Veja Também

Veja Também

terça-feira, 16 de abril de 2019

RESENHA DA BOLSA - TERÇA-FEIRA 16/04/2019

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta terça-feira, apesar das preocupações com o início das negociações entre os EUA e o Japão, enquanto o presidente do Banco do Japão sinalizou aumento dos riscos do protecionismo comercial sobre as perspectivas de crescimento econômico global.

O Nikkei do Japão subiu 0,24%, com as ações dos pesos-pesados Fast Retailing e Softbank Group avançando 2,32% e 1,27%, respectivamente. O índice Topix, mais amplo, caiu ligeiramente e terminou em 1.626,46 pontos. 

Os comentários de Kuroda acontecem enquanto os EUA e o Japão iniciam negociações comerciais em Washington na segunda-feira. O presidente dos EUA, Donald Trump, deixou claro que está insatisfeito com o superávit comercial de US $ 69 bilhões do Japão com os Estados Unidos e quer um acordo bilateral para resolvê-lo.

O ministro da Economia do Japão, Toshimitsu Motegi, disse à repórteres que tem uma ”troca franca e boa” com o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer e que os dois devem se reunir novamente na terça-feira, informou a Reuters.

As ações das empresas de telecomunicações japonesas Softbank e NTT Docomo subiram 3,05% e 3,56%, respectivamente, após a última ter anunciado cortes de preços menores do que o esperado.

Na China continental, as bolsas avançaram. O composto de Xangai ganhou 2,39%, enquanto o Shenzhen Composite avançou 2,1%.

A resiliência no mercado imobiliário forneceu um pouco de proteção para a economia chinesa, já que setores como manufatura e varejo estão sendo atingidos pelas tensões da guerra comercial com os EUA e fraca confiança do consumidor, informou a Reuters. Os preços médios de novos imóveis na China subiram mais rapidamente em março em relação a fevereiro.

O Banco do Povo da China, disse que estava ajustando sua política monetária para coordenar com os gastos do governo.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 1,07%.

Na Coreia do Sul, o Kospi fechou em alta de 0,26%, enquanto as ações da Asiana Airlines dispararam 16,07%. O principal acionista da Asiana Airlines, a Kumho Industrial, anunciou na segunda-feira que venderia toda a sua participação na operadora endividada para mantê-la viável, informou a Reuters, após semanas de incerteza financeira pois a companhia aérea não conseguiu  aprovação dos auditores sobre suas demonstrações financeiras de 2018, o que desencadeou alertas de rebaixamentos de classificação de crédito. Por consequência, a Kumho Industrial viu suas ações saltarem 6,62%.

Na Austrália, o ASX 200 subiu 0,42%, com a maioria dos setores avançando. Entre as mineradoras australianas, BHP caiu 0,4%, Fortescue recuou 0,9%, enquanto Rio Tinto fechou em alta de 0,5%.

A China e os EUA parecem estar perto de fechar um acordo comercial. Os chineses fizeram propostas sem precedentes sobre transferências forçadas de tecnologia, um ponto crítico nas negociações, informou a Reuters. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse no domingo que os EUA estão abertos a enfrentar penalidades caso não cumpram o acordo comercial. No entanto, Mnuchin também disse na segunda-feira os dois lados ainda tem muito trabalho pela frente.

EUROPA: Os mercados europeus operam em alta na manhã desta terça-feira, com os investidores cautelosos aguardando uma nova rodada de balanços corporativos nos EUA.  O pan-europeu  STOXX 600 operam em ligeira alta.

O foco do mercado está em grande parte em sintonia com os lucros das empresas, com vários bancos dos EUA estabelecidos para relatar suas receitas do primeiro trimestre nesta semana, após resultados abaixo do esperado do Goldman Sachs e Citigroup na segunda-feira.

As ações da varejista alemã Zalando sobe para o topo do benchmark europeu, alta de 8% depois que disse que espera ter lucro operacional no primeiro trimestre. No outro extremo, a gigante do recrutamento Hays caiu para o último lugar do índice, apesar de ter registrado um aumento nos lucros na terça-feira. A empresa disse estar ciente das condições macroeconômicas. As ações das ações listadas em Londres caem mais de 7% durante o pregão matinal.

Os mercados de Londres sobem na terça-feira, com os baixos índices de desemprego no Reino Unido favorecendo o otimismo dos investidores. O desemprego no Reino Unido da OIT foi um pouco melhor do que o esperado, chegando a 3,9% em fevereiro, em comparação com o consenso dos analistas de 4%. 

Entre as mineradoras listadas em Londres, Antofagasta sobe 1,2%, BHP cai 0,2% e Rio Tinto recua 0,1%.

As expectativas econômicas alemãs melhoraram em abril ao subir para 3,1 pontos em abril, ante -3,6 pontos em março, mesmo após a avaliação da situação atual piorar, disse o instituto de pesquisa econômica ZEW nesta terça-feira. A leitura permanece abaixo da média histórica de 22,2 pontos, mas ficou acima da previsão dos economistas de 1,5 pontos. A ligeira melhora no sentimento econômico "baseia-se em grande parte na esperança de que o ambiente econômico global se desenvolva "menos pior" do que se supunha anteriormente" e que a prorrogação de seis meses do prazo do Brexit também pode ter contribuído para melhorar as perspectivas econômicas, mas as últimas encomendas alemãs e os dados da produção industrial apontam para um desenvolvimento econômico bastante fraco.

EUA: Os futuros do índice de ações dos EUA subiram na manhã de terça-feira, com os participantes do mercado aguardando novos relatórios de lucros.

Os ganhos corporativos continuam sendo o maior foco do mercado. Bank of America, BlackRock, Johnson & Johnson e UnitedHealth atualizarão os investidores antes do início do pregão. Mais tarde, IBM, Netflix e CSX também reportarão seus últimos ganhos.

Muitos investidores estão aguardando dados do produto interno bruto (PIB) chinês na quarta-feira, uma vez que as preocupações continuam aumentando devido a uma desaceleração econômica global.

ÍNDICES FUTUROS - 7h45:
Dow: +0,43%
SP500: 0,38%
NASDAQ: +0,48%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário