Veja Também

Veja Também

quinta-feira, 28 de março de 2019

RESENHA DA BOLSA - QUINTA-FEIRA 28/03/2019

ÁSIA: Os principais mercados asiáticos fecharam em baixa nesta quinta-feira, depois que o rendimento do Tesouro de 10 anos atingiu seu nível mais baixo em mais de um ano.

O Nikkei do Japão caiu 1,61% enquanto o peso-pesado do índice Fanuc viu suas ações recuarem 1,32%. O índice Topix, mais amplo, caiu 1,59%.

Na China continental, o índice de Xangai caiu 0,92%, enquanto o Shenzhen Composite caiu 0,90%.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,82%. As ações da Samsung Electronics caíram 1,1%. 

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 0,16%. As ações do China Construction Bank, cotadas em Hong Kong, caíram cerca de 1% depois que o banco registrou sua primeira queda trimestral de lucro desde 2015.

A fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicações ZTE, por outro lado, viu suas ações listadas em Hong Kong dispararem 10% depois que a companhia previu um salto no lucro do primeiro trimestre. A ZTE, quarta maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo em participação de mercado, foi forçada a interromper a maioria de seus negócios entre abril e julho do ano passado devido a sanções dos EUA.

O ASX 200 da Austrália subiu 0,65%, em 6176 pontos. O benchmark caiu no início da semana depois da inversão da curva de rendimento dos títulos dos EUA desencadear receios de recessão nos mercados globais. Estrategistas do Citi mantém a meta de 6500 pontos para o benchmark no final do ano.

Mineradores fecharam em alta, acrescentando 12 pontos ao índice. Pilbara Minerals subiu 15% e a Orocobre subiu 2,8%. Entre as gigantes, BHP subiu 0,9%, Fortescue Metals avançou 1,8% e Rio Tinto fechou em alta de 1,4%.

Na frente do comércio EUA-China, o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer e o secretário do Tesouro Steven Mnuchin devem iniciar as negociações com o vice-premiê chinês Liu He neta quinta-feira em Pequim, de acordo com o Ministério do Comércio da China. Antes da reunião, a Reuters informou que o lado chinês fez propostas sem precedentes sobre questões como transferência forçada de tecnologia, citando autoridades dos EUA.

EUROPA: As bolsas europeias negociam em alta nesta quinta-feira, após boatos de que os EUA e a China estão progredindo rapidamente nas negociações comerciais. O índice pan-europeu Stoxx 600 sobe 0,35%.

Investidores monitoram notícias sobre progresso nas negociações comerciais entre EUA e China. Um relatório da Reuters disse que a China ofereceu propostas "sem precedentes" para acalmar as preocupações dos EUA sobre transferências forçadas de tecnologia. Autoridades de ambos os países devem se reunir para uma nova rodada de discussões nesta quinta-feira, mas o rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos caíram para uma baixa de 3 meses, desencadeando nervosismo sobre uma desaceleração no crescimento econômico. 

Olhando para as ações individuais, Evotec lidera o topo do benchmark pan-europeu depois de citar uma perspectiva positiva para 2019. A empresa de biotecnologia disse que os ganhos ajustados melhoraram em 10% neste ano. As ações sobem cerca de 4%.

No outro extremo, a Bayer cai depois que um júri dos EUA disse que a gigante farmacêutica deveria pagar US $ 80 milhões à titulo de indenização sob alegação de que seu herbicida Roundup, baseado no glifosato, causou câncer em uma pessoa. As ações da empresa caem mais de 2%.

O Swedbank enfrenta uma investigação sobre a suposta lavagem de dinheiro. O seu CEO, Birgitte Bonnesen, foi demitido na manhã desta quinta-feira. As ações caiam 4%, seu nível mais baixo desde setembro de 2013 até serem suspensas.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American sobe 1,4%, Antofagasta sobe 2%, BHP sobe 1,6% e Rio Tinto sobe 1,9%.

Legisladores do Reino Unido votaram várias alternativas para o Brexit mas nenhuma delas obteve apoio majoritário, gerando mais dúvidas se a Grã-Bretanha conseguirá um acordo Brexit definitivo através do Parlamento. O destino do Brexit parece incerto. A primeira-ministra britânica, Theresa May, prometeu renunciar se a sua versão do acordo de retirada, duas vezes derrotado no parlamento britânico, fosse finalmente aprovado, mas não conseguiu impressionar alguns grupos.

EUA: Os futuros do índice de ações dos Estados Unidos operam entre pequenas altas e baixas na manhã de quinta-feira, em meio à notícias de progressos nas negociações comerciais entre os EUA e a China.

Investidores nos EUA acordaram com relatos otimistas de progresso em todas as áreas nas discussões comerciais EUA-China, com o que a Reuters chamou de "movimento sem precedentes" sobre a delicada questão de transferências forçadas de tecnologia, disseram autoridades dos EUA.

Os principais índices de Wall Street encerraram a sessão de quarta-feira no vermelho com base em mais movimentos no mercado de títulos. A taxa de 10 anos observada de perto atingiu seu nível mais baixo desde dezembro de 2017.

Os participantes do mercado também devem acompanhar de perto uma enxurrada de discursos de autoridades do banco central dos EUA. O presidente do Fed de Filadélfia, Patrick Harker, o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, o presidente do Fed de Nova York, John Williams e o vice-presidente do Fed para supervisão, Randal Quarles, devem comentar sobre a maior economia do mundo em eventos independentes na quinta-feira.

Os investidores também estarão monitorando os dados econômicos. Os dados semanais de desemprego e taxa de crescimento real dos EUA serão divulgados às 9h30.

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: +0,02%
SP500: +0,02%
NASDAQ: +0,02%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário