Veja Também

Veja Também

terça-feira, 9 de abril de 2019

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 09/04/2019

ÁSIA: As bolsas na Ásia fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, com investidores observando acontecimentos como o renovado conflito na Líbia, uma das principais produtoras de petróleo do mundo. O índice MSCI para a Ásia, excluindo o Japão, subiu 0,31%.

As ações da China continental fecharam sem direção. O composto de Xangai caiu 0,16% e o Shenzhen Composite avançou 0,72%. O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,27%.

No Japão, o Nikkei fechou em alta de 0,19%, enquanto o índice Topix, mais amplo, caiu fracionalmente para terminar em 1.618.76 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul ganhou 0,13%.

Na Austrália, o ASX 200 fechou praticamente estável em 6.221,80 pontos. Entre as mineradoras, BHP subiu 0,5%, Rio Tinto avançou 0,1%. 

O setor de petróleo da Austrália subiram em meio ao aumento dos preços do petróleo, com Santos saltando 2,93% e a Beach Energy subindo 5,45%. A alta nos preços do petróleo ocorreram em meio à um recente conflito na Líbia, um dos principais produtores de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo.

Os preços do petróleo haviam renovado as altas de 2019 na segunda-feira, com o contrato futuros de referência do petróleo Brent subindo  1,1%, para US $ 71,10 por barril. Os futuros do petróleo nos EUA subiram 2,1%, para US $ 64,40 por barril. No período da tarde de terça-feira do horário comercial asiático, os preços do petróleo continuaram avançando, com o Brent subindo marginalmente para US $ 71,14 por barril e os futuros do petróleo dos EUA avançando 0,2%, para US $ 64,53 por barril.

EUROPA: As bolsas europeias abriram sem uma direção na manhã de terça-feira, com investidores temerosos com uma nova ameaça tarifária do governo dos Estados Unidos. O Stoxx Europe 600 sobe 0,32% após a abertura relativamente plana. O benchmark fechou em alta de 0,2% na segunda-feira.

O representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, propôs na segunda-feira, uma lista de produtos da União Europeia como retaliação aos subsídios aéreos europeus. Os EUA estão considerando taxar cerca de US $ 11 bilhões em produtos da UE, desde peças de aeronaves até vinho. A medida ocorre no momento em que a administração do presidente Donald Trump tenta retaliar os subsídios da União Europeia à Airbus. As ações da Airbus recuam 1,9% nos primeiros negócios.

Outras ações listadas na Europa, como a Rolls-Royce, Thales, Dassault Systemes e BAE, foram consideradas as mais expostas à ameaça da Lighthizer e essas empresas também recuam na terça-feira de manhã.

As ações da fabricante de bebidas como Remy Cointreau, Pernod Ricard e Davide Campari também sofrem perdas. Outros itens da lista dos EUA incluem alguns queijos produzidos na Europa, helicópteros de passageiros, bem como certos tipos de motocicletas e roupas de esqui.

O anúncio ocorre pouco depois de uma decisão da Organização Mundial do Comércio dizer que os EUA são culpados de subsídios ilegais na produção de aviões da Boeing.

Na parte inferior do pan-indice, as ações da Bechtle caem 4,2% após um rebaixamento de rating da Berenberg. As ações da SocGen caem 0,6% depois que o banco francês anunciou planos de cortar 1.600 empregos em uma tentativa de aumentar os lucros.

As ações da Randstad sobem 2,3% depois que o Morgan Stanley elevou sua perspectiva de "igual peso" para "sobrepeso".

As mineradoras listadas em Londres também tem um dia de alta. Anglo American sobe 0,6%, Antofagasta avança 0,6%, BHP sobe 0,1% e Rio Tinto sobe 0,5%.

Entre outras noticias corporativas, Commerzbank deve decidir se quer ou não continuar as negociações de fusão com Deutsche Bank na terça-feira.

Os investidores também continuam monitorando a próxima reunião do Brexit. A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, deverá se reunir com os líderes da Alemanha e da França nesta terça-feira, faltando quatro dias para que a quinta maior economia do mundo deixar a União Europeia.

May participará de uma reunião de emergência na quarta-feira, quando todos os 28 estados da UE votarão se concederão ao Reino Unido uma extensão adicional do Brexit.

EUA: Os futuros de ações dos EUA apontam para uma abertura ligeiramente inferior, com os investidores monitorando o início da temporada de lucros corporativos nesta semana, com os principais bancos dos EUA prontos para dar o pontapé inicial no final da semana. JP Morgan Chase & Co e Wells Fargo devem divulgar seus últimos números na sexta-feira. Preocupações com os balanços nos EUA arrastaram as ações dos EUA em sessões recentes, apesar do relatório de empregos  robusto na semana passada ter ajudado a acalmar os nervos do mercado.

Na agenda dos dados econômicos, o relatório JOLTS do Departamento do Trabalho que acompanha as mudanças mensais nas vagas de emprego será divulgado às 11h00. 

Entre as empresas que divulgam resultados, a Levi Strauss divulgará seus primeiros resultados desde o IPO (oferta pública inicial).

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:
Dow: -0,01%
SP500: -0,07%
NASDAQ: -0,14%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário