Veja Também

Veja Também

segunda-feira, 23 de maio de 2016

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 21/05/2016

ÁSIA: A maioria dos principais mercados da Ásia fechou em queda nesta segunda-feira, com investidores atentos para a falta de consenso entre ministros de finanças e presidentes de bancos centrais do G-7, que ainda tentam chegar a um acordo sobre como lidar com o enfraquecimento da economia global, como por exemplo, através de políticas fiscais e monetárias coordenadas, mas a perspectiva de aumento das taxas de juros nos EUA permanece no topo da lista de preocupações dos investidores.

O Nikkei fechou em baixa de 0,49%, a 16,654.60 pontos, enquanto o par dólar-iene recuou para níveis abaixo de 110. O Ministério de Finanças do Japão mostrou que as exportações japonesas em abril caíram 10,1% no ano, refletindo a fraca demanda da China, mercados emergentes e  EUA. A queda ficou em linha com uma pesquisa da Reuters, que previam uma redução de 10%. As importações para abril caíram 23,3% em termos homólogos, resultando um saldo comercial de 823,47 bilhões de ienes. O iene se fortaleceu após os dados, com o par dólar-iene caindo para 109,61, ante cerca de 110,12 antes da divulgação dos dados; Um iene mais forte geralmente pesa sobre as ações dos exportadores, uma vez que reduz o valor de seus ganhos no exterior quando são repatriados para a moeda local.

No final de semana, o presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, disse que ele tinha "munição suficiente" para atingir a meta de inflação de 2% do banco central, reagindo à algumas críticas da capacidade de sua política das taxas de juro negativa do banco central.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng recuou 0,22%, mas na China continental o Shanghai Composite subiu 0,66%, para 2,844.01 potnos e o Shenzhen Composite fechou em alta de 1,45%. As bolsas avançaram em meio à sinais de que os reguladores querem limitar que novas ações cheguem aos mercados. O órgão regulador de ações da China rejeitou na última sexta-feira, duas pequenas empresas que desejavam lançar IPO, Nanjing Petrochina Hengran Petro-Gas Co. e Jilin Kelong Building Energy-Saving Technology Co., sugerindo que as autoridades querem limitar a oferta de novas ações que poderiam pressionar o mercado.

Os investidores no continente também estão esperando que os reguladores endureçam as regras de suspensões de negociação, alimentando especulações de que o MSCI Inc. pode anunciar em junho, a adição de ações da China continental em seus índices. A facilidade com que as empresas chinesas tem em poder congelar a negociação de suas ações tem sido um ponto amplamente questionado pelo MSCI.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 oscilou entre ganhos e perdas antes de fechar em baixa de 0,60%, 5,318.94 pontos, pesada principalmente por ações do setor bancário e mineração. Rio Tinto caiu 2,31%, Fortescue fechou com queda de 3,96% e BHP Billiton recuou 2,55%, depois que os futuros de minério de ferro no Dalian Commodity Exchange caiu 5,4% para 352,5 yuan (US $ 53,90) por tonelada na segunda-feira. Foi a maior queda em um único dia nos futuros de minério de ferro da China em duas semanas. O país compra mais de dois terços de todo o minério de ferro físico comercializado globalmente.

Os preços do petróleo recuaram durante o horário da Ásia, com Santos recuando 2,07%, Oil Search caindo 3,22% na Austrália, enquanto a japonesa Inpex encerrou em baixa de 2,21%. Na China continental, Sinopec recuou 0,16%, enquanto a China Oilfield ganhou 0,57%.

EUROPA: As bolsas europeias abrem a semana em queda, apesar dos dados positivos da França e Alemanha não conseguindo compensar o sentimento negativo em torno de um potencial aumento da taxa EUA em junho, queda nos preços do petróleo e dados comerciais japoneses fracos.

O índice PMI flash composto em maio para a Alemanha subiu para 54,7, ante 53,6 em abril e na França, o PMI atingiu uma alta de sete meses, em 51,1 porém o PMI composite flash da zona do euro em maio foi de 52,9, atingindo uma baixa de 16 meses e abaixo da leitura de 53,0 em abril.

O Stoxx Europe 600 cai, devolvendo parte de uma alta de 1,2% na sexta-feira que determinou o segundo ganho semanal consecutivo para o índice pan-europeu. Bayer cai 3,02% após a fabricante de medicamentos e produtos químicos disse que fez uma oferta em dinheiro para comprar a Monsanto por US $ 62 bilhões, ou US $ 122 por ação. A oferta valoriza a Monsanto em 37% sobre o preço da ação em 9 de maio, um dia antes de fazer a proposta à empresa americana, enquanto as ações da Fiat Chrysler recuam 3,01% após um relatório do jornal alemão Bild dizer que os reguladores alemães suspeitam que a fabricante de automóveis fez uso de um software ilegal para fraudar os testes de emissões de poluentes. Fiat na semana passada se recusou a se encontrar com os reguladores para discutir a questão.

No Reino Unido, o FTSE 100 opera em queda, após alta de 1,7% na sexta-feira, seu melhor ganho diário desde 12 de abril. As ações de empresas mineradoras se movem para baixo. Anglo American caem 1,25% e BHP Billiton recua 1,14%. O Tesouro do Reino Unido adverte que Brexit poderia provocar recessão na Grã-Bretanha se o país votar a favor de deixar a União Europeia em um referendo no próximo mês.

Athex Composite da Grécia sobe 1,09% depois que os legisladores gregos aprovaram novas reformas fiscais e de austeridade no domingo, em um esforço para receber a próxima parcela do resgate dos credores de seu país.

Em outras notícias, o novo primeiro-ministro da Turquia disse que a União Europeia (UE) precisa acabar com sua confusão sobre as políticas de migração e sua atitude em relação à adesão da Turquia ao bloco. As observações do novo primeiro-ministro Binali Yildirim, que é visto como um aliado próximo do presidente Erdogan, vem em meio a divisão do Reino Unido durante potencial futura adesão da Turquia à UE.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
7h15 - Discurso do presidente do FED de St. Louis, James Bullard;
10h45 - Flash Manufacturing PMI (estimativa referente ao nível de atividade industrial nos Estados Unidos);

ÍNDICES MUNDIAIS - 7h45

ÁSIA
Nikkei: -0,49%
Austrália: -0,60%
Xangai Composite: +0,66%
Hong Kong: -0,22%

EUROPA
Frankfurt - Dax: -0,76%
London - FTSE: -0,31%
Paris CAC 40: -0,99%
Madrid IBEX: -0,93%
FTSE MIB: -2,48%

COMMODITIES
BRENT: -1,17%
WTI: -1,28%
OURO: -0,07%
COBRE: -0,36%
SOJA: -1,12%
ALGODÃO: -0,28%
MILHO: -0,83%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,15%
SP500: -0,17%
NASDAQ: -0,14%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário