nível recorde. Ações de cuidados à saúde e financeiras também lideram as baixas. Serviços ao consumidor, serviços públicos e recursos básicos no entanto, aumenta. Na sexta-feira, o índice de referência subiu 0,2% para um recorde de fechamento, em 7.778,64 pontos. O benchmark marcou a sexta alta semanal consecutiva na semana passada, a maior série de vitórias desde janeiro de 2017.

A libra sobe 0,6775% frente ao dólar na segunda-feira, negociando em US $ 1,3755, ante US $ 1,3727 no final da sexta-feira em Nova York. A moeda britânica saltou na sexta-feira, para o seu mais alto contra o dólar dos EUA desde o Brexit de junho de 2016.

O setor bancário figura entre os mais desfavorecidos, com bancos britânicos sob pressão. Standard Chartered cai 1,5%, HSBC diminuiu 1% e RBS caiu 0,8% depois que a empresa de construção britânica Carillion entrou em liquidação. Tanto o HSBC quanto o RBS estão entre os principais credores. A empresa de construção que também administra serviços públicos em prisões, hospitais e escolas. As negociações das ações da empresa foram suspensas, mas seus rivais sobem com as notícias. Serco dispara 4,8% e Interserve aumenta 2%.

Além disso, as ações dos bancos com foco na Ásia HSBC e Standard Chartered também recuam depois que o regulador bancário da China disse neste fim de semana que aumentará os esforços para erradicar os riscos financeiros no setor bancário.

Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 0,8%, Antofagasta avança 1,2%, mas BHP Biliton e Rio Tinto recuam 0,1% cada. 

EUA: Os mercados dos EUA estarão fechados nesta segunda-feira para o feriado de Martin Luther King. O dólar recua 0,28% contra uma cesta de moedas estrangeiras.

ÍNDICES FUTUROS - 8h30:
Dow: +0,49%
SP500: +0,15%
NASDAQ: +0,07%

OBSERVAÇÃO:
Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.