Veja Também

Veja Também

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

SEGUNDA-FEIRA 31/01/2011

(1) RESUMO:

Fechamento em queda na maioria dos mercados acionários da Ásia. Nikkei do Japão, o S&P/ASX200 da Austrália, o Kospi de Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong e o Sensex da Índia cairam. Shanghai Composite foi o único mercado entre as principais a contrariar a tendência, fechando em alta antes do feriado prolongado. Esse sentimento pessimista foi em consequência a queda do índice Dow Jones na sexta-feira, sua maior queda em um dia desde 16 de novembro de 2010 e que entre outros fatores, a agitação política contínua no Egito, que apesar da pouca importância na economia global, tem instalada ali, o Canal de Suez, uma importante rota de distribuição de petróleo, além do temor de que a turbulência possa se espalhar para outros países do Médio Oriente, incluindo a Arábia Saudita, o que pode elevar aida mais o preço do petróleo. Em Sydney, a aversão ao risco atingiu ações das mineradoras, apesar da alta dos preços do cobre na sexta-feira em Londres. Financeiras, bancos, industrias, setores de consumo e de saúde também estavam sob pressão, enquanto reservas de petróleo e ouro subiram. A turbulência política no Egito também foram as desculpas para os coreanos realizarem lucros. Queda no setor de techs, autos e financeiras. No resto da região, Straits Times de Singapura, Kuala Lumpur Composite da Malásia, ações das Filipinas, Indonésia e Tailândia e NZX-50 da Nova Zelândia cairam. Os mercados de ações e títulos de Taiwan estiveram fechados por conta de um feriado. Nos mercados cambiais, a crise política no Egito pressionou a baixa do euro em relação ao dólar dos EUA e ao iene japonês. Os dólares australianos e neozelandeses também foram mais fracos contra o dólar.

CHINA: Na China, ações ligadas a petróleo e ouro lideraram o mercado, mas alguns analistas estavam cautelosos sobre a ascensão do mercado, pois devido a semana curta, muitos investidores já anteciparam suas férias em face às comemorações do Ano Novo Lunar Chinês, a partir de quarta-feira. Empresas do setor imobiliário subiram em Xangai, com as notícias de previsão de um forte aumento no lucro líquido anual findo em 31 de dezembro, ajudado pelo aumento nas vendas e arrendamento de propriedades.

JAPÃO: No Japão, ações de exportadores japoneses foram atingidos pela força do iene e as preocupações com a escalada das tensões no Egito. Entre os exportadores, Tokyo Electron, Sony sofreram queda. Fujitsu caiu 6,8% e Konica Minolta caíram 7,1% depois de cortarem suas previsões de lucro para o ano. Inpex subiu ajudado pelo aumento no preço do petróleo. Nissan Motor caiu 2,6% na notícia que está suspendendo as operações em uma fábrica de automóveis no Egito.

EUROPA: Os mercados europeus caem com a crescente inquietação no Egito. Instituições financeiras, companhias aéreas e fabricantes de automóveis são responsáveis pelas maiores perdas. O índice Stoxx Europe 600 cai para 277,75, o que representa uma queda de 0,7% desde o início do mês. Entre os principais índices, o UK FTSE 100, o francês CAC 40 e o alemão DAX caem. Outros mercados europeus registraram perdas similares, incluindo queda para o FTSE MIB na Itália e IBEX 35 espanhol. Papéis de linha aérea, que são sensíveis a qualquer oscilação do preços e da oferta do petróleo operam em queda. A companhia aérea irlandesa Ryanair contraria a tendência, subindo 1,4% após o grupo anunciar que o lucro estimado para o ano fiscal será o melhor de todos os tempos. As vendas do varejo alemão decepcionaram após apresentar uma queda de 0.3%, frent uma expectaiva de alta na casa de 1.9%. Ainda é aguardado para as 8h00 a divulgacão da inflação ao consumidor europeu.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
11h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores) de setembro e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE e seu núcleo deflator (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed).
12h45 - Chicago PMI de janeiro (nível de atividade industrial na região).
13h30 - Dallas Fed Manufacturing de janeiro (nivel de atividade industrial na região)

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Unemployment Rate (taxa de desemprego na Zona do Euro); Manufacturing PMI (nível da atividade da indústria de manufatura),
ALEMANHA: German Unemployment Change (mede a variação do desemprego alemão), Manufacturing PMI (nível da atividade da indústria de manufatura).
REINO UNIDO: Halifax HPI (índice de preços de unidades residenciais), Manufacturing PMI (nível da atividade da indústria de manufatura), Final Mortgage Approvals (Aprovações Hipotecárias) e Money Supply (informações de meios de pagamento incluindo moeda em circulação, fundos mútuos e depósitos de curto e longo prazos).
EUA: 13h00 - Construction Spending de dezembro (gastos decorrentes da construção de imóveis); 13h00 - ISM Index de janeiro (nível de atividade industrial no país).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h25):

ÁSIA
Austrália: -0,46%
Nikkei: -1,18%
Hong Kong: -0,72%
Xangai Composite: +1,34%

EUROPA
London - FTSE: -0,75%
Paris Cac 40: -0,83%
Frankfurt - Dax: -0,59%
Madrid IBEX: -0,54%
Russia: -1,18%

PETRÓLEO
BRENT: -0,20%
WTI: -0,37%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +1,27%
NIQUEL: +0,88%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,20%
S&P: -0,12%
NASDAQ: -0,09%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS NO BRASIL:
*Antes do pregão: Bradesco.
*Depois do pregão: Banco Panamericano e Totvs.

ATENÇÃO: A instabilidade política no Egito pode mascarar os dados para a renda e os gastos pessoais nos EUA que tendem a ser positivos. Dentro da temporada de resultados corporativos, destaque para a Exxon Mobil, antes do pregão.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

SEXTA-FEIRA 28/01/2011

(1) RESUMO:

A maioria das bolsas asiáticas fecharam em queda nesta sexta-feira, com ações no Japão sofrendo por conta do downgrade do rating da dívida soberada do país pela Standard & Poor's, enquanto a Samsung Electronics subiu em Seul, após sua receita superar as expectativas. Nikkei do Japão, ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul, o Hang Seng de Hong Kong e Xangai China Composite cairam. Mercado em Sydney aguardando início da temporada de balanços na próxima semana. Mineradoras cairam. Ações da Energy Resources of Australia caiu 10% depois que registrou queda no lucro líquido 2010. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, o Taiex de Taiwan, ações da Indonésia e Filipinas, Sensex da Índia e SET da Tailândia cairam. No mercado cambial, o iene foi negociado em uma escala apertada contra o dólar, mas continuou a se enfraquecer em relação ao euro.

CHINA: Em Hong Kong, mercados cairam com os produtores de commodities, após a queda do petróleo bruto e preços dos metais que recuaram durante a madrugada. Iincorporadores imobiliários chineses ampliou as perdas depois de Xangai e Chongqing, duas das maiores cidades da China, terem implementados imposto sobre a propriedade, mais cedo que o esperado e que a aplicação deste imposto sobre propriedades, deverá enfraquecer o mercado. No continente as bolsas chinesas também cairam, após a abertura em alta.

JAPÃO: O mercado de Tóquio foi pressionado pelas notícias do rebaixamento, arcando com o ônus financeiro da liquidação, enquanto os investidores foram desencorajados por alguns resultados corporativos. O downgrade pela S & P deverá pesar sobre as ações de alguns bancos, pois muitos bancos locais também são grandes detentores de títulos do governo japonês. Entre as empresas que divulgaram seus resultados, Canon caiu 3,6% depois de apurar lucro líquido de outubro a dezembro 12% menor devido ao aumento dos custos nas vendas e queda no preço das câmeras compactas. NEC perdeu 3,3% depois de registrar prejuízo maior que o esperado no terceiro trimestre, enquanto a Advantest caiu 6,1% em perspectivas decepcionantes. Investidores não esperam mais perdas significativas do iene, uma vez que o rebaixamento era esperado, embora o momento do anúncio da S & P tenha pego muitos de surpresa. O foco agora muda para o parlamento japonês, onde o governo enfrenta uma difícil batalha para execução do orçamento fiscal e reformas

EUROPA: Os mercados na europeus abriram em queda, com a farmacêutica Sanofi-Aventis registrando queda de 4,8% após a notícia decepcionante em um medicamento contra o câncer. As mineradoras também registram queda seguindo os preços dos metais. Goldman Sachs reformulou suas avaliações sobre o setor automóvel europeu, dizendo que a indústria global continua a ser atrativo e que espera melhoras no crescimento das receitas, margens e retornos de capital até 2013, ajudado pelo crescimento estrutural de mercados emergentes e recuperação em mercados desenvolvidos. Goldman atualizado a Porsche, Scania e BMW de neutro para compra. PSA Peugeot Citroen, Man e Leoni de vender para neutro. Entre rebaixamentos, cortou a Renault e Michelin de neutro para vender. O índice Stoxx Europe 600 cai para 281,80. O CAC 40 francês e o índice FTSE 100 do Reino Unido caem, enquanto o alemão DAX 30 tenta reagir. Nos mercados periféricos, o IBEX da Espanha e o PSI de Portugal sobem enquanto a Bolsa da Irlanda cai. Destaque negativo para a Bolsa do Egito que cai 10% por conta da crise política vivida pelo país.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
11h30 - Prévia do PIB e de seu deflator, ambos do quarto trimestre; 11h30 - Employment Cost Index do quarto trimestre (mede o custo da mão-de-obra, sendo muito utilizado pelo mercado como um indicador de inflação); 12h55 - Versão final do Michigan Sentiment de janeiro (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: CPI Flash Estimate (mede a estimativa para a evolução dos preços de bens e serviços - inflação para a Zona do Euro).
ALEMANHA: German Retail Sales (Mede variação de preços de todos os produtos vendidos pelos varejistas, excluindo auto ).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 11h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores) de setembro e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE e seu núcleo deflator (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed).
12h45 - Chicago PMI de janeiro (nível de atividade industrial na região).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h00):

ÁSIA
Austrália: -0,70%
Nikkei: -1,13%
Hong Kong: -0,77%
Xangai Composite: +0,16%

EUROPA
London - FTSE: -0,65%
Paris Cac 40: -0,30%
Frankfurt - Dax: +0,02%
Madrid IBEX: +0,60%
Russia: -0,81%

PETRÓLEO
BRENT: +0,61%
WTI: +0,07%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: -0,09%
NIQUEL: -0,37%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,15%
S&P: -0,25%
NASDAQ: -0,20%

ATENÇÃO: Agenda com dados de peso, que deverá causar turbulência no mercado, principalmente se o PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA no quarto trimestre vier em linha com o esperado, onde o consenso é de que nos últimos três meses de 2010 a economia norte-americana tenha retomado o fôlego, com expansão anualizada de 3,7% e uma melhora significativa em relação aos 2,6% registrados no terceiro trimestre. Merece atenção também os resultados da Chevron e Ford Motor que serão divulgados antes do pregão.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

QUINTA-FEIRA 27/01/2011

(1) RESUMO:

A maioria dos mercados acionários asiáticos tiveram desempenho modestamente mais elevado na quinta-feira. O sentimento regional foi parcialmente impulsionado por ganhos em Wall Street e a decisão do Federal Reserve de manter a taxa de juros inalterada e continuar com seu controverso plano de compra de 600.000 milhões dólares americanos de títulos para apoiar a economia. A mensagem fundamental (do Fed) parece ser que a recuperação econômica continua, mas o rítmo é considerado lento demais para trazer melhoria suficiente no mercado de trabalho, mas Nikkei do Japão, o sul-coreano Kospi, Xangai China Composite e o Hang Seng de Hong Kong subiram. ASX de Austrália fechou estável e o índice eo Sensex da Índia caiu. O mercado de Sydney teve pouco volume em seu retorno de feriado, com muitos investidores ainda em recesso antes da temporada de resultados corporativos que iniciará na próxima semana, mas mineradoras deram tom positivo para mesma. Em Seul, os estaleiros subiram com notícias de que assinaram um contrato bilionário com a Aker Noruega para construir navios de perfuraçao. O aumento dos preços de produtos petroquímicos impulsionaram os papéis do setor. No resto da região, Taiex de Taiwan, Strait Times de Singapura, Kuala Lumpur da Malásia, ações das Filipinas, Indonésia, índice SET da Tailândia subiram e NZX-50 da Nova Zelândia caiu. O dólar dos EUA manteve-se estável após ter perdido terreno face ao euro, na sequência da decisão do Fed de manter seu plano de compras de títulos.

CHINA: O mercado chinês foi levantada pela força dos preços das commodities, principalmente energia e papéis de montadoras de autos, mas os promotores imobiliários no Continente e em Hong Kong cairam após o governo da China decidir elevar o downpayment mínimo sobre as compras de uma segunda casa de 50% para 60% num esforço para esfriar o mercado imobiliário. O Conselho de Estado também pediu às autoridades locais para definir metas razoáveis para os preços da propriedade até o final do primeiro trimestre e decidiram limitar as compras para casa em algumas grandes cidades e cidades onde os preços dos imóveis tenham subido muito rápido. Tem se notado que o governo está com a tendência de aumentar os investimentos em habitação de baixo custo, o que poderia manter o crescimento do investimento estrangeiro ativo nas propriedades. Fitch Ratings rebaixou o rating de crédito de Taiwan em moeda local de AA para AA-, citando a elevada dívida pública da ilha e de crescimento fiscal como fatores, mas manteve o rating de crédito em moeda estrangeira em A +, citando uma perspectiva otimista global e estado da ilha como um credor externo, com um equivalente de reservas em divisas a 91% do produto interno bruto em 2010.

JAPÃO: O mercado de Tóquio subiu diante da fraqueza do iene e aliviado pelo fato do Fed continuar apoiando a economia com o seu plano de compra de títulos, assim exportadores tiveram desempenho positivo. A agência de rating Standard & Poor’s rebaixou a dívida japonesa de longo prazo de AA para AA-, mas manteve a avaliações de curto prazo da nação em A+1. A notícia fez o dólar EUA e o euro subir em relação ao iene. A S&P espera um déficit fiscal em níveis elevados nos próximos anos, o que irá reduzir ainda mais a já débil flexibilidade fiscal do governo, mas que vê o déficit caindo "modestamente" a 8% do PIB em abril de 2013, comparado aos 9,1% estimado para o atual ano fiscal, que termina 31 de março. Ela também citou a deflação japonesa, sua população de idosos e a perda da maioria do partido democrático do Japão na câmara alta do poder legislativo, alem da falta de estratégia coerente do partido do governo para atacar os aspectos negativos da dívida do país, mas ainda assim a sua visão sobre a notação de longo prazo do Japão é estável, refletindo a sua visão de que um balanço externo e de "flexibilização monetária" está ajudando a compensar os problemas fiscais do país. O rating do país ainda permanece como grau de investimento.

EUROPA: A maioria das ações européias caem desapontadas com os resultados da cadeia sueca de moda Hennes & Mauritz e da empresa farmacêutica suíça Novartis. Ações do setor financeiro caem após um downgrade do rating soberano do Japão. O Stoxx Europe 600 cai. Entre os principais índices, FTSE 100 do Reino Unido e o índice CAC 40 francês caem e o alemão DAX 30 tem ligeira alta, com destaque para alta da BMW que sobe 1,2%. Outros índices europeus também também operam em baixa: índice IBEX 35 da Espanha, FTSE MIB da Italia caem, enquanto PSI 20 de Portugal opera estável.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
BRASIL: 8H30 - Ata do Copom.

EUA:
11h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego);
11h30 - Durable Good Orders de dezembro (volume de pedidos e entregas de bens duráveis no período);
13h00 - Pending Home Sales de novembro (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva).


AGENDA DE AMANHA:

EUROPA: M3 Money Supply (informações de meios de pagamento incluindo moeda em circulação, fundos mútuos e depósitos de curto e longo prazos) e Private Loans (taxa de empréstimos concedidos ao setor privado).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 11h30 - Prévia do PIB e de seu deflator, ambos do quarto trimestre; 11h30 - Employment Cost Index do quarto trimestre (mede o custo da mão-de-obra, sendo muito utilizado pelo mercado como um indicador de inflação); 12h55 - Versão final do Michigan Sentiment de janeiro (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Austrália: -0,04%
Nikkei: +0,74%
Hong Kong: -0,27%
Xangai Composite: +1,47%

EUROPA
London - FTSE: -0,13%
Paris Cac 40: -0,19%
Frankfurt - Dax: +0,20%
Madrid IBEX: -0,30%
Russia: -0,17%

PETRÓLEO
BRENT: -0,49%
WTI: -1,29%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,88%
NIQUEL: -0,60%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,03%
S&P: -0,09%
NASDAQ: -0,01%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:(*)
* Antes do pregão: Colgate Palmolive, Eaton, Jetblue Airways, Motorola, Nokia, Novartis, Potash, Procter & Gamble, Royal Caribbean e Stanley Black & Decker.
* Depois do pregão: Amazon.com, Fed Investors, First Financial, Microsoft, SanDisk.

ATENÇÃO: Atenção pra a divulgação da Ata do Copom na qual fôra decidido pelo aumento da Taxa Selic e que a expectativa futura continua a mesma, ou seja a continuidade da alta. Nos EUA impera os resultados corporativos que tem surpreendido o mercado positivamente e os dados de pedidos de auxílio desemprego e de bens duráveis.


Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader
(*)fonte: Infomoney

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

QUARTA-FEIRA 26/01/2011

(1) RESUMO:

Maioria dos mercados da Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira. Kospi da Coreia do Sul, Xangai China Composite e o Hang Seng de Hong Kong subiram. Nikkei do Japão fechou em queda. Os mercados na Austrália e na Índia permaneceram fechadas. O mercado de Seul foi reforçado pela notícia de crescimento de um PIB sólido. No quarto trimestre de 2010 subiu 0,5% em relação ao trimestre anterior, superando as expectativas de um aumento de 0,3% e um crescimento anual de 6,1%, a maior em oito anos. Ações de tecnologia e montadoras sustentaram o índice. Algumas empresas de commodities tiveram desempenho fraco na região seguindo a queda nos preços internacionais do petróleo e do ouro nesta terça-feira. O preço do ouro atingiu seu nível mais baixo desde o final de outubro No resto da região, Straits Times de Singapura, ações na Indonésia e da Tailândia subiram e NZX-50 da Zelândia, Kuala Lumpur da Malásia e ações das Filipinas caíram. No mercado cambial, o euro teve uma fraca negociação frente ao dólar dos EUA, com os investidores aguardavam o resultado da reunião do Federal Reserve. A libra britânica estava na defensiva, após uma forte queda na terça-feira, devido a uma contração inesperada na economia do Reino Unido no quarto trimestre de 2010.

CHINA: Na China, empresas de mineração de carvão subiram na expectativa de que a crescente demanda dos fabricantes de aço, após a Festa da Primavera poderá empurrar os preços do carvão para cima. Em Hong Kong o mercado teve uma recuperação modesta, após queda nas quatro sessões anteriores, com destaque para as seguradoras chinesas tentando acompanhar o avanço nas bolsas do continente. Os ganhos foram limitados pela queda do HSBC Holdings na esteira da fragilidade dos dados econômicos britânicos.

JAPÃO: Em Tóquio, o Nikkei e o Topix cairam. O iene mais firme pesava para alguns exportadores como a Sony e a Toyota, mas as ações da fabricante de máquinas Komatsu subiram, após jornal econômico Nikkei informar que é esperado um lucro operacional na casa de 230% em relação ao ano anterior, devido boa parte às boas vendas de máquinas de construção para a China.

EUROPA: As bolsas de valores na Europa sobem no início do pregão seguindo os ganhos da maioria dos mercados asiáticos e depois que o presidente Obama usou seu discurso do Estado da União para pedir congelamento dos gastos discricionários e um menor imposto para a sociedade. Investidores aguardam o comunicado do Federal Reserve sobre a política monetária que virá depois do fechamento do mercados europeu. Entre os destaques, as ações da Umicore sobe 5% em Bruxelas depois que ele foi atualizado de vender para comprar pela UBS, enquanto Heritage Oil cai 14% em Londres após atualização. Entre os principais índices, o índice FTSE 100 do Reino Unido, o índice CAC 40 francês e o alemão DAX 30 sobem. Os preço dos produtos importados pela Alemanha surpreende positivamente com uma alta de 2.3%, frente a expectativa de um crescimento de 1.3%, maior que anterior de 1.2%. É aguardado a minuta da última reunião do Banco da Inglaterra realizada em janeiro.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
EUA:
13h00 - New Home Sales de dezembro (número de casas novas com compromisso de venda).
13h30 - Estoques de Petróleo norte-americano.
17h15 - Segundo dia da reunião do Federal Reserve, onde decide a taxa básica de juro dos Estados Unidos.

AGENDA DE AMANHA:

BRASIL: Ata do Copom.
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: German CPI (mede a evolução dos preços de bens e serviços ).
REINO UNIDO: CBI Distributive Trades Survey (mede a saúde do setor varejista).
EUA: 11h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego); 11h30 - Durable Good Orders de dezembro (volume de pedidos e entregas de bens duráveis no período); 13h00 - Pending Home Sales de novembro (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (6h55):

ÁSIA
Austrália: ---%
Nikkei: -0,60%
Hong Kong: +0,23%
Xangai Composite: +1,17%

EUROPA
London - FTSE: +0,88%
Paris Cac 40: +0,97%
Frankfurt - Dax: +1,11%
Madrid IBEX: +1,17%
Russia: +0,87%

PETRÓLEO
BRENT: +0,99%
WTI: +0,48%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,90%
NIQUEL: +1,73%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,33%
S&P: +0,39%
NASDAQ: +0,32%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
* Antes do pregão: Abbott Labs, Boeing, CGI Group, Eastman Kodak, United Continental, United Tech, US Airways e Xerox
* Depois do pregão: Motorola Mobility, Starbucks e Texas Capital

ATENÇÃO: Agenda de peso, devemos ficar atentos nos dados imobiliários dos EUA, que podem surpreender negativamente, mas a vedete do dia será a divulgação da reunião do FOMC (Federal Open Market Committee), com o mercado aguardando a decisão da autoridade monetária que deverá manter a taxa de juros norte-americana entre 0,00% e 0,25% ao ano e analisará o ritmo de recuperação da economia dos EUA.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

SEGUNDA-FEIRA 24/01/2011

(1) RESUMO:

Maioria dos mercados asiáticos iniciaram a semana em queda. Nikkei do Japão, Kospi da Coreia do Sul, Sensex da Índia e ações da Austrália fecharam com valorização, apoiadas na forte valorização da General Eletric, depois do pregão dos EUA, mas Xanghai Composite, Hang Seng de Hong Kong e o principal índice de Taiwan cairam. Muitos investidores cuidadosos antes do anúncio da taxa básica de juro dos Estados Unidos na quarta-feira, enquanto as preocupações com o aperto na política monetário por parte de Pequim continuou a pesar, depois de a estatal China Securities Journal, disse na sexta-feira que a primeira alta na taxa este ano poderia ser próximo ao feriados do Ano Novo Lunar que começa no início de fevereiro. Em Sydney, o mercado teve dificuldades para ganhar, com os investidores enfrentando downgrade de varejistas locais, diante preocupações com a queda dos níveis de confiança dos consumidores, bem como custos associados com o recente terremoto na Nova Zelândia e inundações na Austrália. Papéis ligadas a commodities e bancos tiveram ganhos. No resto da região, NZX-50 da Nova Zelândia estável, ações das Filipinas, Malásia, Tailândia cairam, enquanto a Straits Times de Singapura subiu. O euro diminuiu contra o dólar dos EUA pela primeira vez em dois meses, impulsionadas por um relatório mostrando a confiança dos empresários alemães em um pico recorde e a moeda única teve um impulso no comércio asiático após o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, em entrevista ao The Wall Street Journal que as pressões inflacionárias na zona do euro deve ser observado de perto.

CHINA: As ações na China tiveram baixa liquidez e cairam diante forte demanda de realização antes do feriado de uma semana. Empresas relacionadas com metais lideraram o declínio. Em Hong Kong, houve declínio em ações de recursos e do setor de seguros e ganhos de alguns promotores imobiliários e bancos locais. Destaque para a China Unicom que subiu 2,8% depois de a espanhola Telefônica disse que vai aumentar a sua parceria com a empresa de telecomunicações chinesa.

JAPÃO: O mercado de Tóquio foi apoiado com a subida do euro face ao iene na sexta-feira. Exportadores garantiram a alta. Segundo analistas, alguns fundos estão fluindo de mercados emergentes da Ásia para ações japonesas, como consequencia das medidas de aperto da China.

EUROPA: Mercados europeus iniciaram o pregão em alta, ajudado por ganhos modestos para o setor de mineração e varejista. Entre os principais índices, FTSE 100 do Reino Unido e o índice CAC 40 francês sobem, mas o alemão DAX 30 cai, lideradas pelo setor automotivo. As ações de tecnologia lideram as baixas na Europa depois que o setor também ficou aquém em Wall Street na sexta-feira. Destaque negativo para a Philips que cai 6,1% em Amsterdã, após o grupo apresentar um aumento de 84% no lucro do quarto trimestre, mas que ficou aquém da previsão dos analistas. Entre os mercados periféricos, o índice ISEQ, em Dublin sobe depois que o Partido Verde saiu do governo de coalizão, mas vai apoiar o projeto de lei das finanças que é crucial no plano da Irlanda para obter o apoio da União Europeia e o Fundo Monetário Internacional. PSI 20 de Portugal sobe, enquanto a Espanha é IBEX 35 cai. O índice PMI composto da zona do euro subiu para 56,3 em janeiro, ante 55,5 em dezembro. A aceleração da atividade econômica foi liderada pelo setor de serviços. Serviços PMI subiu para 55,2 em janeiro, ante 54,2 em dezembro. Manufacturing PMI caiu para 56,9, contra 57,1 em dezembro, enquanto na Alemanha o índice também decepcionou (divulgado: 60.2; expectativa: 61.1; anterior: 60.7).

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.


AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

JAPÃO: Bank of Japan divulga a taxa básica de juro do país.
EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: GfK German Consumer Climate (nível de confiança do consumidor Alemão na economia)
EUA: 12h00 - S&P/Case-Shiller Home Price de novembro(preços das casas nos EUA por meio de uma média móvel trimestral); 13h00 - Consumer Confidence de janeiro (mede a confiança dos consumidores norte-americanos).

A sessão também será marcada pelo primeiro dia de reunião do Fed, quando os membros do colegiado avaliam o recente desempenho econômico do país e discutem o rumo da política monetária.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (8h15):

ÁSIA
Austrália: +0,56%
Nikkei: +0,69%
Hong Kong: -0,31%
Xangai Composite: -0,71%

EUROPA
London - FTSE: +0,16%
Paris Cac 40: -0,07%
Frankfurt - Dax: -0,39%
Madrid IBEX: +1,28%
Russia: -0,52%

PETRÓLEO
BRENT: +0,01%
WTI: -0,72%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,42%
NIQUEL: -0,15%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,03%
S&P: +0,04%
NASDAQ: +0,04%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
* Antes do pregão: Mc Donald´s e Halliburton
* Depois do pregão: American Express, STMicroelectronics e Texas Instruments.

ATENÇÃO: O foco do dia fica por conta da agenda de resultados corporativos. Amanhã é feriado de aniversário de São Paulo e consequentemente não termos pregão aqui.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

SEXTA-FEIRA 21/01/2011

(1) RESUMO:

Embora a maioria dos mercados na Ásia fecharam em queda, preocupados com um iminente aperto por parte da China, Xangai se recuperou da forte queda da véspera. Nikkei, Kospi da Coreia do Sul, SP/ASX da Austrália, Hang Seng de Hong Kong cairam. Os estrangeiros permaneceram vendidos no mercado da Coréia, embora investidores locais sairam as compras, mas analistas acreditam que o índice ainda tem espaço para realização de lucro. Destaque de queda para techs e autos. Na Austrália, as mineradoras sucumbiram às preocupações chinesas. Entre os outros mercados, NZX-50 Da Nova Zelândia fechou em alta, StraitsTimes de Singapura, KLCI da Malásia, Taiwan Taiex, ações da Indonésia e Filipinas, Sensex da Índia e SET da Tailândia. Nos mercados cambiais, o euro foi ligeiramente mais alto, mesmo após indicações de que líderes da união pode estar preparando uma resposta global à crise da dívida soberana do que enerva os mercados há meses.

CHINA: A queda nos papéis relacionadas as commodities cairam mais forte do que o esperado, após divulgação dos dados econômicos na China na quinta-feira, voltando as preocupações de Pequim vai tomar novas medidas para apertar a política monetária. Segundo a estatal China Securities Journal, o primeiro aumento da taxa neste ano pode ser em torno do feriado do Ano Novo Lunar no início de fevereiro e Pequim deverá continuar a aumentar as reservas obrigatórias para bancos. O jornal disse que a China enfrenta pressões inflacionárias fortes e o índice de preços ao consumidor poderá subir mais de 6% no primeiro semestre do ano. Analistas dizem que a inflação de mais de 6% para a China é preocupante, mas não completamente irrealista, afinal o IPC da China desacelerou para 4,6% em dezembro, de 5,1% em novembro, mas que provavelmente foi devido ao "breve enfraquecimento dos gastos dos consumidores devido ao rigoroso inverno", mas que para os feriados do Ano Novo Lunar em início de fevereiro, o consumo pode acelerar, o que provavelmente resultará em inflação mais elevada. As ações em Xangai foram maiores, com investidores em busca de barganhas após forte declínio de quinta-feira, mas o sentimento continua frágil e limitada. Bancos e promotores imobiliários subiram após a sua recente queda.

JAPÃO: Em Tóquio, o mercado foi atingido por preocupações com mais aperto na política monetária de Pequim poderia retardar o crescimento do país e impedir a recuperação econômica global. Trinta e um dos 33 subíndices Topix foram mais fracos: empresas com forte atuação no mercado chinês cairam. Ações de bancos, ações ligadas a commodities e ao petróleo também foram menores.

EUROPA: Mercado de ações na Europa está operando em alta, com mineradoras recuperando das perdas da sessão anterior e bem como bancos também sobem. O índice Stoxx Europe 600 sobe para 279,76. O alemão DAX 30, o índice francês CAC 30 e o FTSE 100 no Reino Unido sobem. O índice alemão IFO business climate de janeiro subiu para 110,3 em janeiro. O índice tinha uma previsao de aumento para 110,0 a partir de uma leitura revisada de 109,8 no mês passado. Aguarda-se os dados do varejo britânico para as 7h30.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.


AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Flash Manufacturing PMI (atividade de manufatura), Flash Services PMI (nível de atividade econômica no setor de serviços).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: German Import Prices, German Flash Manufacturing PMI (atividade de manufatura), German Flash Services PMI (nível de atividade econômica no setor de serviços).
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h15):

ÁSIA
Austrália: -0,64%
Nikkei: -1,56%
Hong Kong: -0,53%
Xangai Composite: +1,40%

EUROPA
London - FTSE: +0,36%
Paris Cac 40: +0,59%
Frankfurt - Dax: +0,33%
Madrid IBEX: +1,28%
Russia: -0,55%

PETRÓLEO
BRENT: +1,01%
WTI: +1,74%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,55%
NIQUEL: +1,31%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,06%
S&P: -0,02%
NASDAQ: -0,04%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS: (*)
EUA: Antes do pregão: General Electric, Bank of America, SunTrust Banks, Prosperity Bancshares e BB&T Corp

ATENÇÃO: Sem dados para serem divulgados em solo americano, o foco fica por conta dos resultados corporativos por lá. Chama a atenção o fato de que o Ibovespa fechou perto de uma resistência bastante importante e se o suporte dos 69.600 pontos for de fato perdido, pode comprometer a tendências de alta no curto prazo e buscar patamares inferiores, segundo Raphael Figueredo, analista técnico da ICAP Brasil(*).

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader
(*) fonte: Infomoney

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

QUINTA-FEIRA 20/01/2011

(1) RESUMO:

Os mercados asiáticos ficaram sob pressão de venda nesta quinta-feira, na sequência dos resultados decepcionantes de grandes bancos dos EUA, incluindo o Goldman Sachs, baixa esta liderada por ações de Xangai e Hong Kong, após os dados chineses destacando a necessidade de aperto da política monetária para conter pressões de preços. O Xanghai Composite, Hang Hong Kong, Nikkei do Japão, S&P/ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul e o principal índice de Taiwan recuaram , enquanto Sensex da Índia subiu. Na Austrália, as reservas de recursos australianos cairam seguindo o peso de Wall Street e com as preocupações de aperto da China que pode ameaçar a demanda do país por matérias-primas. No resto da região, o índice Straits Times de Singapura, ações da Indonésia, o índice SET da Tailândia, o NZX 50 da Nova Zelândia e ações das Filipinas terminou o dia em queda. O mercado da Malásia, ficou fechado por conta de um feriado. Nervosismo também no mercado de câmbio. O euro diminuiu em relação ao dólar dos EUA e o iene.

CHINA: O PIB (produto interno bruto) da China cresceu 9,8% no quarto trimestre do ano anterior, superando as previsões de 9,2% de crescimento em uma pesquisa da Dow Jones Newswires, bem como a expansão de 9,6% do terceiro trimestre. O índice nacional de preços ao consumidor subiu 4,6% em dezembro, abaixo dos 4,7% esperado e 5,1% de novembro. O o PPI (Producer Prixe Index) também registrou queda, passando de 6,1% em novembro para 5,9% em dezembro, enquanto a produção industrial acelerou-se e registrou elevação de 13,5% na comparação anual. Assim, a economia do país avançou 10,3% no acumulado do ano e tomou a segunda maior economia do globo, ultrapassando o Japão. Vários economistas tem destacado a necessidade de apertar ainda mais a política, incluindo mais um aumento da taxa de juro porque há muita liquidez no sistema e pressão sobre os preços está se acumulando, segundo analistas. As ações chinesas caíram de forma generalizada, os metais, bancos, companhia aérea e ações ligados a imóveis foram especialmente afetadas.

JAPÃO: As ações de bancos foram arrastados para baixo após resultados decepcionantes da Goldman Sachs. Ainda em Tóquio, os exportadores e techs também tiravem desempenho fraco com a apreciação do iene frente ao dólar, o que pressionou o índice Nikkei neste pregão.

EUROPA: Mercados europeus perdem terreno notícias sobre resultados e fusões corporativos, enquanto os mineradoras e as companhias aéreas também sofrem. O Stoxx Europe 600 cai para 281,26. Entre as maiores quedas, a Alstom, Remy Cointreau, Societe Generale puxam o CAC 40 da França. Entre os demais principais índices, o alemão DAX 30 e FTSE 100 do Reino Unido, com mineradoras adicionado pressão sobre o último. Destaque negativo para o gestor de fundos de hedge Man Group, depois de reportar um crescimento dos ativos sob gestão, mas que um único cliente retirou mais US $ 1 bilhão de um de seus fundos, companhia aérea easyJet, que o aumento de custos dos combustíveis poderia dobrar seu prejuízo no primeiro semestre. O anúncio pesou sobre outras companhias aéreas como a Air France-KLM , a Ryanair Holdings e a British Airways. A gigante farmacêutica GlaxoSmithKline caiu 2,4% após ser rebaixado para de equalweight para underweight pelo Morgan Stanley. Fiat levou queda para o setor automotivo menor após ter sido rebaixado de neutro para underweight pela JP Morgan Cazenove. O preço ao produtor alemão subiu 0.7%, acima da expectativa de 0.5% e dos 0.2% anteriormente divulgado.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- EUA:
11h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
13h00 - Leading Indicators de dezembro. O relatório compreende vários índices já divulgados, como pedidos de auxílio-desemprego, custo de mão-de-obra e permissões para construção;
13h00 - Philadelphia Fed Index de janeiro (mede a atividade industrial no estado);
13h00 - Existing Home Sales de dezembro (mede as vendas de casas usadas no país);
13h30 - Relatório de Estoques de Petróleo norte-americano.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Retail Sales Index de dezembro (vendas no varejo britânico).
ALEMANHA: IFO – Expectations (condições correntes e as expectativas de negócios para os próximos seis meses); IFO - Business Climate (“clima do mercado” do IFO, mostrando o conjunto de estudos com indústrias, construtores, atacadistas e varejistas), ambos de janeiro.
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Austrália: -1,06%
Nikkei: -1,13%
Hong Kong: -1,70%
Xangai Composite: -2,93%

EUROPA
London - FTSE: -0,88%
Paris Cac 40: -0,02%
Frankfurt - Dax: -0,15%
Madrid IBEX: +0,75%
Russia: -1,41%

PETRÓLEO
BRENT: -0,15%
WTI: -0,20%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: -0,91%
NIQUEL: -0,33%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,09%
S&P: -0,02%
NASDAQ: +0,02%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS: (*)
* Antes do pregão: Morgan Stanley, Fifth Third, Freeport-McMoRan
* Depois do pregão: Capital One, Google

ATENÇÃO:As atenções hoje estão voltadas para o front americano, como os dados de desemprego e os dados regionais das indústrias da Filadelphia.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader
(*) fonte: Infomoney

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

QUARTA-FEIRA 19/01/2011

(1) RESUMO:

Maioria dos mercados de ações na Ásia fecharam esta quarta-feira em alta, com as ações de tecnologia da região subindo após os resultados otimistas da Apple e International Business Machines, enquanto o dólar dos EUA enfraquecido ajudou a elevar ações do setor de commodities. Em Sydney, o mercado rebateu os dados decepcionantes do sentimento do consumidor e se recuperou da fraqueza precocemente, com ações dos bancos e de recursos empurrando o índice para mais uma alta. Em Seul, o setor de construção puxou o mercado para baixo com os investidores realizando lucros após ganhos recentes. Entre os mercados periféricos, o NZX50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, Taiex de Taiwan, ações da Indonésia, SET Tailândia subiram e as ações das Filipinas, Sensex da Índia, KLCI da Malásia cairam. Nos mercados cambiais, o euro avançou contra o dólar dos EUA, apesar líderes dos países europeus não tenham divulgado nenhum tipo de apoio para dívida de países oprimidos da zona do euro, enquanto os mercados americanos e europeus fecharam firmes, bem como dados econômicos na Europa mais forte do que o esperado ajudou a melhorar o sentimento dos investidores da região.

CHINA: Na China, os promotores imobiliários, produtores de commodities metálicas e papéis de jogos foram os principais resposáveis pelas altas. O índice Hang Seng, Hang Seng China Enterprises e Xangai China Composite fecharam em alta. Embora os relatórios de produção de commodities mostram sinais fortes e recentes revisões em alta das previsões dos preços delas estejam apoiando recursos esta semana, os investidores aguardam os dados de inflação chinesa a ser divulgado na quinta-feira, como um indicador para os preços das commodities para os próximos 3-6 meses. Boatos indicam que a inflação ao consumidor se desacelerou no mês de dezembro. Segundo fontes não identificadas o indicador oficial apresentou alta de 4,6% no período, ante os 5,1% do mês anterior. Segundo o jornal oficial China's Securities, o PBoC (Banco Popular da China) irá cortar a meta de empréstimos dos bancos em até 10% sobre o valor total do ano anterior, como uma medida para conter a alta inflacionária, proporcionando valorização nos papéis do setor bancário.

JAPÃO: No Japão exportadores com foco na Europa ganhavam diante da valorização do euro frente ao iene e ajudaram tantoo índice Nikkei e o Topix a fecharem em alta. Destaque também para ações de tecnologia que subiram após fortes ganhos da Apple e IBM.

EUROPA: Bolsas na Europa abriram em alta, mas perdem terreno. O Stoxx Europe 600 cai, depois de fechar em alta de 0,9% na sessão anterior e atingindo o topo em 52 semanas. As ações de tecnologia estão em foco após os bons resultados da Apple e IBM, mas o comportamento do setor de tecnologia na Europa segue indefinido. Em Londres, as ações de energia, bancos e de metais estão entre as maiores altas. Apesar disso, índice FTSE 100 e CAC 40 francês caem e o alemão DAX 30 opera em alta. Destaque negativo para ações de companhias aéreas. Na Alemanha, a Deutsche Lufthansa e a British Airways no Reino Unido caem. O número de trabalhadores britânicos que reivindicaram auxílio-desemprego caiu para 4100 em dezembro. Economistas previam um aumento de 2.750. A taxa de desemprego nos três meses encerrados em novembro subiu de 7,7% para 7,9% em relação ao trimestre anterior. O número total de desempregados aumentou em 49.000 no trimestre, chegando a 2,5 milhões. A remuneração média, excluindo os bônus, subiu 2,3% no período setembro-novembro, inalterado em relação ao período de agosto a outubro e em linha com as estimativas.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
- BRASIL: Segundo dia da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que decidirá o novo patamar da taxa básica de juro. Analista esperam uma elevação da Selic em 0,5 ponto percentual ou 11,25% ao ano, na tentativa de conter a pressão inflacionária.
- EUA:
11h30 - Housing Starts (número de casas que começaram a ser construídas) e Building Permits (autorizações para a construção de imóveis foram concedidas), ambos de dezembro.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: ECB Monthly Report (o relatório do BCE (Banco Central Europeu) fornece informações mensais a respeito dos interesses do mercado monetário, perspectivas de crescimento, as tendências de poupança e diversos problemas econômicos).
REINO UNIDO: CBI Industrial Trends Orders (mede as expectativas econômicas dos executivos de manufatura no Reino Unido).
ALEMANHA: PPI - Producer Price Index (indicador de inflação que mede a variação nos preços médios recebidos pelos produtores nacionais de bens e serviços e o indicador que serve de prévia da inflação futura).
EUA: 11h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego); 13h00 - Leading Indicators de dezembro. O relatório compreende vários índices já divulgados, como pedidos de auxílio-desemprego, custo de mão-de-obra e permissões para construção; 13h00 - Philadelphia Fed Index de janeiro (mede a atividade industrial no estado); 13h00 - Existing Home Sales de dezembro (mede as vendas de casas usadas no país); 13h30 - Relatório de Estoques de Petróleo norte-americano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Austrália: +0,66%
Nikkei: +0,36%
Hong Kong: +1,10%
Xangai Composite: +1,85%

EUROPA
London - FTSE: -0,12%
Paris Cac 40: -0,05%
Frankfurt - Dax: +0,13%
Madrid IBEX: -0,13%
Russia: +0,48%

PETRÓLEO
BRENT: +0,67%
WTI: +0,69%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,72%
NIQUEL: +1,00%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,03%
S&P: -0,14%
NASDAQ: -0,02%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS: (*)
* Antes do pregão: Bank of NY Mellon, Goldman Sachs, US Bancorp e Wells Fargo
* Depois do pregão: eBay

ATENÇÃO: Atenção para resultado da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) que deverá anunciar sua decisão sobre política monetária para o Brasil, onde o consenso ventila para um aumento da taxa básica de juros em 50 pontos-base, ou 11,25% ao ano. Analistas dizem que uma alta de 75 pontos-base não seria bem recebido porque contribuiria ainda mais para valorização do real. No front externo dados imobiliários e resultados corporativo continuam ditando os rumos das bolsas.


Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader
(*) fonte: Infomoney

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

TERÇA-FEIRA 18/01/2011

(1) RESUMO:

A maioria dos mercados asiáticos fecharam em alta hoje, com forte perspectiva para metais não-ferrosos e preciosos, enquanto as expectativas de preços melhores para memórias e semicondutores impulsionaram ações de fabricantes de chips, como em Seul, onde estes e fabricantes de PC sustentaram a alta. Na Austrália, mineradoras mantém a alta do mercado com relatório citando forte produção no quarto trimestre de 2010. Nos demais mercados, NZX-50 da Nova Zelândia NZX-50, KLCI da Malásia, ações das Filipinas e Indonésia cairam, enquanto Straits Times de Singapura, Taiex de Taiwan, Sensex da Índia e o índice SET da Tailândia subiram. Nos mercados cambiais, o euro manteve-se sob pressão, com os investidores aguardando a finalização reunião de ministros das Finanças europeus em Bruxelas.

CHINA: A estatal China Securities Journal informou que o PIB da China cresceu 10,1% em 2010, comparado com 9,2% de 2009. A reportagem citou como fonte, a agência chinesa de planejamento econômico. O ministro do Comércio da China também anunciou que o investimento estrangeiro direto no país atingiu a soma recorde de US$ 105,74 bilhões, valor que representa uma expansão de 17,4% sobre o ano anterior, com destaque para a participação no setor de serviços, que recebeu 28,6% mais investimentos estrangeiros na passagem anual. Bancos subiram e promotores imobiliários locais também estenderam seus ganhos devido a previsão de uma 2011 mais robusta, no entanto, alguns papéis de siderurgia caíram devido as previsões de lucro ficar aquém das expectativas. Produtoras de metais não-ferrosos em geral subiram, após o Morgan Stanley emitir perspectivas sólidas para o alumínio, zinco, ouro e prata, mantendo uma visão positiva sobre os preços do cobre. O índice Hang Seng fechou praticamente estável e o Hang Seng China Enterprises caiu, mas Xangai China Composite avançou levemente após perda de quase 3% na sessão anterior. Em Taiwan, os fornecedores de componentes da Apple caíram, após uma queda de 6,2% em ações da Apple Inc. no mercado de Frankfurt, depois que o presidente-executivo Steve Jobs, de 55 anos de idade, anunciou o seu afastamento pela terceira vez na última década por razões médicas, mas a maior fabricante do país de chips de memória subiram.

JAPÃO: As ações de tecnologia pesaram sobre o mercado de Tóquio, seguindo os passos da Apple. Os fabricantes de chips DRAM para computadores pessoais subiram após divulgar planos para aumentar os preços em cerca de 10% ainda este mês. As ações de siderurgias pesaram sobre o mercado, sob alegação de que custos mais elevados das matérias-primas poderia acarretar numa previsão de lucro abaixo do esperado. O índice Nikkei e o Topix subiram com bancos e montadoras de autos também recuperando das perdas anteriores.

EUROPA: Na Europa, as bolsas operam em alta. O Stoxx Europe 600 ganha 0,7% para 286,08, no pregão matinal, a níveis não vistos desde setembro de 2008. O índice FTSE 100 sobe apoiada na varejista de luxo Burberry, cervejeira SABMiller e pelas mineradoras como Kazakhmys e Xstrata, enquanto no lado negativo, pesam as ações do grupo Essar Energy. O índice alemão DAX 30 sobe ajudada por ações de montadoras de auto e de fabricante de chips como a Infineon Technologies. Goldman Sachs aumentou a estimativa de ganhos para as empresas europeias de hardware e que a Infineon continua a ser uma convicção de compra. Ações da STMicroelectronics e bancos sobem em Paris, ajudando a alta do índice CAC 40. A inflação no Reino Unido aumentou 3.7% no ano. A estimativa era de 3.3%, igual a 2009.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
- BRASIL: Primeiro dia da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que decidirá o novo patamar da taxa básica de juro. Analista esperam uma elevação da Selic em 0,5 ponto percentual ou 11,25% ao ano, na tentativa de conter a pressão inflacionária.

- EUA:
11h30 - NY Empire State Index de janeiro (mede a saúde econômica do setor manufatureiro através de um levantamento com cerca de 200 fabricantes no estado de Nova York);
12h00 - Treasury International Capital de novembro (mede a diferença mensal entre as compras dos EUA de títulos estrangeiros e as compras estrangeiras de títulos dos EUA no longo prazo);
13h00 - National Association of Home Builders (NAHB) Housing Market Index de janeiro (venda de imóveis entre 900 construtoras).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Current Account index (diferença entre os produtos exportados e importados, serviços e pagamentos de juros).
REINO UNIDO: Claimant Count Change(mede a variação do número de pessoas desempregadas no Reino Unido durante o mês), Unemployment Rate (porcentagem da força de trabalho total, que está desempregado, mas que procuram emprego ativamente e dispostos a trabalhar no Reino Unido durante os últimos três meses), Average Earnings Index (mede a variação do preço médio para o trabalho, incluindo gratificações) e CBI Distributive Trades Survey (mede a saúde do setor varejista).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos
EUA: 11h30 - Housing Starts (número de casas que começaram a ser construídas) e Building Permits (autorizações para a construção de imóveis foram concedidas), ambos de dezembro.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Austrália: +0,80%
Nikkei: +0,15%
Hong Kong: -0,01%
Xangai Composite: +0,08%

EUROPA
London - FTSE: +0,99%
Paris Cac 40: +0,74%
Frankfurt - Dax: +0,86%
Madrid IBEX: +1,93%
Russia: +0,97%

PETRÓLEO
BRENT: +0,46%
WTI: +0,52%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +1,17%
NIQUEL: +2,01%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,35%
S&P: +0,40%
NASDAQ: +0,60%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS: (*)
* Antes do pregão: Citigroup e Delta Air Lines
* Depois do pregão: Apple e IBM

ATENÇÃO: Atenção para a finalização da reunião de ministros europeus, para os resultados corporativos e dados americanos que ditarão mais uma vez os rumos de nossas bolsas.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader
(*) fonte: Infomoney

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

SEGUNDA-FEIRA 17/01/2011

(1) RESUMO:

Maioria dos mercados de ações na Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira. Na Austrália, a fraqueza das ações de mineradoras foram compensadas pela força no setor de bens de consumo, embora o mercado estivesse calmo devido ao fim de semana prolongado nos EUA. Na Coréia, o otimismo dos investidores sobre a recuperação econômica dos EUA, após ligeiro aumento nos dados de vendas no varejo dos EUA em dezembro, levantou o setor de tecnologia. Construtoras também subiram na esperança de uma recuperação no mercado imobiliário nacional, no entanto, os fabricantes de automóveis e produtos químicos declinaram. No resto da região, as ações da Malásia e o Sensex da Índia subiram, enquanto Straits Times de Singapura, NZX-50 da Nova Zelândia NZX-50, mercado da Indonésia, as ações da Tailândia cairam. Nos mercados cambiais, o euro foi um pouco menor em relação ao dólar dos EUA e o iene japonês. O comércio ficou lateralizando porque os mercados dos EUA permanecerão fechadas nesta segunda-feira, e muitos investidores estão de oho na reunião dos ministros das Finanças da zona do euro, bem como dados econômicos da China nesta semana.

CHINA: As ações na China fecharam em queda diante persistentes preocupações com o aperto da política monetária. Os investidores aguardam ansiosamente os de dados da inflação de dezembro a ser divulgados ainda nesta semana. Na sexta-feira a China aumentou o compulsório dos bancos em 50 pontos (0,5%), após seis altas no ano passado. Em 25 de dezembro, o BPC já havia elevado sua taxa básica de juros e depósito compulsório. Bancos, seguradoras e principalmente promotores imobiliários sofreram com a perspectivas de um crédito mais apertado para financiar seus projetos. O Xanghai Composite terminou em forte queda de quase 3%. As perdas em Hong Kong foram menores, com o índice Hang Seng caindo 0,52%, enquanto o Hang Seng China Enterprises perdeu 1,63%. Realização de lucros em ações do setor financeiro arrastou Taiwan para baixo, com investidores preocupados com a possibilidade do governo lançar mais medidas para esfriar o mercado imobiliário. Banco Central de Taiwan reduziu a quantidade de empréstimo e valor do crédito hipotecário para a segunda residência.

JAPÃO: As ações japonesas tiveram aparadas seus ganhos iniciais que foram impulsionadas pelos resultados mais fortes do que o esperado do JP Morgan Chase e dados econômicos positivos na sexta-feira, bem como a recente fraqueza do iene. Parte dos exportadores com forte exposição ao mercado americano, tiveram altas, mas fabricantes de máquinas de construção ligadas ao mercado chinês, fecharam em queda. O Nikkei fechou quase que estável, enquanto o Topix teve uma queda de 0,17%. A alta do setor financeiro dos EUA na sexta-feira ajudou a empurrar para cima as ações dos bancos japoneses. Nesta sexta-feira foi anunciado pelo governo, o sexto mês de recuo na confiança do consumidor – para 40,1 pontos, isso é, 0,3 ponto a menos sobre a última divulgação, porém na comparação anual, o indicador representa alta de 2,5 pontos.

EUROPA: Mercados da Europa abriram em alta, mas opera em queda, com os investidores de olho na reunião dos ministros de finanças da região para discutir medidas de reforço para o fundo de resgate da região diante temores de resgate por parte de Portugal e que possivelmente a Espanha também necessitará de um resgate do fundo. IBEX 35 espanhol cai com ações dos bancos pesando sobre o índice. Entre os destaques do dia, as ações da BP sobem após a gigante petrolífera anunciar na sexta-feira um acordo de troca com a russa Rosneft. O acordo permitirá às duas empresas atuarem em conjunto no Oceano Ártico. Entre os principais índices , o francês CAC 40, o alemão DAX 30 e o FTSE de Londres caem. No mercado suíço as ações sobem alicerçadas no desempenho das farmacêuticas.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
- BRASIL: Vencimento de Opções sobre Ações.

- EUA: Feriado em homenagem a Martin Luther King. Não haverá negócios em Wall Street.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: ZEW Economic Sentiment(sentimento econômico do investidor institucional na Zona do Euro).
REINO UNIDO: Consumer Price Index - CPI (indicador mensal da inflação ao consumidor britânico), Core CPI (mede a evolução dos preços de bens e serviços, excluindo alimentos e energia), o DCLG HPI (O Department for Communities and Local Government (DCLG) Home Price Index mede a variação no preço de venda das casas) e o RPI - Retail Price Index (mede a evolução dos preços de bens e serviços adquiridos pelos consumidores para fins de consumo. Ela inclui os custos de habitação (O CPI não).
ALEMANHA: German ZEW Economic Sentiment (sentimento no longo prazo do investidor institucional na Alemanha).
EUA: 11h30 -NY Empire State Index de janeiro (mede a saúde econômica do setor manufatureiro através de um levantamento com cerca de 200 fabricantes no estado de Nova York); 12h00 - Treasury International Capital de novembro (mede a diferença mensal entre as compras dos EUA de títulos estrangeiros e as compras estrangeiras de títulos dos EUA no longo prazo); 13h00 - National Association of Home Builders (NAHB) Housing Market Index de janeiro (venda de imóveis entre 900 construtoras).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (8h15):

ÁSIA
Austrália: -0,73%
Nikkei: +0,04%
Hong Kong: -0,52%
Xangai Composite: -2,99%

EUROPA
London - FTSE: -0,16%
Paris Cac 40: -0,39%
Frankfurt - Dax: -0,17%
Madrid IBEX: -1,11%
Russia: +1,042%

PETRÓLEO
BRENT: -0,64%
WTI: -0,67%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: -0,87%
NIQUEL: -0,97%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,22%
S&P: -0,35%
NASDAQ: -0,25%

NOTÍCIA EM DESTAQUE: A Petrobras anunciou na sexta-feira que suas reservas provadas de óleo, condensado e gás natural atingiram 15,986 bilhões de barris em 2010, o que representa um aumento de 7,5% em relação ao ano passado (96% estão localizados no Brasil).

ATENÇÃO: Devido feriado americano, as atenções fica por conta do vencimento de opções sobre ações, que promete trazer volatilidade ao mercado neste pregão, pois a briga entre comprados e vendidos ditarão o resultado: "aqueles que se posicionaram com opções de compra ampliam suas posições nas ações de modo a tentar elevar a cotação destas. Por outro lado, os vendidos, atuam de modo inverso, de modo a diminuir a cotação dessas ações", explica Marcelo Varejão, analista da Socopa.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

SEXTA-FEIRA 14/01/2011

(1) RESUMO:

Maioria das praças na Ásia fecharam em queda sexta-feira, após perdas em Wall Street com os decepcionante dados de desemprego dos EUA, embora os resultados sólido da Intel, divulgados após o fechamento do mercado americano, tenha ajudado algumas ações relativas à tecnologia. Investidores foram cautelosos aguardando os dados econômicos dos EUA desta sexta-feira. As ações australianas fecharam ligeiramente superiores, sendo incapaz de estender os fortes ganhos da sessão anterior. Mineradoras e seguradoras cairam em meio a inundação contínua em Queensland. Na Coréia, o principal índice ficou muito volátil dificultando prever seu direcionamento. As refinarias de petróleo e produtores de gás caíram com preocupações de que os esforços do governo para controlar a inflação poderia prejudicar suas atividades, depois que o presidente Lee Myung-bak, recentemente instruiu seu gabinete para acompanhar de perto os preços domésticos da gasolina. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, Taiex de Taiwan, as ações da Indonésia, Sensex da Índia e SET da Tailândia caíram. Ações nas Filipinas subiram. Nos mercados cambiais, o euro foi menor em relação ao dólar dos EUA e o iene, com leve realização de lucros após os ganhos nesta semana. Europa abriu em queda.

CHINA: Na China, o mercado se assustou com as preocupações de mais um aperto monetário, depois que um relatório da rádio estatal citou Zhou Wangjun, funcionário da agência nacional de planejamento econômico, dizendo que a China pode anunciar novas políticas de combate à inflação, se os preços subiram muito rapidamente nos primeiro trimestre. Empresas ligados a commodities metálicas foram pressionadas pelo declínio dos preços mundiais do metal. Em Hong Kong, as ações se recuperaram com o setor bancário ajudando a sustentar o mercado e compensar a fraqueza em ações das commodities que arrastaram muitos papéis de commodities do continente para baixo. O índice Hang Seng e o Hang Seng China Enterprises subiram. No continente o índice Shanghai Composite também subiu, ajudados pelos bancos diante maior flexibilização das preocupaçõesdas dívidas soberanas europeias.

JAPÃO: As ações japonesas cairam, frustrados por um iene mais forte e queda de Wall Street. O Nikkei, após atingir a pontuação máxima em oito meses caiu. Topix também fechou em queda. Com o dólar a ¥ 82,72, após ter sido negociado acima de ¥ 83 no início da semana, muitas empresas centradas na exportação viu suas ações perder terreno. Os varejistas também tiveram quedas, mas o lucro melhor que o esperado da Intel ajudou a sustentar o mercado, principalmente as de tecnologia.

EUROPA: Mercados na Europa abriram mais baixo na sexta-feira, com bancos e mineradoras liderando o caminho, seguindo as perdas na Ásia e em Wall Street O índice Stoxx 600 Europe cai 0,4%, para 282,93, com o índice CAC 40 francês, o alemão DAX 30 e o índice de FTSE 100 britânico em queda. As mineradoras caem com os preços de commodities mais fracos, mas Fresnillo sobe 1,2%, após fortes dados de produção trimestral.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- EUA:
11h30 - Retail Sales (mede as vendas totais do mercado varejista, exceto o setor de serviços) e o Retail Sales ex-auto (ignora as vendas de automóveis) de dezembro;
11h30 - CPI - Consumer Price Index e de seu núcleo (indicador mensal da inflação ao consumidor americano) de dezembro;
12h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization (capacidade utilizada), ambos de dezembro;
12h55 - Michigan Sentiment de janeiro (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
13h00 - Business Inventories de novembro (mede o nível de vendas e de estoques das indústrias, além dos setores de atacado e varejo).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: Feriado em homenagem a Martin Luther King. Não haverá negócios em Wall Street.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (78h15):

ÁSIA
Austrália: +0,14%
Nikkei: -0,86%
Hong Kong: +0,18%
Xangai Composite: -1,31%

EUROPA
London - FTSE: -0,40%
Paris Cac 40: -0,20%
Frankfurt - Dax: -0,28%
Madrid IBEX: -0,28%
Moscow: -0,22%

PETRÓLEO
BRENT: -0,12%
WTI: -0,27%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: -0,64%
NIQUEL: -0,84%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,02%
S&P: +0,02%
NASDAQ: +0,08%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS TRIMESTRAIS:
EUA: JP Morgan Chase, M&T Bank, Webster Financial (todos antes do Pregão)

ATENÇÃO: Mais uma vez a agenda americana deverá ditar os rumos do pregão, mas atenção especial para a divulgação das estimativas de reservas comprovadas de petróleo pela Petrobras. Atentem-se para o feriado americano na segunda-feira pois os mercados por lá não funcionarão.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

QUINTA-FEIRA 13/01/2011

(1) RESUMO:

Maioria dos mercados asiáticos fecharam no azul nesta quarta-feira, impulsionado pelo sucesso do leilão de títulos português. Na Austrália, ações ligadas a commodities subiram seguindo a alta no preço do cobre. O mercado australiano apresentou um certo alivio na expectativa de que as inundações no estado de Queensland começa a melhorar. Em Seul, houve realização de lucro, apesar do Banco da Coreia surpreender os mercados com alta de 25 pontos para 2.75% na taxa de juros, na tentativa de conter a inflação. As ações financeiras, especialmente as bancos e seguradoras subiram na expectativas de fortes ganhos em 2011 com a decisão de nova regulamentação do Serviço Nacional de Pensões para permitir aumentos nos investimentos em bancos nacionais. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, ações da Indonésia, Tailândia, Filipinas, Taiex de Taiwan subiram. Sensex da Índia caiu. Nos mercados cambiais, o euro manteve ganhos contra o dólar dos EUA e o iene japonês. Europa abriu em alta.

CHINA: Ações em Hong Kong estenderam os ganhos de quinta-feira apoiadas em ações de empresas com exposição na Europa. Com a melhora da percepção de risco no cenário mundial, empresas do setor petrolífero fecharam o pregão com a cotação valorizada. O índice Hang Seng e o Hang Seng China Enterprises subiram. No continente, o China Composite também fechou em alta. Segundo o Banco Mundial, a economia chinesa deverá desacelerar neste ano e crescer próximo a 8,7% e em 2012 a instituição espera que o PIB (Produto Interno Bruto) da economia chinesa expanda-se algo em torno de 8,4%.

JAPÃO: No Japão o índice Nikkei e o Topix fecharam em alta, ajudado pelo leilão português um pouco melhor do que o esperado e consequentemente um iene mais fraco que o euro. Exportadoras com foco na Europa, imobiliárias, bancos e construtoras deram o tom da alta. Os pedidos para a indústria japonesa caíram 3% em novembro em relação a outubro. Analistas esperavam um avanço do indicador.

EUROPA: Mercados da Europa operam em queda neste instante, aguardando os leilões de títulos da Espanha e a Itália e o BoE (Bank of England) e do BCE (Banco Central Europeu) anunciarão as decisões tanto da taxa de juro mais tarde. O Stoxx Europe 600 cai 0,3%, para 284,83, com queda nas ações de mineradoras e companhias aéreas, enquanto os bancos tiveram uma sessão mista. O IBEX 35 da Espanha, PSI 20 de Portugal e FTSE Itália sobem. Entre os principais índices, o alemão DAX 30, o britânico FTSE 100 caem com as mineradoras, após recentes ganhos. O índice francês CAC 40 sobe, apesar da queda de papéis de companhias aérea. O governo espanhol vendeu 3 bilhões de euros (3,9 bilhões) em bônus de cinco anos. O leilão apresentou um rendimento de 4,542%, contra um rendimento de 3,576% em novembro. Demanda reforçada, com a oferta total superior a 2,1 vezes oferta contra 1,6 na venda de Novembro. O euro estende ganhos em relação ao dólar.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- EUA:
11h30 - Trade Balance de novembro (mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país);
11h30 - PPI - Producer Price Index (é o mais importante indicador de inflação dos Estados Unidos) e CORE PPI (é muito acompanhado pelo mercado financeiro devido a grandes volatilidades, exceção aos preços de alimentação), ambos de dezembro;
11h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Consumer Price Index (CPI) de dezembro (indicador da inflação ao consumidor europeu) e o Trade Balance de novembro (balança comercial na Zona do Euro).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Consumer Price Index (CPI) de dezembro (indicador da inflação ao consumidor alemão).
EUA: 11h30 - Retail Sales (mede as vendas totais do mercado varejista, exceto o setor de serviços) e o Retail Sales ex-auto (ignora as vendas de automóveis) de dezembro; 11h30 - CPI - Consumer Price Index e de seu núcleo (indicador mensal da inflação ao consumidor americano) de dezembro; 12h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization (capacidade utilizada), ambos de dezembro; 12h55 - Michigan Sentiment de janeiro (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana); 13h00 - Business Inventories de novembro (mede o nível de vendas e de estoques das indústrias, além dos setores de atacado e varejo).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (8h15):

ÁSIA
Austrália: +1,44%
Nikkei: +0,73%
Hong Kong: +0,47%
Xangai Composite: +0,23%

EUROPA
London - FTSE: -0,48%
Paris Cac 40: +0,37%
Frankfurt - Dax: 0,08%
Madrid IBEX: +2,03%
Moscow: +0,18%

PETRÓLEO
BRENT: +0,61%
WTI: +0,24%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: -1,14%
NIQUEL: -1,54%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,12%
S&P: -0,12%
NASDAQ: -0,08%

ATENÇÃO: Atenções ficam por conta dos dados de desemprego americano e leilões e reuniões dos Bancos Centrais na Europa. É aguardado para hoje os resultados corporativos nos EUA da: Intel, Infosys, Sealy, CRA Intl e DHT.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

QUARTA-FEIRA 12/01/2011

(1) RESUMO:

Mercados de ações fecharam em alta nesta quarta-feira, após a ascensão de Wall Street. Na Austrália teve a primeira alta depois de sucessivas baixas, apesar dos ganhos ainda serem limitado pelas preocupações com o impacto das grandes enchentes no estado de Queensland e cautela antes do leilão de títulos português. Todos ainda aguardam para ver o montante dos danos, porém ainda é muito cedo para fazer qualquer estimativa de como o governo irá atuar. Mineradoras subiram, ajudadas principalmente pela forte alta nos preços do cobre, enquanto bancos e transportadoras ainda apresentam quedas. Em Seul, empresas de tecnologia subiram alimentadas pelas expectativas que os preços de chips de memória DRAM cairá em breve. Construtoras tanbém subiram na expectativa de recuperação do mercado imobiliário neste ano. No resto da região, as ações da Malásia, o Straits Times, de Singapura, NZX-50 da Nova Zelândia, mercado de ações da Indonésia, as ações da Tailândia e Sensex da Índia subiram. Nos mercados cambiais, o euro apresentava pouco volume de negociação, com os investidores aguardando os leilões da dívida da zona do euro esta semana. Portugal tem leilão agendado para hoje, a Espanha estará leiloando 2.016 títulos na quinta-feira e Itália leiloará 2026 títulos do governo no mesmo dia. Europa abriu em alta.

CHINA: Mineradoras de carvão e produtores de petróleo sustentaram os ganhos na China devido à alta nos preços do petróleo no exterior, com queda da oferta e um dólar dos EUA enfraquecido. Em Hong Kong a alta foi sustentada por ganhos em ações de telecomunicações e de propriedade devido ao boom de consumo local. Ações de companhias aéreas chinesas também apresentaram ganhos sólidos após emitirem uma forte previsão de lucro para 2010. O índice Hang Seng e o Hang Seng China Enterprises subiram. No continente o Xangai China Composite também subiu. Em taiwan, a alta foi sustentada pelos ganhos no setor do turismo, financeiro e empresas de construção civil.

JAPÃO: Embora o aumento em Wall Street estivesse ajudando as ações em Tóquio, os ganhos foram limitados pela cautela antes do leilão de títulos de Portugal agendadas para hoje. As tensões relativas às condições Europeia continuará ao longo da semana. Bancos, seguradoras, montadoras foram destaques positivos. As ações de exportadoras japonesas de tecnologia foram beneficiados pelo ienes um pouco mais fraco. Montadoras também fecharam em alta. Nikkei e Topix tiveram alta ignorando os dados da conta corrente do Japão, com a queda do superávit mais do que o esperado em novembro, de ¥ 1.436.000.000.000 em outubro para ¥ 926.200.000.000 ($ 11,1 bilhões), uma queda de 15,7% em relação a novembro de 2009, devido principalmente à elevação dos preços das commodities. Economistas esperavam que o superávit em ¥ 977.700.000.000, de acordo com uma pesquisa realizada pela Dow Jones Newswires. As exportações de novembro subiram 9,3% face ao mesmo período homólogo do ano anterior e as importações tiveram aumento de 15,7%.

EUROPA: Mercados na Europa operam em alta. O Stoxx Europe 600 sobe 0,8% para 284,27 seguindo ganhos dos mercados asiáticos. Os ganhos vem dos investidores que aguardam os resultados da venda de títulos de Portugal. A agência planeja vender entre 750 milhões de euros (970 milhões dólares) e € 1,25 bilhões de títulos com vencimento em outubro de 2014 e junho 2020. Segundo analistas, o leilão de hoje está tão bem sinalizado, que seria uma grande surpresa se não for devorado com facilidade. O leilão de espanhol de amanhã mantém a mesma expectativa de que seja facilmente financiado. O euro sobe frente ao dólar antes dos resultados do leilão. PSI 20 de Portugal e o IBEX espanhol sobem forte. O CAC 40 francês sobe alavancado pelo grupo aeroespacial EADS, após a Airbus anunciar pedido recorde de 180 aeronaves da transportadora indiana Indigo. Entre os outros principais mercados europeus, o índice FTSE 100 e o alemão DAX 30 também sobem, alimentadas pelas financeiras, depois que analistas do JP Morgan disseram que preferem bancos de investimentos europeus do que seus rivais dos EUA, devido uma aplicação mais rígida do que o esperado da Regra Volcker sobre a restrição de negociação especulativa. A economia da Alemanha cresceu 3,6% em 2010 (maior aumento desde a reunificação do país). A recuperação veio depois que a Alemanha foi atingido em 2009 pela pior recessão desde a Segunda Guerra Mundial, com queda de 4,7% do PIB.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- EUA:
11h30 - Export Prices (preços de bens exportados, excluindo produtos agrícolas) e o Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo), ambos de dezembro;
11h30 - Discurso do Secretario do Tesouro americano Timoty Geitner (discursará em Washington a respeito do relacionamento econômico entre China e EUA).
13h30 - Estoques de Petróleo norte-americano;
17h00 - Treasury Budget de dezembro (orçamento governamental);
17h00 - Livro Bege do Fed (relatório importante sobre o desempenho atual da economia do país)

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Reunião do Banco Central Europeu para deliberar sobre os rumos da política monetária na Zona do Euro, atualmente a taxa básica de juros na região está fixada em 1,00% ao ano.
REINO UNIDO: Industrial Production de Novembro (números da produção industrial do Reino Unido) e Reunião do Banco da Inglaterra para deliberar sobre os rumos da política monetária no Reino Unido, atualmente a taxa básica de juros britânica está fixada em 0,50% ao ano.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 11h30 - Trade Balance de novembro (mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país); 11h30 - PPI - Producer Price Index (é o mais importante indicador de inflação dos Estados Unidos) e CORE PPI (é muito acompanhado pelo mercado financeiro, por estar alheio a grandes volatilidades, exceção aos preços de alimentação), ambos de dezembro; 11h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Austrália: +0,35%
Nikkei: +0,02%
Hong Kong: +1,65%
Xangai Composite: +0,20%

EUROPA
London - FTSE: +0,50%
Paris Cac 40: +1,49%
Frankfurt - Dax: +1,33%
Madrid IBEX: +3,89%
Moscow: +1,88%

PETRÓLEO
BRENT: +0,61%
WTI: +0,24%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +1,11%
NIQUEL: +2,06%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,62%
S&P: +0,71%
NASDAQ: +0,62%

ATENÇÃO: Agenda pesada com destaque para o Livro Bege do Fed e para o orçamento do governo americano, mas o foco das atenções ficará por conta do Leilão de Títulos de Portugal.


Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

TERÇA-FEIRA 11/01/2011

(1) RESUMO:

Fechamento misto na maioria dos mercados de ações na Ásia nesta terça-feira com Austrália ainda sentindo reflexos das inundações no estado de Queensland. Bancos, seguradoras e mineradoras ainda dão o tom negativo para as bolsas locais. A dívida soberana na Zona Euro, bem como a decisão da política de taxas do Banco da Coréia arrastou Seul para baixo. No resto da região, Taiex de Taiwan, Straits Times de Singapura, ações na Indonésia e a NZX-50 da Nova Zelândia subiram, enquanto Kuala Lumpur da Malásia, ações nas Filipinas, Tailândia cairam. Nos mercados cambiais, subida do euro face ao iene diante comentário ministro das Finanças do Japão Noda ajudou a apoiar a moeda única em relação ao dólar dos EUA. Os investidores estão de olho nos leilões da dívida da Europa esta semana, pois os resultados desses leilões podem fornecer pistas sobre a gravidade dos problemas da dívida soberana de alguns países. Portugal agendou o leilão para quarta-feira e a Espanha e Itália na quinta quinta-feira. Europa abriu em alta.

CHINA: Hong Kong fecharam em alta, com destaque para bancos (foi anunciado que a quantidade de empréstimos no último ano atingiu 7,95 trilhões de yuans, valor 8% menor que aquele registrado em 2009, mas superior à meta de 17% do governo) e produtores de energia, após alta nos preços do petróleo bruto, reflexo do fechamento de oleoduto no Alaska, enquanto os promotores imobiliários chineses cairam com preocupações de que seja necessário novo imposto sobre propriedade (provavelmente vai ser aplicada na segunda habitação e irá variar entre 0,4% e 0,8% do valor da propriedade e é esperado para antes de Abril). O índice Hang Seng e o Hang Seng China Enterprises fecharam em alta. No continente o Xangai Composite também fechou em alta.

JAPÃO: No Japão, as preocupações sobre a dívida da zona do euro pesaram na volta do fim de semana prolongado, fazendo com que que o mercado viesse para baixo, apesar dos ganhos do euro face ao iene japonês com o anúncio do ministro das Finanças japonês Yoshihiko Noda que o país poderá comprar mais de 20% do montante de títulos do EFSF. Na parte positiva, siderúrgicas subiram na expectativa de altas no preço do aço.

EUROPA: Bolsas na Europa operam em alta. O Stoxx Europe 600 ganha 0,7% para 280,30, depois de perder 0,9% na sessão anterior. Os mercados foram impulsionados pelo interesse dos japoneses nos títulos do EFSF que será emitido no final deste mês. O EFSF foi criada pela União Europeia para fornecer empréstimos de emergência para países necessitados da zona do euro, após resgate da Grécia no ano passado. Bancos liderado os ganhos na Europa. PSI 20 de Lisboa opera em alta. Entre as principais bolsas, CAC da França, DAX da Alemanha e FTSE do Reino Unido operam em alta.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- EUA:
13H00 - IBD/TIPP Economic Optimism (mede o nível de confiança do consumidor e o otimismo quanto à atividade econômica)
13h00 - Wholesale Inventories de novembro (relatório que contém informações sobre as vendas e os estoques do setor atacadista).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Industrial Production de novembro (os investidores acompanham os números da produção industrial da zona do euro).
REINO UNIDO: Trade Balance de novembro (o indicador mostra o desempenho mensal do comércio exterior britânico).
ALEMANHA: Produto Interno Bruto de dezembro (números do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha).
EUA: 11h30 - Export Prices (preços de bens exportados, excluindo produtos agrícolas) e o Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo), ambos de dezembro; 13h30 - Estoques de Petróleo norte-americano; 17h00 - Treasury Budget de dezembro (orçamento governamental); 17h00 - Livro Bege do Fed, relatório importante sobre o desempenho atual da economia do país.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Sidney: -0,08%
Nikkei: -0,29%
Hong Kong: +0,99%
Xangai Composite: +0,47%

EUROPA
London - FTSE: 0,88%
Paris Cac 40: +0,40%
Frankfurt - Dax: +0,15%
Madrid IBEX: +0,18%
Moscow: +0,41%

PETRÓLEO
BRENT: -0,61%
WTI: -0,49%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,81%
NIQUEL: +1,86%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,13%
S&P: +0,08%
NASDAQ: +0,12%

ATENÇÃO: Atenção para as vendas e estoques do setor atacadista americanos, mas quem deve puxar as bolsas são os números dos balanços corporativos nos EUA que iniciou a temporada ontem com a Alcoa com lucro de US$ 258 milhões no quarto trimestre do ano passado, superando a expectativa dos analistas, com as vendas aumentando 4% na comparação com o mesmo período do ano passado, a maior marca da companhia desde a recessão de 2008.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

SEGUNDA-FEIRA 10/01/2011

(1) RESUMO:

Mercados de ações na Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira, com bancos caindo em Xangai, com preocupações com as altas taxas de juros, enquanto enchentes no estado australiano de Queensland continuavam a perturbar o mercado de Sidney, com as quedas das mineradoras e bancos. Na Coréia o mercado perdeu um pouco de seu impulso após alta de 1,7% na primeira semana do ano. Empresas da indústria pesada contrabalanceava com o desempenho positivo das empresas de tecnologia, ajudado por melhorias no setor de televisão e celulares. No resto da região, NZX-50 da Nova Zelândia, ações das Filipinas, Malásia, Straits Times de Singapura e as ações tailandesas fecharam em queda. No mercado de câmbio, o euro caiu no comércio asiático e chegu ao ponto baixo em quatro meses contra o dólar dos EUA, devido aos leilões de títulos do governo esperados para esta semana. Europa abriu em queda.

CHINA: O índice Xanghai Composite, fechou em baixa nesta segunda-feira, após dados decepcionantes sobre o mercado de trabalho nos EUA e números sobre a balança comercial na China. A China registrou um superávit de US$ 13,1 bilhões na balança comercial em dezembro, menor que o esperado e abaixo de novembro. A diferença entre exportações e importações teve um saldo positivo de US$ 22,9 bilhões. As exportações tiveram uma alta de 17,9% em relação ao mês anterior, porém as importações também avançaram 25,6%. Em relação aos números anualizados, a balança comercial em 2010 expandiu 34,7% sobre 2009, ou seja, US$ 2,97 trilhões a mais, enquanto foi registrado um recuo de 6,4% no superávit na passagem anual. No domingo, o jornal oficial Economic Observer divulgou uma pesquisa com diversos economistas, onde apontou que 58% dos entrevistados acredita que a inflação continuará em patamares mais elevados durante o primeiro trimestre do ano e 21% afirmaram que tal cenário deverá permanecer até o terceiro trimestre de 2011. Em meio a esse cenário de alta nos preços, as ações dos bancos cairam. Em Hong Kong, o referencial Hang Seng Index e o Hang Seng China Enterprises fechou em queda. Ações relacionadas com o petróleo puxava os índices para cima após o fechamento de um oleoduto no Alasca. Em Taiwan, destaque para empresas de telefonia que estão costurando um plano para criar uma joint venture para expandir lojas de telecomunicações na China continental.

JAPÃO: No Japão, não houve pregão devido a um feriado nacional.

EUROPA: Bolsas de valores na Europa caem nesta segunda-feira. O Stoxx Europe 600 cai. Portugal e Espanha sob pressão, com os mercados aguardando leilões provenientes desses países nesta semana. Somando-se as preocupações, os relatórios do meio de semana em que a França ea Alemanha pressionam Portugal no sentido de aceitar uma ajuda no valor de 5-10 euros (64 $ US $ 123 bilhões). Governos português e alemão negaram tais notícias. Em Lisboa, o índice PSI 20 e o índice IBEX 35 da Espanha caem lideradas pela queda do bancos. Entre os principais índices, o DAX alemão, CAC 40 de Paris, FTSE 100 de Londres também caem lideradas pelo setor bancário. Ações do setor de petróleo caem Essas ações caem depois de um vazamento no fim de semana na Trans-Alaska Pipeline System, que transporta petróleo do campo de Prudhoe Bay. Os futuros de petróleo cru sobem no pregão eletrônico Globex.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- CHINA: Trade Balance de dezembro (o indicador mostra o desempenho mensal do comércio exterior da China).
- EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 13h30 - IBD/TIPP Economic Optimism (mede o nível de confiança do consumidor e o otimismo quanto à atividade econômica); 13h00 - Wholesale Inventories de novembro ( relatório que contém informações sobre as vendas e os estoques do setor atacadista).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h45):

ÁSIA
Sidney: +0,14%
Nikkei: ---%
Hong Kong: -0,67%
Xangai Composite: -1,64%

EUROPA
London - FTSE: -0,27%
Paris Cac 40: -1,08%
Frankfurt - Dax: -0,35%
Madrid IBEX: -1,48%
Moscow: ---

PETRÓLEO
BRENT: +0,24%
WTI: +0,41%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: +0,37%
NIQUEL: -0,34%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,29%
S&P: -0,43%
NASDAQ: -0,38%

ATENÇÃO: Sem dados relevantes para serem divulgados tanto nos EUA quanto na Europa, as atenções devem ficar por conta dos números da balança comercial chinesa.

FELICITAÇÕES: Gostaria de parabenizar a todos os amigos do Fórum da Agrenco do ADVFN pelo êxito na reversão da Suspensão de Registro da Agrenco Limited, em especial na pessoa do querido e incansável Edgard Mansur Salomão. Fica aqui registrado minha satisfação pelo ressonante triunfo.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

SEXTA-FEIRA 07/01/2011

(1) RESUMO:

Mercados de ações asiáticos se misturaram nesta sexta-feira, com a fraqueza no setor de commodities e cautela antes dos dados do U.S. nonfarm payrolls. Na Austrália, o Austrália & P / ASX 200 caiu, enquanto o Kospi Composite da Coreia do Sul subiu. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia, Taiex de Taiwan, ações da Indonésia e Filipinas e SET da Tailândia cairam Sensex da Índia fechou estável. Nos mercados cambiais, o euro caiu para um mínimo de quatro meses face ao dólar dos EUA, em meio as contínuas preocupações sobre a dívida soberana européia e o crescente otimismo sobre a economia dos EUA, conforme o relatório semanal de desemprego anunciado ontem mostrando uma melhoria contínua. Europa abriu em queda.

CHINA: Na China, o índice Ping An Insurance's ajudou a sustentar o mercado, mas a fraqueza nas ações de commodities, principalmente do petróleo e das commodities metálicas pesaram sobre o mercado. Ações em Hong Kong voltaram ao território negativo, devido à realização de lucros depois de sete sessões de vitórias. O índice Hang Seng e o Hang Seng Interprises fecharam em queda, com setor financeiro e de commodities como o de petróleio e metálicas pesando sobre o mercado. No continente, o Xanghai Composite fechou em alta.

JAPÃO: No Japão, dezesseis dos 33 subíndices Topix foram menores. A fraqueza do euro face ao iene pesaram sobre o mercado, porém as quedas foram limitados, nas expectativas da folhas de pagamento EUA de dados não-agrícolas permanecerem sólidas. Exportadores com exposição na Europa cairam, mas montadoras com forte atuação no mercado americano comemoraram altas em seus papéis.

EUROPA: Mercado na Europa seguem negociação volátil nesta sexta-feira, com investidores aguardavam dados do mercado de trabalho americano a ser divulgado mais tarde. O Stoxx Europe 600 cai, para 280,34 pontos, no pregão matinal. Ontem o índice ganhou 0,4% na quinta-feira, mas a maioria das referências regionais do continente terminaram em queda. CAC 40 da França e DAX 30 da Alemanha apresentam quedas, lideradas pelo setor bancário. IBEX 35 da Espanha e FTSE MIB da Itália também caem. Em Londres, o índice de FTSE 100 também perde, lideradas pelo setor de tecnologia e tabaco. Do lado positivo, ações da cervejaria SABMiller sobem e varejistas tentam dar um ar de otimismo para a bolsa. O PIB da Zona do Euro registrou crescimento de 0,3% no terceiro trimestre de 2010, enquanto a taxa de desemprego dos países da Zona do Euro, ficou estável em 10,1%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

- EUA:
11h30 - Relatório de Emprego de dezembro, composto por: Unemployment Rate (taxa de desemprego), Nonfarm Payrolls (número de postos de trabalho), Hourly Earnings (ganho por hora trabalhada) e Average Workweek (média de horas trabalhadas).
12h30 - Discurso do Presidente do Fed Ben Bernanke.
16h30 - Discurso do Membro do FOMC Elizabeth Duke.
18h00 - Consumer Credit de novembro (mede o total de crédito ao consumidor).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Sentix Investor Confidence (relatório da confiança dos investidores).
REINO UNIDO: Halifax HPI (índice de preços de unidades residenciais).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (9:10):

ÁSIA
Sidney: -0,40%
Nikkei: +0,11%
Hong Kong: -0,42%
Xangai Composite: -+0,52%

EUROPA
London - FTSE: -0,59%
Paris Cac 40: -0,72%
Frankfurt - Dax: -0,30%
Madrid IBEX: -135%
Moscow: ---

PETRÓLEO
BRENT: -0,40%
WTI: +0,50%

COMMODITIES METÁLICAS
COBRE: -1,51%
NIQUEL: -1,54%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,09%
S&P: -0,19%
NASDAQ: -0,15%

ATENÇÃO: As atenções ficam por conta do aguardado Relatório de Emprego americano, na qual é esperado redução da taxa de desemprego e criação de postos de trabalho.

PEDIDO DE DESCULPAS: Gostaria de pedir desculpas pelo infortúnios de força maior que levaram a demora para divulgação da Resenha e enfatizar que estou tentando deixar o conteúdo do mesmo mais objetivo. Qualquer sugestão a respeito, enviar email para: haramoto@gmail.com.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader