Veja Também

Veja Também

quinta-feira, 31 de março de 2011

QUINTA-FEIRA 31/03/2011

(1) RESUMO: A maioria dos mercados acionários asiáticos fecharam em alta neste último dia do mês e do trimestre, mas muitos investidores continuam cautelosos frente aos dados de trabalho dos EUA, enquanto as ações da China foram afetadas por preocupações de mais um possível aperto monetário em Pequim. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul e Sensex da Índia subiram. No resto da região, NZX-50 da Nova Zelândia , Bolsas das Filipinas, Tailândia, Indonésia, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, subiram, enquanto Taiex de Taiwan fechou em queda. Na Austrália, a Woodside Petroleum caiu 2,0% depois que disse na quarta-feira que não iria comentar a especulação sobre uma potencial IPO da empresa. As ações australianas fecharam trimestre com ganho de 2%. No mercado de câmbio, o euro em alta contra o dólar, com expectativas dos dados da inflação de março da zona do euro, que poderá apontar uma possível alta inflacionária e reforçar a perspectiva de uma subida das taxas de juro pelo Banco Central Europeu, na reunião da próxima semana. O dólar australiano continuou a se fortalecer contra o dólar. "O céu é o limite"(para o dólar australiano), segundo o estrategista de câmbio do UBS.

JAPÃO: As ações japonesas recuperaram, com a recente fraqueza do iene e otimismo com a reconstrução após o devastador terremoto e tsunami no dia 11. As ações da Tokyo Electric Power, operadora da central nuclear de Fukushima, que vem lutando para conter vazamentos de radiação desde o terremoto, terminaram o dia inalterado. As ações perderam mais de 78% do seu valor de março.

CHINA: As ações na China reverteram os ganhos da manhã em meio a renovadas preocupações sobre aperto monetário, com a possibilidade de uma nova subida das taxas de juros durante o próximo fim de semana. Como parte de seus esforços para combater a inflação, a China elevou relação dos bancos de reservas obrigatórias nove vezes desde o início do ano passado, e subiu as taxas de juros três vezes desde outubro. Espera-se que em março, o índice de preços ao consumidor tenha uma alta de 5,3%, o maior desde 2009, Em fevereiro foi de 4,9%. A China Securities Journal escreveu em seu editorial de terça-feira que o IPC de março, provavelmente, será superior a 5%, e o Banco Central poderia elevar as taxas de juros em torno de abril ou em direção ao meio do ano para ajudar a baixar os preços. O Xangai Composite caiu, enquanto Hang Seng de Hong Kong fechou em alta.

EUROPA: Mercados na Europa oscila entre perdas e ganhos. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,1%, no pregão matinal. O maior decliner no índice é a H & M, cujas ações caem quase 4%, após varejista de luxo afirmar que seu lucro líquido do trimestre caiu 30 pela primeira vez. Ainda no setor, Dixons Retail cai 7,01%, estendendo as perdas da sessão anterior. Na França, o índice CAC 40, opera em queda, tendo a fabricante de carros Renault, que sobe 1,4%, uma dos principais ganhadores, enquanto as ações da fabricante de reatores nucleares Areva foram suspensas na Euronext. O índice DAX 30 opera próximo a estabilidade, com as ações da empresa farmacêutica Bayer avançando 1,3%. As ações financeiras caem, liderado por bancos italianos. Intesa Sanpaolo cai 3.48% e UniCredit perde 2.32%. Societe Generale de France cai 2.74%. Em Londres, o FTSE 100 opera em ligueira queda, com a mineradora Vedanta Resources subindo 2,1%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego);
10h45 - Chicago PMI de março (mede o nível de atividade industrial na região);
11h00 - Factory Orders de fevereiro (mede o volume de pedidos, feitos à indústria como um todo, de bens duráveis e bens não duráveis).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: PMI Manufacturing de março (nível de atividade de manufatura na Europa) e Unemployment Rate de janeiro (taxa de desemprego na União Europeia).
ALEMANHA: PMI Manufacturing de fevereiro (nível de atividade de manufatura na Alemanha).
REINO UNIDO: PMI Manufacturing de março (nível de atividade de manufatura no Reino Unido).
EUA: 9h30 - Relatório de Emprego de março, composto por: Unemployment Rate (taxa de desemprego), Nonfarm Payrolls (número de postos de trabalho), Hourly Earnings (ganho por hora trabalhada) e Average Workweek (média de horas trabalhadas); 11h00 - Construction Spending de fevereiro (mede os gastos decorrentes da construção de imóveis); 11h00 - ISM Index de março (mede o nível de atividade industrial no país).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h20):

ÁSIA
Austrália: +0,33%
Nikkei: +0,48%
Hong Kong: +0,32%
Xangai Composite: -0,88%

EUROPA
London - FTSE: -0,14%
Paris Cac 40: -0,54%
Frankfurt - Dax: -0,15%
Madrid IBEX: -1,00%

COMMODITIES
BRENT: +0,99%
WTI: +0,97%
COBRE: -0,16%
NIQUEL: -0,46%
SOJA FUTURO: +0,50%
ALGODÃO FUTURO: +0,60%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,02%
S&P: -0,06%
NASDAQ: -0,05%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão:
*Depois do pregão: SEB, OTHON Hoteis,

ATENÇÃO: Atenção para as notícias da troca de direção da Vale, que apesar de já estar amenizado, investidores acreditam podem estar precificado.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 30 de março de 2011

QUARTA-FEIRA 30/03/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados asiáticos fecharam em alta nesta quarta-feira, seguindo o avanço das bolsas dos EUA, como DJIA que subiu para a sétima alta em nove sessões e fechou em seu nível mais alto desde o surto de violência na Líbia, em 18 de fevereiro. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong e Sensex da Índia subiram. Xangai Composite fechou em ligeira queda. Na Austrália, as ações foram amparados pelo forte avanço em Wall Street e pelo aumento dos preços de metais, levando BHP Billiton subir 2,2%, enquanto a Rio Tinto avançou 2,1%. No resto da região, Taiex de Taiwan, Straits Times de Singapura, Kuala Lumpur Composite da Malásia, bolsa da Indonésia, Filipinas, Tailândia e NZX 50 da Nova Zelândia subiram. O dólar subiu em relação ao iene depois dos comentários, do presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, de que a política monetária dos EUA não poderia ficar solto por tempo indeterminado e também com comentários do Presidente do Federal Reserve de Dallas, Richard Fisher, em entrevista à Fox Business de que uma terceira fase de compras de ativos do governo é desnecessário e criação de emprego e ajustes fiscais são necessários para impulsionar o crescimento econômico em os EUA. A melhora no apetite ao risco, elevou o dólar australiano.

JAPÃO: O mercado de Tóquio subiu face a queda do iene frente ao dólar dos EUA e ao euro, apesar dos contratempos dos últimos dias no complexo nuclear de Fukushima Daiichi. A Tokyo Electric Power, detentora da usina, caiu 17,7%. Especula-se que o governo japonês está considerando a possibilidade de nacionalizar a Tepco para facilitar a sua reconstrução. Maioria dos exportador subiram diante da alta do dólar dos EUA, acima Y83 pela primeira vez, desde o terremoto de 11 de março. Sony subiu 1,3% e Canon subiram 1,1%. Hitachi avançou 6,0%, com a notícia de que esperava retornar a produção. A Nissan Motor também subiu 3,3% com notícias de retorno às atividades de algumas indústrias, como a fábrica de motores. Ontem, os Estados Unidos e França anunciaram que irão ajudar o Japão a enfrentar os riscos nucleares que têm deixado o mundo inteiro em alerta, comprometendo em ajudar a conter os indícios de plutônio identificados nas rachaduras do complexo nuclear da usina de Fukushima, substância altamente cancerígena, após Estados Unidos, China e Coreia do Sul identificarem vestígios de plutônio nas chuvas que caíram em seus respectivos territórios.

CHINA: Em Hong Kong, as ações subiram impulsionadas por ganhos em Wall Street e seguindo a divulgação de resultados com forte lucro de empresas como conglomerado Hutchison Whampoa e Agricultural Bank of China. Alguns papéis de imóveis e ações de carvão perderam terreno em meio a volumes modestos, com investidores realizando lucros, depois de fortes ganhos recente.

EUROPA: Mercados europeus abriram em alta, na sequência das altas na Ásia. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0,8%. Entre os destaques, as ações da African Barrick Gold sobem 3,6%, liderando o setor de mineração, após Société Générale iniciar cobertura das ações com rating de compra e seguindo a alta no preços dos metais. Randgold Resources é uma das poucas ações de mineradoras fem queda, após a mesma Société Générale indicar venda. Mineradoras do Reino Unido ajudam a elevar o índice FTSE 100. Entre as maiores quedas na Europa, a varejista de eletrônicos Dixons Retail cai 18% após divulgação de seus números de 2010 e que a queda da confiança dos consumidores, especialmente no Reino Unido e Irlanda, resultaram em uma queda acentuada nas vendas comparáveis ​​nas últimas semanas. Autos estão entre os mais rentáveis ​​na França e na Alemanha. As ações da Renault sobem 1,8% e a BMW tem alta de 2,2% em Frankfurt. O setor foi duramente atingido por preocupações de que o terremoto e o tsunami japonês sofrerá escassez de componentes e terá dificuldades na produção e os ganhos na Europa veio após sinais de que a produção de algumas empresas japonesas estão começando a se recuperar. O índice CAC 40 francês e o alemão DAX 30 operam em alta. A operadora Electricité de France sobe 1,1% com o declínio das geradoras de energia nuclear. A maioria das ações do setor financeiro são maiores, mas as ações das irlandesas Allied Irish Banks e Bank of Ireland, caem 2,2% e 5,3%, respectivamente, devido ao anúncio dos resultados dos testes de estresse para os bancos da Irlanda. O ISEQ irlandês opera em ligeira alta. PSI 20 de Portugal cai 0,6%. Banco Comercial Português lidera as quedas, com baixa de 2,2% após o banco anunciar que um grupo de acionistas está propondo um aumento de capital na ordem de 1,1 bilhão de euros (US $ 1,6 bilhões). O índice do sentimento económico na zona euro das 17 nações, caiu para 107,3 ​​em março. Em fevereiro foi de 107,9. Economistas previam uma leitura de 107,5.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h15 - ADP Employment de março (número de postos de trabalho no setor privado dos EUA);
11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Consumer Price Index (CPI) de março (indicador mensal da inflação ao consumidor europeu).
ALEMANHA: Unemployment Rate de março (a taxa de desemprego fornece amostras da situação da mão-de-obra na Alemanha); Retail Sales de fevereiro (saldo das vendas no comércio da Alemanha); Unemployment Rate de fevereiro (situação da mão-de-obra na Alemanha).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Initial Claims (pedidos de auxílio-desemprego); 10h45 - Chicago PMI de março (mede o nível de atividade industrial na região); 11h00 - Factory Orders de fevereiro (mede o volume de pedidos, feitos à indústria como um todo, de bens duráveis e bens não duráveis).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Austrália: +1,40%
Nikkei: +2,64%
Hong Kong: +1,70%
Xangai Composite: -0,09%

EUROPA
London - FTSE: +,53%
Paris Cac 40: +0,95%
Frankfurt - Dax: +1,61%
Madrid IBEX: +0,03%

COMMODITIES
BRENT: -0,35%
WTI: -0,25%
COBRE: -0,39%
NIQUEL: -1,28%
SOJA FUTURO: +0,22%
ALGODÃO FUTURO: -0,14%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,42%
S&P: +0,51%
NASDAQ: +0,62%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Droga Raia
*Depois do pregão: Banco Cruzeiro do Sul, Brookfield, CESP, Celesc, IdeiasNet, Mangels, Sping Global, Triunfo Participações.

ATENÇÃO: Atenção para os dados nos EUA, que podem ditar o tom otimista no dia de hoje.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 29 de março de 2011

TERÇA FEIRA 29/03/2011

(1) RESUMO: Fechamento misto nos mercados asiáticos nesta terça-feira, com mercado de Tóquio caindo devido ao medo da radiação, enquanto o mercado de Taiwan, foi prejudicada pelo desempenho da Acer. Nikkei do Japão, Xangai Composite e Hang Seng de Hong Kong fecharam em queda. S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul, Taiex de Taiwan e Sensex da Índia subiram. Na Austrália, os produtores de urânio caíam frente ao agravamento da crise nuclear no Japão. Woodside subiu 0,9% após o Australian Financial Review informar um possível acordo com a BHP Billiton, que subiu 0,5%. Ambas recusaram a comentar o relatório. Em Seul, montadoras deram o tom de otimismo a bolsa local. No resto da região, NZX-50 da Nova Zelândia,as ações tailandesa e KLCI da Malásia subiram. Ações das Filipinas, Straits Times, de Singapura e a bolsa da Indonésia caíram. Nos mercados cambiais, o euro era transacionado em uma escala apertada com o dólar dos EUA e o iene japonês, apoiado nos comentários do chefe do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, que expressou preocupação com a taxa de inflação que mantêm sustentavelmente acima do desejável na zona euro, aumentando a perspectiva de uma subida das taxas de juro do BCE em abril.

JAPÃO: As ações japonesas caíram devido as crescentes preocupações com os vazamentos radioativos, depois que a Tokyo Electric Power ou Tepco, disse que foi detectada a presença de plutônio em amostras recolhidas do solo da usina nuclear de Fukushima Daiichi. Ações da Tepco cairam mais 15%, seu mais baixo já registrado.

CHINA: Hong Kong registrou perdas devido ao declínio do peso pesado HSBC Holdings e de alguns promotores imobiliários, após recuo de Wall Street, rebatendo fortes ganhos das mineradoras de carvão, em uma perspectiva positiva para o carvão em meio a preocupações sobre radiação no Japão. China Southern Airlines caiu 2,3%, apesar de registrar de lucros sólidos em 2010, enquanto a Brilliance China Automotive subiram 8,6% depois de divulgar a volta dos lucros em 2010, após perdas do ano anterior. Alguns bancos chineses tiveram desempenho instável em Xangai, após temporada de resultados que teve início brilhante na semana passada. Em Taiwan, a Acer continua em queda de 6,9%, em seu limite diário pela segunda sessão consecutiva, depois que a segunda maior fabricante de computadores pessoais do mundo revisou para baixo sua previsão de receita do primeiro trimestre, O Bank of America-Merrill Lynch disse em nota, após a desclassificação de neutro para underperform, que o guidance em 5-7 milhões de unidades em 2011 é muito agressivo. O fraco desempenho da Acer tem alimentado temores de que outros fabricantes de PC podem também rever para baixo sua previsão de receita e lucro no curto prazo; Asustek caiu 0,4% e a Compal Electronics perdeu 3,8% em Taipei, enquanto a Lenovo caiu 0,2% em Hong Kong.

EUROPA: Mercados na Europa abriu em alta, mas opera no vermelho. O índice Stoxx Europe 600 tem queda de 0,4%. Pesa sobre sobre o índice, a queda de 10% da UBI Banca, após o banco italiano relatar prejuízo líquido do quarto trimestre quarto e que iria aumentar o capital social em até 1 bilhão de euros (US $ 1,4 bilhão), o que provocou um downgrade pela Nomura, arrastando outros bancos. Banco Popolare perde 9,5%, Banca Popolare di Milano cai 7,3%, Intesa Sanpaolo cai 4,3% e UniCredit desconta 3,4%. O índice FTSE MIB Itália cai 1,4%. Ainda no setor bancário, as ações do Commerzbank cai 3,2% em Frankfurt, devido boatos de que o banco alemão pode estar preparando um aumento de capital. O banco recusou a comentar. As ações da varejista Metro cai 3%, enquanto as ações da fabricante alemã de produtos domésticos, Henkel perde 1,6%. O índice DAX 30 opera em queda. O frances CAC 40 também cai. A fabricante de equipamentos de telecomunicações Alcatel-Lucent cai 1,6% após fortes ganhos na sessão anterior. O Groupe Eurotunnel sobe 4,1% após o Morgan Stanley elevou as ações de weight para overweight. O rebaixamento da BP, arrasta o índice de FTSE 100 para baixo. Ela foi rebaixada de hold para sell pela Collins Stewart, que disse não acreditar que as avaliações sejam favoráveis ​​e vê risco de queda do preço bruto e as incertezas sobre o seu negócio com a Rosneft. Além disso, um relatório da Bloomberg News disse que a companhia poderia enfrentar um processo devido a explosão no Golfo do México no ano passado, onde morreram 11 trabalhadores e provocou o vazamento de petróleo. A empresa não comentou. O PIB britânico viu uma contração trimestral de 0,5% nos três últimos meses de 2010, onde era esperado uma contração de 0,6%. Comparado ao quarto trimestre de 2009, o PIB cresceu 1,5%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
10h00 - S&P/Case-Shiller Home Price de janeiro (variação de preços das casas nos EUA por meio de uma média móvel trimestral);
11h00 - Consumer Confidence de março (mede a confiança dos consumidores norte-americanos).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Consumer Confidence (nível de confiança do consumidor na Zona do Euro); Economic Confidence (confiança na atividade econômica da Zona do Euro), Industry Confidence (confiança dos executivos na indústria da Zona do Euro);Service Confidence (confiança dos executivos no setor de serviços da Zona do Euro), todos de março.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: CBI Distributive Trades Survey (tendências de curto prazo para o setor de varejo britânico, além da distribuição para o atacado) e GFK Consumer Confidence (mede o nível de confiança do consumidor britânico sobre o futuro da economia local), ambos de março.
EUA: 9h15 - ADP Employment de março (número de postos de trabalho no setor privado dos EUA); 11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Austrália: +0,47%
Nikkei: -0,21%
Hong Kong: -0,03%
Xangai Composite: -0,86%

EUROPA
London - FTSE: -0,26%
Paris Cac 40: -0,58%
Frankfurt - Dax: -0,71%
Madrid IBEX: -0,30%

COMMODITIES
BRENT: -0,38%
WTI: -0,40%
COBRE: -0,95%
NIQUEL: -,32%
SOJA FUTURO: +0,30%
ALGODÃO FUTURO: +0,58%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,17%
S&P: +0,19%
NASDAQ: +0,24%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Cemig, Itausa, MARFRIG e Taesa.
*Depois do pregão: Anhanguera Educional; Brasil Ecodiesel, Cetip, CR2 Empreendimentos, Eletrobras (adiado para dia 29 de abril), Equatorial Energia, Guararapes, JHSF, Trisul, Unipar.

_EUA:
*Antes do pregão: Mc Cormick, Apollo Group, Lennar Corp.

ATENÇÃO: A agenda continua fraca, devendo ficar de olhos atentos nos acontecimentos no Japão, Oriente Médio e Norte da Africa e também na Europa, com o aumento dos temores em relação a Portugal, onde a agência de classificação de risco Standard & Poor’s anunciou o rebaixamento do rating de vários bancos do país.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 28 de março de 2011

SEGUNDA FEIRA 28/03/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados de ações da Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira, devido preocupações com o nível de radiação na usina nuclear. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul e Hang Seng de Hong Kong e Taiex de Taiwan caíram. Sensex da Índia e Xangai China Composite fecharam no positivo. No mercado australiano, imperou a cautela com os problemas nucleares no Japão, fazendo com que papéis ligados a urânio perdesse terreno. No resto da região, Straits Times de Singapura, Kuala Lumpur da Malásia, ações da Indonésia, Tailândia caíram, enquanto Nova Zelândia NZX-50 e Filipinas subiram. Nos mercados cambiais, o dólar ampliou ganhos de sexta-feira com dados divulgados pel Federal Reserve Bank da Filadélfia de que política monetária estará normalizada "em um futuro não muito distante ". O euro, perdeu terreno contra o dólar em meio a preocupações sobre a austeridade fiscal nos países periféricos da zona do Euro e as eleições na Alemanha. Em relação ao iene, o Credit Agricole, disse em uma nota aos clientes que a "semana pode ser caracterizada pelo repatriamento da moeda (especialmente na última semana de Março) devido a ameaça de mais intervenção do G-7."

JAPÃO: As ações japonesas caíram devido ao aumento nos níveis de radioatividade, atingir cerca de 100.000 vezes o nível normal em um tanque de água utilizada para resfriamento, dificultando o reparo da usina nuclear de Fukushima Daiichi. Em Tóquio, as ações da Tokyo Electric Power, detentora da usina nuclear atingida, caíram 17%. Japan Tobacco caiu 1,8%, devido à dificuldade na aquisição de materiais após o terremoto. A maioria dos exportadores caíram. Advantest teve baixa de 4,6%, mas os fabricantes de automóveis como a Nissan Motor subiram 3,5% depois de reiniciar a produção na sequência do sismo.

CHINA: Ações em Hong Kong e Taiwan caíram, após resultados aquém da expectativa de alguns bancos e preocupações com liquidez mais apertada no país. No continente, o Xangai Composite fechou em alta, com os bancos chineses ajudando a bolsa continental garantir o movimento de alta, na expectativa de fortes ganhos nos cinco grandes bancos que divulgam seus números nesta semana, além de um aumento médio nos lucros das indústrias. Sinopec, oficialmente chamado de China Petroleum & Chemical, apesar de um aumento de 14% no lucro em 2010, ficou aquém das expectativas. O ministro do Comércio da China solicitou aos EUA revisão na relação comercial entre os países, após a Organização Mundial do Comércio julgar que os EUA impôs medidas ilegais anti-dumping para as exportações chinesas. Algumas ações relacionadas às commodities registraram forte alta, como a Aluminum Corporation que teve alta de 3,37% e Jiangxi Copper com alta de 1,40%. Ações de tecnologia prejudicaram o mercado de Taiwan, na seguindo as preocupações das fabricantes de computadores pessoais, que podem seguir o exemplo da Acer e cortar sua perspectiva de receita para o primeiro trimestre de 2011. A Acer anunciou que espera uma queda na receita em 10% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao quarto trimestre, devido ao abrandamento da procura na Europa Ocidental e EUA.

EUROPA: Bolsas europeias oscilam entre perdas e ganhos. O índice Stoxx Europe 600 cai 0,1%, para 275,66 no início do pregão. As ações da Philips ( caem 2,3% após anunciar que espera um prejuizo em sua unidade de televisão no primeiro trimestre e que a rentabilidade da divisão continua sendo "importante" para a empresa. A montadora alemã Porsche Automobil Holding cai quase 4% depois que o grupo confirmou que seu conselho aprovou a emissão de novas ações como parte do seu aumento de capital. Outras ações de autos também caem: BMW perde 1,3% e a Daimler está abaixo de 1,1%, ajudando a puxar o índice alemão DAX 30 para baixo. Em Paris, a Alcatel-Lucent sobe 5.28% após o Goldman Sachs elevar sua avaliação de neutro para compra, sendo o player mais forte no índice CAC 40 que opera em queda. Papéis de auto lideram as perdas: PSA Peugeot Citroen caem 1,9%. Goldman também atualizou a fabricante de telefones celulares Nokia de neutro para compra do ponto morto e as ações subem 2,2%, em Helsínque. Em Londres, as ações da gigante farmacêutica AstraZeneca sobem 1,2% após aumentar a expectativa de seus resultados para o ano, citando acordo entre EUA e autoridades britânicas. O britânico FTSE 100 opera ligeiramente em alta, mas as mineradoras dão o tom de pessimismo local. O partido da Chanceler alemã Angela Merkel perdeu uma importante eleição no estado de Baden-Wuerttemberg, segundo resultados preliminares de domingo. A União Democrata Cristã de Merkel, ganhou 39% dos votos, enquanto o Partido Verde ganhou 24,2% e os social-democratas capturaram 23,1%. Os Verdes e os Sociais-Democratas devem formar uma coalizão. A energia nuclear era uma questão crucial na eleição estadual após a crise nuclear no Japão.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores) de fevereiro e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed);
11h00 - Pending Home Sales de janeiro (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA:GFK Consumer Confidence Survey (Preliminar) de abril (nível de confiança do consumidor alemão sobre o futuro da economia local); Consumer Price Index de março (indicador mensal da inflação ao consumidor alemão).
REINO UNIDO: Gross Domestic Product (Preliminar) do 4º Trimestre/2010 (estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido); Current Account do 4º Trimestre (saldo da conta corrente no Reino Unido); Mortgage Aprovals (números de aprovações hipotecárias divulgado pelo Banco Central da Inglaterra - BoE, na sigla em inglês).
EUA: 10h00 - S&P/Case-Shiller Home Price de janeiro (variação de preços das casas nos EUA por meio de uma média móvel trimestral); 11h00 - Consumer Confidence de março (mede a confiança dos consumidores norte-americanos).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h40):

ÁSIA
Austrália: -0,19%
Nikkei: -0,60%
Hong Kong: -0,39%
Xangai Composite: +0,20%

EUROPA
London - FTSE: +0,03%
Paris Cac 40: +0,04%
Frankfurt - Dax: -0,19%
Madrid IBEX: +0,21%

COMMODITIES
BRENT: -0,43%
WTI: -0,63%
COBRE: -1,74%
NIQUEL: -1,51%
SOJA FUTURO: +0,20%
ALGODÃO FUTURO: -2,74%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,07%
S&P: +0,06%
NASDAQ: +0,30%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Kepler Weber
*Depois do pregão: Celesc, Cemig, Copel, CPFL Energia; CSN, Cyrela Realty, EVEN, Gafisa, Inpar, Multiplan, Paranapanema, Tempo Participações, Triunfo .

ATENÇÃO: Agenda fraca nos EUA devem desviar o foco das atenções o front corporativo, principalmente por conta dos rumores da saída de Roger Agnelli, presidente da Vale.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 25 de março de 2011

SEXTA FEIRA 25/03/2011

SEXTA-FEIRA, 25 de março de 2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados acionários da Ásia subiram nesta sexta-feira, com as montadoras japonesas subindo com a retomada da produção, enquanto os bancos ganharam em Xangai, com a divulgação dos resultados corporativos. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul, Xangai Composite, Hang Seng de Hong Kong, Taiex de Taiwan e o Sensex da Índia subiram. Em Seul, techs subiram na esperança de que irão se beneficiar dos problemas das rivais japonesas. Na Austrália, as mineradoras deram o tom de otimismo. No resto da região, NZX 50 da Nova Zelândia fechou estável, Bolsas das Filipinas, Tailândia, Indonésia, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, subiram. O euro manteve-se contra o dólar dos EUA e mantiveram resistentes em face da crise da dívida da zona do euro e penúrias de Portugal. Standard & Poor's Services cortou sua avaliação sobre Portugal em dois pontos para BBB e ficou em observação para novos rebaixamentos, um dia depois do primeiro-ministro José Sócrates renunciar.

JAPÃO: No Japão, o progresso na contenção de radiação da usina de Fukushima Daiichi e alguns fabricantes começando a retomar a produção incentivou os investidores. Toyota Motor subiram 0,9% depois anunciar que vai retomar a produção de três modelos híbridos no Japão na segunda-feira, enquanto a Nissan Motor adicionou 1,6%, após queda de 4,6% na sessão anterior. A Nissan iniciou a produção de algumas peças no início desta semana e montagem de alguns veículos na quinta-feira. Apesar do sentimento melhorado, os investidores estão cautelosos em assumir posições fortes, dada a situação do complexo nuclear de Fukushima. Foco também se voltou para possíveis mudanças pós-terremoto nos resultados corporativos. As empresas estão lentamente alterando as previsões lucro e vai demorar algum tempo para avaliar o impacto total sobre a economia. Tokyo Electric Power, proprietária da usina atingida caiu 6,2%. Os ganhos de ações de tecnologia relacionados com os EUA também favoreceu algumas unidades regionais de tecnologia. Elpida Memory e Sony subiram 2,9% e 3,0%, respectivamente em Tóquio.

CHINA: Bancos lideraram a alta no mercado em Xangai graças a resultados melhores do que o esperado em 2010. O Banco da China ​​subiu 1,8%, enquanto o China Merchants Bank ganhou 2,1% e Industrial Bank adicionou 2,5%. Os preços ao consumidor da China devem subir 4,9% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano anterior. Espera-se ganhos do IPC de 4,8% para 5% no segundo trimestre e de uma leitura de 5% em março. Índice de preços ao consumidor subiu 4,9% em janeiro ante o ano anterior, sem alterações em seu nível em janeiro. O governo disse que a taxa de metas de inflação em 2011 é de 4%, contra 3% em 2010. O Produto Interno Bruto (PIB) da China alcançou ao fim de 2010 a marca de 9,5% do total mundial.

EUROPA: Mercados acionários na Europa abriu em alta. O índice Stoxx Europe 600 manteve-se inalterada em 275,77, após um ganho de quase 1% na sessão anterior. Os mercados foram sustentados pelos ganhos na Ásia e em Wall Street. A empresa de software alemã SAP sobe 2,8% depois de uma atualização de neutro para overweight pelo HSBC, além da carona conseguida após a rival Oracle Corp anunciar um aumento significativo no lucro do terceiro trimestre fiscal, superando as previsões de Wall Street. O índice alemão DAX 30 opera em alta. Em Paris, as ações da L'Oreal ganham 1,6% depois de uma atualização de neutro para compra pelo UBS e o Crédit Agricole sobe 2%, ajudando a sustentar os ganhos do CAC 40. Ainda dentro do Stoxx 600, as ações da BP caem 0,8% depois de a corte decidiu contra a empresa, a troca de ações com a Rosneft Rússia para exploração do Ártico. Em Londres, o índice FTSE 100 opera em alta, com destaque para as ações da Reckitt Benckiser que sobem 2,6% após o Bank of America Merrill Lynch promover suas ações de neutro para comprar. As mineradoras tem movimento superior, com Lonmin e Randgold Resources subindo em torno de 1%. Ações em Portugal e Espanha estão sofrendo pressão. Portugal sofreu dois rebaixamentospela Fitch Ratings e Standard & Poor's. O índice PSI Portugal 20 opera em ligueira alta, enquanto o IBEX 30 opera em ligeira queda.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 - Prévia do PIB e de seu deflator (mede basicamente o custo de uma cesta de bens na economia norte-americana), todos baseados no quarto trimestre;
10h55 - Michigan Sentiment versão final de março (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: German Retail Sales (Mede variação de preços de todos os produtos vendidos pelos varejistas, excluindo auto)
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Personal Income (renda individual dos cidadãos norte-americanos) e Personal Spending (gastos dos consumidores) de fevereiro e também o núcleo do Personal Consumption Expenditures - PCE (gastos pessoais dos americanos - medida de inflação mais acompanhada pelo Fed); 11h00 - Pending Home Sales de janeiro (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h00):

ÁSIA
Austrália: +0,91%
Nikkei: +1,07%
Hong Kong: +1,06%
Xangai Composite: +1,07%

EUROPA
London - FTSE: +0,51%
Paris Cac 40: +0,15%
Frankfurt - Dax: +0,54%
Madrid IBEX: -0,02%

COMMODITIES
BRENT: -0,13%
WTI: -0,14%
COBRE: +0,06%
NIQUEL: +0,34%
SOJA FUTURO: -0,25%
ALGODÃO FUTURO: -0,94%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,37%
S&P: +0,52%
NASDAQ: +0,45%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Julio Simões Logística.
*Depois do pregão: Bematech, Light, OGX Petróleo, OHL BRASIL, Sabesp, São Carlos, Wilson Sons.

ATENÇÃO: Os holofotes se viram para a divulgação da terceira prévia do PIB (Produto Interno Bruto) norte-americano para o quarto trimestre. O consenso de mercado aponta um certo otimismo em relação ao desempenho da economia americana. com uma expectativa de crescimento na casa dos 2,9%.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quinta-feira, 24 de março de 2011

QUINTA-FEIRA 24/03/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados acionários da Ásia fecharam em alta nesta quinta-feira, com os japoneses se esforçando em meio a incerteza sobre a estabilidade do complexo de energia nuclear e preocupações sobre o custo econômico do terremoto e do tsunami. Nikkei do Japão e Xangai Composite fecharam em queda. S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia do Sul, NZX 50 da Nova Zelândia e Hang Seng de Hong Kong subiram. Na Austrália, o forte aumento dos preços dos metais deu impulso ao sector, apesar de dados decepcionantes de habitação dos EUA. BHP Billiton e Rio Tinto subiram 0,9% cada. Techs e autos mantiveram a alta para Kospi, com perspectivas positivas de ganhos, devido interrupções na produção das montadoras japonesas. Entre os outros mercados, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, ações da Indonésia, Sensex da Índia e SET Tailândia subiram. Bolsas das Filipinas e Taiex de Taiwan caíram. Nos mercados cambiais, o euro caiu em relação ao dólar dos EUA, devido preocupações com a dívida soberana na zona do euro. A moeda única foi atingido por um downgrade do rating de crédito dos bancos espanhóis pela Moody's, e comentários de um órgão oficial suéco que os testes de estresse sobre o sistema financeiro vai expor muitos bancos a falência.

JAPÃO: No Japão, os investidores buscaram mais clareza sobre a conturbada situação da usina nuclear de Fukushima. O mercado estima que os custos dos danos causados ​​pelo sismo excederá os ¥ 25 trilhões estimados pelo governo, pois estimativa oficial cobria apenas os custos diretos do terramoto e maremoto e não os problemas subseqüentes no reator nuclear. Dezessete dos 33 sub-índices do Topix subiram, com ações de construção em alta. Tokyo Electric Power, operadora das usinas nucleares atingidas, caiu 12,4% na notícia que retirou o seu plano de pagar dividendo no fim de ano, uma vez que o impacto do sismo afetará seus resultados. Dois operários temporários da usina nuclear de Fukushima foram hospitalizados nesta quinta-feira por terem sido expostos à radiação excessiva enquanto trabalhavam para levar cabos elétricos ao reator número 3. Ações ligadas à exportação foram destaque de queda, com baixa de 2,72% para a Toyota e de 3,36% para as da Canon, enquanto as relacionadas com a reconstrução se valorizaram, com papéis da Mitsubishi Materials com alta de 4,70% e da Taiheiyo Cement com alta de 5,23%. As exportações do Japão subiram 9,0% no ano, apesar do terremoto, mantendo o 15 mês consecutivo de superávit e mais forte do que o ganho modesto de 1,4% em janeiro, embora ligeiramente abaixo das previsões de um ganho de 9,7% em fevereiro.

CHINA: Ganhos em empresas petrolíferas, bancos e mineradoras de ouro na China sustentaram o índice de referência. A atividade manufatureira da China acelerou em fevereiro para a maior alta de dois meses, de acordo com o levantamento preliminar elaborado pelo HSBC e Markit que reuniu gestores de 420 empresas de manufatura. O índice de gerentes de produção de compras subiu para 52,5 na leitura de 51,7 em janeiro. Uma leitura acima de 50 é considerada expansionista. "O crescimento da indústria transformadora recuperou um pouco neste mês, após desaceleração em fevereiro. Isso deve reduzir as preocupações sobre uma desaceleração acentuada do crescimento", disseram analistas do HSBC. A China vai impor um imposto sobre os minerais de terras raras a partir de 01 de abril O imposto foi fixado em 60 yuans (9,1 dólares) por tonelada de minerais de terras raras leve, e 30 yuans por tonelada de terras raras médio e pesada. A China é atualmente o maior produtor mundial de terras raras - minerais, que são cruciais na manufatura de vários produtos eletrônicos e automotivos.

EUROPA: Os mercados acionários europeus abriram em queda após o Parlamento Português rejeitou novas medidas de austeridade, mas recuperam terreno. O índice Stoxx Europe 600 sobe 0.33% no início do pregão, com ações de bancos entre os piores desempenho. O PSI 20 de Portugal abriu em queda de 1,1% no início do pregão, apó o país rejeitar novas medidas de austeridade, levando à demissão do Primeiro-Ministro José Sócrates e aumentando expectativa de que Portugal pedirá ajuda à União Europeia. Os bancos espanhóis BBVA SA e Banco Santander caem 1,1% e 1,6%, respectivamente, após a Moody's cortar rating de dívida de 30 bancos espanhóis. As classificações do BBVA e do Santander não foram afetados, mas a agência de notação disse que as perspectivas sobre a maioria dos bancos continua negativa. O IBEX 35 da Espanha opera em ligueira queda. Ações de varejo estão em sua maioria mais forte em toda a Europa. Kingfisher sobe 5,5% em Londres depois que o grupo registrou crescimento de lucro forte garantindo a alta sobre ovalor de referência do índice FTSE 100. A Varejista de roupas Next tem alta de 4,6%, após também postando resultados fortes, enquanto a cadeia de supermercados alemã Metro AG sobe 1,2% após uma atualização para comprar a partir de segurar pela ING. O índice DAX 30 também registra alta. Na França, o índice CAC 40 sobe , apesar da queda do setor bancário. Societe Generale e Credit Agricole caíam 1,1% e 1,2% respectivamente, mas operam próximos a estabilidade. A maioria dos stocks de petróleo também foram maiores após ganhos adicionais para os preços do petróleo. As ações da BP sobem 1,4%. A Bolsa egípcia abriu em seu segundo dia de negociação após uma parada de sete semanas com uma queda de 6,8% no benchmark EGX 30 Index. O PMI composto caiu para 57,5 ​​em março, ante 58,2 em fevereiro. A taxa de crescimento foi o segundo mais rápido desde julho de 2007.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
9h30 - Durable Good Orders de fevereiro (volume de pedidos e entregas de bens duráveis no período);
9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: M3 Money Supply (informações de meios de pagamento incluindo moeda em circulação, fundos mútuos e depósitos de curto e longo prazos) e Private Loans (taxa de empréstimos concedidos ao setor privado).
ALEMANHA: GfK German Consumer Climate (nível de confiança do consumidor Alemão na economia), German Import Prices (preço dos produtos importados pelo país), German Ifo Business Climate (estudos com 7000 empresas, entre elas indústrias, construtores, atacadistas e varejistas da Alemanha para determinar o sentimento dos negócios e as condições na zona euro).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - Prévia do PIB e de seu deflator, todos baseados no quarto trimestre; 10h55 - Michigan Sentiment versão final de março (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h55):

ÁSIA
Austrália: +1,01%
Nikkei: -0,15%
Hong Kong: +0,39%
Xangai Composite: -0,08%

EUROPA
London - FTSE: +0,84%
Paris Cac 40: +0,49%
Frankfurt - Dax: +0,82%
Madrid IBEX: +0,13%

COMMODITIES
BRENT: -0,05%
WTI: +0,71%
COBRE: +0,16%
NIQUEL: +1,51%
SOJA FUTURO: +0,61%
ALGODÃO FUTURO: -1,70%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,41%
S&P: +0,53%
NASDAQ: +0,76%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Bradespar, Dufry A. G, LLX Logística, Paraná Banco.
*Depois do pregão: AES Tiete, Brasil Foods, Comgas, Cremer, CSU Cardsystem, Embraer, General Shopping, Iguatemi Shopping Center, LPS Brasil, Magnesita Refrat., MPX, Saraiva Livrarias, Transmissão Paulista.

_EUA:
*Antes do pregão: Best Buy.
*Depois do pregão: Oracle Corp.

ATENÇÃO: As atenções ficam por conta dos dados americanos que podem manter a alta de ontem.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

quarta-feira, 23 de março de 2011

QUARTA-FEIRA 23/03/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados acionários da Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira, mas as ações japonesa sucumbiram à realização de lucros. Nikkei do Japão, Kospi da Coreia do Sul e Hang Seng de Hong Kong cairam. S & P / ASX 200 da Austrália e Xangai China Composite subiram. Em Sidney, os investidores ainda estão preocupados com as perspectivas econômicas da China, bem como a situação nuclear japonesa. Ações do setor de finanças e Energia apoiaram a alta do mercado. O mercado de Seul foi apoiada por ações químicas e de refinação de petróleo, que continuou a subir na expectativa de melhores resultados depois das interrupções na produção dos seus homólogos japoneses. LG Chem subiu 1,3% e S-Oil subiu 3,8%. Ações de tecnologia teve desempenho inferior com as contínuas preocupações para os seus lucros do primeiro trimestre à frente da temporada de resultados. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia NZX-50, Straits Times de Singapura, Taiex de Taiwan, bolsas da Indonésia, Tailândia, Sensex da Índia subiram. KLCI da Malásiae e bolsa das Filipinas fecharam estável. Nos mercados cambiais, o dólar dos EUA é negociado estável contra o yen como muitos investidores evitando fazer grandes apostas em meio à incertezas com os problemas em reatores do Japão e as operações militares da coalizão na Líbia. O euro ligeiramente menor em relação ao dólar e ao iene. A moeda única continua a ser suportado pelas expectativas de subida das taxas de juro do Banco Central Europeu.

JAPÃO: Ações em Tókio fez uma pausa após aumento de 7,2%, após 2 sessões de alta, após uma espessa fumaça preta sair do reator 3 da usina (uma das mais afetadas pelas recentes explosões), sem que se conheça a sua origem - o que enervou os mercados. Vinte e um dos 33 subíndices Topix foram menores.
Terumo caiu 3,4% depois que a fabricante de equipamentos médicos reduziu sua previsão de lucro líquido no ano fiscal, citando o impacto do terremoto e apagões sobre sua produção. A maioria dos exportadores também foram menores, com preocupações sobre o impacto do terremoto sobre a receita. Toyota Motor caiu 1,2% e Fujitsu perdeu 5,6%. No lado positivo, Taiheiyo Cement saltou 11,5% depois que a companhia anunciou, após o fechamento do mercado nesta terça-feira que vai pagar um dividendo por ação.

CHINA: Ações em Hong Kong caíram na sequência de sinais fracos em Wall Street, com as ações da China Coal caíram 7,1% depois de reportar um crescimento de 1% no lucro líquido anual, ganhando um downgrade do rating pelo HSBC de overweight para o neutro. Os resultados também arrastarm outros produtores de carvão, como a China Shenhua Energy e Yanzhou Coal Mining. A seguradora China Life Insurance caiu 3,1% depois de também dizer que seu lucro subiu menos que o esperado no ano passado.

EUROPA: Mercados na Europa abriram em queda e oscilam entre pequenas perdas e ganhos. O índice Stoxx Europe 600 cai ligeiramente para 271,71. Os varejistas estão entre as maiores quedas, com J Sainsbury apresentando queda de 4% depois da operadora de supermercados do Reino Unido disser que espera um ambiente de consumo difícil. Rivais como a Tesco caem 2,2% e Wm. Supermercados Morrison caem 1,9% em Londres. Todas essas varejistas pesaram sobre o índice FTSE 100, mas operam em alta neste instante. A varejista Jerónimo Martins cai quase 3% em Lisboa, pressionando o índice PSI 20 para baixo. O governo de Portugal enfrenta uma votação em seu pacote de austeridade nesta quarta-feira. Enquanto isso, o índice CAC 40 e o DAX 30 sobem ligeiramente. As ações da BMW lidera as altas no DAX, subindo 1,4% após a montadora ser atualizado de market perform para outperform pela Bernstein Research. Em Milão, as ações do banco italiano UniCredit SpA sobem 2,22%. Os estoques egípcio reabriram pela primeira vez desde o final de janeiro, caindo caiam quase 10%, mas posteriorment suas negociações foram suspensas. As encomendas à indústria na zona euro registou uma subida mensal de 0,1% em janeiro e alta de 20,9% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os economistas tinham previsto um aumento de 1% ao mês e um aumento de 21,6% no ano-a-ano. 3 dos 6 membros do Comitê de Política Monetária do Banco Central da Inglaterra votaram por manter a taxa de juros em 0,5%, recorde de baixa, segundo a ata da reunião realizada em 10 de março. O CPM também manteve o tamanho do programa de flexibilização quantitativa em 200 bilhões de libras.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA:
11h00 - New Home Sales de fevereiro (número de casas novas com compromisso de venda);
11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano;
13h00 - Discurso do Presidente do FED Ben Bernanke.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Flash Manufacturing PMI (atividade de manufatura), Flash Services PMI (nível de atividade econômica no setor de serviços).
ALEMANHA: German Flash Manufacturing PMI (atividade de manufatura), German Flash Services PMI (nível de atividade econômica no setor de serviços)
REINO UNIDO: Retail Sales Index de dezembro (vendas no varejo britânico).
EUA: 9h30 - Durable Good Orders de fevereiro (volume de pedidos e entregas de bens duráveis no período); 9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Austrália: +0,19%
Nikkei: -1,65%
Hong Kong: -0,14%
Xangai Composite: +1,02%

EUROPA
London - FTSE: +0,50%
Paris Cac 40: +0,4%
Frankfurt - Dax: +0,23%
Madrid IBEX: +,29%

COMMODITIES
BRENT: +0,30%
WTI: +0,98%
COBRE: +1,59%
NIQUEL: +1,22%
SOJA FUTURO: +0,30%
ALGODÃO FUTURO: 0,73%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,25%
S&P: +0,33%
NASDAQ: +0,13%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Depois do pregão: BHG, Brasil Brokers, Eletropaulo, JBS Friboi, MRV Engenharia, Rossi Resid, SLC Agrícola, Tecnisa.

_EUA:
*Antes do pregão: General Mills.

ATENÇÃO: Os noticiários no Japão e os conflitos na Líbia voltaram ao centro das atenções. A inflação já começa a preocupar a Zona do Euro à luz dos conflitos no Oriente Médio e norte da África, encarecendo o barril de petróleo.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

terça-feira, 22 de março de 2011

TERÇA FEIRA 22/03/2011

(1) RESUMO: Maioria das praças da Ásia fecharam em alta nesta terça-feira, com sinais de progressos na contenção da crise nuclear japonesa, mas permaneceram atentos as manobras na Líbia. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia, Hang Seng de Hong Kong e Xangai Composite subiram. Mercado volátil na Austrália, com papéis de commodities metálicas e energia, acompanhando a queda de 1,2% no preço do cobre, os preços do petróleo não conseguiram estender os ganhos da segunda-feira e os fracos dados imobiliário nos EUA. BHP Billiton caiu 0,7% e Rio Tinto perdeu 0,5%, enquanto Woodside Petroleum caiu 1,1%, porém alguns papéis relacionadas a urânio continuaram a recuperar, como a alta de 3,0% da Extract Resources. Ações coreanas, subiram apoiadas nas compras dos investidores estrangeiros. Tech foram misturados, enquanto as companhias aéreas caíram, atingido pelos elevados preços do petróleo. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, Taiex de Taiwan, Sensex da Índia, SET da Tailândia e bolsa das Filipinas subiram. KLCI da Malásia era plana e ações na Indonésia caíram. Os mercados cambiais negociam em escalas apertadas, com os investidores prestando atenção para uma possível intervenção do iene, depois que o Grupo dos Sete países industrializados concordaram em coordenar a intervenção no mercado na semana passada.

JAPÃO: As ações japonesas voltaram do feriado, com todos os 33 subíndices Topix em alta. Segundo analistas, os investidores estrangeiros ficaram completamente vendidos devido aos problemas nucleares, mas estão voltando a comprar as ações subvalorizadas. Advantest subiu 9,7% depois de importante progresso na sua oferta para comprar Verigy, fabricante de equipamentos de testes de microchip. Toshiba subiu 11,7% após anunciar que pretende pagar dividendo no final do ano. Tokyo Electric Power, ou Tepco, o operadora da usina nuclear de Fukushima subiu até o limite diario de 15,8%, estendendo os ganhos de 19% de sexta-feira. O BoJ (Bank of Japan) continuou a atuar no mercado, injetando ¥ 2 bilhões no mercado monetário para manter a liquidez, favorecendo papéis de bancos. As ações financeiras se recuperaram após queda recente, devido preocupações por aumento nos custos de crédito e perdas nas participações societárias. Mitsubishi UFJ adicionou 5,6% e Mizuho Financial subiram 5,8%. JX Holdings subiu 10,1% depois que a produção em sua refinaria de Negishi, danificadas pelo terremoto em Yokohama foi retomada na segunda-feira. Diante do trabalhos de reconstrução do país, as ações de empresas ligadas com a produção de aço e infraestrutura também se destacaram na sessão, como a alta de 11,63% para JX Holdings, 10,72% para JFE Holdings e 7,11% para Nippon Steel.

CHINA: O mercado de Hong Kong estendeu os ganhos de terça-feira, ajudado pelo forte avanço em Wall Street, incluindo peso-pesado como a HSBC Holdings, produtores de energia avançando com o preços do petróleo bruto. As ações da China Life Insurance subiram 1,4%, frente ao resultado de 2010, divulgado no final do dia. Impulsionados pela reconstrução do Japão, papéis ligados a cimento também tiveram bom desempenho, como valorização de 4,76% para Anhui Conch Cement Company e Gansu Qilianshan Cement Group com alta de 5,51%.

EUROPA: Os mercados acionários europeus sobem, estendendo os ganhos pela quarta sessão consecutiva, lideradas pelo setor financeiro e de seguros, porém perdendo terreno. O índice Stoxx Europe 600 sobe para 273,38, no pregão matinal depois de um forte rali das ações japonesas. Entre as ações européias em foco, as da Metro cai 2,7% no início do pregão, depois que a companhia relatou um aumento de 33% no lucro do quarto trimestre, mas também advertiu que a instabilidade no Oriente Médio e África do Norte, o terremoto do Japão e os problemas econômicos em parte da Europa poderiam afetar suas metas de lucro. O papel é destaque de baixa no índice alemão DAX 30, que opera limitado também pela queda de 1,2% para a BMW. Autos também é menor na França, onde a PSA Peugeot Citroën e Renault caem 1,7% e 1,4% respectivamente. As ações financeiras ajudam a levantar o mercado francês, incluindo um aumento de 1,5% para a seguradora AXA, enquanto os stocks de seguros continua a recuperar da queda, na sequência do terramoto de japonês. O índice CAC 40 francês opera em alta. No Reino Unido, o gestor do Fundo Schroders apresenta a melhor performance no índice de referência do Reino Unido, subindo 2,2% depois que foi promovido para comprar pelo Citigroup. Ações de Seguros também estão fortes em Londres. As ações da Prudential sobe 2,97% e Standard Life sobe 1,51%. FTSE 100 também opera em ligeira alta. Entre outras ações em foco no continente, a suíça Nestlé cai1,2% depois de ter sido rebaixado de overweight para neutra pela JP Morgan Cazenove.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

_EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
9h30 - Discurso do Secretário do Tesouro americano Thimoty Geithner.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Industrial New Orders de dezembro (números de novos pedidos à indústria na Zona do Euro), Consumer Confidence (nível de confiança do consumidor sobre o momento atual e o futuro da economia local).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: BBA Mortgage Approvals (Aprovações Hipotecárias), Minuta da última reunião do BOE realizada em março.
EUA: 11h00 - New Home Sales de fevereiro (número de casas novas com compromisso de venda); 11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h25):

ÁSIA
Austrália: +0,01%
Nikkei: +4,36%
Hong Kong: +0,76%
Xangai Composite: +0,32%

EUROPA
London - FTSE: +0,10%
Paris Cac 40: +0,47%
Frankfurt - Dax: +0,01%
Madrid IBEX: +1,26%

COMMODITIES
BRENT: +0,49%
WTI: +0,01%
COBRE: +0,30%
NIQUEL: -0,27%
SOJA FUTURO: -0,90%
ALGODÃO FUTURO: -0,23%

INDICES FUTUROS
Dow: +0,09%
S&P: +0,02%
NASDAQ: +0,01%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Depois do pregão: Amil, Ecorodovias, Ez Tec, UOL

_EUA:
*Depois do pregão: Jabil Circuit

ATENÇÃO: As atenções se voltam para a situação do Japão e do Oriente Médio, visto que a agenda não traz nenhuma referência de peso.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

segunda-feira, 21 de março de 2011

SEGUNDA-FEIRA 21/03/2011

(1) RESUMO: A maioria dos mercados asiáticos fecharam em alta nesta segunda-feira, em meio ao crescente otimismo sobre a solução nuclear do Japão, enquanto os stocks de energia se beneficiaram mais uma vez da alta do petróleo e das commodities com o aumento das preocupações geopolíticas no Oriente Médio e Norte da África. S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia do Sul e o índice Xangai Composite, Hang Seng de Hong Kong e Taiex de Taiwan fecharam em alta. Sensex da Índia caiu. Os mercados japoneses estiveram fechadas devido ao Vernal Equinox Day. Em Sidney, a bolsa fechou em alta. Os stocks de urânio australiano continuou a recuperar de perdas causadas pela crise nuclear japonesa. BHP Billiton fechou estável e Rio Tinto subiu 0,8%. No resto da região, NZX-50 da Nova Zelândia, Bolsas das Filipinas, Tailândia, Indonésia, Straits Times de Singapura e KLCI da Malásia subiram. Nos mercados de câmbio, o iene opera em queda, com a perspectiva de novas medidas do bancos centrais para enfraquecê-lo, mesmo após a ação coordenada pelo Grupo dos Sete países mais industrializados para empurrar a moeda para baixo na sexta-feira.

JAPÃO: Mercados japoneses fechados em comemoração ao dia do Equinócio da Primavera. O feriado é comemorado no Japão desde 1948 e festeja-se hoje, 21 de Março. A semana do Ponto Vernal é chamada no Japão - Haru no Higan (Spring Higan). A palavra "higan" significa "a outra margem" e a data está ligada às crenças Budistas de que existe um rio de ilusões, paixões, dor e sofrimento, que divide o mundo terreno do Nirvana. Para atingir a iluminação, a alma precisa de defrontar todas essas coisas e atravessar o rio. No Equinócio, quando a noite e o dia são iguais, Buda vem á terra para salvar as almas perdidas, conduzindo-as ao Nirvana. Por isso, no Shunbun no Hi, as famílias visitam os cemitérios, lavam os túmulos, queimam incenso, e levam flores, sake e ohagi (bolas de arroz cobertas com feijão azuki).

CHINA: Na China, o Banco Central anunciou na sexta-feira, um aumento de 0,50%, o terceiro aumento neste ano, nas reserva do compulsório por parte de grandes bancos, a partir de 25 de março, na tentativa de drenar a liquidez do sistema bancário como parte de esforços de Pequim para conter a inflação. Em Hong Kong ações fecharam em alta liderada pela força de ações de promotores imobiliários e bancos. Entre os setores individuais, os ganhos foram liderados pela indústria e comércio.

EUROPA: Mercados na Europa abriram em alta. O índice Stoxx Europe 600 sobe para 271,86, após uma perda de 2,8% na semana passada, seu pior desempenho semanal desde o início de julho. Telefonia lidera os ganhos nos mercados europeus. Os preços do petróleo também atrai atenção do investidor, com o petróleo bruto com entrega para abril subindo em meio a ataques aéreos da coalizão internacional contra o regime do coronel Muammar Kadhafi na Líbia. Na Alemanha, a Deutsche Telekom sobe, após anunciar que vai comprar sua unidade T-Mobile dos EUA em um negócio de US $ 39.000 milhões. Ganhos para a Deutsche Telekom impulsiona o índice alemão DAX 30, o que inspira um ganho de 5% para a Vodafone Group e um aumento 3,3% para a BT Group no Reino Unido. O índice FTSE 100 também sobe com ações de Royce Group que apresenta alta de 2,5%. Telecomunicações também pressiona o índice CAC 40 francês, com as ações da France Telecom SA ganhando 3,1 %. Futuros dos EUA estavam negociando em forte alta, com as ações da AT & T em foco.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:
_BRASIL: Vencimento de opções sobre ações negociadas na BM&F Bovespa.
_EUA:
11h00 - Existing Home Sales de fevereiro (mede as vendas de casas usadas no país)

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: onsumer Price Index - CPI (indicador mensal da inflação ao consumidor britânico), Core CPI (mede a evolução dos preços de bens e serviços, excluindo alimentos e energia), Public Sector Net Borrowing (diferença de valor entre o gasto público e renda durante o mês em questão (receitas menos despesas) e o RPI - Retail Price Index (mede a evolução dos preços de bens e serviços adquiridos pelos consumidores para fins de consumo. Ela inclui os custos de habitação (O CPI não).
EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Austrália: +0,30%
Nikkei: ---%
Hong Kong: +1,73%
Xangai Composite: +0,01%

EUROPA
London - FTSE: +1,08%
Paris Cac 40: +1,80%
Frankfurt - Dax: +1,79%
Madrid IBEX: +1,70%

COMMODITIES
BRENT: +1,78%
WTI: +1,86%
COBRE: +0,30%
NIQUEL: +0,32%
SOJA FUTURO: -0,16%
ALGODÃO FUTURO: +1,56%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,9%
S&P: +1,16%
NASDAQ: +1,30%

(4) RESULTADOS CORPORATIVOS:
_BRASIL:
*Antes do pregão: Banco Pine, Kroton.
*Depois do pregão: Providência, Valid, PDG Realty, Eucatex, Direcional Engenharia, Alliansce e Camargo Corrêa.

_EUA:
*Antes do pregão: Tiffany & Co.

ATENÇÃO: Apesar da diminuição das tensões com o acidente nuclear japonês, o investidor deve ficar de olho nas ações na Líbia. O único dado econômico externo vem dos Estados Unidos com a divulgação o Existing Home Sales. Por aqui, o foco ficará por conta do vencimento de opções sobre ações negociadas na BM&F Bovespa.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader

sexta-feira, 18 de março de 2011

SEXTA-FEIRA 18/03/2011

(1) RESUMO: Maioria das bolsas na Ásia fecharam em alta, depois que o G-7 concordou em uma intervenção coordenada para estancar o recente aumento do iene, oferecendo alívio ao Japão que enfrenta terremoto e a sua pior crise nuclear. Nikkei do Japão, S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi de Coreia do Sul subiram. Em Sidney, Woodside Petroleum adicionou 3,7% e contrariando os ganhos do setor, Origin Energy caiu 3,1% após retomar seu plano para levantar US $ 2,3 bilhões para uma emissão de ações para comprar ativos de privatização de eletricidade do Estado de New South Wales. Em Seul, Pasco subiu 3,2% na expectativa das siderúrgicas beneficiarem de escassez da oferta de aço. Entre os outros mercados, NZX-50 da Nova Zelândia, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, Timex Taiwan, bolsas da Indonésia, Filipinas tacked 0,6% e SET Tailândia subiram. Sensex da Índia caiu após escândalo diplomático com os EUA, após boato de que o Partido do Congresso da Índia ofereceu propina para vencer uma votação no Parlamento sobre o acordo nuclear EUA-Índia em 2008.

JAPÃO: O Nikkei subiu 2,7% para 9,206.75 em Tóquio, mas ainda assim terminou a semana com perdas de mais de 10%. A alta veio após o Grupo dos Sete países mais industrializados - de que o Japão é um dos membros disse que vai fazer esforços coordenados para intervir no mercado cambial e não vão tolerar um rápido incremento do iene. Segundo o ministro de finanças do Japão, Yoshihiko Noda, cada país membro irá vender iene assim que seus mercados abrirem nesta sexta-feira, com o intuíto de inibir a forte valorização acumulada pela divisa japonesa desde que ocorreram os terremotos e o tsunami no último dia 11, tendo alcançado sua maior cotação da história frente ao dólar na última sessão. Em resposta, a moeda norte-americana é negociada em alta de 2,75% em relação ao iene, sendo cotado próximo de ¥ 81,15. Este foi o primeiro acordo sobre intervenção conjunta desde setembro de 2000. Entre os principais exportadores, a Honda Motor adicionou 1,5% e Sharp subiram 2,8%. Sony subiu 0,2%, informando que seis de suas fábricas japonesas, incluindo os de discos Blu-ray e baterias, permanecem fechadas e está investigando se uma interrupção no fornecimento de componentes terá impacto sobre sua capacidade de fornecer e fazer dispositivos eletrônicos.

CHINA: Em Hong Kong, as ações subiram, inspiradas nos ganhos nos EUA e Japão, bem como os fortes resultados da PetroChina e China Overseas Land & Investment. COLI adicionou 2,7% depois que a maior imobiliária chinesa disse que seu lucro em 2010 subiu 66%, enquanto PetroChina avançada 2,7%, um dia após ele relatar alta de 35% no lucro líquido em 2010. PetroChina tiveram ajuda da alta do preços futuros do óleo cru Nymex, depois que o Conselho de Segurança da ONU aprovou medidas necessárias, contra a Líbia. O aumento dos preços do petróleo também ajudou a CNOOC em Hong Kong. O índice Hang Seng, o Hang Seng China Enterprises e o Xangai Composite fecharam em alta.

EUROPA: Mercado na Europa abriu em alta, com notícias de controle da radiação em Fukushima, acordo do Grupo dos Sete em tomar medidas em relação ao iene e as Nações Unidas aprovando ações na Líbia. Entre as ações mais rentáveis, destaque para a alemã Siemens que sobe mais de 3% após o Deutsche Bank melhorar o rating da empresa de espera para comprar, dizendo que ela está bem posicionado para se beneficiar do aumento de investimento em energia não nuclear. A fabricante de produtos químicos BASF foi outro player forte em Frankfurt, acrescentando 2,3% depois que o JP Morgan elevou seu rating de neutro para overweight, dizendo que deverá ser beneficiada com os preços do petróleo e gás. Os ganhos dos dois pesos-pesados ​​ajudaram a elevar o índice DAX 30. As ações de mineradoras estavam entre os destaque de alta, com notícias sobre o Japão ajudando a acalmar os investidores. As ações da BHP Billiton sobem 3.9% e a Xstrata, alta 1,7 %. O britânico FTSE 100 opera no positivo. Construtoras permanecem em alta. Os stocks de petróleo também são maiores com os preços do petróleo subindo em consequência da decisão do Conselho de Segurança da ONU de aprovar uma zona no-fly numa medidas para proteger os civis na Líbia. As ações da BP 3,3% e Total tem alta de 0,9 %. Entre os principais índices, o francês CAC 40 sobe liderada por uma alta de 3,9% para a Schneider Electric que continua a recuperar da forte queda na semana anterior. IBEX 35 espanhol opera em queda.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
Quadruple Witching (vencimento simultâneo de contratos futuros de índices acionários, contratos futuros de ações, opções sobre índices e opções sobre ações). O nome do dia é em referência aos quatro vencimentos e às bruxas. Segundo os analistas é um dia historicamente mais volátil, especialmente nas últimas horas de negociação. Investidores que precisam encerrar posições podem movimentar o mercado a qualquer preço, levando as cotações a oscilarem erraticamente. O Quadruple Witching ocorre quatro vezes por ano, nas terceiras sextas-feiras dos meses de março, Junho, Setembro e Dezembro).

AGENDA DE SEGUNDA-FEIRA:

EUROPA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: Existing Home Sales de janeiro (mede as vendas de casas usadas no país).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Austrália: +1,67%
Nikkei: +2,72%
Hong Kong: +0,07%
Xangai Composite: +0,42%

EUROPA
London - FTSE: +0,60%
Paris Cac 40: +0,68%
Frankfurt - Dax: +0,55%
Madrid IBEX: -0,33%

COMMODITIES
BRENT: +0,55%
WTI: +0,36%
COBRE: -0,43%
NIQUEL: +1,63%
SOJA FUTURO: +0,08%
ALGODÃO FUTURO: +3,46%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,73%
S&P: +0,67%
NASDAQ: +0,64%

ATENÇÃO: O mercado promete muita volatilidade com quatro vencimentos importantes ocorrem simultâneamente: contratos futuros de índices acionários, contratos futuros de ações, opções sobre índices e opções sobre ações. Atenções também se voltam para a Libia e consequentemente para o preço do petróleo.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader.com/haramototrader

quinta-feira, 17 de março de 2011

QUINTA-FEIRA 17/03/2011

(1) RESUMO: A maioria dos mercados asiáticos encerraram em baixa nesta quinta-feira, com o Japão lutando para conter o vazamento de radiação nuclear na usina de Fukushima. Entre os principais índices da Ásia, o S & P / ASX 200 da Australia, Xangai Composite, Hang Seng de Hong Kong e Taiex de Taiwan caíram. Kospi da Coreia do Sul fechou em ligeira alta. Sensex da Índia caiu 1,2%, devido ao aumento da taxa de juros em 0,25 ponto percentual pelo BC - um movimento que já era esperado. Índice de ações da Austrália caiu, ajudado pelos números decepcionantes dos dados imobiliários americano e preocupação com pressões inflacionárias nos os EUA. Stocks de urânio continuavam em queda, com a Paladin Energy tendo queda de 6,8%, após a China suspender autorizações para novas usinas nucleares. Entre os outros mercados, Straits Times de Singapura, KLCI da Malásia, caiu 0,4%, bolsa da Indonésia, Filipinas e SET da Tailândia caíram. NZX-50 da Nova Zelândia subiu modestamente. Nos mercados cambiais, o dólar dos EUA recuperou em relação ao iene, após o seu recorde de queda na manhã de quinta-feira, após expectativa de que o Japão iria intervir no mercado cambial, pois as empresas estão encerrando o ano fiscal e o dólar abaixo Y80 não é desejável. Autoridades japonesas alegaram que o pico do ienes foi impulsionada por especuladores e não pelos fluxos de repatriação devido ao terremoto. O dólar também atingiu nível mais baixo face ao franco suíço.

JAPÃO: Em Tóquio, o recuo do iene e o abrandamento das preocupações com o seu pior desastre nuclear, fizeram os investidores recuperar a calma. Vinte e quatro dos 33 subíndices Topix caíram, com os exportadores sofrendo com o câmbio. Canon caiu 3,1%, a Toyota Motor foi 3,6% menor e Sony derrapou 2,2%. Tokyo Electric Power, o operador da instalação nuclear de energia caiu 9,5%, embora bem longe dos 22% da manhã.

CHINA: A China suspendeu aprovações para novas usinas de energia nuclear. As vendas de imóveis residenciais em Pequim e Xangai cairam drasticamente nos últimos dois meses devido a medidas do governo local e central na tentativa de esfriar o mercado imobiliário. Em Hong Kong , as bolsas caíram, com aumento do temor sobre a radiação nuclear do Japão. Todos os setores do índice Hang Seng fecharam no vermelho, enquanto o Hang Seng China Enterprises caiu 2,4%. Ações de peso como ​​HSBC e China Mobile caíram 2,6% cada um. Cathay Pacific Airways caíram 3,7% passando a figurar entre os grandes perdedores. Em Xangai, o composite também fechou em queda.

EUROPA: As bolsas européias tentam recuperação, liderado por ganhos de ações de automóveis e de mineração. As ações do conglomerado industrial alemão Siemens sobe 4.3%, liderando os ganhos no índice DAX 30. As ações da BMW sobem 3.8%. A cia aérea Lufthansa sobe 1.8%, após reportar lucro líquido de 1,13 bilhão de euros (US $ 1,57 bilhão) em 2010, apesar de prever dificuldades em 2011. As ações da siderúrgica ArcelorMittal sobem 2,6%, sendo um dos destaques positivos em Paris, enquanto autos também sobem, como a Renault adicionando 2,6%. O índice CAC 40 francês opera positivo. O índice FTSE 100 do Reino Unido sobe, com ações de mineradoras como a Kazakhmys com alta de 2.7% e BHP Billiton subindo 2,3%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 - CPI - Consumer Price Index (Indicador mensal da inflação ao consumidor dos Estados Unidos) e de seu núcleo Core CPI (mensura os preços ao consumidor, com exceção dos custos relativos à alimentação e energia), ambos de fevereiro;
9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego); 10h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization (capacidade utilizada), ambos de fevereiro; 11h00 - Leading Indicators de fevereiro (ou Índice de Indicadores Antecedentes, que nada mais é do que um relatório que compreende 10 índices já divulgados no país tais como pedidos de auxílio-desemprego, custo de mão-de-obra e permissões para construção e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia);
11h00 - Philadelphia Fed Index de março (mede a atividade industrial no estado).

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Current Account de janeiro (saldo da conta corrente na Zona do Euro) e Trade Balance de janeiro (números da balança comercial na Zona do Euro).
ALEMANHA: Producer Price Index (PPI) de fevereiro (Índice de Preços ao Produtor é considerado um importante indicador de inflação da Alemanha).
REINO UNIDO: Mortgage Aprovals (número de aprovações de hipotecas).
EUA: Quadruple Witching (vencimento simultâneo de contratos futuros de índices acionários, contratos futuros de ações, opções sobre índices e opções sobre ações). O nome do dia é em referência aos quatro vencimentos e às bruxas. Segundo os analistas é um dia historicamente mais volátil, especialmente nas últimas horas de negociação. Investidores que precisam encerrar posições podem movimentar o mercado a qualquer preço, levando as cotações a oscilarem erraticamente. O Quadruple Witching ocorre quatro vezes por ano, nas terceiras sextas-feiras dos meses de março, Junho, Setembro e Dezembro).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Austrália: -0,06%
Nikkei: -1,44%
Hong Kong: -1,83%
Xangai Composite: -1,15%

EUROPA
London - FTSE: +0,60%
Paris Cac 40: +0,85%
Frankfurt - Dax: +0,70%
Madrid IBEX: +0,81%

COMMODITIES
BRENT: +1,47%
WTI: +1,42%
COBRE: +1,78%
NIQUEL: +2,37%
SOJA FUTURO: +1,22%
ALGODÃO FUTURO: +1,40%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: +0,54%
S&P: +0,72%
NASDAQ: +0,41%

(4) RESULTADO CORPORATIVO:
*Antes do pregão: Braskem, HRT
*Depois do pregão: B2W Global, Diag. América (DASA), Estácio Part, Lojas Americanas.

_EUA:
*Antes do pregão: FedEx, Ross Stores.
*Depois do pregão: Nike.

ATENÇÃO: Apesar das tensões com o acidente radioativo no Japão prender as atenções dos investidores, o mesmo não pode menosprezar o que acontece no mundo islâmico. O Bahrein declarou estado de emergência de três meses e fechou o mercado acionário do país, o que pode fazer com que o petróleo siga sua escalada de preços. Nos Eua a agenda está cheia, com a divulgação da inflação ao consumidor, além do número de pedidos de auxílio-desemprego na última semana, o que pode garantir um repique para as bolsas.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader.com/haramototrader

quarta-feira, 16 de março de 2011

QUARTA-FEIRA 16/03/2011

(1) RESUMO: Mercados asiáticos fecharam em alta nesta quarta-feira, com a queda nos níveis de radiação e sem necessidade de expandir a área de evacuação em torno da usina nuclear de Fukushima, apesar de um novo tremor de magnitude 6,0 atingir Chiba, perto de Tóquio. Nikkei do Japão, que caiu 10,6% na terça-feira, em sua maior queda em um dia desde outubro de 2008, subiu 5,6%. S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia do Sul, Hang Seng de Hong Kong e Xangai China Composite também fecharam em alta. O mercado australiano seguiu a alta de Tóquio, lideradas por ações de urânio: Paladin, teve alta de 14,0% após o Deutsche Bank elevar sua recomendação para Neutro. O papel havia perdido 31,1% na segunda e terça-feira. Commodities metálicas também tiveram um desempenho superior, com a BHP Billiton subindo 1,9%, Rio Tinto 2,3% maior e Oz Minerals, com alta de até 5,0%. As ações em Seul subiram, refletindo os seus pares regionais, lideradas pelo setor de tecnologia e siderurgia. Entre os mercados regionais, Straits Times, de Singapura, KLCI da Malásia, Taiex de Taiwan, SET Tailândia, NZX 50 da Nova Zelândia, Sensex da Índia subiram e as bolsas da Indonésia e Filipinas fecharam em queda. O iene fechou em ligueira queda em relação ao dólar dos EUA. O euro cai depois que a Moody's anunciou um downgrade da obrigações de longo prazo do governo de Portugal.

JAPÃO: Em Tókio,trinta e dois dos 33 sub-índices do Topix recuperaram. As ações de tecnologia recuperaram acentuadamente, com os investidores mirando suas atenções para as perspectivas de ganhos em empresas menos afetadas pelo terremoto. Sony adicionou 8,0% e Sharp subiram 7,0%. Hitachi saltou 14,6%, apesar de ser conhecida como uma fabricante de usinas de energia nuclear. As contribuições lucros de seu setor de energia nuclear é relativamente pequena. Toyota Motor subiu 7,0% e a Honda Motor de 4,0%. Bridgestone avançou 6,1%, uma vez que reiniciaram a produção em plantas domésticas fechado devido a cortes de energia. Pesando o índice, a Tepco, proprietária e operadora da usina nuclear danificada, teve queda de 25%.

CHINA: Na China, commodities metálicas e carvão registraram ganhos, em uma perspectiva positiva de preços. As ações da PetroChina ganharam 1,3% na expectativa da empresa divulgar um forte resultado em 2010.

EUROPA: As bolsas europeias abriram o pregão em alta, mas perde terreno após a Moody's Investors Service rebaixar o ratings de longo prazo do governo de Portugal em dois níveis de A1 para A3, com perspectiva negativa. O movimento foi devido ao "crescimento moderado", a dificuldade no cumprimento de metas fiscais do governo, uma eventual necessidade de apoio financeiro futuro para os bancos e as instituições governamentais e as "difíceis condições de mercado" que elevou os custos de financiamento. A Moody's também reduziu a dívida de curto prazo Português para Prime-2 a partir de Prime-1. PSI 20 de Portugal opera em queda. No setor bancário, BNP Paribas em Paris e Barclays em Londres, ambas caem 1.6%. Entre os principais índices europeus, o alemão DAX 30 sobe quase 1%, lembrando que os alemães tinham sido os mais afetados na Europa. A produtora de electricidade E. On lideram os ganhos no índice, com alta de 5%. Resseguradora Munich Re ganham quase 5%, tendo caído quase 10% nos últimos três sessões. Em Paris, o índice CAC 40 e o britânico FTSE 100 opera em queda. O maior ganhador em Londres foi a Associated British Foods que sobe 4,3% após melhor classificação pela Credit Suisse. Entre as ações em foco, a Ericsson sobe 3,2% depois que o grupo de equipamentos de telecomunicações disse que não espera que os eventos no Japão tenha um impacto em suas vendas no primeiro trimestre. A inflação na Zona do Euro ficou em 2,4%, em linha com a expectativa do mercado.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 - Current Account do 4º Trimestre (saldo da conta corrente nos Estados Unidos);
9h30 - PPI - Producer Price Index (é o mais importante indicador de inflação dos Estados Unidos) e CORE PPI (é muito acompanhado pelo mercado financeiro devido a grandes volatilidades, exceção aos preços de alimentação), ambos de fevereiro;
9h30 - Housing Starts (número de casas que começaram a ser construídas) e Building Permits (autorizações para a construção de imóveis foram concedidas), ambos de fevereiro;
11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Construction Output de janeiro (atividade da indústria de construção na zona do euro, tanto no setor público como privado).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 - CPI - Consumer Price Index (Indicador mensal da inflação ao consumidor dos Estados Unidos) e de seu núcleo Core CPI (mensura os preços ao consumidor, com exceção dos custos relativos à alimentação e energia), ambos de fevereiro; 9h30 - Initial Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego); 10h15 - Industrial Production (produção industrial) e pelo Capacity Utilization (capacidade utilizada), ambos de fevereiro; 11h00 - Leading Indicators de fevereiro (ou Índice de Indicadores Antecedentes, que nada mais é do que um relatório que compreende 10 índices já divulgados no país tais como pedidos de auxílio-desemprego, custo de mão-de-obra e permissões para construção e que resumem a situação da economia americana e servem como prévia para o desempenho da economia); 11h00 - Philadelphia Fed Index de março (mede a atividade industrial no estado).

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Austrália: +0,65%
Nikkei: +5,68%
Hong Kong: +0,10%
Xangai Composite: +1,18%

EUROPA
London - FTSE: -0,71%
Paris Cac 40: -0,78%
Frankfurt - Dax: +0,16%
Madrid IBEX: -1,00%

COMMODITIES
BRENT: +1,73%
WTI: +1,76%
COBRE: +1,70%
NIQUEL: +1,55%
SOJA FUTURO: +1,67%
ALGODÃO FUTURO: +3,42%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,20%
S&P: -0,27%
NASDAQ: -0,08%

(4) RESULTADO CORPORATIVO:
*Antes do pregão: Randon Part
*Depois do pregão: CCR

_EUA:
*Antes do pregão: General Steel
*Depois do pregão: Delta Petroleum

ATENÇÃO: O foco das atenções continua sobre os acontecimentos no Japão, mas os conflitos no Oriente Médio (agora no Bahrein) e a situação da dívida soberana europeia ainda preocupa. Dados americanos podem melhorar o cenário das bolsas.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader.com/haramototrader

terça-feira, 15 de março de 2011

TERÇA FEIRA 15/03/2011

(1) RESUMO: Os mercados acionários da Ásia despencaram nesta terça-feira, arrastada por forte queda, nas bolsas de Tóquio, entre preocupações generalizadas quanto temor de uma catástrofe nuclear japonesa. S & P / ASX 200 da Austrália, Kospi da Coreia do Sul , Xangai Composite, Taiex Taiwan e o Hang Seng de Hong Kong fecharam em forte queda. Na Austrália, a notícia da crise nuclear do Japão incentivou a venda. Entre as ações relacionadas ao urânio puro, Energy Resources of Australia caiu 10,7%, Paladin perdeu 17,0%, Extract caiu 14,3%, enquanto Uranex perdeu 26,8% e Bannerman caiu 33,0%. Papéis de carvão como Whitehaven subiram nas expectativas de aumento da demanda do Japão. Ações ligadas a commodities também foram menores, com a BHP Billiton com queda de 3,3% e a Rio Tinto, 2,3% menor. No resto da região, Sensex da Índia, NZX 50 da Nova Zelândia NZX-50, bolsas das Filipinas, Malásia, Tailândia, Straits Times de Singapura caíram. Os mercados cambiais viu o comércio desabar, com os comentários do primeiro-ministro japonês desencadeando uma onda de vendas de moedas mais arriscadas, como o dólar australiano, dólar de Cingapura, a rúpia indiana, o won coreano e o dólar neozelandês.

JAPÃO: As ações japonesas caíram acentuadamente, pressionado pela notícia de uma outra explosão na usina nuclear de Fukushima Daiichi, desta vez no reator número 4, após o nítido aumento dos níveis de radiação do reator n. º 2 e 3. O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan disse que há um alto risco de elevado níveis de radiação e pediu que as pessoas dentro de 30 quilômetros da usina para ficar em casa. Nikkei do Japão Stock Average caiu 10,55%, estendendo-se a queda de 6,2% na segunda-feira, elevando a perda para 16,7% nesta semana. Todos os 33 sub-índices do Topix foram menores, com investidores estrangeiros correndo para vender ações relacionadas a usinas nucleares. Exportadores fecharam em queda, devido a paralisação da produção como a Toyota Motor, com queda de 4,6% e Sony, com baixa de 13,7%.

CHINA: Na China, não houve pânico, mas os investidores estão preocupados com o vazamento do reator no Japão. Mineradoras de carvão e as empresas de ouro lideraram a queda, seguindo o recuo nos preços globais do petróleo e do ouro.

EUROPA: Mercados europeus abriram em forte queda, seguindo a bolsa japonesa. O índice Stoxx Europe 600 cai para 267,60 no início do pregão, com perdas generalizadas para os setores financeiro, mineração, petróleo e serviços públicos. Em Paris, o grupo de engenharia nuclear francês Areva cai 8,9%. A alemã E. ON perde 4.6%, o maior perdedor no índice DAX 30. Entre outros índices na Europa, o índice CAC 40 cai 3,3% com a empresa de eletricidade Electricité de France SA perdendo 4%. Fabricantes de artigos de luxo,como a LVMH Moet Hennessy Louis Vuitton, que tem uma clientela considerável no Japão, cai 6,7%. A britânica de artigos de luxo, Burberry cai 7,6%, ajudando a arrastar o índice FTSE 100 para baixo . As mineradoras também caem de forma generalizada, destaque para a Fresnillo em queda de 6% e Eurasian Natural Resources em baixa de 5,6%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA:
9h30 – Export Prices (preços de bens exportados, excluindo produtos agrícolas) e o Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo), ambos de fevereiro;
09h30 - NY Empire State Index de março (mede a atividade manufatureira no estado);
10h00 - Treasury International Capital de janeiro (demanda estrangeira por títulos e ativos norte-americanos);
15h15 - Decisão do Federal Reserve (definição do juro básico norte-americano - atualmente entre 0% e 0,25% ao ano.


AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Consumer Price Index (CPI) de fevereiro (indicador mensal da inflação ao consumidor europeu).
ALEMANHA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
REINO UNIDO: ILO Unemployment Rate de janeiro (taxa de desemprego divulgada pelo National Statistics, é um dos principais para a economia britânica).
EUA: 9h30 - Current Account do 4º Trimestre (saldo da conta corrente nos Estados Unidos); 9h30 - PPI - Producer Price Index (é o mais importante indicador de inflação dos Estados Unidos) e CORE PPI (é muito acompanhado pelo mercado financeiro devido a grandes volatilidades, exceção aos preços de alimentação), ambos de fevereiro; 9h30 - Housing Starts (número de casas que começaram a ser construídas) e Building Permits (autorizações para a construção de imóveis foram concedidas), ambos de fevereiro; 11h30 - Estoques de Petróleo norte-americano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h10):

ÁSIA
Austrália: -2,13%
Nikkei: -10,55%
Hong Kong: -2,86%
Xangai Composite: -1,42%

EUROPA
London - FTSE: -2,77%
Paris Cac 40: -3,69%
Frankfurt - Dax: -4,91%
Madrid IBEX: -2,60%

COMMODITIES
BRENT: -3,00%
WTI: -3,38%
COBRE: -2,55%
NIQUEL: -1,82%
SOJA FUTURO: -0,84%
ALGODÃO FUTURO: -2,65%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -2,32%
S&P: -2,74%
NASDAQ: -2,83%

(4) RESULTADO CORPORATIVO:
*Depois do pregão: Aliansce e Copasa.

_EUA:
*Antes do pregão: ATP Oil & Gas e Carrizo Oil & Gas.
*Depois do pregão: BPZ Energy.

ATENÇÃO: Entre as notícias das catástrofes provenientes do terremoto no Japão e os conflitos na Líbia mostrando a alternância de poder entre forças do presidente Muammar Khadaffi e manifestantes locais, destaque para a definição da taxa de juros pelo FED dos EUA.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader.com/haramototrader

segunda-feira, 14 de março de 2011

SEGUNDA-FEIRA 14/03/2011

(1) RESUMO: Maioria dos mercados da Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira. O índice Nikkei caiu forte e fechou abaixo dos 10.000 pontos. S & P / ASX 200 da Austrália, Taiex de Taiwan e Kospi da Coreia do Sul caíram. Hang Seng de Hong Kong e o Xangai composite fecharam em ligeira alta. As siderúrgicas australianas e mineradoras de carvão caíram com o desligamento parcial da rede japonesa de energia nuclear. Empresas de urânio caíram com as preocupações sobre a viabilidade de longo prazo da energia nuclear em todo o mundo. Companhias aéreas na Coreia caíram em meio a preocupações de queda no número de turistas recebidos do Japão, quando ações da indústria pesada registraram quedas acentuadas devido aos receios de que o terremoto no Japão terremoto possa elevar os preços do aço. No resto da região, as ações da Malásia eram planas, Straits Times de Singapura, NZX-50 da Nova Zelândia caíram. O mercado da Indonésia, Tailândia e Sensex da Índia subiram. Nos mercados cambiais, o dólar dos EUA subiu em comparação ao iene. O euro também valorizou, após reunião do Banco Central em Bruxelas.

JAPÃO: As ações de Tóquio fecharam em forte queda, após terremoto de magnitude 8,9 atingir o país. A maior preocupação é com a possiblidade de explosão do 3o reator nuclear na usina da Tóquio Electric Power em Fukushima. Suas ações caíram 23,6%. O Banco do Japão injetará uma enorme quantidade de dinheiro no mercado monetário de curto prazo, visando a garantir o fluxo do mercado, porém as seguradoras caíram forte: Dai-ichi Life Insurance com queda de 18,9% e Tokio Marine Holdings deslizando 12,4%. As ações financeiras estavam em forte baixa, como a Sumitomo Mitsui FG apresentando queda de 7,2%. Vários exportadores, bancos e commodities tiveram forte queda. A bolsa de Tóquio viu 32 dos 33 subíndices Topix caírem. Somente o subíndice da construção foi maior, em antecipação aos esforços de reconstrução. As ações da Nissan Motor caíram 10%, Honda Motor, -7,4% e a Toyota Motor queda de 7,8% depois que anunciaram que vão suspender as operações em quase todas as suas fábricas domésticas. Eletrônicos também tiveram forte queda, como a Canon, com queda de 6,1%. Muitas empresas de eletrônicos também suspenderam a produção. A Moody's Investors Service disse que o terremoto de sexta-feira não trás uma crise fiscal no Japão, enquanto o país, continuar a financiar os déficits orçamentais a um custo excepcionalmente baixo. A economia do Japão de 6.000.000.000.000 dólar americano é capaz de absorver o choque do terremoto ao longo do tempo, de acordo com a Moody's.

CHINA: Na China, dados de empréstimos menor do que o esperado em fevereiro indicam que o controle de Pequim sobre o crédito está mais apertado do que o previsto. Destaque para as ações de empresas que fabricam produtos concorrentes ao de companhias japonesas, como a siderurgia. Baoshan Steel subiram 2,1%. As ações em Taiwan caíram com ações de tecnologia, devido preocupações de que o terremoto do Japão poderá prejudicar o desempenho de produtos eletrônicos, apesar de que fabricantes de chips de memória DRAM de chips de memória, petroquímica, siderurgia e companhias de cimento subiram na expectativa de se beneficiar com a escassez de oferta, devido aos problemas no Japão. Em Hong Kong, as ações estavam firme. A queda acentuada dos preços do petróleo bruto, derrubaram produtores de energia, tais como a CNOOC e a Sinopec. O índice Hang Seng, Hang Seng China Enterprises e Composto de Xangai fecharam em alta.

EUROPA: As ações européias abriram mais baixo, com os investidores analisando o impacto econômico do terremoto e do tsunami do Japão. Ações de seguros pesaram sobre o valor de referência novamente, pela segunda vez. As ações da Swiss Re caem mais 3,3%, Hannover Re chegou a ceder 7,8% e Scor caiu quase 4,8%. Na França, as ações da fabricante de reatores nucleares Areva cai 8,2% e a EDF perde 3,2%. As ações da RWE caem 3,7% em Frankfurt, com temores de que a crise nuclear possa ter um curso rápido. As ações da SolarWorld sobe 15.25% em Frankfurt e Vestas Wind Systems, uma fabricante de turbinas eólicas, subiram 5,4%, em Copenhague. Entre os principais índices regionais, DAX 30 da Alemanha caem, liderado por perdas das resseguradoras. CAC 40 de Paris e o FTSE 100 de Londres apesar de negativo, tentam recuperar terreno. A produção industrial em toda a zona do euro subiu 0,3% em janeiro. Comparado a janeiro de 2010, a produção cresceu 6,6%. Economistas previam um aumento mensal de 0,4% e um aumento de 6,4% anual. A Eurostat revisou para cima sua estimativa de produção de dezembro ao mostrar um aumento de 0,3% mensal e 8,8% anual, ante uma estimativa anterior de queda de 0,1% mensal e um ganho anual de 8%.

(2) AGENDA DO MERCADO :

HOJE:

EUA: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

AGENDA DE AMANHÃ:

EUROPA: Employment Change do 4º Trimestre (dados preliminares de desemprego na Zona do Euro) e ZEW Survey – Economic Sentiment de março (sentimento do investidor institucional na Zona do Euro).
ALEMANHA: ZEW Survey – Current Situation de março (sentimento atual do investidor institucional na Alemanha) e ZEW Survey – Economic Sentiment de março
(sentimento no longo prazo do investidor institucional na Alemanha).
REINO UNIDO: Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.
EUA: 9h30 – Export Prices (preços de bens exportados, excluindo produtos agrícolas) e o Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo), ambos de fevereiro; 09h30 - NY Empire State Index de março (mede a atividade manufatureira no estado); 10h00 - Treasury International Capital de janeiro (demanda estrangeira por títulos e ativos norte-americanos); 15h15 - Decisão do Federal Reserve (definição do juro básico norte-americano - atualmente entre 0% e 0,25% ao ano.

(3) ÍNDICES MUNDIAIS (7h30):

ÁSIA
Austrália: -0,40%
Nikkei: -6,18%
Hong Kong: +0,41%
Xangai Composite: +0,11%

EUROPA
London - FTSE: +0,03%
Paris Cac 40: -0,09%
Frankfurt - Dax: -0,57%
Madrid IBEX: +2,02%

COMMODITIES
BRENT: -1,23%
WTI: -1,38%
COBRE: -0,65%
NIQUEL: -1,06%
SOJA FUTURO: -0,86%
ALGODÃO FUTURO: -2,75%

ÍNDICES FUTUROS AMERICANO
Dow: -0,32%
S&P: -0,33%
NASDAQ: -0,57%

(4) RESULTADO CORPORATIVO:
*Antes do pregão: Fras-le e Hypermarcas.
*Depois do pregão: Helbor, Multiplan e Odonto Prev.

_EUA:
*Antes do pregão: Ebix, General Steel e Gulfport Energy.
*Depois do pregão: Callon Petroleum.

NOVO HORÁRIO DE NEGOCIAÇÃO:
O pregão regular no segmento Bovespa será entre 10h00 e 17h00, com after market das 17h30 às 19h00. No mercado futuro, o horário será entre 9h00 e 17h30.

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuíto, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui redigidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. Atenção para o horário da disponibilização dos dados desse relatório.
Você encontrará também esse material no site http://haramoto.blogspot.com
Siga também no twitter: http://www.twitter.com/haramototrader.com/haramototrader